A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº 27 Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº 27 Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº."— Transcrição da apresentação:

1 Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº 27 Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº 27 Colégio Maria Imaculada - SP

2 Índice • Apresentação • Território Sulista • Clima • Relevo • Vegetação • Hidrografia • As Missões Jesuíticas e a Pecuária, A Importância Para a Colonização Do Sul e 10 • O Tropeirismo • O Povoamento Imigrante no Su ao 14 • Comidas Típicas ao 18 • Danças Da Região Sul ao 28 • Folclore ao 32 • Música e 34 • Expressões Diferentes e 36 • Religião e 38 • Modo De Vida • Qualidade De Vida • Principais Problemas Da População • Principais Problemas Rurais e Urbanos • Zona Rural e Urbana • Crescimento Populacional (Demografia) • Economia Da Região Sul • Setor Primário ao 49 • Setor Secundário ao 52 • Setor Terciário ao 56 • Bibliografia • Fim

3 Apresentação Nesse trabalho vamos falar sobre a região Sul: características físicas da região, processo de ocupação e manifestações culturais, modo de vida da população e economia da região. Houve participação de todos os membros do grupo a partir do nosso livro de geografia. sul.gif

4 Território Sulista A Região Sul do Brasil é composta pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Sua extensão territorial é de ,6 quilômetros quadrados, considerada como a menor Região brasileira. No entanto, é a terceira macrorregião mais populosa do país. Bandeira Do Estado De Paraná Bandeira Do Estado De Santa Catarina Bandeira Do Estado Do Rio Grande Do Sul

5 Clima giao_Sul.gif Comparando o clima da região Sul com os das demais regiões do Brasil, não é difícil verificar que ele é consideravelmente diferente: enquanto as demais Regiões se caracterizam por possuir clima quente(exceção à região Sudeste, onde predomina clima subquente) do tipo tropical, a região Sul é o domínio exclusivo e quase absoluto do clima do tipo Temperado.

6 Relevo ical_map.gif O relevo da região Sul é dominado, na maior parte de seu território, por duas divisões do planalto brasileiro : o planalto Atlântico (serras e planaltos do Leste e Sudeste) e o planalto Meridional. Nessa região, o planalto Atlântico é também denominado planalto Cristalino, e o Meridional é subdividido em duas partes: planalto Arenito-basáltico e Depressão Periférica. A região apresenta ainda algumas planícies. Os principais aspectos primários do relevo sulista são: - Planície Costeira ou Litorânea; - Campanha Gaúcha; - Planalto Atlântico; - Planalto Meridional.

7 Vegetação Mata de Araucárias Erva-Mate c/c8/Pinheiro-do-Paran%C3%A1.jpg heiro:Ilex_paraguariensis_- _K%C3%B6hler%E2%80%93s_M edizinal-Pflanzen-074.jpg Quando muitos geógrafos brasileiros se referem ao Sul do Brasil, é comum lembrarem-se da Mata de Araucárias ou Floresta dos Pinhais e do grande pampa gaúcho, formações vegetais típicas da região, embora não sejam as únicas. Junto ao litoral, merece destaque a vegetação costeira de mangues, praias e restingas, que se assemelham às de outras regiões do Brasil.

8 Hidrografia commons/8/83/Iguacu-004.jpg Concentram-se em duas grandes bacias hidrográficas: a bacia do rio Paraná e a bacia do rio Uruguai, ambas subdivisões da bacia Platina. Os rios mais importantes são volumosos e possuem grande potencial hidrelétrico, o que já está sendo explorado no rio Paraná, com a construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu (atualmente a maior do mundo).

