A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Luciana Raposo de Aguiar Arquiteta e Gestora Ambiental PORTFÓLIO DE SEBRAE/PE SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS SEBRAE/PE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Luciana Raposo de Aguiar Arquiteta e Gestora Ambiental PORTFÓLIO DE SEBRAE/PE SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS SEBRAE/PE."— Transcrição da apresentação:

1 Luciana Raposo de Aguiar Arquiteta e Gestora Ambiental PORTFÓLIO DE SEBRAE/PE SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS SEBRAE/PE

2 1. INTRODUÇÃO As MPEs e o Desenvolvimento Sustentável Rio + 20 Copa Verde 2014 Portal de Sustentabilidade SEBRAE o PUBLICAÇÕES o NOTÍCIAS o DICAS

3 2. METODOLOGIA DEFINIÇÃO DO OBJETO o Pesquisa volta a identificação de ações em sustentabilidade. DEFINIÇÃO DE CRITÉRIOS o TIPO: Programa, Projeto, Ação, Curso, Palestra, Evento, Ferramenta, Metodologia, abordagem o RECORTE GEOGRÁFICO: Pernambuco o RECORTE TEMPORAL: A partir de 2010 o FOCO: Sustentabilidade Ambiental, podendo não atuar diretamente nos outros dois pilares do DS (social e econômica); o ELABORAÇÃO DE QUESTIONÁRIO o Dados sobre os projetos LEVANTAMENTO DE DADOS o contato com gestores e consultores ANÁLISE E COMPILAÇÃO DE DADOS

4 3. RESULTADOS Década 1990 o Rio 92 Década 2000 o Projeto Araripe Mais Limpo (2004) o Programa Redução dos Desperdícios (2005/2006) o Programa de Eficiência Energética (a partir de 2005) o Curso GA no Pólo Gesseiro (2009) o Outros A partir da

5 RECIFE PROJETO ECOPÃO o OBJETIVO: Fornecer subsídios para tornar as panificadoras de PE mais ecoeficiêntes a partir da identificação de oportunidades para racionalização do processo produtivo; redução dos desperdícios; e o aumento da produtividade. o PÚBLICO ALVO: Panificadoras de PE

6 RECIFE PROGRAMA DE APOIO A ALIMENTAÇÃO FORA DO LAR o OBJETIVO: Adequar o público alvo ás necessidades do Festival delícias da Comunidade incluindo práticas sustentáveis o PÚBLICO ALVO: 15 bares e restaurantes situados nos bairros Bomba do Hemetério e Brasília Teimosa. FÓRUM DE SUSTENTABILIDADE o OBJETIVO: C riar ferramentas de identificação e tratamento de gargalos setoriais, com foco no meio ambiente. o PÚBLICO ALVO: Pólo Fármaco, Panificação Construção civil e setor Automotivo.

7 RECIFE GESTÃO DA MANUTENÇÃO o OBJETIVO: Fornecer subsídios através de mais de 30 diretrizes, para tornar as MPE’s mais econômicas, mais eficientes e mais competitivas o PÚBLICO ALVO: Diversos setores, como empresas de gesso (2010 e 2012) e lavanderia (2012) CONSULTORIA - Orientações para construção de uma pousada com princípios sustentáveis o OBJETIVO: Fornecer subsídios para construção de uma pousada com princípios de sustentabilidade. o PÚBLICO ALVO: Empresário do município de Goiânia.

8 RECIFE PALESTRA - Sustentabilidade no setor de beleza o OBJETIVO: Sensibilizar sobre impactos ambientais do setor e apresentar oportunidades práticas de sustentabilidade o PÚBLICO ALVO: empresário de setor de beleza PALESTRA - Turismo Rural e Sustentabilidade o OBJETIVO: Sensibilizar sobre impactos ambientais do setor e apresentar oportunidades práticas de sustentabilidade o PÚBLICO ALVO: grupo de turismo rural do estado de PE

9 RECIFE WORKSHOP - Empresas, Cidades e Comunidades Sustentáveis o OBJETIVO: evento realizado em 2010 para disseminar práticas de sustentabilidade empresarial. o PÚBLICO ALVO: empresários e sociedade. PROPOSTA PARA INTERVENÇÃO NA CADEIA PRODUTIVA DAS PLANTAS FITOTERÁPICAS o OBJETIVO: dar suporte à elaboração de futuros projetos voltados a esta cadeia, através da parceria entre CPD e UFPE – CTFITO. o PÚBLICO ALVO: cadeia produtiva de plantas medicinais e fitoterápicos de PE

10 RECIFE ARTESANATO – TAPETES TIMBI o OBJETIVO: Tornar os produtos da cooperativa mais competitivos no mercado. A sustentabilidade ambiental está na matéria-prima – cordão natural o PÚBLICO ALVO: Artesãs da Tapeçaria Timbi, em Camaragibe ARTESANATO - ASAS o OBJETIVO: Revisar os tipos de produtos e incluir os conceitos como sustentabilidade e identidade cultural o PÚBLICO ALVO: Unidade Produtiva Só de Mulheres –ASAS

