A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SERVIÇOS INDUSTRIAIS ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS (END)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SERVIÇOS INDUSTRIAIS ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS (END)"— Transcrição da apresentação:

1 SERVIÇOS INDUSTRIAIS ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS (END)

2 DEFINIÇÃO DE END São técnicas aplicadas no ensaio de produtos, semi acabados ou acabados, para a detecção de descontinuidades, sem alteração de suas características físicas, químicas ou de forma geométrica, além de não interferir em sua posterior utilização.

3 UTILIZAÇÃO DOS ENDs Constituem uma das ferramentas principais do controle da qualidade e são utilizados no ensaio de produtos soldados, fundidos, forjados, laminados, entre outros, com vasta aplicação nos setores petroquímico, nuclear, aeroespacial, siderúrgico, naval, autopeças e ferroviário.

4 FINALIDADE DO END Garantir a confiabilidade do produto. Prevenir eventuais riscos de acidentes e risco à vida humana e meio-ambiente. Melhorar o desempenho dos produtos e empresas, ampliando sua qualidade e reduzindo custos.

5 MÉTODOS DE END São inúmeros os tipos de ensaios não destrutivos atualmente em uso. A BRTÜV atua com os seguintes métodos: ENSAIO VISUAL ENSAIO POR LÍQUIDOS PENETRANTES ENSAIO POR PARTÍCULAS MAGNÉTICAS ENSAIO POR ULTRASSOM IDENTIFICAÇÃO POSITIVA DE MATERIAIS MAPEAMENTO DE CORROSÃO

6 SELEÇÃO DO MÉTODO Na seleção do método, temos que ter em mente que um pode complementar outro e que diversos ensaios podem ser aplicados num mesmo equipamento. A seleção deve ser baseada em: Tipo e origem da descontinuidade a ser detectada Processo de fabricação adotado Acesso a região a ser ensaiada Nível de qualidade desejado Custos

7 ENSAIO VISUAL É o ensaio não destrutivo básico, todos os outros devem ser executados após a inspeção visual, que pode ser realizado à vista desarmada, com o auxílio de lupa ou com aparelhos ou instrumentos para inspeção remota como endoscópios. É utilizado antes e depois de operações de soldagem, detecção de irregularidades superficiais de vários tipos como estado de corrosão, dobras de laminação, acabamento superficial, entre outros.

8 ENSAIO VISUAL Abaixo imagem de endoscópio utilizado para ensaio visual de locais de difícil acesso como interior de tubos e vãos.

9 LÍQUIDO PENETRANTE Utilizado para detectar descontinuidades superficiais que estejam abertas na superfície do material, tais como trincas, poros, dobras e outros, podendo ser aplicado em materiais sólidos que não sejam porosos ou com superfície grosseira. Consiste em fazer penetrar na abertura da descontinuidade um líquido de alta capilaridade, e após a remoção do excesso, faz-se sair da descontinuidade o líquido retido através de um revelador. A imagem da descontinuidade fica então desenhada na superfície.

10 LÍQUIDO PENETRANTE Abaixo a imagem de uma superfície ensaiada após a revelação do LP (as trincas ficam desenhadas na superfície em vermelho) e um cordão de solda com o LP aplicado.

11 LÍQUIDO PENETRANTE Abaixo a foto dos materiais que são utilizados no ensaio de LP, normalmente são o Líquido penetrante, um removedor para tirar o excesso (em alguns casos pode ser água) e o revelador:

12 PARTÍCULAS MAGNÉTICAS É utilizado na localização de descontinuidades superficiais e sub-superficiais em materiais ferromagnéticos em peças acabadas, semi acabadas ou em etapas de fabricação. Consiste em submeter a peça ou parte dela a um campo magnético. Na região magnetizada, as descontinuidades causam uma fuga do campo magnético. Aplica-se então as partículas ferromagnéticas que se aglomeram nos campos de fuga e fornecem a visualização da descontinuidade.

13 PARTÍCULAS MAGNÉTICAS Abaixo a imagem de um ensaio por PM sendo realizado, onde ve-se o equipamento de magnetização (YOKE) e as partículas magnéticas sendo aspergidas.

