A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Page  1 AJUSTAMENTO ACADÉMICO À UNIVERSIDADE EM ESTUDANTES ANGOLANOS Ana Paula Tuavanje Elias & Maria do Céu Taveira Ministério do Ensino Superior da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Page  1 AJUSTAMENTO ACADÉMICO À UNIVERSIDADE EM ESTUDANTES ANGOLANOS Ana Paula Tuavanje Elias & Maria do Céu Taveira Ministério do Ensino Superior da."— Transcrição da apresentação:

1 Page  1 AJUSTAMENTO ACADÉMICO À UNIVERSIDADE EM ESTUDANTES ANGOLANOS Ana Paula Tuavanje Elias & Maria do Céu Taveira Ministério do Ensino Superior da Ciência e Tecnologia de Angola & Escola de Psicologia, Universidade do Minho, Portugal 8VO Congresso Internacional de Educación Superior, Habana, Cuba, de Fevereiro de 2012

2 Page  2 Estrutura Introdução Objectivos Método Participantes Instrumento Procedimentos Resultados e Discussão Conclusão

3 Page  3 Introdução O ensino superior prepara os alunos para novos papéis, ao mesmo tempo que os expõe a novos desafios e dificuldades, exigindo um processo de adaptação a um novo contexto de trabalho (e.g., Biren & Cunningham 1985; Silva 2008). Um dos modelos mais recentes para ajudar a compreender esta transição vocacional é o modelo sociocognitivo da adaptação acadêmica proposto por Lent (2004). De acordo com a investigação deste modelo (Lent, 2004; Lent & Brown, 2006) o processo de adaptação ao ambiente do ensino superior deve ser conceptualizado, a partir de um quadro de referência unificador dos conceitos de bem-estar e ajustamento.

4 Page  4 Nesta fase das suas vidas, os estudantes do ensino superior direccionam-se nos estudos e restante vida, com base em orientações diferenciadas do seu funcionamento psicológico, como: - o sentido de competência - o desenvolvimento e a integração das emoções -a autonomia -as relações interpessoais - a construção da identidade, o desenvolvimento da integridade e de um sentido de vida (Chickering & Reisser, 1993, cit. por Silva & Ferreira, 2009). Introdução

5 Page  5 Nos Serviços de Carreira Universitários, a Consulta Psicológica Vocacional pode apoiar nesse sentido. Um dos seus principais objectivos será: -Facilitar a aprendizagem de competências, interesses, crenças, valores, hábitos de trabalho, nos indivíduos, que permitam a construção de uma vida satisfatória no âmbito de um contexto sociocultural e em constante mudança (Mitchel & Krumboltz, 1996). Introdução

6 Page  6 Introdução Além disso, as instituições de ensino superior devem propor acções de promoção do planeamento da carreira, e de apoio à adaptação e reorientação no ensino superior, dos alunos bem como apoios à transição de ciclos de estudo e da universidade para o mercado de trabalho - como a criação do próprio emprego e a aplicação de inovação científica e tecnológica a projectos de interesse social e económico, e o apoio ao prosseguimento de estudos para diplomados e trabalhadores. Para o efeito, é importante dispor de modelos teóricos que orientem a acção estratégica nas universidades e os serviços de carreira no ensino superior

7 Page  7 Introdução Autores como Lourenço e Valquaresma, (2006) identificam dois tipos de abordagem teórica que influenciam a intervenção na mudança dos estudantes: - as teorias desenvolvimentistas que procuram descrever dimensões de desenvolvimento do estudante e as fases de crescimento individual em cada dimensão - as teorias ambientais ou sociológicas que tendem a valorizar as origens sociológicas/ambientais da mudança do aluno centrando-se na interacção “aluno x universidade”

8 Page  8 Objectivos Caracterizar o ajustamento académico dos alunos Angolanos e avaliar diferenças em função do ano Escolar e do curso frequentado Retirar implicações para o desenho de Serviços de Carreira no ensino Superior em Angola

9 Page  9 Objectivo Fig. 1 Modelo sócio-cognitivo de ajustamento e bem-estar (Lent, 2004)

10 Page  10 Objectivo Figura 1. Estrutura do Sistema de Educação de Angola

11 Page  11 Método Participantes 317 estudantes universitários 152 homens e 165 mulheres Média de idade = anos (DP=7.55) Instituto Superior Público de Ciências de Educação e da Universidade Privada Óscar Ribas 1ºano=199; 2ºano=96; 3ºano=22 Gestão= 139; Relações Internacionais= 31; Geografia= 83; e Pedagogia= 64

12 Page  12  Academic Adjustment Questionnaire  (AAQ; Lent, 2004, adapt. por Taveira & Lent, 2004)  7 subescalas  56 itens -Auto-Eficácia em Tarefas Académicas Básicas (5 itens) -Auto-Eficácia para Lidar com Barreiras e Desafios Académicos Específicos (7 itens) -Progresso Percebido em Objectivos Académicos (8 itens) -Apoio Ambiental (9 itens) -Satisfação Académica (7 itens) -Disposição Afectiva (10 itens) - Satisfação com a Vida em Geral (5 itens ) Método Instrumento

13 Page  13 Procedimentos Tempo médio de preenchimento: 60 minutos/turma Recolha de dados em 6 dias consecutivos em cada instituição Ano lectivo 2010/2011 Apresentação do projecto de investigação aos alunos – objectivos e instruções Obtenção de apoio de Reitores, Coordenadores de Curso, e Professores Contacto formal ao Instituto Superior Público de Ciências de Educação e Universidade Óscar Ribas