11 MATA SUL PROJETO DE DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL - Ação Turismo Tamandaré o OBJETIVO: Minimização de impactos ambientais e otimização de processos - P+L o PÚBLICO ALVO: 15 equipamentos de turismo situados em Tamandaré-PE FÓRUM DE SUSTENTABILIDAE - Turismo o OBJETIVO: Criar ferramentas de identificação e tratamento de gargalos setoriais, com foco no meio ambiente. o PÚBLICO ALVO: grupo de turismo Mata Sul

12 MATA SUL PROJETO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA o OBJETIVO: Reduzir desperdício de energia na empresa. Implementar boa práticas. Estimular o uso de energia limpa e renovável. O conceito deste programa deve ressaltar a demanda de energia com discussões sobre aspectos vinculados à mudança dos padrões de consumo e eficiência energética. o PÚBLICO ALVO: restaurantes e meios de hospedagem situados em Tamandaré * Programa aplicado em todo estado

13 CARUARU MULHERES DE ARGILA o OBJETIVO: Estabelecer o diálogo cultural e socioambiental entre as principais especializações produtivas do agreste: barro do Alto do Moura e APL de Confecções, através dos olhares da cultura e do meio ambiente. o PÚBLICO ALVO: ABMAM – Associação dos artesãos e moradores do Alto do Moura

14 CARUARU LAVANDERIAS INDUSTRIAIS DO AGRESTE - Selo Verde o OBJETIVO: Adequar as empresas no atendimento ao SELO VERDE ao reduzir impactos ambientais o PÚBLICO ALVO: Lavanderias de Caruaru PALESTRA - Desenvolvimento Empresarial Sustentável o OBJETIVO: Sensibilizar público alvo sobre impactos ambientais de suas empresas e apresentar casos exitosos e de fácil aplicabilidade o PÚBLICO ALVO: empresários e associados da ACIC

15 PETROLINA Projeto de horticultura do Vale do São Francisco Ação: CULTIVO DE ORGÂNICOS o OBJETIVO: Capacitar produtores a se adequarem às exigências da certificação de orgânicos o PÚBLICO ALVO: Setor de horticultura do Vale do São Francisco APOIO À OBTENÇÃO DE CERTIFICAÇÃO - GLOBAL G.A.P E TESCO o OBJETIVO: Apoiar empresários na obtenção de certificados voluntários internacionais. Desde 2005, já atendeu cerca de 100 produtores locais. o PÚBLICO ALVO: Setor de fruticultura do Vale do São Francisco

16 SERRA TALHADA PROJETO AGRONEGÓCIOS DO SERTÃO PERNAMBUCANO o OBJETIVO: Apoiar o desenvolvimento dos setores alvo através de ações, tais como: Substituição ao carvão vegetal e utilização da fruta nativa. o PÚBLICO ALVO: produtores rurais organizados nos setores de Agricultura Irrigada, Apicultura e Piscicultura TERRITÓRIO DA CIDADANIA NO SERTÃO DO PAGEÚ o OBJETIVO: Ampliar atendimento às MPEs através de ações diversas, tais como o aproveitamento da flora natural da caatinga o PÚBLICO ALVO: 20 municípios do Sertão do Pajeú

17 SERRA TALHADA ARTESANATO SERTÃO DO PAJEÚ o OBJETIVO: Promover o desenvolvimento da atividade artesanal como meio de geração de emprego e renda. Abordar o mercado justo; organizar da produção, melhorar a qualidade e desenvolvimento de novos produtos. o PÚBLICO ALVO: 14 grupos produtivos localizados no Sertão Central, Moxotó, Pajeú e Itaparica

18 ARARIPINA Registro Federal para a ASSOCIAÇÃO DE APICULTORES DE BODOCÓ, com base na Legislação voltado para a qualidade o OBJETIVO: G arantir a qualidade do Mel de Abelha produzido em Bodocó. Os resultados esperados são apicultores mobilizados para a preservação do Bioma Caatinga. o PÚBLICO ALVO: O s apicultores dos municípios do Sertão do Araripe MAPEAMENTO DA FLORA APÍCOLA / EXPOSIÇÃO DE ABELHAS NATIVAS/ MINICURSO APICULTURA NATIVA o OBJETIVO: L evantamento da flora apícola da região e contribuir com a preservação da mata nativa e a produção de mel.

