A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rosamaria Calaes de Andrade. Educar em Três Tempos Artur da Távola Presente, passado e futuro... Eu educo HOJE com valores que recebi ONTEM, Para pessoas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rosamaria Calaes de Andrade. Educar em Três Tempos Artur da Távola Presente, passado e futuro... Eu educo HOJE com valores que recebi ONTEM, Para pessoas."— Transcrição da apresentação:

1 Rosamaria Calaes de Andrade

2 Educar em Três Tempos Artur da Távola Presente, passado e futuro... Eu educo HOJE com valores que recebi ONTEM, Para pessoas que são o AMANHÃ. Os valores de ONTEM, os conheço. Os de HOJE, percebo alguns... Dos de AMANHÃ, não sei...

3 Educar em Três Tempos Artur da Távola Se só uso os de HOJE, não educo, COMPLICO. Se só uso os de AMANHÃ, não educo, Faço EXPERIÊNCIAS à custa de crianças. Se uso os três, sofro, mas EDUCO. Por isso, educar é perder sempre, sem perder-se. Educa quem for capaz de fundir ONTENS, HOJES e AMANHÃS, Transformando-os num PRESENTE Onde o AMOR e o LIVRE ARBÍTRIO sejam as bases.

4

5

6 Realidade Cultural na passagem do milênio No final do século XX o volume de conhecimento acumulado pela humanidade dobrava-se a cada 4 anos. Neste início de milênio já se pode prever que dobrar-se-á a cada dois anos. Um leitor capaz de ler 1000 palavras por minuto, lendo oito horas por dia, gastaria um mês e quinze dias para ler a informação recolhida em um só dia.

7 Realidade Cultural na passagem do milênio Produziu-se mais informações durante os últimos 30 anos que nos últimos 5 milênios. A edição de fim de semana do New York Times, hoje, contém mais informações do que uma pessoa podia acessar ao longo da vida no século XVII. Nos Estados Unidos, publicam-se 9000 revistas por ano. No mundo todo são publicados 1000 livros por dia.

8 Realidade Cultural na passagem do milênio As possibilidades de acesso à informação vão além do professor e do livro. É preciso aprender a selecionar a informação que se produz e de que dispomos. Planejar mudanças para orientar a função da escola e o conteúdo do saber escolar. Os tempos estão mudando!...

9

10

11

12

13

14 “Não podemos prever o futuro, mas podemos prepará-lo.” I. Prigogine

15 Tem que dar certo!

16

17

18 O cérebro humano A estrutura mais complexa do Universo O mais misterioso órgão do corpo humano. Um emaranhado de 10 bilhões de células e 1.300K de peso.

19 Com informação incompleta, você vê o MUNDO assim:

20 Com informação completa, você vê o MUNDO assim:

21

22 “O pensamento nasce da ação.” “A afetividade e a inteligência são indissociáveis.” (Piaget)

23 Sala de aula

24 Trabalho em equipe

25

26 1. Porque Educar para a Competência: exigências da nova sociedade e das novas tecnologias; o novo cidadão tornou-se mais consciente de seus direitos; o respeito pelo outro assim determina.

27 2. Educar para a Competência é: preparar gerentes da informação e não meros acumuladores de dados; desenvolver a consciência crítica, a iniciativa e a autonomia;

28 3. Velhos problemas da Educação Brasileira despreparo do aluno ("falta de base") e do professor (formação precária); currículos escolares anacrônicos; livros didáticos descontextualizados; visão da escola conteudista; ensino como transmissão autoritária de conteúdos; aprendizagem como acúmulo de informações; resultado esperado: "sucesso no vestibular".

29 4. Novos Rumos da Educação Brasileira educação para a competência (conjunto de habilidades que definem uma função); desenvolvimento de habilidades (saber fazer): interdisciplinaridade, contextualização, flexibilidade, investigação, experimentação; aprendizagem pela compreensão, e não pela força da repetição; Proposta Pedagógica da Escola: opção epistemológica clara, para os professores e os pais.

30 5. Pressuposto fundamental da Educação para Competências "Aprender é construir significados. Ensinar é oportunizar essa construção". Vasco Moretto

31 6. As cinco Competências básicas: I - Dominar linguagens (corporal, verbal, escrita, religiosa, gráfica, matemática). Função: ligar contextos, dando sentido ao texto. Linguagem e conhecimento são construções sociais. II - Compreender fenômenos (naturais, psicossociais, históricos, geográficos). III - Enfrentar situações e resolver problemas.

32 6. As cinco Competências básicas: IV) - Construir argumentações (em defesa dos direitos humanos, da diversidade cultural, da liberdade e da responsabilidade social da imprensa; contra a injustiça social). V) - Elaborar propostas, planos e projetos, em equipe.