9 As missões jesuíticas e a pecuária, a importância para a colonização do Sul Durante todo o período colonial, a região sul foi palco de vários confrontos entre os colonizadores espanhóis e portugueses. Para o lado hispânico, a parte sul tinha grande importância, pois dava acesso às valiosas minas incrustadas nas proximidades do rio da Prata. No entanto, apesar de não integrar os territórios do Tratado de Tordesilhas, os portugueses também ocuparam a região através da fixação de missões jesuíticas e o desenvolvimento do bandeirantismo de apresamento. ia/missoes-jesuiticas-sao-miguel.jpg

10 2.JPG Em contraponto à presença portuguesa em terras espanholas, os colonos hispânicos criaram os Sete Povos das Missões, na atual porção Noroeste do Rio Grande do Sul. Dessa forma, conseguimos visualizar a situação oblíqua em que a definição dos limites do território colonial vivia naquela época. No século XVIII, houve uma tentativa expressa de se resolver essa questão atípica com a assinatura do Tratado de Madri (1750), que normatizaria a organização dos territórios coloniais. Nesse mesmo período, a região sul passou a ter maior importância para o desenvolvimento da colonização portuguesa nas regiões mineradoras. Os territórios pouco acidentados e os pastos naturais do espaço sulino foram amplamente explorados para o desenvolvimento da pecuária. O gado ali criado abastecia com couro, carne seca (charque) e animais de carga os territórios de Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás. Aos poucos, a expansão para o sul se amealhou aos interesses coloniais portugueses.

11 O tropeirismo Tropeiros-e jpg Foi responsável pelo surgimento de muitos municípios, dentre eles de Piraí do Sul no Paraná. Algumas expressões culturais herdadas desse movimento podem ser percebidas no comportamento de seus moradores como o hábito alimentar, festas religiosas, cavalgadas etc.

12 O povoamento imigrante no Sul Chegada dos primeiros Imigrantes Alemãs ao Brasil, Rio Grande do Sul, cao_no_brasil.htm Após a independência, a imigração passou a fazer parte da política Imperial, pois o Sul do Brasil continuava despovoado e alvo da cobiça dos países vizinhos. O governo passou a incentivar a implantação de núcleo de colonos imigrantes no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. A partir de então, imigrantes alemães, italianos e, em menor escala, eslavos passaram a ser atraídos para o Brasil.

13 A colonização no Sul do Brasil seguiu em ritmo acelerado no entrar da década de 1870, agora efetuada por imigrantes italianos. Todas as colônias foram organizadas da mesma forma: eram divididas em léguas, recortadas no sentido longitudinal por estradas. A maior parte dos colonos se dedicaram à cultura de vinho e ao trabalho nas vinícolas e fundaram cidades como Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Criciúma. No Paraná, a colonização foi efetuada sobretudo por povos eslavos (poloneses e ucranianos), no final do século 19, onde se dedicaram à agricultura nos arredores de Curitiba (nos vales dos rios Negro e Ivaí).

14 Comidas Típicas

15 Com uma região litorânea ampla, Santa Catarina possui diversos pratos típicos baseados no consumo de frutos do mar. A influência dos alemães, que chegaram à região, foi a de introduzir outros ingredientes, como a carne de porco na cerveja e carne de marreco. Outros alimentos influenciados por imigrantes foram as sopas de batata, tortas, salames, pães e vinhos. Exemplos: Peixe com pirão, churrasco, Eisben que é o joelho de porco ensopado, massa, polenta, chucrute e marreco. Santa Catarina Churrasco Peixe com pirão /

16 Paraná Um dos principais pratos típicos dessa região é o barreado, consumido em várias cidades. Esse prato, feito com carne, toucinho e temperos recebe esse nome surgiu com a expressão 'barrear a panela', evitando que o vapor saia e o cozido fique frio rapidamente. O barreado sofreu influências de Portugal e significa fartura e alegria. Outros: -Carneiro no Buraco; -Pinhão -Chimarrão; -Dourado Assado. Pinhão Dourado Assado com-a-cara-do-frio-brasileiro

17 Chimarrão: Um dos símbolos dos gaúchos, o chimarrão é consumido pelas pessoas diariamente em diversos lugares. É o chá da ervas mate quente que é colocado na cuia. Ela é dividida entre amigos e familiares. O consumo dessa erva começou na cidade de Assunción del Paraguay. Soldados espanhóis bebiam muito e perceberam que ao tomar o chá de ervas consumido pelos índios da tribo guarani, eles conseguiam diminuir os efeitos da ressaca. Rio Grande Do Sul Os principais pratos típicos do Rio Grande do Sul foram influenciados pelos italianos e alemães. Os principais são: polenta, galeto, carnes defumadas, linguiças, pães, bolos, dentre outros. Entretanto, o prato mais conhecido é o famoso churrasco gaúcho que é feito com detalhes que acrescentam na cultura gaúcha. A culinária gaúcha sofreu influências de espanhóis, portugueses e índios. Puchero Pratos: -Quibebe (pirão de abóbora); -Rabada (rabo de boi temperado com tomates, pimentão, suco de limão e vinagre); -Puchero (sopa com vegetais e carnes bovinas ou linguiça); -Churrasco. Chimarrão =images&cd=&docid=BD_Z3-HP1z3qEM&tbnid=HGVcn5hA- Gkh0M:&ved=0CAYQjRw&url= RO