19 ARARIPINA CURSO DE GA NO SETOR GESSEIRO o OBJETIVO: Sensibilizar os empresários quanto a questão ambiental, assim como instruí-los a implementarem ações de sustentabilidade em suas empresas. o PÚBLICO ALVO: Setor Gesseiro do Araripe CONSULTORIA PARA LA NO SETOR GESSEIRO o OBJETIVO: Licenciar empresas través de consultoria na fábrica e acompanhamento junto ao órgão ambiental. o PÚBLICO ALVO: Empresas de pré- moldados de gesso

20 Programa / Unid. SEBRAE SUSTENTABILIDADE AmbientalSocialEconômica Projeto ECOPÃO / Recife +-+ Festival Delícias da comunidade / Recife +++ Gestão da manutenção / Recife, Caruaru, Araripina --+ Consultoria para pousada Sustentável / Recife +-+ Projeto Fitoterápicos / Recife ++- Artesanato / Recife, Caruaru, Petrolina, Serra talhada -++ Turismo Sustentável em Tamandaré / Mata Sul-Cabo +-+ Mulheres de Argila / Caruaru +++ Lavanderias / Caruaru +-+ Orgânicos / Petrolina +-+ Projeto de apoio a obtenção de Certificação / Petrolina +-+ Apicultura / Serra Talhada, Araripina -++ Licenciamento ambiental do Pólo Gesseiro/ Araripina +-+ Legenda: ( + ) aborda diretamente ( - ) aborda indiretamente 4. CONCLUSÕES QUADRO 1: Programas Sebrae-PE e os 3 pilares do DS

21 QUADRO 2: FERRAMENTAS PARA A SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL Ferramenta de Sustentabilidade Entidade proponente Conceito ISE - Índice de Sustentabili- dade Empresarial BOVESPA, FGV, ETHOS e MMA O Índice é uma ferramenta para análise comparativa da performance das empresas listadas na BOVESPA sob o aspecto da sustentabilidade corporativa, baseada na eficiência econômica, no equilíbrio ambiental, na justiça social e na governança corporativa ISO (14005-MPEs) ISO Norma internacional criada para auxiliar empresas a identificar, priorizar e gerenciar seus riscos ambientais como parte de suas práticas usuais, entre elas: prevenção da poluição e melhorias contínuas. A versão foi lançada em 2010 com critérios adaptáveis a realidade das MPEs. ISO ISO Norma internacional de Responsabilidade Social Empresarial com o objetivo traçar diretrizes para empresas na implantação e desenvolvimento de políticas baseadas na sustentabilidade. ACV ISO Ferramenta, regulada pelo conjunto de normas ISO 14040, que permite a quantificação das emissões ambientais ou a análise do impacto ambiental de um produto, sistema ou processo. Essa análise é feita sobre toda a "vida" do produto ou serviço, desde o seu início até o descarte final. P+L – Produção Mais Limpa CNTL – Centro de Tecnologia Limpa / SENAI (Brasil) Metodologia para implantação de um conjunto de práticas mais sustentáveis econômica, tecnológica e ambientalmente. Está voltada a processos, produtos e serviços e objetiva a redução dos impactos ambientais e otimização de processos através oportunidades e melhoria contínua. Ecoeficiência BCSD - Business Council for Sustainable Development Conceito de gestão que propõe melhorias ambientais que potenciem, paralelamente, benefícios económicos. Concentra-se em oportunidades de negócio e permite às empresas tornarem-se mais responsáveis do ponto de vista ambiental e mais lucrativas. SGS - Sistema de Gerencia- mento da Sustentabi- lidade APEL / Natura Conjunto de métodos e ferramentas para auxiliar as empresas a inserirem a sustentabilidade como prática de gestão, permitindo um aprimoramento do sistema de métricas, possibilitando maior integração entre os indicadores econômicos, sociais e ambientais, e avaliar a evolução dos resultados ligados ao tema. Pacto Global ONU É uma iniciativa com o objetivo de mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção, na condução de seus negócios, de valores fundamentais e internacionalmente aceitos com relação aos direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção refletidos em 10 princípios. Relatórios de Sustentabilid ade GRI - Global Reporting Initiative Conjunto de padrões internacional com diretrizes para elaboração de relatórios de sustentabilidade composta por princípios, orientação para sua confecção e um modelo de conteúdo. Para as organizações relatoras, a estrutura fornece ferramentas para a gestão, fortalecimento da marca e da reputação, diferenciação no mercado etc. Licenciamen- to Ambiental MMA É o procedimento administrativo realizado pelo órgão ambiental competente, que pode ser federal, estadual ou municipal, para licenciar a instalação, ampliação, modificação e operação de atividades e empreendimentos que utilizam recursos naturais, ou que sejam potencialmente poluidores ou que possam causar degradação ambiental.

22 5.RECOMENDAÇÕES Validar os dados destas pesquisas com os gestores de cada ação; Articular projetos entre si criando foco na sustentabilidade; Definir metas de sustentabilidade nos projetos; Criar selos verdes voltados a setores alvo; Oferecer consultoria de apoio ao processo de certificação ambiental; Capacitar consultores e instrutores para agregarem os aspectos de sustentabilidade como tema transversal em suas atuações; Publicar cartilhas, manuais entre outras publicações educativas voltadas a sustentabilidade Outras sugestões ???

23 Podemos fazer melhor? Então vamos fazer! CONSULTORAS Luciana Raposo Carmen Cavalcanti GESTORES Angela Miki Saito Maurício Corrêa


Carregar ppt "Luciana Raposo de Aguiar Arquiteta e Gestora Ambiental PORTFÓLIO DE SEBRAE/PE SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS SEBRAE/PE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google