A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM LOGÍSTICA Prof. Vivian Borim www.vivianborim.com.br.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM LOGÍSTICA Prof. Vivian Borim www.vivianborim.com.br."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM LOGÍSTICA Prof. Vivian Borim

2 Sistemas de Informação em Logística Ementa  O papel estratégico da informação em logística.  Os conceitos de Sistema de Informação.  Os sistemas de telecomunicações e a tecnologia logística.  A informática, os computadores e a logística.  Sistemas de gestão empresarial e tecnologia logística.  Globalização da indústria.  E-commerce e a logística.  A diversidade de soluções em tecnologia da informação aplicada à logística: SCM, ERP, APS, MRP, MES, WMS, TMS, BI, RFID.

3 Avaliação  75% de presença;  4,0 pontos no Projeto.  6,0 pontos em quatro outras atividades  A primeira e a segunda atividade serão dia 10/04;  A terceira e a quarta atividade 24/04;  A Apresentação do Projeto será dia 15/05;  Os trabalhos deverão ser em grupos de duas pessoas;

4 Utilizando a T.I. como Estratégia Logística  Como a Tecnologia da Informação pode influenciar as estratégias adotadas pelas empresas e consequentemente seus objetivos globais? T.I. como instrumento é objetivo da organização. Negligenciar e utilizar a TI para pontos isolados, compromete o ROI e prejudica a logística. Não é tarefa fácil, por isso deve ser viabilizado operacionalmente, tática e estrategicamente. A TI aplicada a logística fica sob responsabilidade da área de T.I., que não envolve o pessoal operacional e estratégico. Questão do desenho da estrutura da empresa e ao modelo de gestão.

5 Introdução  Tem PODER quem toma DECISÃO  Toma DECISÃO correta quem possui CONHECIMENTO  Possui CONHECIMENTO quem tem INFORMAÇÃO  (Sem INFORMAÇÃO “ACHISMO”)  PORTANTO:  INFORMAÇÃO É PODER

6 Sistemas de Informação

7 Processo de Tomada de Decisão 1. Definição do PROBLEMA ou OPORTUNIDADE 2. Formulação de ALTERNATIVAS  (Quem diz ter apenas uma ALTERNATIVA, não tem alternativa) 3. Avaliação das ALTERNATIVAS 4. Decisão:  Escolha da melhor ALTERNATIVA

8 Grandes Invenções RODA  Sociedade de Sobrevivência (troca de mercadorias)  Poder: Monopólio de Mercadorias MÁQUINA À VAPOR  Sociedade de Consumo (produção de bens e serviços)  Poder: Monopólio da Produção COMPUTADOR  Sociedade de Informação (globalização)  Poder: Monopólio da Informação

9 Dados – Informação – Conhecimento - Decisão  Cadeia de Valor da Informação Dados Estilo de vida Pontos de venda Demografia Geografia Informa ção X vive em C S tem N anos Y usa banco B S gosta de V Conheci mento Produto A é adquirido X% junto com o produto B. Conjunto Y muito usado na região C. Clientes segmento Y usarão X% de C. Decisão Vamos promover X na região Y. Envie catálogos para residências D. Ofereça mais serviços para cliente A.

10 Transformação de dados em informação (Davenport & Prusak)  Contextualização: extração de significado, dentro de um contexto  Categorização: identificação dos componentes essenciais dos dados  Cálculo: tratamento estatístico dos dados  Correção: eliminação de dados com erros  Condensação: apresentação dos dados de forma concisa, resumida, sintética

11 Requisitos da Informação (Blowersox & Closs, 1996)  Disponibilidade: informação deve estar disponível para ser acessada e atualizada, sempre que necessário, preferencialmente de qualquer lugar.  Integridade: deve-se garantir que o acesso e a atualização da informação não comprometa sua integridade. Ex.: dois usuários acessando/alterando simultaneamente a mesma informação.  Precisão: informação deve refletir a situação real. Ex.: a quantidade exata de um item no estoque ou a situação na qual de fato encontra-se o processamento de um pedido.

12 Requisitos da Informação  Rapidez na Atualização: menor diferença entre o momento que um fato ocorre e quando a informação acerca do mesmo encontra-se disponível Ex.: tempo decorrido entre o instante que um cliente faz um pedido e quando atualiza-se o banco de dados com tal fato.  Formato Apropriado: informação deve ser apresentada no formato adequado às necessidades do usuário.

13 Requisitos da Informação  Flexibilidade: informação deve ser disponibilizada de maneira flexível, de modo a satisfazer às necessidades dos usuários. Ex.: pedidos podem ser agregados por região, por tipos de produtos, por tipos de clientes, etc. Também, podem ser analíticas (informações detalhadas) ou sintéticas (apresenta-se apenas resumos, totalizações)  Excepcionalidade: em termos gerenciais, deve-se priorizar informações que possibilitem a análise de situações de exceção, as quais requerem atenção especial, possivelmente com a necessidade de tomada de decisão.

14 Distorções no Processo de Tomada de Decisão (Porto, R.L.L., 1997)  Disponibilidade: superestima-se o valor das informações disponíveis, ignorando-se a importância das informações não facilmente obtidas.  Ancoragem: apóia-se num valor para fundamentar a decisão, desprezando-se outros parâmetros possivelmente mais significativos.  Preconceito: utiliza-se informações que confirmam crenças ou conceitos pré-estabelecidos, desprezando-se aquelas que contrapõem certos pontos de vista.  Percepção Seletiva: decisor procura por informações ouinterpretações que confirmam seu ponto de vista.

15 Distorções no Processo de Tomada de Decisão (Porto, R.L.L., 1997)  Ausência de Informação: decisões são tomadas com base numa quantidade pequena e insuficiente de informações.  Excesso de Informação: pode confundir ou então fazer com que o decisor tenha exagerada confiança, dando pouca atenção à qualidade e consistência da informação disponível.  Redundância de Informação: pode confundir o decisor, levando-o a acreditar que certos eventos tem probabilidade de ocorrência maior do que realmente tem.

16 Conhecimento “Mistura fluida de experiência condensada, valores, informação contextual e insight experimentado, a qual proporciona uma estrutura para a avaliação e incorporação de novas experiências e informações” (Davenport & Prusak)  Tem Conhecimento aquele que:  observa, escuta, pergunta  tem dúvida, tem curiosidade  sabe o que vale a pena  sabe o que de fato é importante  sabe o que na prática funciona (ou não funciona)  sabe o que esperar de uma dada situação  sabe qual o momento de acelerar e o de frear

17 Conhecimento “É o único recurso ilimitado, é o ativo que aumenta com o uso” (P. Romer - Stanford University) “Única vantagem sustentável que uma empresa tem é:  aquilo que coletivamente ela sabe;  a eficiência com que ela usa o que sabe;  a prontidão com que ela adquire novos conhecimentos.” (Davenport & Prusak)

18 Capital ambiental  Características sócio-econômicas das regiões de atuação da organização  Aspectos legais, valores éticos e culturais  Aspectos governamentais, institucionais, estabilidade política  Aspectos financeiros: nível de taxa de juros, mecanismos de financiamentos Importante: “Inteligência Competitiva: processo sistemático e ético de coleta de informações das atividades desenvolvidas pelos concorrentes e das tendências gerais dos ambientes de negócio”

19 Capital Intelectual  Capacidade, habilidade, competência, experiência, conhecimento formal dos integrantes da organização  Representa o valor dos funcionários, colaboradores, isto é, representa o que eles podem agregar de valor á organização  Importante: definir as competências essenciais

20 Capital de Relacionamento  Rede de relacionamentos com os funcionários, clientes, fornecedores, parceiros, etc.  “... os clientes são os mais valiosos; eles pagam as contas” (Stewart, 1998)  Estabelecimento de alianças estratégicas