14 Page  14 Resultados Tabela 1 - Dimensões do ajustamento académico: Anova FSig. CAE,812,542 AETA,928,463 AEPDA,663,652 APO1,377,234 RABAAS,636,673 AJA2,517,030 * SA3,710,003 * AA,745,591 SP1,612,157 AS1,203,309 SVG1,126,347

15 Page  15 Resultados Ano Escolar N Subset for alpha = Primeiro Ano19985,40 Terceiro Ano2287,54 Segundo Ano96 88,82 Sig.,386 Tabela 2 – Teste de Tukey- crenças de auto- eficácia

16 Page  16 Resultados Tabela 3 – Teste de Tuke y Ano Escolar N Subset for alpha = Terceiro Ano2229,85 Primeiro Ano19931,56 Segundo Ano96 32,22 Sig.,195,784

17 Page  17 V * P ≤ 0,05 (A) VALOR DA ANOVA DE WELCHALOR DA Resultados FGlSig. CAE3,7063, 313,012 * AETA6,2173, 313,000 * AEPDA2,2063, 313,087 ** APO3,7833, 313,011 * RABAAS2,5013, 313,059 ** AJA6,1643, 313,000 * SA8,7773, 313,000 * AA,6223, 313,601 SP4,0903, 313,007 * AS3,7393, 313,012 * SVG3,3973, 313,018 * AJAG4,6243, 313,004 * Tabela 4 – Anova one-way com correção de Welch

18 Page  18 FINALMENTE O AFECTO SITUACIONAL (AS), ONDE F(313) = 3,739, P= 0,012, NESTA DIMENSÃO VERIFICA-SE DIFERENÇAS SIGNIFICATIVAS NOS ALUNOS DO CURSO DE RELAÇÕES Finalmente o Afecto situacional (AS), onde F(313) = 3,739, p= 0,012, nesta dimensão verifica-se diferenças significativas nos alunos do curso de Relações Internacionais, que obtêm valores mais baixos do que os alunos dos restantes cursos (33,70 versus 36,70; 37,45; 37,62); Satisfação com a vida em Geral (SVG), concluiu-se que F(313) = 3,397, p=0,018, onde os alunos do curso de Pedagogia obtêm valores significativamente mais elevados nesta dimensão do que os alunos do curso de Relações Internacionais (24,44 versus 21,0,3). Resultados

19 Page  19 Resultados e Conclusões  Verificaram-se diferenças estatisticamente significativa nas crenças de auto-eficácia (CAE) em função do ano escolar, entre os alunos do segundo ano e os do terceiro ano, sendo que estes últimos obtêm valores mais baixos nesta dimensão  Na auto-eficácia em problemas e desafios académicos (AEPDA), as diferenças significativas encontram-se igualmente entre os alunos do segundo ano e os do terceiro ano, sendo que estes últimos obtêm valores mais baixos nesta dimensão. Variação do Ajustamento Académico em função ao ano escolar

20 Page  20  Ajustamento Académico em função do curso: verificaram-se diferenças estatisticamente significativas em quase todas as dimensões com exceção das escalas de Auto-eficácia para lidar com problemas e desafios académicos e do Ajustamento Académico onde não foram verificadas diferenças estatisticamente significativas.  Isto evidencia a necessidade de abordar a questão do ajustamento académico no ensino superior em Angola tendo em atenção ao curso e especialidade dos alunos. Resultados e Conclusões

21 Page  21  O modelo sócio cognitivo do bem-estar desenvolvido por Lent (2004) apresenta-se como uma perspectiva teórica importante que contribui para explicar a satisfação académica e a satisfação com a vida em geral dos estudantes do ensino superior.  O fenómeno de transição do ensino geral para o ensino superior, provoca desafios que geram mudanças em hábitos, costumes, relações interpessoais e na forma como o indivíduo se interpreta e avalia as mudanças na sociedade e no mundo, um processo de transição que exige a adaptação dos individuos, um processo influenciado por variaveis pessoais e do meio académico às quais os Serviços de Carreira devem atemder de modo intencional Conclusão

22 Page  22 Considerações finais Nesta conformidade tendo em conta os resultados obtidos do nosso estudo sugerimos que: Que o Ministério do ensino Superior da Ciência e Tecnologia, particularmente a Direcção Nacional de Orientação profissional e Apoio aos estudantes possa Conceber, editar e divulgar um guião de orientação dos cursos ministrados nas Instituições de aensino Superior (IES) e as respectivas modalidades de ensino; Que os Professores procurem criar um clima saudavél na sala de aula; Que se incentive a criação de processos de consulta psicologica aos alunos; Implementação de gabinetes de apoio e orientação vocacional e da carreira, a nível das Instituições de Ensino superior da diversas Regiões académicas criadas; Que se promova a Investigação e estratégias de Investigação científica e prestação de serviço nos domínios da orientação vocacional e profissional;

23 Page  23 Muito Obrigada ! Ana Paula Elias & Maria do Céu Taveira


Carregar ppt "Page  1 AJUSTAMENTO ACADÉMICO À UNIVERSIDADE EM ESTUDANTES ANGOLANOS Ana Paula Tuavanje Elias & Maria do Céu Taveira Ministério do Ensino Superior da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google