A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Políticas, Programas e Sistemas de Informação da Atenção Básica e apoio a organização nos municípios. Manaus / AM 2013 Avenida André Araújo, 701 Aleixo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Políticas, Programas e Sistemas de Informação da Atenção Básica e apoio a organização nos municípios. Manaus / AM 2013 Avenida André Araújo, 701 Aleixo."— Transcrição da apresentação:

1 Políticas, Programas e Sistemas de Informação da Atenção Básica e apoio a organização nos municípios. Manaus / AM 2013 Avenida André Araújo, 701 Aleixo Fone: (92) Manaus-AM - CEP

2 “ A cobertura universal é o equalizador social mais poderoso” Margaret Chan, 2012 SUSAM

3 Política na Atenção Básica SUSAM Constituição Federal/88 - (Artigos 196 a 200) Art “ A saúde é direito de todos e dever do Estado....” Lei Nº8.080 DE 19/09/90 - Lei orgânica da Saúde; Lei Nº8.142, DE 28/12/90 - Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde; Portaria nº 204, de 29/01/ Regulamenta o financiamento; Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011; Portaria Nº 2.488, de 21/11/2011 – PNAB; LEI COMPLEMENTAR Nº 101, DE 4 DE MAIO DE 2000 – LRF; LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 13 DE JANEIRO DE Pesquisa na internet, só assistir vídeo; Site DAB/MS.

4 Ações, Programas e Estratégias SUSAM Academia da Saúde / Amamenta e Alimenta Brasil Bolsa Família / Brasil Sorridente Consultório na Rua / Doenças Crônicas Estratégia Saúde da Família / e-SUS Atenção Básica Melhor em Casa / NASF PMAQ / Práticas Integrativas e Complementares Prevenção e Controle dos Agravos Nutricionais PROESF / Promoção da Saúde e da Alimentação Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Requalifica UBS / Rede Cegonha Saúde na Escola (PSE) /Telessaúde Unidade Básica de Saúde Fluvial (UBSF) Vigilância Alimentar e Nutricional PROVAB / MAIS MÉDICOS Programas de Saúde (Saúde da Mulher, Saúde da Criança, Saúde Bucal etc...)

5 AS CARACTERÍSTICAS DO MODELO BRASILEIRO DA ESF • É UM MODELO DE APS SINGULAR • VAI ALÉM DA MEDICINA FAMILIAR • INTEGRA INTERVENÇÕES SOBRE DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE INTERMEDIÁRIOS, PROXIMAIS E INDIVIDUAIS • TEM SEU FOCO NUMA POPULAÇÃO ORGANIZADA SOCIALMENTE EM FAMÍLIAS • INCORPORA O TRABALHO EM EQUIPE • INCLUI A EQUIPE DE SAÚDE BUCAL • INSTITUI O AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE QUE ESTÁ EM SUA ORIGEM • OPERA NUMA DIMENSÃO POPULACIONAL/TERRITORIAL Fonte: Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília, Organização Pan-Americana da Saúde, 2012 SUSAM

6 SUSAM Cheia / Vazante Malária / Dengue AIDS - ao contrário do que ocorre em outras regiões, vem registrando crescimento de casos novos; Mortalidade, o quadro se repete: no Brasil, queda de 7,5% e na região, um aumento de 5%; Rede assistencial de saúde da região, eminentemente pública (78%); Número de óbitos por causas mal definidas corresponde a 24,4%, superior à média nacional de15,1%; A mortalidade infantil é de 36,4% por mil nascidos vivos. Fonte: MS/SAS/DAB Aspectos da Saúde

7 Expectativa de vida ao nascer Fonte: IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística SUSAM

8 Transição Epidemiológica SUSAM  No Brasil, a transição epidemiológica se deu através de uma tripla carga de doenças. Os velhos e novos problemas em saúde coexistem, com predominância das doenças crônico-degenerativas, embora as doenças transmissíveis ainda desempenhem um papel importante:  Aguda  Crônica  Causas externas