18 Região Da Uva E Do Vinho Embora a produção de vinhos, suco de uva e derivados da uva e do vinho também ocorra em outras regiões, a maior concentração está no Rio Grande do Sul, onde são elaborados, em média anual, 330 milhões de litros de vinhos e mostos (sumo de uvas frescas que ainda não tenham passado pelo processo de fermentação). Além dos fatores naturais da Serra Gaúcha, que permitem a obtenção de uvas com elevado teor de acidez, a estrutura agroindustrial existente também é favorável para a produção de destilados de vinho, como o conhaque. Apenas uma pequena parte das uvas cultivadas no sul do País é destinada ao consumo em natura. A fruta é utilizada, em sua maioria, na elaboração de vinhos concentrando mais de 90% da produção nacional.

19 Bolinho De Chuva Bolinho de chuva é uma especialidade típica tanto em Portugal como no Brasil (também é muito comum no estado do Paraná). É feito de farinha de trigo, ovos, leite e fermento quími co ou bicarbonato de sódio (e algumas vezes frutas picadas). Os bolinhos são fritos em óleo quente e polvilhados com canela e açúcar. O bolinho de chuva tornou-se mais popular no Brasil graças ao programa de televisão Sítio do Picapau Amarelo, onde a cozinheira Tia Nastácia sempre fazia esses bolinhos para Pedrinho, Narizinho e para a boneca de pano Emília.

20 Danças Da Região Sul

21 Paraná

22 Pau-De-Fitas O pau-de-fitas foi trazido pelos alemães que aportaram na região sul do Brasil. Um mastro de aproximadamente três metros é fincado no chão com diversas fitas coloridas atreladas a ele. Os dançarinos devem estar em número par e cada um segura uma fita para girar ao redor do mastro. No decorrer dos passos da dança, vão se formando desenhos com as tranças das fitas. A dança é acompanhada pandeiro, acordeão e violão. Mulheres e crianças dançando Pau-de-fitas. músicas provenientes de instrumentos como o cavaquinho, e.com.br/danca-das-fitas-pau-de-fitas/

23 Esse estilo de dança tem origem ibérica e foi trazida pelos portugueses para as regiões de litoral do Paraná. No Brasil, recebeu influências dos índios. São utilizados instrumentos como violas, pandeiro e uma rabeca enquanto a letra é improvisada. Os dançarinos fazem uma roda e dançam com passos valsados e o ritmo é seguido com palmas e com as batidas dos pés. Fandango

24 Santa Catarina

25 Balainha A balainha é uma dança da região litorânea do Estado de Santa Catarina. É citada com o nome dança-do-balainho. Conhecida também com o nome de "arcos floridos" ou "jardineira", é desenvolvida com os pares de dança, cada um deles, sustentando um arco florido.

26 Dança do Vilão É uma das danças que faz parte do folclore de Santa Catarina. São diversos componentes, balizadores, batedores e músicos. Com os bastões, os integrantes realizam batidas e giram entre si. O movimento proporcionado pelo vai e vem dos bastões deixa a coreografia mais bonita. ELGRT67FaI/s1600/_DSC0536.JPG

27 Rio Grande Do Sul

28 Dança que é praticada só por homens e ela representa um desafio. Uma lança é colocada no chão e três homens em suas extremidades. Eles sapateiam de diversas formas e, após realizar uma sequência de passos, outro dançarino vai executar os movimentos e deve realizar de forma mais difícil que o anterior. Tudo isso acontece sob a música de uma gaita gaúcha. O dançarino que vence o desafio é aquele que realiza uma coreografia mais difícil que os companheiros, quando encosta na vara ou quando por algum motivo perde o ritmo. Chula content/uploads/2013/01/fotos- sele%C3%A7%C3%A3o-facebook-022.jpg

