A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dr. Paulo Silveira Martins Leão Junior Procurador do Estado do Rio de Janeiro Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC) Belém (PA), 18 e 19 de março.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dr. Paulo Silveira Martins Leão Junior Procurador do Estado do Rio de Janeiro Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC) Belém (PA), 18 e 19 de março."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Dr. Paulo Silveira Martins Leão Junior Procurador do Estado do Rio de Janeiro Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC) Belém (PA), 18 e 19 de março de 2006 Conversas Bioéticas 2

4 O Dr. Jérôme Lejeune, o “Pai da Genética Moderna“, e o descobridor da causa da Síndrome de Down, afirmava: “Aceitar o fato de que um ser humano começa a existir a partir da concepção não é mais uma questão de opinião; é uma evidência experimental”. William Liley, pioneiro da terapia fetal, escreveu um famoso artigo em 1972, O Feto é uma Pessoa: “Os homens e as mulheres da ciência que aprovam o aborto o fazem com base no julgamento que fazem sobre o valor da vida humana, não a partir do fato científico de que há uma vida humana.” Quando começa a vida humana

5 Fecundação... A primeira célula!

6 Bebê com 7 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

7 Bebê com 7 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

8 Bebê com 7 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

9 Bebê com 8 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

10 Bebê com 8 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

11 Bebê com 11 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

12 Bebê com 12 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

13 Bebê com 12 semanas Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

14 Bebê com 3 meses e meio Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

15 Bebê com 3 meses e meio Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

16 Bebê com 3 meses e meio Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

17 Bebê com 3 meses e meio Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

18 Bebê com 4 meses de gestação Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

19 Bebê com 4 meses de gestação Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

20 Bebê com 5 meses Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

21 Bebê com 5 meses Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

22 Bebê com 5 meses Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

23 Bebê com 6 meses de gestação Professor Andrzej Skawina (Collegium Medicum Jagiellonian University, Krakow), Dr. Antoni Marsinek, MD (Czerwiakowski Gynecological and Obstetrics Hospital, Krakow) e Zrodlo Foundation, Wychowawca Department.

24 Foto: Documentário produzido pelo National Geographic Channel: En el Vientre Materno

25

26

27

28

29

30 A legalização do aborto MATA um SER HUMANO indefeso, privando-o do DIREITO INALIENÁVEL À VIDA e também de todos os demais direitos. MATA um SER HUMANO indefeso, privando-o do DIREITO INALIENÁVEL À VIDA e também de todos os demais direitos. Não reduz as taxas de mortalidade materna. Não reduz as taxas de mortalidade materna. Não contribui para a saúde da mulher. Não contribui para a saúde da mulher. Não diminui a sua incidência. Não diminui a sua incidência.

31 Riscos do Aborto provocado complicações físicas Hemorragia uterina grave Hemorragia uterina grave Infecção Infecção Laceração de colo uterino Laceração de colo uterino Perfuração uterina Perfuração uterina Placenta prévia Placenta prévia Prenhez ectópica Prenhez ectópica Parto prematuro Parto prematuro

32 Riscos do aborto provocado complicações psicológicas Síndrome Pós Aborto –Sintomas depressivos –Sentimentos de culpa –Pesadelos recorrentes –Fuga de situações recordatórias –Alterações de conduta Major B e col, Arch Gen.Psychiatry, Aug, 57:777-84, 2000.

33 Riscos do Aborto provocado complicações psiquiátricas Depressão Crônica Depressão Crônica Tendência ao Suicídio Tendência ao Suicídio

34 Mortalidade por suicídio na Finlândia: Gravidez, aborto induzido e aborto espontâneo Gissler M e col. British Journal of Medicine, 313: , 1996.

35 Efeito da legalização do aborto nos EUA No início dos anos 2000, a taxa de abortos era mais de 4 vezes maior

36 Evolução do Aborto na Espanha Após a legalização, a taxa de abortos vem crescendo progressivamente

37 Evolução do Aborto na Inglaterra e País de Gales As taxas de aborto vêm subindo progressivamente após a legalização

38 Abortos e mortalidade materna na Polônia Após a CRIMINALIZAÇÃO do aborto, a mortalidade materna caiu

39 Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas Mede: A expectativa de vida ao nascer ( longevidade) A produção cultural A renda per capita É considerado um potente preditor de mortalidade materna e infantil Depende da EDUCAÇÃO, INVESTIMENTO SOCIAL e DISTRIBUIÇÃO DE RENDA, não da legalização do aborto!

