A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Planejamento de Bacias Hidrográficas Maria Inês Teixeira Pinheiro Secretária dos Hídricos do Secretária dos Recursos Hídricos do Ceará Secretaria dos Recursos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Planejamento de Bacias Hidrográficas Maria Inês Teixeira Pinheiro Secretária dos Hídricos do Secretária dos Recursos Hídricos do Ceará Secretaria dos Recursos."— Transcrição da apresentação:

1 Planejamento de Bacias Hidrográficas Maria Inês Teixeira Pinheiro Secretária dos Hídricos do Secretária dos Recursos Hídricos do Ceará Secretaria dos Recursos Hídricos Universidade Federal do Ceará Cariri/CE, 2006

2 A Terra é o único planeta do sistema solar onde existe água na forma líquida. Nosso planeta tem muita água: 71% de sua superfície é coberta por água. A maior parte da água (cerca de 97% de toda a água) que existe no planeta está nos oceanos e mares. ÁGUA NO PLANETA

3 A água também está presente em rios e lagos, porém em menor quantidade que nos oceanos (água doce). Praticamente todo o abastecimento de água doce do mundo é resultante da precipitação proveniente da evaporação da água dos oceanos. Studart, Ticiana A maneira pela qual a água se movimenta no nosso planeta, as características de cada local e outros fenômenos podem ser explicados pelo ciclo da água, ou ciclo hidrológico. ÁGUA NO PLANETA

4 CICLO HIDROLÓGICO

5 ÁGUA NO PLANETA Ano 6000 a.C. a população no planeta – 5 milhões de habitantes 1650 – 500 milhões de hab. (taxa de crescimento de 0,3% ano) 1850 – 1 bilhão de habitantes 1930 – 2 bilhões de habitantes 1970 – 3,6 bilhões de hab. (taxa de crescimento de 2,1% ano) 2000 – 6,0 bilhões Supõe-se que a cada 20 anos dobram os volumes de água consumida pela humanidade. Na Europa – prevê-se que no ano 2050, iguala-se os volumes captados e disponíveis, em 1970 esta relação era de 1 : 9.

6 ÁGUA A água é um recurso natural renovável, mas não inesgotável, que sofre sensivelmente as ações do homem,que lhe modificam sua qualidade e quantidade exigindo, por esta razão, sua proteção. O homem na sua vida,consome em média, em valores aproximados: água: 2,0 litros/dia alimentos: 1,5 Kg/dia energia: cal/dia ar: 10 m³/dia ou 13 Kg de ar/dia.

7 O adequado equilíbrio entre a oferta e a demanda dos recursos ambientais, sejam naturais (ar, água, solo, fauna, flora e minérios), econômicos ou socioculturais, visando diminuir seus reflexos na vida do homem e permitindo a minimização de seus conflitos de usos. Importante para humanidade? A demanda vai desde as necessidades básicas da vida (alimentação,roupa,moradia, saúde, educação, segurança) às necessidades econômicas, sociais, políticas e culturais

8 Balanço Hídrico Global Valores em Km³. Gleick,1993

9 DISTRIBUIÇÃO HÍDRICA MUNDIAL

10

11 ÁGUA NO BRASIL Nosso país é o mais rico em água: detém 12% dos Recursos Hídricos. Bacia Amazônica: 73% Recursos Hídricos

12 Classes de Vazões consideradas no PNRH Vazão de Retira - corresponde à vazão captada pelo usuário. Vazão de Retorno - corresponde à parcela da água captada que retorna ao manancial, podendo ser obtida a partir da vazão de retirada multiplicando-se pelo coeficiente de retorno para cada tipo de uso. Coeficientes de Retorno adotados pela Organização Nacional de Saúde - ONS 2003: abastecimento urbano = 0,8 abastecimento rural = 0,5 abastecimento industrial = 0,8 irrigação = 0,2 criação de animais = 0,2 Vazão de Consumo – diferença entre as vazões de retirada e de retorno, ou seja, a vazão efetivamente consumida.

13 Fonte: ANA 2005 Vazões de Retiras,Consumo e Retorno e Percentuais

14 Gráfico das Vazões de Retiras,Consumo e Retorno de Água nas Regiões Hidrográficas Fonte: ANA 2005

15 Gráfico das Vazões de Retira para os diferentes usos nas Regiões Hidrográficas Fonte: ANA 2005

16 Vazões de Retira para os diferentes usos no Brasil Fonte: PNRH,2005

17 Vazões de Consumo para os diferentes usos no Brasil Fonte: PNRH,2005

18 Vazões média de água por habitantes no Brasil Fonte: ANA 2005 Classe de vazão média por habitante por ano (ONU): < 500 m³/hab./ano – situação de escassez; 500 a m³/hab./ano – situação de estresse; e > m³/hab./ano – situação confortável.

19

20 NORDESTE 1,56 milhões de Km² (18,2% - território nacional) 47 milhões de habitantes (28,1% País) 4% Recursos Hídricos Precipitação média anual: 200 a 700 mm Vazão média:1.145 m³/hab./ano < m³/hab./ano, valor considerado pela ONU suficiente para a vida em ecossistemas aquáticos e para atividades humanas (Atlântico Nordeste Oriental).

