A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Inclusão da Geração Termelétrica a Carvão na Matriz Elétrica Brasileira 07/05/2014 Fernando Luiz Zancan Presidente da ABCM.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Inclusão da Geração Termelétrica a Carvão na Matriz Elétrica Brasileira 07/05/2014 Fernando Luiz Zancan Presidente da ABCM."— Transcrição da apresentação:

1 Inclusão da Geração Termelétrica a Carvão na Matriz Elétrica Brasileira 07/05/2014 Fernando Luiz Zancan Presidente da ABCM

2 Independência energética = Energia Disponível

3 Benefícios da Geração Termelétrica a Carvão 3 1.Baixo CVU – 2013/14 record histórico despacho 2.Moeda nacional: não afeta balança de pagamentos 3.Próximas aos centros de carga 4.Despachabilidade => energia de base 5.Não dependente das condições climáticas 6.Energia disponível – minas abertas

4 Se substituíssemos o último bloco de 1GW de geração por UTEs a carvão com CVU de R$110/MWh, a economia mensal no despacho seria de R$ 500 milhões/mês. (Somente custo variável, desconsiderando a diferença de receita fixa) Benefícios da Geração Termelétrica a Carvão Despacho em janeiro/2014

5 Cenário Carvão Enase 2013 Em – Portaria 137/13 : térmicas a carvão no leilão A-5 Evolução até : Financiamento do BNDES igual as outras fontes Regulamentação do PIS/CONFINS : Decreto 8082 de Politicas Estaduais do RS e SC de incentivo as usinas térmicas a carvão.

6 UTE’s a carvão fora do 1º LEN A-5 Preço teto de R$ 140/MWh foi insuficiente  Valorização do Euro e Dólar (+15% em 2013 ) UTELeilão ICB Histórico R$/MWh ICB Atualizado R$/MWh Candiota IIILEN A ItaquiLEN A Pecém ILEN A Pecém IILEN A

7 Garantia Física Menor Valores de GF verificado no 1º LEN A-5/2013 menores do que em Leilões passados UTELeilão CVU R$/MWh GF (% da Disp. Max.) HistóricoAtualizado Candiota IIILEN A ,359,896 ItaquiLEN A ,5108,7100 Pecém ILEN A ,0106,2100 Pecém IILEN A ,5113,686 7 UTE’s a carvão fora do 1º LEN A-5

8 Pleitos para o 2º LEN A-5/2013 out/2013 PleitoResultadoAtendeu? Adequação do preço teto do leilão Aumento de R$ 140 para 144/MWh Insuficiente Aumento de Garantia Física das UTE’s Nova curva CVaR aumentou GF, mas também aumentou COP+CEC, diminuindo a RF Não Ajuste da metodologia do ADOMP Portaria MME 343/2013: flexibilização das penalidades por indisponibilidade nos 3 primeiros anos Insuficiente Extensão do início do CCEARPortaria MME 343/2013: extensão do início do CCEAR Sim 8 Dez/13 : Térmicas a carvão fora do Leilão A-5

9 1.Adequação do Preço Teto do Leilão 2.Aumento de Garantia Física das UTE’s 3.Adequação do CCEAR Pleitos para LEN A-5/2014 9

10 O CAPEX (investimento total) de uma UTE à carvão está na faixa de a USD/kWinst. 1. Adequação do Preço Teto do Leilão ( i) Utilizar CAPEX adequado ao combustível nacional com equipamentos de primeira linha, tecnologia nova de CFBC, caso especifico para carvões de alta cinza – plantas especificas para cada carvão – CAPEX é principal fator no ICB do carvão.

11  Nova curva CVaR diminuiu a competitividade das UTE’s flexíveis 2. Ajustar a Garantia Física (i) Ajustar a metodologia do cálculo do ICB de forma a incorporar os benefícios de cada fonte, tais como: aumento de confiabilidade elétrica e energética e diminuição de perdas de transmissão. (ii) contratação de Produto Disponibilidade Termelétrica com demanda exclusiva (tal qual o A-5 de Dez/2013).

12 3. Adequação do CCEAR A regra de apuração de indisponibilidade eleva de forma considerável o risco do empreendimento (i) Utilizar o conceito de média móvel de longo prazo (ex. 60 meses) na apuração da indisponibilidade e também na exposição no MCP. (ii) Expurgar a Indisponibilidade Forçada do cálculo da penalidade do ADOMP. (iii) Retirar a exigência da declaração da indisponibilidade horária do CCEAR.

13 Prazo de implantação típico de projetos térmicos a carvão: 46 meses. Prazos apertados obrigará ao empreendedor a contingenciar o risco de atraso (i) início do CCEAR compatível com prazo mínimo de construção de 54 meses 4. Adequação do CCEAR

14 Térmicas não são ‘quebra-galho’, afirma Zimmermann Valor Online - 19/3/14 Mudar a percepção pública  Térmicas fazem parte do modelo Renovável- Térmico Brasileiro otimizado  O custo da energia é menor porque só se aproveita energia secundária das hidro com a energia firme da térmica: Térmica não é cara  Não existe energia limpa : todas tem efeitos ambientais e são licenciadas  O CO 2 /KWh do Brasil está entre os menores do mundo e continuará sendo

15 After 2035 the energy system changes deeply with hydropower potential depletion  Coal-fired plants equipped with post- combustion CCS acquire importance after 2035  After 2040, the main choice is IGCC plants equipped with selexol CCS Criar uma cultura de carvão já Fonte: International Journal of Greenhouse Gas Control 2014 Larissa Pinheiro Pupo Nogueira1, André Frossard Pereira de Lucena, Régis Rathmann, Pedro Rua Rodriguez Rochedo, Alexandre Szklo, Roberto Schaeffer - COPPE Energy Planning Program, Graduate School of Engineering Universidade Federal do Rio de Janeiro

16 OBRIGADO PELA ATENÇÃO Contatos:

17 SLIDES de Apoio

18 Fonte: Apresentação da PSR na reunião da ABRAGET em 06/11/2013: “Impacto da incorporação da aversão ao risco na operação e expansão do sistema” Garantia Física 18

19 Fator K (COP + CEC) 19

20 Impacto ICB: Caso 100 R$/MWh 20


Carregar ppt "Inclusão da Geração Termelétrica a Carvão na Matriz Elétrica Brasileira 07/05/2014 Fernando Luiz Zancan Presidente da ABCM."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google