40 Mortalidade materna na Índia 1 entre cada 4 mortes maternas ocorre na Índia, onde o aborto é amplamente liberado

41 Mortalidade materna e legislação pró- aborto

42 Mortalidade materna e aborto na América do Sul e Caribe A menor mortalidade foi no Chile, onde há a legislação mais restritiva

43 Mortalidade materna e atenção qualificada

44 Brasil: Número de mortes maternas 1996 – – – – – – – 115 Fonte: Assim, apesar de haver quem diga que “300 mil mulheres morrem em conseqüência de abortos clandestinos no Brasil”, esse número não chega a 200.

45 Diminuição da mortalidade materna e fetal Solução: O aumento de recursos físicos e de pessoal qualificado para o atendimento à gestante e ao bebê, e não a legalização do aborto. Solução: O aumento de recursos físicos e de pessoal qualificado para o atendimento à gestante e ao bebê, e não a legalização do aborto.

46 Aborto de bebê com 7 semanas

47 Aborto de bebê com 8 semanas

48

49 Aborto de bebê com 9 semanas

50 Aborto de bebê com 10 semanas

51

52

53 Aborto de segundo trimestre (24 semanas)

54 Aborto de segundo trimestre

55

56 Problema da anencefalia Como o aborto é crime e a vida humana uma garantia constitucional, procura-se provar que o caso da anencefalia não se trataria de aborto, pois: Como o aborto é crime e a vida humana uma garantia constitucional, procura-se provar que o caso da anencefalia não se trataria de aborto, pois: – o feto já estaria em morte encefálica. – morreria durante ou imediatamente após o parto ( não teria possibilidade de vida extra-uterina).

57 As duas premissas são As duas premissas são FALSAS! FALSAS!

58 modificado de gif Esquema geral da Anencefalia NORMAL HEMISFÉRIOS CEREBRAIS TRONCO CEREBRAL ANENCEFALIA TRONCO CEREBRAL

59 Moore KL e Persaud TVN, Embriologia Clínica, 2004,7ª Ed, Elsevier,p Defeito dos tubos neurais Patogênese A anencefalia corresponde a um defeito de fechamento da porção anterior do tubo neural e da espinha bífida na porção posterior, ocorrido por volta do 25º e 27º dias,respectivamente. A anencefalia corresponde a um defeito de fechamento da porção anterior do tubo neural e da espinha bífida na porção posterior, ocorrido por volta do 25º e 27º dias,respectivamente.

60 Pediatric Neurol, 23 (1): 80-84, Manifestações Clínicas As manifestações clínicas dependem do grau de desenvolvimento do encéfalo remanescente. As manifestações clínicas dependem do grau de desenvolvimento do encéfalo remanescente. A sobrevida depende do grau de desenvolvimento do tronco encefálico e da qualidade dos cuidados paliativos. A sobrevida depende do grau de desenvolvimento do tronco encefálico e da qualidade dos cuidados paliativos. (Mc Abee e colaboradores, 2000) (Mc Abee e colaboradores, 2000)

61 Diament A e Cypel S, Neurol Infant, 1996, 3ªed., p. 745 e Shewmon A, Hast Cent Report, 18(5): 11, Características Clínicas do Neonato com anencefalia Chora e Movimenta extremidades. Chora e Movimenta extremidades. Succiona e deglute. Succiona e deglute. Expressões faciais aos estímulos gustativos. Expressões faciais aos estímulos gustativos. Responde a estímulos auditivos, vestibulares e dolorosos. Responde a estímulos auditivos, vestibulares e dolorosos. Apresenta quase todos os reflexos primitivos do recém nascido. Apresenta quase todos os reflexos primitivos do recém nascido.

62 Grávida e puérpera de feto com anencefalia

63 Menina anencéfala, Teresa, que viveu 102 dias com sua família. mamãe papai...

64 seu irmão... sendo alimentada...