29 O Pezinho tem origens portuguesas e conseguiu atrair adeptos no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Além de dançar, os dançarinos devem cantar no ritmo da música que acompanha os passos. A coreografia se altera entre passos ritmados pelos pés e as duplas que rodam em torno de si. Pezinho %C3%A7ando_a_dan%C3%A7a_do_Tatu.jpg

30 Folclore

31 Saci Pererê Um dos principais personagens do folclore brasileiro e da região sul é o saci. Surgiu entre tribos indígenas que ficavam na região sul do Brasil, por volta do século XVIII. No sul, ele é representado como um menino moreno e com rabo que apronta peripécias na floresta. Ele utiliza uma carapuça vermelha e tem apenas uma perna. Além disso, é representado fumando cachimbo e segundo a lenda, para capturá-lo, é necessário pegar a carapuça para escondê-la.

32 Curupira O curupira é outro personagem difundido no folclore do sul. Ele é representado por um menino com cabelos esvoaçantes que possui os pés para trás. Ele é responsável por proteger a floresta e os animais. A lenda diz ainda que ele anda montado em um porco do mato e que possui a capacidade de iludir quem o caça. Os pés virados iludem o caçador que se perde na floresta ao tentar caçá-lo. Quem acredita na história evita caçar bichos às sextas-feiras com lua cheia, nos domingos e nos dias santos. urupira.png

33 Boi Tatá Outra lenda da região é a do Boitatá, um monstro em formato de cobra. Segundo contam, ele se escondeu de um dilúvio em um buraco e por isso seus olhos ficaram maiores. Em algumas histórias, as pessoas acreditam que ele possui bolas de fogo no lugar onde ficam os olhos. Já em Santa Catarina, acreditam que ele coma os olhos dos animais que mata e por isso tenha essa visão flamejante. Durante o dia, ele fica cego e enxerga apenas a noite, quando sai para caçar. Seu nome, na linguagem indígena significa 'coisa de fogo.

34 Música

35 Popular Na música popular, alguns artistas alcançaram expressão regional e nacional, tais como: • Adriana Calcanhotto • Arrigo Barnabé • Chitãozinho & Xororó • Dinho Ouro Preto • Elis Regina • Papas da Língua • Teixeirinha

36 Expressões Diferentes

37  Negrinho - É o docinho conhecido no país como brigadeiro.  Pandorga - Pipa, papagaio. Esse nome é usado também em Santa Catarina e Paraná.  Lomba - Elevação em uma rua. É o mesmo que ladeira.  Chapeação - Conserto da lataria do veículo.  Lagartear - Ficar ao sol deitado ou sentado em gramado no inverno, sem fazer nada a não ser, geralmente, comer bergamota.  Sinaleira – Equipamento para organizar o trânsito, sinalizando quem deve passar (luz verde), parar (vermelho) ou esperar (amarelo). Em São Paulo, é chamado de farol. No Rio é sinal.  Pila - É o equivalente a 1 real.

38 Religião

39 A tradição católica no sul do Brasil é herança da imigração italiana e polonesa, alem de católicos alemães. Portanto é uma religião solida, em que não há muita concessão à modernidade. O Protestantismo também é bastante difundido, principalmente a Igreja Luterana, vinda com os alemães.

40 A região Sul apresenta índices sociais muito acima da média brasileira e das demais regiões em vários aspectos. A região é também a mais alfabetizada, 94,8% da população, e a com menor incidência de pobreza. As escolas, hospitais, estabelecimentos governamentais, são bem melhor distribuídos pelo seu território e atendem de forma bem mais eficiente sua população. Na região Sul, o clima é excessivamente frio. Y6VdVfW2qo0/Ue8Tcbkp21I/AAAAAAAAVh0/oMveZAIcSog/s1600/2-2.jpg Modo de vida