21 Capital Estrutural  Conjunto de sistemas administrativos, conceitos, modelos, rotinas, fluxos de trabalho, marcas, patentes, sistemas de Informática  Cultura da organização  “tudo aquilo que fica na organização quando as pessoas deixam o escritório e vão para a casa” (Edvinsson, 1998)

22 Sistemas de Informações: anos 70  Enfoque: OPERACIONAL (“mecanizar” operações manuais)  Objetivo: EFICIÊNCIA (fazer certo as coisas !!!)  Gerência: MONOPÓLIO DO CPD  Sistemas: PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES  Tecnologia: “mainframe”

23 Sistemas de Informação: anos 80  Enfoque: PERSONALIZADO (disseminação de micros, PCs)  Objetivo: EFICÁCIA (fazer as coisas certas !!!)  Gerência: “DEMOGRACIA” (“Microlância”)  Sistemas: INFORMAÇÃO PESSOAL / SETORIAL  Tecnologia: MICRO

24 Sistemas de Informação: Anos 90  Enfoque: ESTRATÉGICO (empresa expandida: Espaço, Tempo)  Objetivo: COMPETITIVIDADE (sobreviver na globalização !!!)  Gerência: MONOPÓLIO REGULADO (liderança dividida entre os Usuários e os Informáticos)  Sistemas: INFORMAÇÃO GERENCIAL  Tecnologia: TELEMÁTICA, REDES

25 Sistemas de Informação  Sistemas de Processamento de Transações “Eletronic Data Processing”  Foco: armazenamento, processamento de dados  Sistemas de Informação Gerencial “Management Information Systems”  Foco: Fluxo de Informação, Banco de Dados, Processo de Tomada de Decisão  Sistemas de Apoio à Decisão “Decision Support Systems”  Foco: Utilização de Modelos que Auxiliam a Tomada de Decisões, Integração: Banco de Dados & Banco de Modelos

26 Sistemas de Processamento de Transação Finalidade: Processamento de Transação  Processamento: Desenvolvimento de Aplicativos por Área  Exemplos.: Folha de Pagamento, Contabilidade, etc.  Arquivos: Específicos por Área  Relatórios: Estruturados, Analíticos (detalhados)  Nível de Utilização: Operacional, Grandes volumes de transação, Alto Custo (software e hardware)  Foco: Eficiência  Ambiente: Estável (não exigindo freqüentes alterações nos arquivos e relatórios)

27 Sistema de Processamento de Transações  Ciclo de vida: anos  Sistema Inicial: Protótipo, a ser testado em paralelo ou num setor (PILOTO)  Responsável pelos Aplicativos: Analista de sistemas  Exemplos de Aplicativos:  Folha de Pagamento  Contabilidade Financeira  Controle de Estoque  Controle das Chamadas de Bombeiros

28 Sistema de Informação Gerencial  Finalidade:  Tomada de Decisão  Planejamento da Utilização dos Recursos da Empresa  Conhecimento da capacidade competitiva e de novas oportunidades (áreas com potencial de desenvolvimento)  Processamento: Baseado em Banco de Dados  Arquivos: Corporativos, Integrados  Relatórios: Personalizados, Sintéticos (resumidos), flexíveis  Utiliza a própria estrutura do “Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados”

29 Sistema de Informações Gerenciais Ciclo de Vida: meses ✸ Integração dos Níveis de Decisão: ✔ Operacional ✔ Tático ✔ Estratégico “Sistema deve possibilitar a coordenação dos vários níveis de gerência, que estejam lidando com partes afins dentro do processo decisório”

30 Sistema de Informações Gerenciais  Nível de Utilização:  Consultas específicas, visando a tomada de decisões (informação certa, na hora certa)  Foco: Eficácia  Ambiente: Instável Exigindo freqüentes alterações nos arquivos e relatórios  Metodologia de Desenvolvimento: Sistema vai sendo testado na medida do seu desenvolvimento (Não há prototipagem)

31 Sistema de Informação Gerencial Bando de Dados Processamento Informações para Decisões Operacionais Informações para Decisões Táticas Informações para Decisões Estratégicos

32

33 Sistema de Apoio à Decisão Objetivo:  Auxiliar o Processo de Tomada de Decisão, com a utilização de Modelos  Identificação e avaliação de alternativas competitivas, isto é, áreas com potencial de desenvolvimento  Ênfase:  Flexibilidade  Adaptabilidade  Rapidez  Interface: amigável ao usuário (facilidade de processamento gráfico)  Intensiva Utilização de Redes:  Intranet  Internet, etc.

34 Sistema de Apoio a Decisão Bando de Dados Processamento Informações para Decisões Operacionais Informações para Decisões Táticas Informações para Decisões Estratégicos Base de Dados de Modelos

35 Sistema de Apoio à Decisão  Acesso a Diferentes Banco de Dados:  Corporativo  Institucionais  Nacionais  Internacionais  Ambiente:  Envolve rápida mudança nas condições de Tomada de Decisão  Envolve alterações freqüentes (muito instável)  Envolve constantes modificações nos cenários  Impossibilita definir à priori as necessidades de informação para a Tomada de Decisão

36 Sistemas de Apoio à Decisão  Tecnologia de Informação ( T.I. ):  Computação  Telecomunicação  Sistemas Especialistas  Banco de Modelos:  Modelos Estatísticos  Modelos de Planejamento da Produção  Modelos de Engenharia Econômica  Modelos de Planejamento Financeiro  Modelos de Pesquisa Operacional  Programação Matemática  Scheduling  Simulação de Sistemas

37 Sistemas de Apoio à Decisão  Metodologia de Desenvolvimento:  Iteração: Sistema concebido de modo a permitir mudanças rápidas e fáceis  Engenharia Simultânea: Sistema vai sendo desenvolvido e utilizado ao mesmo tempo, combinando as diferentes etapas: análise Projeto Implementação Implantação manutenção

38 Sistema de Apoio à Decisão  Sistema Evolutivo:  Curto Prazo:  Sistema busca informações dentro de um domínio restrito (na própria empresa, por exemplo)  Médio Prazo: Sistema “aprende”, ampliando sua influência  Longo Prazo:  Sistema evolui, de modo a utilizar as bases de dados e os bancos de modelos de maneira a auxiliar o Processo de Tomada de Decisão  Exemplos:  Análise de Alocação de Recursos Humanos  Análise Econômico-Financeira de Empreendimentos  Análise de Mercado

39 Sistema de Apoio a Decisão Devem servir todas as fases do Processo Decisório: ✔ Inteligência: Procura pistas para identificação de problemas e/ou oportunidades (radar) ✔ Elaboração de Alternativas: Geração e análise de possíveis cursos de ação ✔ Seleção: Escolha da melhor alternativa ✔ Ação: Implementação da alternativa selecionada

40 Exemplos  Folha de Pagamento  Gestão de Pessoal  Análise da Alocação de Recursos Humanos  Contabilidade Financeira  Fluxo de Caixa  Análise Econômico-Financeira de Empreendimentos  Controle de Estoque  Planejamento da Produção  Análise de Mercado

41 Evolução da Tecnologia da Informação

42 Evolução dos Recursos Computacionais 1975 : modelo precursor do PC da IBM (IBM 5.100) ❏ 1976 : PC sucesso de venda (APPLE 2, MACINTOSH) ❏ 1979: Processador 8088, com 29 mil circuitos e 4,7 MHz ❏ 1981 : IBM-PC com Sistema Operacional MS-DOS " desenvolvimento conjunto IBM e Microsoft, uitlizando o Chip 8088 ❏ 1981: Rede universitária BITNET (4.000 foruns) ❏ 1984 : Sistema Operacional utilizando ícone (APPLE) ❏ 1984 : IBM-PC AT " Chip 80286: 134 mil transistores; 6 MHz; 1 MHz ❏ 1989 : Intel lança o Chip com 1,2 milhão de transistores e 20 MHz ❏ 198* : Evolução dos Micros: Tolerância a Falhas “Downsizing”