65 Neonato com anencefalia com os pais e irmão

66 Alimentação de neonato com anencefalia

67 Pediatr Clin N Am 51: , Cuidados Paliativos Devem abranger elementos físicos, emocionais, sociais e espirituais. Devem abranger elementos físicos, emocionais, sociais e espirituais. O foco deve ser no aumento da qualidade de vida para a criança e suporte para a família. O foco deve ser no aumento da qualidade de vida para a criança e suporte para a família. Deve iniciar-se precocemente, já no diagnóstico. Deve iniciar-se precocemente, já no diagnóstico. (LEUTHNER, 2004 e TOURNAY, 2004) (LEUTHNER, 2004 e TOURNAY, 2004)

68 Criança com anencefalia e alta hospitalar

69 Costa SIF, Rev Ass Med Bras 50(1): 10, Qual a situação neurológica da criança com anencefalia ? 1º - Não é natimorta. 2º - É uma criança nascida viva, com tronco encefálico funcionante (encéfalo posterior e médio), podendo ter ou não restos do encéfalo anterior (hemisférios cerebrais e diencéfalo).

70 Costa SIF, Rev Assoc Med Bras 50(1):10, A anencefalia equivale à morte encefálica? Não! O neonato com anencefalia respira espontaneamente; por isso temos a certeza de que ele tem o tronco encefálico funcionante. Não! O neonato com anencefalia respira espontaneamente; por isso temos a certeza de que ele tem o tronco encefálico funcionante.

71 Associação Médica Americana Maio de 1995 o Conselho de Ética da Associação Médica Americana: A criança com anencefalia “nunca experimentou e nunca experimentará consciência”. JAMA, 273 (20): , JAMA, 273 (20): , Dezembro de 1995, a RECONSIDERAÇÃO: “O Conselho chama a comunidade científica para envolver múltiplas Disciplinas na investigação do verdadeiro estado da consciência em crianças com anencefalia para que uma melhor compreensão dessa condição possa ser conseguida e os interesses desses indivíduos e suas famílias possam progredir ”. JAMA, 275 (6): , 1996.

72 Sbragia e col. Arq. de Neuropsiquiatria 62(2-8): , Não se deve subestimar o avanço da Ciência Morte Corrige a hidrocefalia Morte Corrige a hidrocefalia Corrige as seqüelas motoras Corrige as seqüelas motoras DEFEITO DO TUBO NEURAL POSTERIOR MENINGOMIELOCELE ABORTO X CIRURGIA PARA A CORREÇÃO

73 Sbragia e col., Arq Neuropsiquiat 62(2-B): , Não se deve subestimar a sabedoria da legislação “A legislação brasileira não prevê a interrupção da gravidez quando complicada por fetos com esta malformação, o que reforça a necessidade de conhecermos a fundo a sua evolução e as possíveis inovações terapêuticas para estes casos” (SBRAGIA e col., 2004) (SBRAGIA e col., 2004)

74 Cura cirúrgica de meningomielocele

75 Pós operatório da cirugia fetal

76 Criança brasileira com anencefalia com alta hospitalar e sobrevida na residência por 102 dias.

77 Grillo E e Silva RJM, Jornal de Pediatria, 79(2): 105-6, Prevenção Adição do ácido fólico às farinhas de trigo e de milho. Adição do ácido fólico às farinhas de trigo e de milho. Dose maior para as que tiveram gestação anterior com defeito do tubo neural, diabetes e epilépticas em uso de ácido valpróico. Dose maior para as que tiveram gestação anterior com defeito do tubo neural, diabetes e epilépticas em uso de ácido valpróico. A ingesta deve ser no período periconcepcional. A ingesta deve ser no período periconcepcional. Houve declínio de 23% na incidência de Defeitos de Fechamento do Tubo Neural ( Mathews, 2002). Houve declínio de 23% na incidência de Defeitos de Fechamento do Tubo Neural ( Mathews, 2002). Afastamento de substâncias tóxicas e cautela no uso drogas anticonvulsivantes. Afastamento de substâncias tóxicas e cautela no uso drogas anticonvulsivantes.

78 Conclusões 1- Mais estudos com tecnologia moderna são necessários para que haja uma forma primitiva de consciência por um mecanismo de neuroplasticidade. 2-A vida do feto, mesmo com esta grave malformação, deve ser respeitada. 3- Os cuidados paliativos devem obedecer um alto padrão de qualidade e iniciar pelo suporte dos pais. 4- O melhor caminho de combater a anencefalia é a prevenção.


Carregar ppt "Dr. Paulo Silveira Martins Leão Junior Procurador do Estado do Rio de Janeiro Centro de Cultura e Formação Cristã (CCFC) Belém (PA), 18 e 19 de março."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google