14 PARTÍCULAS MAGNÉTICAS Abaixo a imagem de um aparelho de magnetização chamado Yoke e uma peça ensaiada onde se pode ver claramente uma trinca detectada.

15 ENSAIO POR ULTRASSOM Tem por objetivo detectar descontinuidades internas como bolhas de gás, micro trincas, inclusões e outras, presentes nos mais variados tipos ou formas de materiais ferrosos ou não ferrosos. É feito com o uso de ondas mecânicas ou acústicas colocadas no meio em inspeção, as quais refletem ao incidir num anteparo qualquer. Através de aparelhos especiais, detectamos as reflexões provenientes do interior da peça, localizando e interpretando as descontinuidades.

16 ENSAIO POR ULTRASSOM Abaixo imagem de um aparelho utilizado no ensaio por ultrassom.

17 IDENTIFICAÇÃO POSITIVA DE MATERIAIS Utilizado na detecção de composição química de materiais de forma rápida e sem danificar o material através de equipamento de emissão de radiações. O equipamento contém um gerador de raios-X de baixa tensão, que emite radiação. O material exposto à radiação devolve, temporariamente, a radiação específica do elemento exposto. Como cada elemento tem sua própria estrutura atômica, esta reflexão irá gerar um nível de energia diferente para cada elemento. Esta energia é detectada e medida, identificando os elementos de liga.

18 IDENTIFICAÇÃO POSITIVA DE MATERIAIS Abaixo imagem de aparelho para identificação positiva de materiais, que pode ser utilizado em materiais ferrosos, não ferrosos, minérios, pedras preciosas e outros.

19 MAPEAMENTO DE CORROSÃO Técnica de ensaio onde se mapeiam os pontos de corrosão de um material de forma a detectar perda de espessura e necessidade de reparo em equipamentos e estruturas metálicas. Consiste na utilização de ultrassom com um aparelho de leitura específico para demonstração gráfica do mapeamento.

20 MAPEAMENTO DE CORROSÃO Abaixo imagem de aparelho de mapeamento de corrosão e da demonstração gráfica do mapeamento.

21 QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL Para algumas técnicas existem qualificações de pessoal específicas como por exemplo: Ensaio visual de solda (EVS) Líquido penetrante (LP) Partícula Magnética (PM) Ultrassom (US) As qualificações são realizadas pela Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção ABENDI.

22 A BRTÜV Temos capacitação para atender as técnicas aqui apresentadas, com pessoal qualificado, equipamentos e materiais de qualidade. As técnicas de ensaios não destrutivos em geral são aplicadas como parte de um serviço mais amplo ou como apoio e complemento para laudos de equipamentos, porém em muitos casos podem ser vendidos sozinhos para que seus resultados sejam utilizados pelos clientes para as mais diversas aplicações. A BRTÜV é empresa sócia da ABENDI e está sempre atualizada em relação as técnicas de END.

23 CASOS DE UTILIZAÇÃO Cliente MRS LOGÍSTICA e USIMINAS MECÂNICA: Utilizamos ensaios visual e partículas magnéticas em peças fundidas que serão montadas em vagões de carga, como engate e truque dos vagões, para identificar trincas e porosidade. Cliente JOHNSON CONTROLS E FMC TECHNOLOGIES: Utilizamos Identificação positiva de materiais em materiais de tubulação e conexões, para identificar corretamente as ligas e a conformidade dos materiais com as normas.

24 CASOS DE UTILIZAÇÃO Cliente EISENMANN: Utilizamos técnicas de ensaio visual, líquidos penetrantes e ultrassom para inspecionar soldas de estrutura metálica de uma cabine de pintura automotiva, para detectar soldas com necessidade de reparo. Cliente CSN: Utilizamos técnicas de ensaios visual, líquidos penetrantes, ultrassom e mapeamento de corrosão em guindastes e empilhadeiras do terminal de carvão e minério, para detectar falhas devido a fadiga.


Carregar ppt "SERVIÇOS INDUSTRIAIS ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS (END)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google