43 Evolução dos Recursos Computacionais ❏ 1991 : “WINDOWS 3.1” (MicroSoft) ❏ 1993 : Pentium com 3,1 milhões de transistores e 100 MHz ❏ 1995 : “WINDOWS 95” (MicroSoft) ❏ 1997 : Pentium II com 7,5 milhões de transistores e 400 MHz ❏ 1999 : Pentium III com 9,5 milhões de transistores e MHz ❏ 2001 : Pentium IV, 1.6 GHz ❏ 2002 : Pentium IV 3.06 GHZ e 5,5 milhões de circuitos

44 Recursos Computacionais Atuais SISTEMAS OPERACIONAIS ✔ Interface entre o Hardware e os Aplicativos ✔ Multi-tarefa: SO controla vários aplicativos simultaneamente ✔ Preemptivo: SO controla o tempo de CPU a ser alocado para cada tarefa ✔ Multi-usuário: SO controla vários usuários simulataneamente ❏ MAINFRAME ✔ Multi-processadores ✔ Disco na faixa de Tera-bytes (trilhões de bytes) ✔ Milhares de usuários simultaneamente ✔ Multi-dispositivos de segurança (Tolerância à Falha) ✔ Problema: alto custo (hardware, software, ambientes controlados, manutenção, pessoal)

45 Recursos Computacionais Atuais ESTAÇÃO DE TRABALHO (“WorkStation”) ✔ Processadores RISC - Reduced Instruction Set Computing ✔ Problemas: dificuldade de aplicativos, portabilidade, pessoal de suporte ! MICROS (PC - “Personal Computer” ) ✔ Disco na faixa de Giga-bytes (bilhões de bytes) ✔ Problema: segurança (reduzida Tolerância à Falha) ! HANDHELD (computadores de mão )

46 Tecnologias da Informação Atuais  CRM - Custumer Relationship Managent  ERP - Enterprise Resouce Planning  e-procurement  e-supply  SCM - Supply Chain Management  B2E - Business to Employee  ASP - Application Service Provider  KM - Knowledge Management  DW - Data Warehouse  EDI - Electronic Data Interchange  APS - Advanced Planning Systems  MRP - Material Requirements Planning  ECM – Enterprise Content management  BSP - Business Service Provider  ISP - Internet Service Provider  ERM - Employee Relationship Managent  PDA - Personal Digital Assistant  Handheld Computing  EIS - Executive Information System  EAI - Enterprise Application Integration  e-process  BI - Business Intelligence

47 Tecnologias da Informação Atuais  WWW - World Wide Web (Internet / Extranet / Intranet)  e-Market Place (Mercado Eletrônico)  e-business B2B - Business to Business  B2C - Business to Consumer (linguagens utilizadas na Web, especialmente no e-commerce)  SGML - Standard Generalised Mark-up Language  HTML - Hyper Text Mark-up Language  XML - eXtensible Mark-up Language  Data Mining - mineração, garimpagem de dados  WCM - Web Content Management  APS - Advanced Planning Systems  Data Mining - mineração, garimpagem de dados  WCM - Web Content Management  B2E - Business to Extended Enterprise  Wi Fi – Wireless Fidelitty (Padrão b)  WAP - Wireless Acess Protocol EBPP - Electronic Bill Presentment Payment (e- billing) gerenciamento da apresentação e pagamento de contas eletrônicas

48 Futuro??? Solução do problema SEGURANÇA na WWW ❏ Difusão de alta velocidade de acesso à WWW ❏ Popularização da integração de equipamentos: Computador + TV + Vídeo + Telefone + Fax + DVD + etc... ❏ Difusão do reconhecimento da voz, iris e impressão digital ❏ Utilização dos 5 sentidos: sintetizadores de aroma e sabores ❏ Difusão do e-Commerce, e-Business, e-Manufacturing, e-Learning ❏ Difusão da Interação: Governo-Cidadão (e-Government, e-Taxation) ❏ Difusão do Ensino a Distância (e-Learnig, e-Teaching) ❏ Solução da interação homem-computador (substituição do atual esquema mouse / teclado) ❏ Computadores Quânticos (átomos), com mídias óptico-magnéticas

49 Grandezas Digitais (Zuffo, 2003)  1 byte : conjunto de 8 bits (bit: unidade binária de informação digital)  1 quilobyte = 1 KB : mil bytes (arquiva um artigo de jornal)  1 megabyte = 1MB : 1 milhão de bytes (arquiva um livro de 150 pág.)  1 gigabyte = 1GB : 1 bilhão de bytes  1 terabyte = 1TB : 1 trilhão de bytes (arquiva material impresso feito com 30 mil árvores, equivalente a 500 DVDs de 1h30)  1 petabyte = 1PB : 1 quatrilhão de bytes (armazena 1/8 de todo material da Internet)  1 zetabyte = 1ZB : 1 sextrilhão de bytes (armazena 1/5 de todas as palavras pronunciadas em toda a história do homem)  Computador mais rápido: NEC Earth Simulator (5.120 processadores, 36 Pflops – 36 quatrilhões de operações de ponto flutuante por segundo)

50 Uso Estratégico da TI  Melhorar o que está sendo feito  Alterar a forma da atual solução  Solucionar novo problema  Possibilitar nova oportunidade  Conseqüências:  Redução de custos, de tempo de resposta  Introdução de melhorias de qualidade  Alteração nas entradas e saídas  Adição de T.I. ao próprio produto/serviço  Criação de associações estratégicas mais fortes  clientes mais dependentes  fornecedores mais dedicados

51 Princípio da Motivação Estratégica " PRINCÍPIO DA OPORTUNIDADE A ocasião prevista para aquisição da T.I. é adequada para a consecução dos objetivos estabelecidos no Plano Estratégico? PRINCÍPIO DA FUNCIONALIDADE O modo de funcionamento da T.I. é adequado ao Plano Estratégico?

52 Princípio da Motivação Estratégica QUESTÕES BÁSICAS: ✸ O que está acontecendo ? ✸ Como o negócio está sendo afetado ? ✸ O que deve ser feito ? Entender a realidade para nela se adaptar e, sempre que possível, aproveitar as oportunidades PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

53 Planejamento Estratégico “Não podemos tomar banho duas vezes num mesmo rio” Heráclito QUESTÕES BÁSICAS: ✸ O que está acontecendo ? ✸ Como meu negócio está sendo afetado ? ✸ O que deve ser feito ? O QUE É NECESSÁRIO PARA RESPONDER ESSAS QUESTÕES ? INFORMAÇÃO !!!

54 Os sistemas de informações gerenciais

55 Desafios da Major League Baseball Gestão T.I. – ALFA Vivian Borim Pessoas Organização Tecnologia Sistemas de Informação Solução organizacional Problemas Organizacionais -Formular a estratégia empresarial -Monitorar a venda de ingressos -Expandir os canais de venda -Formar comunidade on-line de torcedores -Emissor de ingressos por celular -Vender Ingressos eletronicamente -Identificar boas oportunidades de vendas -Fornecer informações on-line para torcedores -Oferecer jogos on-line -Queda na receita dos canais de venda tradicionais -Queda na base de clientes -Aumento dos custos - Aumentar as vendas

56  Transformação do ambiente de negócio  2005: contas de celulares ultrapassa telefone fixo;  2005: mais de 40 milhões de empresas com registro de domínio;  2005: a Fedex transportou aproximadamente 100 milhões de encomendas, e a United Parcel Service (UPS) mais de 380 milhões;  Mais de 35 milhões de pessoas recebem notícias on-line.  32 milhões de norte-americanos lêem blogs, e mais de 8 milhões os escrevem;  As receitas de publicidade on-line do Google ultrapassam os 6 bilhões de dólares em 2005;  Publicidade na web cresce 30 por cento ao ano, rendendo mais de 11 bilhões de dólares em O papel dos sistemas de informação no ambiente de negócios conteporânea

57 Objetivos organizacionais dos sistemas de informação  Excelência Operacional;  Novos produtos, serviços e modelos de negócio;  Relacionamento mais estreito com clientes e fornecedores;  Vantagem competitiva;  Sobrevivência; No site da Dell Computer, os clientes podem selecionar as opções desejadas e encomendar seu computador customizado. O sistema de montagem sob medida da empresa é importante fonte de vantagem competitiva.