41 Qualidade de vida A região Sul apresenta os melhores índices de mortalidade infantil, educação e saúde do país, além de possuir a segunda melhor renda per capita, inferior apenas ao Sudeste. Os estados do Sul estão entre os seis melhores na média do Índice de Desenvolvimento Humano. Possuem uma economia bem diversificada e desenvolvida. É a segunda região mais industrializada do país, vindo logo após o Sudeste. o_Caetano_do_Sul_-_Verticaliza%C3%A7%C3%A3o_%C2%B9.JPG

42 Principais problemas da população Na Região Sul existe pobreza, problemas habitacionais, alimentares, educacionais e médico-hospitalares. Mesmo a região apresentando um dos melhores índices de qualidade de vida do país, um dos maiores problemas da é o mesmo que encontramos nas outras regiões do país: a acentuada desigualdade na distribuição de renda. O Sul também enfrenta o excesso do clima tropical que em determinadas épocas do ano causam desastres para a agricultura devido a geadas e chuvas fortes e intensas. O Sul também é marcado pela grande quantidade de sem-tetos que são contratados para grande e pesada mão-de-obra. Eles também precisam de boas condições de trabalho, saúde, moradia e alimentação.

43 Principais problemas rurais e urbanos O êxodo rural, a favelização, a extrema pobreza, o problema habitacional, a implosão das cidades e as dificuldades na geração de empregos, são os principais problemas rurais e urbanos. A solução desses problemas é o planejamento territorial rural e do urbano.

44 zona rural e urbana Mas por outro lado, com essa elevada tecnologia, as lavouras sulinas ficaram altamente mecanizadas, o que leva os agricultores assalariados a buscar as grandes cidades, como forma de melhores condições de vida, e oportunidades de emprego, no setor terciário e de serviços. A população urbana na região Sul tem aumentado nos últimos anos também porque a indústria começou a se desenvolver nas últimas décadas, gerando muitos empregos, e atraindo a população. Nos últimos tempos uma grande parcela das propriedades rurais presentes na Região Sul, entrou em uma nova etapa produtiva, que está diretamente ligada ao uso de tecnologias em criação de animais e cultivo de diferentes culturas.

45 Crescimento populacional (demografia) A contagem populacional realizada em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), totalizando habitantes. Sua densidade demográfica é de aproximadamente 47,5 habitantes por quilômetro quadrado. A distribuição populacional na região Sul ocorre da seguinte forma: Rio Grande do Sul – habitantes. Santa Catarina – habitantes. Paraná – habitantes.

46 Economia da Região Sul O Sul é a segunda região mais rica do Brasil. Tem grande potencial industrial, e de agricultura com tecnologia. O Sul também é um grande exportador nacional, com destaque para produtos agrícolas e agroindustriais, como grãos e aves.A maior parte do espaço territorial sulista é ocupado pela pecuária, porém a atividade econômica de maior rendimento e que emprega o maior número de trabalhadores é a agricultura.

47 Setor Primário

48 AGRICULTURA A atividade agrícola no Sul distribui-se em dois amplos e diversificados setores: •Policultura: desenvolvida em pequenas propriedades de base familiar, cultivam-se principalmente milho, feijão, mandioca, batata, maçã, laranja, e fumo. •Monocultura comercial: desenvolvida em grandes propriedades. Essa atividade é comum nas áreas de composto Rio Grande do Sul, onde se cultivam soja, trigo, e algumas vezes, arroz. No Norte do Paraná predominam as monoculturas comerciais de algodão, cana-de-açúcar, e principalmente soja, laranja, trigo e café. A erva-mate, produto do extrativismo, é também cultivada.

49 para-modernizar-a-pecuaria-no-parana/ No Paraná, possui grande destaque a criação de suínos, atividade em que esse estado é o primeiro do Brasil, seguido do Rio Grande do Sul. A pecuária intensiva também é bastante desenvolvida na região Sul, que detém o segundo ranking na produção brasileira de leite. Parte do leite produzido no Sul é beneficiado por indústrias de laticínio. PECUÁRIA