9 No Amazonas também é assim... Há uma incoerência entre uma situação de saúde que combina transições demográfica e nutricional; Tripla carga de doença, com forte predominância de condições crônicas; Sistema fragmentado de saúde que opera de forma episódica e reativa Voltado principalmente para a atenção às condições agudas e às agudizações das condições crônicas. Fonte: O cuidado das condições crônicas na APS- Eugênio Vilaça, SUSAM

10 Vivemos um sistema de saúde Fragmentado, que não dá conta das doenças …. Eugenio vilaca Mas ainda.... SUSAM

11 Um sistema de serviços de saúde fragmentado é aquele cujos incentivos se encontram desalinhados ou descoordenados, ocasionando uma alocação ineficiente de recursos que afetam negativamente os usuários. Fuente: Enthoven AC. Am J Managed Care 2009;15:S284-S290 O que é a fragmentação ? SUSAM

12 A síndrome do radar 1. O paciente aparece 2. Recebe tratamento 3. Dá-se para ele o alta … então desaparece do alcance do radar Um sistema voltado ao modelo biomédico... SUSAM

13 Enquanto isto... VigEpiViSaVigAmb E a VS mantém atuação isolada, burocrática, centralizada, tecnicista e pontual. Fonte: Flávio Magajewski SUSAM Atuando sobre risco Processo contínuo de coleta de dados e análise sobre saúde e ambiente Controle de doenças, prevenção de mudanças no DSS

14 PMS 2014 – 2017 / PAS SUSAM Importância do Plano Municipal de Saúde para a Gestão O Plano contribui para um contrato social no município, profissionaliza a gestão pública, pode ser um instrumento de capacitação e de transparência da política de saúde, desde que seja letra viva.  Apresentação do território, limites, área geográfica, economia, renda  População, estrutura etária, crescimento populacional, pirâmide etária  Residência (urbana/rural), índice de envelhecimento, esperança de vida ao nascer,  grupos vulneráveis (indígenas, assentados, quilombolas)  Estrutura Sanitária (abastecimento de água, rede de esgoto, coleta de lixo)  Estrutura Organizacional da SMS  Recursos Humanos da SMS  PARTICIPAÇÃO SOCIAL E PROFISSIONAIS DA SAÚDE  FINANCIAMENTO  QUAL A 1º SOLICITAÇÃO DOS ORGÃOS DE CONTROLE??????

15 SUSAM DESAFIOS HUMANOS  Diversidade Étnica  Índios  Quilombolas  Ribeirinhos  Homem do Campo e da Floresta  Metropolitanos

16 SUSAM Recursos Humanos:  Formação  Contrato de Trabalho  Sensibilização  Fixação  Educação Permanente  Médico DESAFIOS INSTITUCIONAIS

17 SUSAM  Institucionalização das Políticas de Saúde  Conectividade (SIS...)  Densidade tecnológica básica  Acesso e Resolutividade  Transporte Sanitário

18 SUSAM DESAFIOS INSTITUCIONAIS  Capacitação do Controle Social  Capacitação de Gestores  Capacitação para o Planejamento dos instrumentos de Gestão  Garantia de estrutura física, equipamento e material das UBSs  Nova visão: Saúde x Usuário

19 SUSAM DESAFIOS DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE • Existência da Tripla Carga de Doenças (aguda, crônica e de causas externas) • Organização e implementação das Redes de Saúde; • Rede Cegonha, • Rede de Atenção às Urgências e Emergências. • Rede de Atenção Psicossocial • Rede de Cuidado à Pessoa com Deficiência.Rede Cegonha,Rede de Atenção às Urgências e Emergências.Rede de Atenção PsicossocialRede de Cuidado à Pessoa com Deficiência.