58 Perspectivas em Sistemas de Informação e tecnologia da informação  Tecnologia da Informação: Todo software e hardware que uma empresa precisa para atingir seus objetivos organizacionais;  Sistemas de Informação: Conjunto de componentes interligados que coletam, processam, armazenam e distribuem informações destinadas a apoiar a tomada de decisão, a coordenação e o controle.

59 O papel das pessoas e das organizações  Dimensões dos sistemas de informação Gestão T.I. – ALFA Vivian Borim Uma empresa é tão boa quanto as pessoas que formam Estrutura composta por diferentes níveis e especializações Ferramentas: Hardware e Software

60 Dimensão dos Problemas Organizacionais DimensãoDescrição Dimensões organizacionais Processos organizacionais ultrapassados Atitudes e cultura pouco colaborativas Conflitos internos Ambiente organizacional turbulento ou em mutação Complexidade da tarefa Recursos inadequados Dimensão Tecnológicas Hardware antigo ou insuficiente Software ultrapassado Administração de dados inadequada Capacidade de telecomunicações insuficientes Incompatibilidade de sistemas legados Mudança tecnológica acelerada Dimensão humanas Falta de treinamento de funcionários Dificuldades para avaliar o desempenhado Ambiente de Trabalho Falta de participação dos funcionários Administração indecisa e deficiente

61 Emergência da economia global  Gestão e controle em um mercado global  Competição em mercados mundiais  Grupos de trabalho globais  Sistemas de entrega globais

62 E-business: como as empresas usam os sistemas de informação

63 Quatro grandes mudanças de âmbito mundial que alteraram o ambiente empresarial : 1. A emergência da economia global 2. A transformação das economias insdustriais 3. A transformação da empresa 4. A emergência da empresa digital

64 A experiência da Kia Motors Pessoas Organização Tecnologia Sistemas de Informação Solução organizacional Problemas Organizacionais -Monitorar queixas de clientes -Desenvolver soluções de melhoria da qualidade -Monitorar defeitos -Implantar os software da Infogain -Fazer interface com o sistema do CRM -Identificar defeitos e problemas de qualidade -Alta incidência de defeitos; -Novas exigências governamentais de prestação de informações; -Reduzir custos -Aumentar as vendas

65 Componentes de uma empresa  Empresa: organização formal cujo objetivo é produzir produtos ou prestar serviços a fim de gerar lucro;

66 Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Manufatura e Produção Vendas e Marketing Finanças e Contabilidade Recursos Humanas

67 Função de Sistemas de Informação na empresa  Aplicativos Integrados Sistemas de Apoio ao Executivo Sistemas de Apoio à Decisão Sistemas de Processamento de Transações Sistemas de Gerenciamento

68 O ambiente de negócios Gerência SêniorGerência Média Gerência Operacional

69 Rumo a Empresa Digital

70 Fique Ligado na TI  Finanças e Contabilidade  A tecnologia de Web sem fio tem sido a fonte de novos serviços financeiros. Investidores individuais podem usar seus telefones móveis para obter cotações de ações, negociar ações e notícias do financeiro.  Possibilita também uma velocidade maior no fluxo dos fundos, por prover recursos para cobrar e emitir faturas instantaneamente.

71 Fique Ligado na TI  Recursos Humanos  A tecnologia de Internet criou novas ferramentas eficientes e efetivas para comunicação e coordenação de funcionários. Gerentes podem utilizar , bate-papo e mensagem instantânea para se comunicar com funcionários que estão em localidades diferentes. Empresas podem usar intranet para publicar boletins de funcionários, manuais de política, diretórios e outros documentos de recursos humanos.

72 Fique Ligado na TI  Fabricação e Produção  Extranets são especialmente úteis para comércio colaborativo e gerenciamento da cadeia de suprimentos e são a plataforma primária para redes setoriais privadas. Muitas vezes são utilizadas para fornecer dados de disponibilidade de produto e preço e dados de expedição, para permutar ordens de compra e faturas e para executar atividades de desenvolvimento de produto em conjunto com outras empresas.

73 Fique Ligado na TI  Vendas e Marketing  A web é um meio especialmente poderoso para vendas e marketing porque provê capacidades para personalização e interação com clientes que não podem ser encontrados em outros canais.

74 Síntese de Administração  Administração  Planejar a infra-estrutura de TI da empresa é uma responsabilidade –chave da administração. Gerentes precisam considerar como a infra-estrutura de suporta as metas empresariais da organização.

75 Síntese de Administração  Organização  A nova infra-estrutura de tecnologia de informação pode aprimorar o desempenho organizacional, fazendo com que a informação flua mais suavemente entre diferentes partes da organização e seus clientes, fornecedores e outros parceiros de valor.

76 Síntese da Administração  Tecnologia  A tecnologia da Internet está provendo a conectividade para a nova infra-estrutura de tecnologia de informação e para a empresa digital utilizando o modelo de referência TCP/IP e outros padrões para extrair, formatar e exibir informações.

77 Para discutir  Uma estrutura de TI totalmente integrada é essencial para o sucesso da empresa. Você concorda? Justifique sua resposta.

78 A Internet e a Nova-Estrutura da Tecnologia da Informação  O que é a nova infra-estrutura de tecnologia de informação (IT) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura?  Como a Internet funciona? Quais são seus principais recursos?  Como as organizações podem se beneficiar da Internet?

79 Redes Empresariais e Redes Integradas Redes empresariais  Organização dos recursos de hardware, software, redes e dados da empresa  Cria uma rede de âmbito empresarial que conecta muitas redes menores Redes integradas (internetworking)  Conecta redes separadas em uma rede interconectada

80 Gestão T.I. – ALFA Vivian Borim

81 Intranet  É um sistema de informação implementado em uma rede local, que utiliza a mesma tecnologia disponível para a Internet (FTP, , WWW, etc);  Disponibilização e a visualização de documentos multimídia;  Servidor exclusivo;  Acesso controlado por senhas;

82 Intranet  Infra-estrutura geralmente é uma rede de microcomputadores interna na empresa, interligados entre si por algum padrão de redes;  “Internet particular”.

83 Extranet  Quando a intranet extrapola os limites geográficos da organização, e se estende a distâncias maiores (interligando filiais geograficamente distantes), ela passa a ser denominada de extranet;  Algumas intranets e extranets operam apoiadas na própria Internet.