21 CEARÁ Km² (1,75% - área nacional e 9,58% área do Nordeste) de habitantes (Censo 2000, IBGE, 2002) Elevadas taxas de evaporação: mais de 2000 mm 75% do território é de natureza cristalina Precipitação média annual do Ceará: 870 mm Precipitação média anual do Cariri: 919,6mm

22 Demanda Hídrica – Ceará Ano 2000 (m³/s) Fonte: PLANERH,2005

23 Disponibilidade Hídrica Efetiva – Ceará Ano 2000 (m³/s) Fonte: PLANERH,2005

24 Disponibilidade Hídrica Efetiva – Ceará Ano 2000 (m³/s) Fonte: PLANERH,2005

25 Balanço Hídrico do Ceará – Disponibilidade Hídrica Efetiva com Volume de Alerta, Ano 2000 Fonte: PLANERH,2005

26 Bacia Hidrográfica - é uma área definida topograficamente, drenada por um curso d'água ou um sistema conectado de cursos d'água, tal que toda a vazão efluente seja descarregada através de uma simples saída. (Viessman, Harbaugh and Knapp) BACIA HIDROGRÁFIA Bacia Hidrográfica ↔ Região Hidrográfica Bacia Hidrográfica de uma seção de um curso d´água é a área geográfica coletora de água de chuva que, escoando pela superfície do solo,atinge a seção considerada Studart, Ticiana

27 Fonte: PLANERH,2005

28 NÍVEIS DE AGREGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DO PNRH: (A) Brasil, (B) Divisão Hidrográfica e 56 Unidades de Planejamento Fonte: PNRH,2005

29 Divisão Hidrográfica Nacional (Resolução Nº 32 do Conselho Nacional de Recursos Hídricos) Fonte: PNRH,2005

30 HIDROGRÁFIA DO ESTADO DO CEARÁ Fonte: PLANERH,2005

31 HIDROGRÁFIA DO CEARÁ Delineadas onze regiões hidrográficas: Alto Jaguaribe; Salgado; Médio Jaguaribe; Banabui; Baixo Jaguaribe; Metropolitana; Curu; Acaraú; Coreaú; Poti (Parnaíba), e Litorânea (Aracatiaçu). PLANERH, 1992

32 O rio Jaguaribe: principal rio do Estado; aproximadamente 633 Km (nascente na Serrada Joaninha, Tauá – sua foz no Oceano Atlântico; Bacia de drenagem: 48% do Estado, beneficiando 81 municípios. Bacia Hidrográfica Jaguaribe: dividida em 5 regiões Alto Jaguaribe; Salgado; Médio Jaguaribe; Banabuiú; Baixo Jaguaribe Bacia Hidrográfica do Jaguaribe

33 Alto Jaguaribe: a montante do açude Orós e drena Km². Salgado: sentido sul-norte, até encontrar o rio Jaguaribe, a jusante da barragem do Orós, drena Km². O rio Salgado com extensão drena 308 Km², principal afluente da margem direita do rio Jaguaribe, formado pela junção do rio Batateiras com o riacho dos Porcos (nascentes no sopé da Chapada Araripe.)

34 Médio Jaguaribe: com um curso de aproximadamente 171 Km de extensão, entre a barragem do açude Orós e a ponte do Peixe Gordo, na BR 116, drena Km², sendo o rio Jaguaribe, nesse trecho, perenizado até sua foz pelo açude Castanhão. Bacia Hidrográfica do Jaguaribe Banabuiú: com um curso de aproximadamente 314 Km e drena Km², é o principal tributário do rio Jaguaribe, no sentido oeste-leste, sua foz localizada próximo a sede de Limoeiro do Norte. Baixo Jaguaribe: a partir da ponte do Peixe Gordo, na BR 116, até sua foz, o rio percorre cerca de 137 Km, drena Km².

35 Outras Bacias Hidrográfica Região Metropolitana: área de drenagem Km², larga influência da faixa litorânea e das zonas altas das Serras de Guaramiranga e Baturité. Compõe-se por um conjunto de 14 bacias, sendo hidrologicamente mais representativas: dos rios Pirangi; Choro; Pacoti e São Gonçalo; dos sistemas Ceará/Maranguape e Cocó/Coaçu Bacia do Acaraú: o rio Acaraú nasce na Serra da Matas-na região centro- oeste do Estado, com um curso de aproximadamente 315 Km até sua foz, drenando uma área de Km². Bacia do Coreaú: o rio Coreaú nasce na confluência dos riachos Jatobá e Caiçara, oriundos do sopé da Serra da Ibiapaba, com um curso de aproximadamente 167,5 Km até o Oceano Atlântico, drenando uma área de Km².

36 Outras Bacias Hidrográfica Região do Poti (Parnaíba): engloba as bacias dos rios Poti e Macambira ( Km²) e o conjunto de 8 sub-bacias independentes pertencentes à baciadas rios Longá/Pirangi (2.524 Km²). Bacia federal (Ceará/Piauí) Bacia do Curu): área de drenagem de Km², com um curso de aproximadamente 195 Km até sua foz. O rio Curu nasce na região montanhosa formada pelas Serras do Céu, da Imburanas e do Lucas, localizadas no centro- norte do Estado. Região Litorâneas (Aracatiaçu): região com área de drenagem de Km², engloba as bacias Aracatiaçu (3.415 Km²); Mundaú (2.227 Km²); Aracati-Mirim (1.565 Km²); Trairi (556 Km²) e Zumbi (193 Km²);

37


Carregar ppt "Planejamento de Bacias Hidrográficas Maria Inês Teixeira Pinheiro Secretária dos Hídricos do Secretária dos Recursos Hídricos do Ceará Secretaria dos Recursos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google