33

34

35

36

37

38

39

40

41 7. Papel da Escola: educar para a vida (contextualizar o cidadão em seu momento histórico e social) e preparar para o trabalho; formar seres pensantes  ensinar a pensar  produz conhecimento, que evolui, por ser objeto de análise (diferente de formar seguidores  transmitir informação  produz crença, imutável, por ser imune à análise).

42 8. Papel do currículo:  Desenvolver os oito saberes fundamentais para construção da autonomia: -identificar, avaliar e valorizar suas próprias possibilidades, necessidades, limites e direitos; -formar, desenvolver e conduzir projetos e estratégias, individuais ou em equipes; -analisar, de forma sistêmica, situações, relações e campos de força;

43 8. Papel do currículo: -partilhar liderança, cooperar, participar de atividades coletivas; -construir e estimular organizações democráticas e sistemas de ação coletiva; -gerenciar e superar conflitos; -conviver com regras, elaborá-las e servir-se delas; -construir normas de convivência negociadas, que superem conflitos.

44 9. Papel do Professor: trabalhar por estudo de casos, resolução de problemas e projetos; propor tarefas complexas e desafios que incentivem os alunos a mobilizarem seus conhecimentos e completá-los quando necessário; desenvolver habilidades, em busca de competência; perguntar (relação democrática com o aluno e o conhecimento) mais do que explicar (relação de dominação com o aluno e o conhecimento);

45 10. Papel dos conteúdos: contribuir para o desenvolvimento das estruturas mentais, se não têm aplicação imediata.

46 11. Como implementar uma abordagem por competência: definir quais competências quer que seus estudantes desenvolvam; reconstruir a transposição didática (escolarizar o conhecimento científico); substituir "ensinar o teorema de Pitágoras" por "utilizar o teorema de Pitágoras para resolver problemas de geometria"; atenuar as divisões disciplinares, incentivando a polivalência dos professores;

47 11. Como implementar uma abordagem por competência: revisar os programas, enxugando e atualizando os conteúdos; criar novas formas de avaliação formativa, orientada para as competências; romper o círculo fechado (propedêutico) da escolaridade; reconhecer o atual fracasso do antigo paradigma escolar; diferenciar o ensino, respeitando as diferenças individuais.

48 MUDANÇAS DE ATITUDES As mudanças de paradigmas educacionais necessárias ao próximo milênio exigem alterações na organização da escola e novas atitudes dos alunos, professores, pedagogos e da sociedade.

49 MUDANÇAS DE ATITUDES DE:PARA: Ênfase no raciocínio analítico-linear Busca do todo: razão - intuição Conteúdos separados, fragmentados Interdependência e i ntegração de assuntos Aprendizagem: produto Aprendência: processo Autoritarismo de quem ensina Autonomia de quem aprende

50 MUDANÇAS DE ATITUDES DE:PARA: Aluno: ignorante a ser ensinado Aluno: sujeito aprendente Professor: detentor do conhecimento Professor: aprendente e facilitador da aprendência Conhecimento: “certo”, definitivo Conhecimento: modificável conforme o contexto

51 MUDANÇAS DE ATITUDES DE:PARA: Ênfase no raciocínio analítico-linear Busca do todo: razão - intuição Conteúdos separados, fragmentados Interdependência e integração de assuntos Aprendizagem: produtoAprendência: processo Autoritarismo de quem sabe Autonomia de quem aprende Aluno: ignorante a ser ensinado Aluno: sujeito aprendente Professor: detentor do conhecimento Professor: aprendente a facilitador da aprendência Conhecimento: “certo”, definitivoConhecimento: modificável conforme o contexto

52 MUDANÇAS NO PARADIGMA DE AVALIAÇÃO (PCN) DE:PARA: Evento, episódio, produto Atividades, rotina, processo Medo de errar, submissão Liberdade de experimentar, espontaneidade Secreta, misteriosaTransparente, aberta Arbitrária Pautada em critérios claros

53 MUDANÇAS NO PARADIGMA DE AVALIAÇÃO (PCN) DE:PARA: Seletiva, classificatória Promocional, construtiva Estática, padronizadaDinâmica, diversificada Medida (quantitativa) estigmatizadora Interpretação (quali- tativa) para orientação Caráter de terminalidade Caráter de continuidade Voltada para expectativas de aprendizagem Considera as condições do ensino oferecido

54 MUDANÇAS NO PARADIGMA DE AVALIAÇÃO (PCN) DE:PARA: Autoritária, centralizada na ação do professor Participativa, delegada também aos alunos Valorização do produto para reprovação Verificação do rendimento para recuperação Disposta a rejeitar, cobrar, excluir Disposta a acolher, nutrir, incluir

55 MUDANÇAS NO PARADIGMA DE AVALIAÇÃO (PCN) DE:PARA: Voltada para conteúdos Voltada para competências Registro padronizado dos resultados Relato personalizado das observações