84 Extranet  É um processo inverso da Intranet: garante a comunicação entre a empresa e o público externo, como revendedores, distribuidores, acionistas, franquias, fornecedores e terceirizados;  Oferece acesso restrito

85 Extranet - Benefícios  Acompanhamento de processos, produtos e projetos elaborados;  Processamento de encomendas;  Acesso ás promoções;  Colaboração com sugestões e críticas;  Interação com todos os departamentos da empresa;  Aplicações business-to-business. Fonte:

86 Tecnologia de Internet e a empresa digital  Infra-estrutura de tecnologia da informação: Provê um conjunto de tecnologias universal e fácil de usar e padrões tecnológicos que podem ser adotados por todas as organizações  Comunicação direta entre parceiros de negócios: Desintermediação remove camadas intermediárias e tornando os processos mais eficientes

87 Tecnologia de Internet e a empresa digital  Serviço contínuo: Sites Web disponíveis aos consumidores 24 horas por dia  Canais de distribuição expandidos: Lojas criadas para atrair clientes que caso contrário não escolheriam a empresa  Custos de transação reduzidos: Custos menores para buscar compradores, vendedores etc.

88 Como a Internet Reduz Custos de Transação TransaçãoTradicional (em dólares) Internet (em dólares) Verificar Saldo de Conta Bancária1,080,13 Responder a uma pergunta do Cliente10 a 200,10 a 0,20 Negociar Cem Ações1009,95 Atualizar o registro de um funcionário1282,32 Processar um Pedido150,80 Enviar o folder de Propaganda0,75-10,000-0,25 Pagar uma conta2,22-3,320,65-1,10

89 “ Quem controla a interface com o cliente é quem ganha o jogo”, diz Gabriel Britan, vice-reitor da Sloan School of Management do MIT. “A Dell é isso.” A fabricante de micros vende diariamente 18 milhões de dolares pela Internet, o que beira os 30% do faturamento. Os clientes mais habituais têm a disposição uma página na WEB personalizada, chamada Premier Page, em que é possivel configurar os micros, fazer a encomenda e acompanhar a entrega. “Na nossa indústria, normalmente uma fábrica produz unidades por dia, dia sim, dia não”, disse Micheal Dell, fundador da Dell, à Harvard Bussiness Review. “Primeiro, as máquinas são empilhadas num armazém; depois no canal de vendas. De repente, no final da cadeia, você grita: ‘Agora chega, já temos muito disso aqui’. E a ordem de parada flui de volta até chegar a cada fornecedor;’ Na Dell, não há desperdício. Cada micro só começa a ser montado depois que o cliente faz a encomenda. Fonte: Revista Exame. Uma Visão da Dell

90  Uma empresa de mais de 20 bilhões, com venda diária de mais de 18 milhões de dolares em seu site  O movimento era de 1 milhão/dia em 1997;  O site da DellDell Uma Visão da Dell

91 O CASO DELL  Vendeu $ 15M/dia em 1999 na Internet;  Fundada em 1984 para venda direta e customizada  TELEMARKETING  Receita Líquida em 1998 cresceu para $ 18.2B: 48% maior que 1997, 4X maior que a média da indústria. ROI de 186% e as ações valorizaram 1000% em 2.5 anos;  É a maior do mundo que atua em 170 países  Em Julho de 1996 lançou-se na Internet. Vendas atuais na Internet = 27% vendas totais (Estimativa de chegar a 50%)  Vende todos os ítens produzidos pela internet, fax, telefone, carta ou call- center. Suporte e serviço são agendados pela internet.

92 Vantagens Competitivas  Aplicações avançadas e criativas da WEB  Preço competitivo devido à mass customization  Suprimentos eficiente para os componentes  Sistemas de manufatura flexíveis  Não houve necessidade de mudar radicalmente sua estratégia já baseada em venda direta  Database Marketing e relacionamento com o Cliente  Relação 1 a 1, com o uso de Data Warehouse e Data Mining  Alcance global e serviços de valor adicionado pela Internet  Mais de fornecedores em todo o mundo que fornecem os serviços e produtos necessários. Os clientes trabalham para a DELL preenchendo formulários de serviços.

93 Vantagens Competitivas  Alta confiabilidade de produtos e serviços  Suporte na entrega  DELL entrega 2-3 dias encomendas simples; 5 dias encomendas de complexidade média e 7-10 dias encomendas complexas. Caso a encomenda seja muito complexa ou algo tenha ocorrido, o comprador sabe o tempo necessário para a entrega.

94 Uma Visão da Dell

95 Sistemas de Informação e a Produção

96 Propõe responder a seguintes questões acerca da Produção de cada Produto (bens e serviços): Como produzir ? Quando produzir ? Quanto produzir ? Onde produzir ?

97 CIM (Manufatura Integrada por Computador) Sistemas Flexíveis de Manufatura PCP (MRP - Material Requirements Planning, JIT - Just-In-Time) Sistemas de Automação de Processos: ✏ aumentar a produtividade ✏ garantir a qualidade (confiabilidade, precisão...) ✏ reduzir os custos Sistemas Inteligentes de Produção: ✏ incorporam regras de operação da produção ✏ evitam o retrabalho

98 QUAIS AS FUNCIONALIDADES DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO NA ÁREA DE PRODUÇÃO? Ou seja:  Qual a função das informações disponibilizadas por um Sistema de Informação de Produção?... ou ainda:  Para que deve servir as SAÍDAS (telas, relatórios, etc.) geradas por um Sistema de Informação de Produção?

99 Funcionalidades 1. Gerenciar o Processo de Produção (Como Produzir ?) ✔ Otimizar os Processos Produtivos ✔ Analisar as atividades de produção históricas e atuais ✔ Analisar a necessidade de atualização tecnológica do Processo de Produção ✔ Analisar a Efetividade, Eficácia e Eficiência dos Processos Produtivos: ✏ Efetividade de um Processo Produtivo: medida pela contribuição na consecusão dos objetivos da Empresa, de maneira duradoura (perene); ✏ Eficácia: medida pela capacidade de cada atividade do Processo Produtivo atingir os resultados esperados; ✏ Eficiência: medida da utilização dos recursos para a execução das atividades do Processo Produtivo

100 Funcionalidades 2. Gerenciar a Produção (O que Produzir ? Quanto Produzir?) ✔ Gerenciar a carteira de pedidos ✔ Analisar a Produtividade ✔ Gerenciar a Qualidade do produto ✔ Gerenciar os Recursos Humanos (disponibilidade, habilidade, necessidade de treinamento, etc.) ✔ Analisar o custo de produção ✔ Analisar a suscetibilidade (sensibilidade a possíveis alterações nos fatores de produção e nas previsões da demanda)

101 Funcionalidades 2. Gerenciar a Produção (O que Produzir ? Quanto Produzir?) ✔ Gerenciar a carteira de pedidos ✔ Analisar a Produtividade ✔ Gerenciar a Qualidade do produto ✔ Gerenciar os Recursos Humanos (disponibilidade, habilidade, necessidade de treinamento, etc.) ✔ Analisar o custo de produção ✔ Analisar a suscetibilidade (sensibilidade a possíveis alterações nos fatores de produção e nas previsões da demanda)

102 O universo da automação logística

103 Modelo de Estrutura Logística Responsável pela Logística (Diretor ou Gerente) Distribuição FísicaTecnologia da Informação PlanejamentoOperaçãoAquisiçãoServiço ao Cliente Atendimento aos Clientes Gerência de Projetos Auditoria da Qualidade Estratégias Logísticas Integração Funcional Diretrizes Liderança e gestão de conflitos - Transportes - Roteirização - Fretes -Suporte -VMI -WMS -ECR -RF -PCM -PCP -Previsão - Recebimento - Movimentação -Armazenagem -Expedição -Inventário -Desenvolvimento de Fornecedor -Compras -Negociação - Assistência Técnica de Campo - Call Center -Pedidos -Faturamento -Reclamações

104 A evolução da logística e da tecnologia da informação  Definição da logística ao longo do tempo:  Primeira Fase: baseadas na visão tradicional da organização orientada para a produção;  Segunda Fase: A logística era considerada como a integração de duas ou mais atividades com o propósito de planejamento, implementação e controle eficiente do fluxo de matérias-primas, estoque em processo e produtos acabados do ponto de origem ao ponto de destino;  Hoje, o processo eficaz de planejamento, implementação e controle integrado do fluxo de materiais, informações e dinheiro, do ponto de origem ao ponto de destino, com o propósito de atender as crescente exigências de qualidade impostas pelos clientes.