20 SUSAM DESAFIOS DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE • Otimização dos recursos financeiros para garantir a acessibilidade e o adensamento tecnológico. • Gestão e autonomia do FMS

21 SUSAM DESAFIOS DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE  Articulação Intersetorial e Interinstitucional  DSEI/SESAI - problemas no modelo de gestão e de organização dos serviços  Trabalho em equipe multiprofissional e interdisciplinar  Trabalho articulado entre a APS e os serviços de nível secundário e terciário.

22 SUSAM POTENCIALIDADES  Equipes: ESF, ESB, ACS, NASF e outros  Educação Permanente  Regionalização – CIR (Fortalecimento)  Implantação das Redes  COAP  SAMU REGIONAL  PMAQ / PSE / PROVAB  REQUALIFICA / UBS FLUVIAL  Telessaúde

23 Teleducação • No ano de 2012, foram registradas participações de profissionais de saúde em atividades de Teleducação, dentre as quais destacaram-se as seguintes: a) Teleodonto; b) Programa Estadual de Saúde da Criança (PESC); c) Telefisio; d) I Simpósio de Telessaúde em Clínica Médica; e) XI Semana UEA de Odontologia; f) Seminário Nacional de Diretrizes para Enfermagem da Atenção Básica em Saúde (SENABS); SUSAM

24 Telecardiologia A Telecardiologia A Telecardiologia consiste na realização de tele eletrocardiogramas e nas teleconsultas com especialistas em Cardiologia do HUFM, representando importante papel no apoio à agilização dos diagnósticos e encaminhamentos na atenção a pacientes cardíacos no Estado do Amazonas No ano de 2012, foram realizados exames de Telecardio. • Destaque para Município de PARINTINS a. - Centro de Saúde Galliani; b. - Hospital Jofre Cohen; c. - Hospital Padre Colombo; Total de Exames: 4606 SUSAM

25 É uma tomada de decisão para a realização de ações do agente público coerentes com uma concepção pré- estabelecida do que deve ser feito Fonte: Luiz Carlos Fadel de Vasconcellos CONCEITO-IMPULSO SUSAM

26 É usar o conceito como exigência de compromisso do agente público com sua missão de agir para o público É romper com um discurso vazio repetido à exaustão e agir para mudar o discurso em práxis É assumir uma teoria que sirva para a transformação e agir para transformar SUSAM CONCEITO-IMPULSO

27 CONCEITO-IMPULSO em SAÚDE É UM ROSÁRIO DE VERBOS: Fundamentar - Transformar Destravar - Assumir Enfrentar - Estudar Mudar - Viabilizar Retirar - Denunciar Introduzir - Negociar Reconhecer - Olhar Abdicar - Ver Combater - Demonstrar SUSAM

28 Fundamentar (com argumentos embasados) Destravar (a saúde pública) Enfrentar (o poder econômico) Mudar (as nossas práticas) Retirar (a invisibilidade do trabalho) Introduzir (a categoria trabalho no SUS) Reconhecer (o trabalhador como protagonista) Abdicar (das hegemonias do saber) Combater (o corporativismo tecnocrático) SUSAM CONCEITO-IMPULSO em SAÚDE É UM ROSÁRIO DE VERBOS:

29 Transformar (a relação saúde-trabalho) Assumir (a missão de agente público) Estudar (os objetos da missão) Viabilizar (o melhor método) Denunciar (a condição aética do trabalho) Negociar (como Estado em posição de Força) Olhar (com a capacidade de ver) Ver (além do que o simples olhar) Demonstrar (as iniquidades do trabalho) SUSAM CONCEITO-IMPULSO em SAÚDE É UM ROSÁRIO DE VERBOS:

30 A AMPLIAÇÃO DA ESTRUTURA DA OFERTA EM COERÊNCIA COM O ESTRUTURA DA DEMANDA NA APS • ESTRUTURA DA DEMANDA • POR CONDIÇÕES AGUDAS • POR CONDIÇÕES CRÔNICAS AGUDIZADAS • POR CONDIÇÕES CRÔNICAS ESTABILIZADAS • POR CONDIÇÕES CRÔNICAS/ENFERMIDADES • POR CUIDADOS PREVENTIVOS • POR CUIDADOS PALIATIVOS • POR DEMANDAS ADMINISTRATIVAS • POR DEMANDAS DE PESSOAS QUE CONSULTAM FREQUENTEMENTE • POR ATENÇÃO DOMICILIAR • ESTRUTURA DA OFERTA • CONSULTAS MÉDICAS • CONSULTAS DE ENFERMAGEM • CONSULTAS INDIVIDUAIS COM OUTROS PROFISSIONAIS • GRUPOS OPERATIVOS • GRUPOS TERAPÊUTICOS • IMUNIZAÇÕES • EXAME PAPANICOLAU • VISITAS DOMICILIARES • DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS • SOLICITAÇÃO/COLETA DE EXAMES COMPLEMENTARES • ATENDIMENTOS DOMICILIARES COM APOIO TECNOLÓGICO • ATENDIMENTOS COMPARTILHADOS A GRUPOS • ATENDIMENTOS CONJUNTOS DE ESPECIALISTAS E GENERALISTAS • ATENDIMENTOS CONTÍNUOS • ATENDIMENTOS À DISTÂNCIA • ATENDIMENTOS POR PARES • APOIO AO AUTOCUIDADO • ACESSO A SEGUNDA OPINIÃO • ACESSO A SERVIÇOS COMUNITÁRIOS Fontes: Bodenheimer T, Grumbach K. Improving primary care: strategies and tools for a better practice. New York, Lange Medical Books, 2007 Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília, Organização Pan-Americana da Saúde, SUSAM

31 AS TECNOLOGIAS RELATIVAS AOS MACROPROCESSOS BÁSICOS NA APS GERENCIAMENTO DE PROCESSOS TERRITORIALIZAÇÃO CADASTRAMENTO DAS FAMÍLIAS CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS FAMILIARES DIAGNÓSTICO LOCAL PLANEJAMENTO DA INFRA-ESTRUTURA FÍSICA PLANEJAMENTO DOS RECURSOS HUMANOS ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO DAS CONDIÇÕES CRÔNICAS ACOLHIMENTO E ATENDIMENTO AOS EVENTOS AGUDOS PROGRAMAÇÃO E MONITORAMENTO AGENDA FONTE: Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília, Organização Pan-Americana da Saúde, SUSAM

32 INTRODUTÓRIO COMO ENFRENTAR ESSE DESAFIO? OFICINAS DE PLANIFICAÇÃO APOIO INSTITUCIONAL AUMENTO DA COBERTURA DA ESF MONITORAMENT O E AVALIAÇÃO DA AB REDES DE ATENÇÃO A SAÚDE (RAS) ESUS PMAQ MAIS MÉDICO ACOLHIMENTO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO SALAS DE SITUAÇÃO SUSAM

33 UMA REFLEXÃO FINAL: “A ESF NÃO É UM PROBLEMA SEM SOLUÇÃO. É UMA SOLUÇÃO COM PROBLEMAS” EUGENIO VILAÇA MENDES FONTES: Ministério da Saúde / SAS / DAB Fiocruz Alecrim, Dr. Wilson. Mendes, Dr. Eugenio Vil aça. COSEMS AM CONASS SUSAM / DABE YUNES, Aída M. ALECRIM, Maristela, SAID, Sheila. Agradecimento todos os funcionários do DABE/SUSAM SUSAM

34 DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA E AÇÕES ESTRATÉGICAS - DABE Cláudio Pontes Ferreira Fones: / / 6411/6471 SUSAM


Carregar ppt "Políticas, Programas e Sistemas de Informação da Atenção Básica e apoio a organização nos municípios. Manaus / AM 2013 Avenida André Araújo, 701 Aleixo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google