50 O extrativismo na região Sul, apesar de ser uma atividade econômica complementar, é bastante desenvolvido em suas três modalidades: •Extrativismo vegetal: praticado na Mata de Araucárias, da qual se aproveitam o pinheiro-do-paraná, a imbuia, a erva-mate e algumas outras espécies, utilizadas principalmente pelas serrarias e fábricas de papel e celulose; •Extrativismo animal: praticado ao longo da faixa costeira, com uma produção de pescado que equivale a cerca de 25% do total produzido no Brasil, com destaque para a sardinha, a merluza, a tainha, o camarão, etc.; •Extrativismo mineral: destacam-se o carvão mineral, na região de Criciúma, o caulim, matéria-prima que abastece fábricas de azulejos e louças em Santa Catarina e no Paraná e cuja extração na região de Campo Alegre chega a 15 mil toneladas mensais, a argila e o petróleo, explorado na plataforma continental EXTRATIVISMO

51 Setor Secundário

52 O Sul é a segunda região do Brasil em número de trabalhadores e em valor e volume da produção industrial. Esse avanço deve-se a uma boa rede de transportes rodoviários e ferroviários, grande potencial hidrelétrico, fácil aproveitamento de energia térmica, grande volume de matérias- primas e mercado consumidor com elevado poder aquisitivo. A distribuição das indústrias do Sul é bastante diferente da que ocorre na região Sudeste. Nesta região predominam grandes complexos industriais com atividades diversificadas, enquanto o Sul apresenta as seguintes características: Presença de indústrias próximas às áreas produtoras de matérias-primas. Indústria

53 A região Sul é muito rica em xisto betuminoso e carvão mineral. Além desses minérios, a região possui também energia elétrica em abundância, graças às características de sua hidrografia — os rios caudalosos e os rios de planalto. Vista aérea da Usina Hidrelétrica de Itaipu, a maior usina hidrelétrica do Brasil e uma das maiores do mundo. ENERGIA A maior usina hidrelétrica da região é a Usina de Itaipu, mais precisamente nas imediações das cidades de Foz do Iguaçu (Brasil). Como é considerada a maior usina hidrelétrica do mundo, sua energia é utilizada em partes iguais a que pertencem, Brasil e por ambos países Paraguai. Usina De Itaipu.

54 Setor Terciário

55 TRANSPORTE O Sul é bem servido no setor de transportes, dispondo de condições naturais que facilitam a implantação de uma boa malha rodoviária e ferroviária. Além disso, o fato de sua população distribuir-se uniformemente, sem grandes vazios populacionais, permite que sua rede de transportes seja mais eficiente e lucrativa. Embora quase todas as principais cidades da região sejam servidas por linhas da Rede Ferroviária Federal, o transporte rodoviário é mais desenvolvido.

56 operacional/ Porto de Paranaguá Como as demais regiões do Brasil, os transportes ferroviários e rodoviários necessitam de investimentos que permitam a manutenção das vias já existentes e a abertura de outras novas. Também os mais movimentados aeroportos do Brasil, depois dos aeroportos da região Sudeste e de Brasília, estão localizados no Sul. Esta região possui ainda portos marítimos em atividade: o porto de Paranaguá, que exporta principalmente café e soja; os portos de Imbituba e Laguna, em Santa Catarina, exportadores de carvão mineral; os portos de Florianópolis, São Francisco do Sul, Itajaí e Itapoá (Primeiro Porto Privado do Brasil) também em Santa Catarina, exportadores de madeira e Produtos Frigoríficos; e finalmente os portos de Rio Grande e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, pelos quais passam mercadorias diversificadas.

57 TURISMO O Parque Nacional do Iguaçu, onde se localizam as Cataratas do Iguaçu, é uma Unidade de Conservação brasileira. Está localizado no extremo- oeste do estado do Paraná, tendo sido criado em 10 de janeiro de 1939, através do decreto lei nº Sua área total é de ,2 hectares. Em 1986 recebeu o título, concedido pela UNESCO, de Patrimônio Mundial.

58 Bibliografia exclusivas-do-rio.html https://pt.wikipedia.org/wiki/Regi%C3%A3o_Sul_do_Brasil

59 Região Sul do Brasil Fim


Carregar ppt "Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº 27 Beatriz nº 05 Júlia nº 13 Karen nº 14 Laura nº 15 Victória nº 26 Yrini nº."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google