105 A evolução da logística e da tecnologia da informação  Logística Integrada  Gerenciamento de 3 fluxos de recursos: Materiais, Informações e Dinheiro;  Integração de um mesmo processo, funções diversas como: Suprimentos, Processamento de Pedidos, Produção e Controle de Estoques, Distribuição Física/Transporte.  Integração em 1980 e 1990, com a implementação dos Sistemas Corporativos de Gestão Integrada (ERP – “Enterprise Resource Planning”).

106 O universo da automação aplicada à logística  Automação do Fluxo de Materiais  Engloba todo o fluxo de materiais desde os fornecedores de matérias-primas básicas, passando pelos diversos processos de manufaturas e serviços, até a entrega do produto acabado e serviço ao consumidor final.

107 O universo da automação aplicada à logística  Automação do Fluxo de Materiais  Processamento: Atividades que agregam valor ao um produto num ambiente de manufatura. Sistemas Flexíveis de Manufatura (FMS): a peça bruta entra no sistema, sofre diversos manuseios, operações, transferências de equipamentos, até sair com o produto acabado; Centros de Usinagem: Trocas automáticas de ferramentas seguindo uma programação; Sistemas de pintura automatizada: robôs e transportadores contínuos.

108 O universo da automação aplicada à logística  Automação do Fluxo de Materiais  Movimentação: movimentação entre equipamentos, postos de trabalho ou entre áreas relativamente próximas. AGV(Veículos Automaticamente Guiados); Empilhadeira automaticamente guiada; Monovias eletrificadas;

109 O universo da automação aplicada à logística  Automação do Fluxo de Materiais  Estocagem Transelevadores: cargas paletizadas são automaticamente elevadas e estocadas; Miniloads: contetoras são estocados e separados rapidamente através deste sistema automatizada para estocagem;

110 O universo da automação aplicada à logística  Automação do Fluxo de Materiais  Manuseio e embalagem: Robôs: Manipulação de itens através de braços articulados que promovem uma grande flexibilidade dos movimentos. Sistemas de Paletização Automáticos; Sistemas automáticos para envolvimento de cargas;  Transporte Transportadores Contínuos

111 O universo da automação aplicada à logística  Automação do fluxo de informações  Qualidade e velocidade de informações, suficientes para atender as necessidades e expectativas do consumidor final (prazo, quantidade, etc.) com uma boa produtividade dos recursos de toda Cadeia de Abastecimento (tempo, espaço, pessoas, estoque, etc.) ColaboradoresParceiros Clientes Acionistas Conce- pção Planeja mento Execu- ção Contro le

112 O universo da automação aplicada à logística  Soluções de T.I. aplicadas à Logística  Planejamento Previsão de Demanda (Forecast) CRM: Gerenciamento de Clientes SRM: Gerenciamento de Fornecedores ERP: Planejamento de Recursos Empresariais MRP: Planejamento de Recursos Materiais APS: Limites e Restrições, otimizar programação da produção.

113 O universo da automação aplicada à logística  Soluções de T.I. aplicadas à Logística  Execução WMS: Sistema de Gerenciamento de Armazém TMS: Sistema de Gerenciamento de Transportes MES: Sistema Execução da Manufatura.  Comunicação Terminais fixos e portáteis; EDI – Eletronic Data Interchange Códigos de Barra Leitores a laser Radiofrequencia RFID

114 O universo da automação aplicada à logística  Soluções de T.I. aplicadas à Logística  Controle EIS: Executive Information System - Visualização de indicadores estratégicos DSS: Sistema de Suporte a Decisão  Concepção Concepção de recursos logísticos: desenho de equipamentos e layout, análise de indicadores de desempenho, posicionamento de áreas. Embalagens Simuladores de malha logística Análise de Risco

115 Sistemas de Informação Logística

116  Alternativas: ✔ baseados em papel:  ✸ pedidos de clientes (customer order)  ✸ pedidos de reabastecimento (replenishment order)  ✸ ordem de produção  ✸ romaneio  ✸ nota fiscal / fatura  ✔ baseados na Tecnologia da Informação

117 Sistemas de Informação e Logística Disponibilizar ao Consumidor: -O Produto Certo -Na quantidade Certa -No local Certo -No tempo Certo Gestão de Pedidos Previsão de Demanda Customer Order Management Foco: satisfação dos clientes “Forecasting” foco: análise de tendência (Bowersox & Closs, 1996)

118 Técnicas orientadas à oferta  JIT - just-in-time  (disponibiliza a quantidade exata, no momento exato da utilização)  RP - requirements planning  MRP - Material Requirements Planning (movimentação de material em processo)  DRP - Distribution Requirements Planning (distribuição das necessidades)

119 Técnicas orientadas à demanda  ROP - rules-based reorder (estoque mínimo; estoque de segurança; ponto de pedido; considera-se conhecida a Distr. Prob. da demanda)  QR - quick response (monitoração direta dos varejistas, EDI)  CR - continuous replenishment (reabastecimento contínuo do estoque dos varejistas, necessita de um eficiente canal de comunicação entre o produtor e o varejista)  AR - automatic replenishement (reabastecimento automático, em função do conhecimento do perfil do mercado - consumidores finais)

120 Sistemas de Informação Logística  Integração com os fornecedores para obter uma operação mais ágil, confiável e de menores tempos de resposta e custos  Sistemas automatizados de movimentação interna de matéria-prima e produtos semi-acabados  Sistemas automatizados para armazenagem de produtos  Integração com agentes de vendas, de forma a gerenciar os estoques de produtos, buscando uma operação mais ágil e de menores custos  Sistemas automatizados para determinação de rotas de veículos de entrega ou de assistência técnica  Integração de Sistemas de Informação com técnicas de Pesquisa Operacional  Exemplos:  Distribuição de jornais e revistas  Automação de portos

121 Sistemas de Informação Logística  Problema: Sistema de Informação é freqüentemente é negligenciado com a justificativa de que não é visto como importante para o consumidor, isto é, que não agrega valor ao produto. Importante Funcionalidade: disponibilizar, ao consumidor, o acesso às informações acerca da situação dos pedidos, da disponibilidade de produtos, da programação da entrega, do faturamento/pagamento

122 Sistemas de Informação Logística Importância:  aumento da receita:  disponibilizando corretamente os produtos no Mercado  diminuição do custo:  reduzindo os custos em estoques  reduzindo os custos de armazenagem  reduzindo os custos de distribuição e transportes  reduzindo as perdas por danos e prazo de validade  aumento da eficiência e da eficácia:  otimizando a utilização dos recursos (material, pessoal,...)  flexibilizando COMO, QUANDO, ONDE os recursos devem ser utilizados

123 O universo da automação aplicada à logística  Camadas de tecnologia VOIP Interface de voz Processos Rotineiros Workflow Aplicativos para usuários finais Aplicativos Gerenciadores de Banco de Dados Linguagens de Programação DBMS Gerenciar componentes, Windows, Linux, Unix Sistema Operacional Processadores Computadores Redes Periféricos Hardware

124 Sistemas Integrados - Whirlpool Pessoas Organização Tecnologia Sistema de Informação Solução Organizacional - Formular estratégia da cadeia de suprimentos Problema Oganizacional - Eliminar procedimentos manuais - Implantar suíte de cadeia de suprimentos da i2 tecnologies - Prever demanda - Alocar estoque de maneira mais precisa - Reduzir estoque - Aumentar vendas - Cadeia de suprimentos fora de controle - Sistemas ultrapassados

125 Sistemas Integrados  O que são?  Processos financeiros e contábeis; Livro razão, contas a pagar, a receber, gerenciamento de caixa, contabilidade de custo, relatórios, etc..  Processos de recursos humanos; Gestão de pessoal, horas trabalhadas, folha de pagamento, planejamento e desenvolvimento de pessoal, gestão de desempenho;  Processos de produção e manufatura; Seleção de fornecedores, gestão de estoque, compra, expedição, planejamento de produção, necessidades de material, etc.  Processos de venda e marketing; Processamento de pedidos, cotações, contratos, determinação de preços, faturamento, verificação de crédito, comissões, etc.