56 MUDANÇAS NO PARADIGMA DE AVALIAÇÃO (PCN) DE:PARA: Evento, episódio, produto Atividades, rotina, processo Medo de errar, submissãoLiberdade de experimentar, espontaneidade Secreta, misteriosaTransparente, aberta Arbitrária Pautada em critérios claros Seletiva, classificatória Promocional, construtiva Estática, padronizadaDinâmica, diversificada Medida (quantitativa) estigmatizadoraInterpretação (qualitativa) para orientação Caráter de terminalidade Caráter de continuidade Voltada para expectativas de aprendizagem Considera as condições do ensino oferecido Autoritária, centralizada na ação do professor Participativa, delegada também aos alunos Valorização do produto para reprovaçãoVerificação do rendimento para recuperação Disposta a rejeitar, cobrar, excluirDisposta a acolher, nutrir, incluir Voltada para conteúdos Voltada para competências Registro padronizado dos resultadosRelato personalizado das observações

57 CURRÍCULO ESCOLAR CENTRADO NAS MATÉRIAS POR PROJETOS DE TRABALHO Conceitos disciplinares Temas ou problemas Objetivos e metas curriculares Perguntas, pesquisas, competências Conhecimento padronizado Conhecimento construído Estudo individual Pequenos grupos Livro - texto Fontes diversificadas

58 CURRÍCULO ESCOLAR CENTRADO NAS MATÉRIAS POR PROJETOS DE TRABALHO Saber e leitura escolarizados Saber contextualizado, leitura do mundo Conteúdos como fimConteúdos como meio Avaliação por provasAvaliação por atividades Professor: especialista, transmissor Professor: facilitador, orientador Explicações e exposições Intervenções e Orientações

59 CURRÍCULO ESCOLAR CENTRADO NAS MATÉRIASPOR PROJETOS DE TRABALHO Saber e leitura escolarizados Saber contextualizado, leitura do mundo Conteúdos como fimConteúdos como meio Avaliação por provasAvaliação por atividades Professor: especialista, transmissor Professor: facilitador, orientador Explicações e exposições Intervenções e Orientações Conceitos disciplinaresTemas ou problemas Objetivos e metas curricularesPerguntas, pesquisas Conhecimento padronizadoConhecimento construído Estudo individual Pequenos grupos Livro - texto Fontes diversificadas

60 TRANSFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA MELHORAR O SISTEMA EDUCACIONAL 1. Mudar a própria percepção dos educadores, como grupo profissional, numa ação articulada. 2. Redefinir a profissão do educador (de dar aulas para garantir e facilitar a aprendizagem dos alunos no momento certo). 3. Assegurar a ampliação e agilização do tempo para aprender. 4. Passar do modelo de aprendizagem frontal para a aprendizagem cooperativa, em grupo, sendo o aluno em interação com o conhecimento o centro do processo. 5. Tornar a educação um bem público, de igual qualidade para todos.

61 TRANSFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA MELHORAR O SISTEMA EDUCACIONAL 6. Formar alunos com “mente internacional”, compromisso e competitividade mundial. 7. Criar a cultura da qualidade, da precisão e da beleza. 8. Orientar as ações e os planos para fortalecer o projeto ético proposto na Constituição, formando o cidadão - pessoa capaz de criar, com os demais, a ordem social que ela mesmo quer viver, cumprir e proteger. 9. Garantir a cada geração a apropriação do conhecimento no momento certo.

62 CÓDIGOS DA MODERNIDADE Competências, capacidades e habilidades necessárias ao século XXI 1. Alta competência em leitura e escrita. 2. Alta competência em solução de problemas e cálculos matemáticos. 3. Alta competência em expressão escrita, com precisão para: expressar o próprio pensamento, analisar, comparar e descrever fenômenos e situações. 4. Capacidade para analisar o ambiente social e criar governabilidade (formação política).

63 CÓDIGOS DA MODERNIDADE Competências, capacidades e habilidades necessárias ao século XXI 5. Capacidade para receber criticamente os meios de comunicação. 6. Capacidade para planejar, trabalhar e decidir em grupo. 7. Capacidade para localizar, acionar e utilizar a informação acumulada.

64 “O que passou não conta? indagarão as bocas desprovidas. Não deixa de valer nunca! O que passou ensina com sua garra e seu mel. Por isso é que agora vou assim no meu caminho. Publicamente andando. Não, não tenho caminho novo. O que tenho de novo é o jeito de caminhar. Aprendi (o caminho me ensinou) a caminhar cantando, como convém a mim e aos que vão comigo. Pois já não vou mais sozinho.” (Thiago de Mello) “Faz escuro mas eu canto”

65 Palestrista: Rosamaria Calaes de Andrade Montagem: Inês Meinicke REDE PITÁGORAS


Carregar ppt "Rosamaria Calaes de Andrade. Educar em Três Tempos Artur da Távola Presente, passado e futuro... Eu educo HOJE com valores que recebi ONTEM, Para pessoas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google