126 Sistema de gerenciamento da cadeia de suprimentos  Cadeia de suprimentos é uma rede de organizações e processos de negócio para selecionar matérias-primas, transformá-las em produtos intermediários e acabados e distribuir aos clientes.  A cadeia interliga fornecedores instalações industriais, centro de distribuição, varejistas e clientes. Matérias- Primas, informações e pagamentos fluem pela cadeia de suprimentos em ambas as direções.  Exemplo: Nike

127 Sistema de gerenciamento da cadeia de suprimentos  Capacidade dos sistemas de planejamento  Habilitam a empresa a gerar previsões de demanda para um produto e a desenvolver planos de aquisição de matéria-prima e fabricação para aquele produto. Planejamento de pedidos Programação prévia e planejamento de fabricação; Planejamento de demanda; Planejamento de distribuição; Planejamento de transporte.

128 Sistema de gerenciamento da cadeia de suprimentos  Capacidades dos sistemas de execução  Gerenciam o fluxo de produtos pelos centros de distribuição e depósitos para garantir que sejam entregues nos locais certos, de maneira mais eficiente possível. Garantir pedidos; Produção final; Reposição; Gerenciamento de distribuição; Distribuição reversa.

129 WMS

130 WMS – Sistema de Gerencimento de Armazém  Atualmente, a armazenagem exige muito mais que simples procedimentos automatizados, ela necessita de Sistemas de Informações que possam tomar decisões rápidas e inteligentes. A rentabilidade das empresas também é afetada diretamente pela eficiência de seu processo de armazenagem, logo as melhores práticas devem ser aplicadas.

131 Sistema de Informação da Armazenagem  O WMS é apenas uma parte dos Sistemas de Informação voltados para Armazenagem, que compreendem, além dos WMS – Warehouse Information Systems, também os:  DRP – Distribuition Requirements Planning – Planejamento das necessidades de Distribuição  TMS – Transportation Management Systems – Sistemas de Gerenciamento de Transportes  EDI – Eletronic Data Interchange – Intercâmbio Eletrônico de Dados;  Automatic Identification – Auto ID (Identificação Automática – Código de Barras)  RFDC – Radio Frequency Data Collection (Coleta de Dados por Radiofrequência);

132 Sistema de Informação da Armazenagem

133 Otimização operacional  Um WMS possibilita a otimização operacional através do aumento da produtividade operacional, otimização dos espaços e melhoria da utilização dos recursos operacionais (equipamentos de movimentação e estocagem), aumentando desta forma a capacidade operacional.  Um WMS possibilitará a um aumento da produtividade operacional. Estes aumentos podem chegar na ordem de 10 a 30 por cento e até mais dependendo do caso. Estes aumentos são devido, principalmente a:  Controle operacional (o sistema WMS fornece as tarefas a serem feitas);  Redução do tempo perdido com esperas;  Redução tempo morto dos recursos em movimentação;  Otimização do percurso através de uma localização pela curva ABC de giro;  Aumento da densidade de estocagem, diminuindo distancias a serem percorridas;  Diminuição de tempos de viagens, entre outros;

134 Sistema de Informação da Armazenagem Aumento da Capacidade Existem dois modos de aumentar a capacidade de um armazém aumentando o seu tamanho ou aumentando o giro dos produtos, ou seja, movimentando-os de forma mais rápida fazendo com quem os mesmo permaneçam o mínimo tempo no armazém.

135 Sistema de Informação da Armazenagem  WMS é um sistema de gestão (software), que melhora a operacionalidade da Armazenagem, através do eficiente gerenciamento de informações e dos recursos dos mesmos. As informações utilizadas podem ser provenientes de empresas transportadoras, da produção, do sistema corporativo (ERP), dos clientes e fornecedores, entre outros. O WMS utiliza estas informações para receber, inspecionar, estocar, separar, embalar e expedir mercadorias da melhor forma possível.

136 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Os dois principais objetivos do processo de armazenagem são:  maximizar a utilização de recursos operacionais (espaços, equipamentos, mão-de-obra);  satisfazer necessidades e expectativas de clientes;  quatro funções básicas:  Receber o produto;  Estocar o produto;  Separar o produto;  Expedir o produto;

137 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Programação e entrada de pedidos: O WMS precisa ser capaz de registrar as necessidades especiais do cliente, tais como:  Necessidades de embalagem especial;  Características da paletização;  Sistema de rotulação e/ou documentação, além de todas informações adicionais ao cliente.

138 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Planejamento e alocação de recursos  Um WMS é capaz de alocar a mão-de-obra às atividades diárias. Pode planejar automaticamente as atividades de mão-de-obra do dia ou um supervisor pode intervir ou alterar alocação recomendada.  Pré-recebimento  A visibilidade antecipada pode propriciar oportunidades de cross docking, maximizar a utilização de docas, aumentar o giro da área de recebimento, auxiliar na programação do transporte e fornecer melhor planejamento de mão-de-obra.

139 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Planejamento e alocação de recursos  Um WMS é capaz de alocar a mão-de-obra às atividades diárias. Pode planejar automaticamente as atividades de mão-de-obra do dia ou um supervisor pode intervir ou alterar alocação recomendada.  Pré-recebimento  A visibilidade antecipada pode propriciar oportunidades de cross docking, maximizar a utilização de docas, aumentar o giro da área de recebimento, auxiliar na programação do transporte e fornecer melhor planejamento de mão-de-obra.

140 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Portaria  Por estes módulos também são feitos os controles de dados como: fornecedor, ordem de chegada, tamanho da carga, prioridade de descarga e outros.  Recebimento  quando uma carga chega à doca definida para a descarga e o documento de recebimento está num arquivo de WMS.  O processamento de um recebimento segue as seguintes etapas: Identificar e Selecionar o recebimento a ser processado; Indicar os itens e quantidades a serem recebidos; Imprimir e Identificar o produto; Confirmar o recebimento da quantidade de cada produto; Liberar os itens para estocagem;

141 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Inspeção e controle de qualidade  O WMS apóia totalmente o processo de inspeção. Esta funcionalidade especialmente é crítica às indústrias reguladas como a indústrias farmacêutica.  O WMS é capaz de notificar o operador de inspeção as necessidades dos materiais que são recebidos. Esta notificação permite a entrega imediata de produtos à inspeção ou a notificação imediata para um inspetor vir à área de recepção.

142 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Estocagem  WMS tem a responsabilidade de analisar o melhor método de estocagem, considerando local, tipo de equipamento a ser utilizado, momento oportuno para estocagem.  Transferências  O WMS gerencia também os fluxos de transferências de itens entre áreas objetivando uma melhor otimização dos seus dois objetivos básicos, que é a melhoria do nível de serviço e a redução dos custos de armazenagem.

143 WMS – Características, funcionalidades e benefícios.  Separação de Pedidos  Podemos identificar três diferentes tipos de separação: Separaçao de carga unitizada (palete completo); Separação de carga fechadas (fracionamento do palete) e; Separação de unidades dentro da caixa (fracionamento da caixa).  Expedição  As funções da expedição são projetadas para maximizar o controle dos pedidos se movimentando através da embalagem, verificação e carregamento. Adicionalmente, a geração de conhecimento de embarque e lista de embalagenm e atualização do arquivo de pedidos de cliente são projetados para minimizar as tarefas administrativas manuais para reduzir a mão-de-obra e melhorar a acuracidade.

144 WMS – Características, funcionalidades e benefícios. Benefícios de um WMS  Podemos citar como principais benefícios:  Melhoria da acuracidade do inventário;  Melhoria na ocupação do espaço;  Redução de erros;  Aumento da produtividade;  Redução da necessidade de papéis;  Eliminação de inventários físicos;  Melhoria no controle de carga de trabalho;  Melhoria no gerenciamento operacional;  Apoio ao processo de EDI – Intercâmbio eletrônico de dados;  Apoio ao processo de aumento de valor agregado ao cliente;

145 TMS – Sistema de Gerenciamento de Transporte  Assegurar rastreabilidade do pedido e produtividade em todo o processo de distribuição são os principais benefícios;  As características de uma solução TMS variam de acordo com o ramo de atividade – Industrial, operadores logísticos, transporte de cargas ou conforme o tipo de modal.  Módulos Específicos:  Gestão de frotas;  Gestão de fretes;  Roteirização;  Programação de Cargas;  Controle de Tráfego/Rastreamento;  Atendimento ao cliente.

146 TMS

147 TMS – Sistema de Gerenciamento de Transporte  Gestão de Frotas:  Controle do cadastro do veículo;  Controle de documentação;  Controle de manutenção;  Controle de estoque de peças;  Controle de combustíveis;  Controle de tacógrafos;  Controle de pneus e câmaras;  Controle de engate e desengates;

148 TMS – Sistema de Gerenciamento de Transporte  Gestão de Fretes  Cadastro geral de transportadoras, rotas, taxas;  Controlar tabela de fretes;  Simulação de fretes;  Controlar conhecimento de cargas;  Liberar pagamentos/recebimentos.

149 TMS – Sistema de Gerenciamento de Transporte  Roteirizadores  Determinar melhores rotas;  Formação de cargas e índices de ocupação de veículos;  Análise da distribuição de mais de um CD;  Gerenciamento do tempo de entrega por clientes;  Reprogramações de entrega em função de imprevistos.

150 TMS – Sistema de Gerenciamento de Transporte  Controle de carga  Planejamento de equipes de planejamento;  Planejamento da acomodação de cargas no veículo em função de peso, volume, fragilidade.  Outras tecnologias  Rastreamento de pedidos;  Etiquetas de radiofrequencia/transponders;  Google Earth;  Google Maps.

151 MES – Sistema de execução da manufatura  Sistema que integra as informações de produção e processos de fabricação com os sistemas corporativos.  Informações sobre eficiência de máquinas e operações, tempos de troca de ferramental, qualidade dos itens produzidos, quebras de máquina, ritmo de produção;  Base para o sucesso: Integração entre produção e os setores corporativos (ERPs)

152 MES

153 MES – Sistema de execução da manufatura  MES: Conjunto integrado de funcionalidades que estabelecem ligações diretas entre Planejamento e Execução;  Funcionalidades:  Coleta e armazenamento de informações;  Monitoramento em tempo real e estatístico;  Monitoramento dos recursos da produção;  Rastreabilidade de produtos;  Inventários e ajustes automáticos;  Monitoramentos de quebras e reduções de ritmo;  Controle do fluxo de materiais;  Baixas automáticas de matérias-primas;

154 MES – Sistema de execução da manufatura  Modelos de integração:  Entrada manual de dados;  Sistema de execução de ordens de produção: processam as ordens de produção, controlam e adquirem a informação e encaminham para o sistema de planejamento;  Banco de dados de produção: Banco de dados relacional;  Coordenação da capacidade de produção:  Colaboração entre processo e negócio: Workflow

155 M-cOMMERCE Gestão T.I. – ALFA Vivian Borim

156 Europa  Mais de 8 bilhões de mensagens via SMS por mês  Europa Ocidental: $62 bilhões em receita em 2005  60% de tráfego de dados será Mensagens e  28% Information services e M-commerce services Source: Yankee Group / Forrester Research

157 Percentage of Ownership Electricity (1873) Telephone (1876) Automobile (1886) Television (1926) Radio (1905) VCR (1952) Microwave (1953) Cell Phone (1983) PC (1975) Internet (1975) Years since introduction Source: Forbes Magazine, July 7, 1997 Velocidade de Adesão

158 Necessidade de soluções próprias Internet sem fio necessita soluções próprias quando comparadas com a Internet tradicional: O mercado é diferente  O dispositivo é diferente  A necessidade do usuário é diferente!!

159 Wireless  Serviços baseados em localização  Relatórios de tráfego em tempo real  Recomendação de eventos e restaurantes  Propaganda altamente customizada  Serviços de mensagem para localização de parceiros  Soluções Empresariais  Acesso a  Acesso a bases de dados  “Intranet Global”  Informação atualizada através de tecnologia “push”

160 Wireless  Serviços Financeiros  Saldos e Extratos bancários  Pagamento de contas  Compra e venda de ações  Transferência de fundos  Serviços de Viagem e Turismo  Aquisição e troca de cartões de embarque  Agendamento  Reservas

161 Wireless  Jogos, Apostas e Entretenimento  Jogos multi-player online em tempo real  Download de horóscopos, tiras de HQ  “M”- Commerce  Comparação de preços instantânea  Compra por impulso  Ofertas especiais e vendas baseadas na localização

162 Microbrowser Conteúdo (baseado em texto) Organizer SMS Acesso à Internet (limitado) Seviços de infor. pessoal Streaming Audio E-Commerce Imagem paradas Acesso à Intenet (browsing) Aparelhos / Aplicações Portais Web customizados Video Conferência Streaming Video Thin Client Computing Video remoto Fotografia remota Taxa de transmissão 9.6Kbps14.4 Kbps64 Kbps144 Kbps384 Kbps VoxML Aplicações de Dados 1998/ / / /2004 2G2,5G 3G

163 ,000 1G2G 3G Voz Mensagens Texto Video Streaming Imagens Paradas Audio Streaming Velocidade de Tx de Dados - kbps E-Commerce Tendências para o futuro - Visão 3G

164 Novos tipos de terminais e a convergência dos dispositivos

165 Business to business Gestão T.I. – ALFA Vivian Borim

166 Mercados B2B  Conceito: comunidade de empresas compradoras e empresas fornecedoras realizando transações comerciais suportadas por uma infra-estrutura de serviços de e-business.

167 O Paradigma da Liquidez (Efeito Tostines)  Quanto mais compradores e vendedores forem agregados em um mercado B2B, mais “líquido” ele se torna, causando um aumento da eficiencia do seu mecanismo de fixação de preços, criando uma realimentação onde os vendedores são atraídos para o mercado com os compradores mais potencialmente valiosos e o aumento no número de vendedores torna o mercado mais atraente para os compradores, resultando em mais transações no mercado.

168 Requisitos de um Mercado B2B  Neutralidade e Confidencialidade  Transparência  Contratos, documentos e produtos padronizados  Pré-qualificação dos usuários  Disseminação de preços e informações sobre os produtos

169 Mecanismos de fixação dinâmica de preços  O objetivo é juntar todos as potenciais ordens de compra e venda e permitir que estas ordens otimizem os preços  Basicamente os sistemas de leilões funcionam desta forma.

170 Leilões Reversos  Os compradores especificam os itens que querem adquirir e diversos vendedores competem para fechar o negócio.  Esta abordagem claramente favorece os compradores, especialmente se existem diversos vendedores aptos a fornecer itens de acordo com os requisitos estabelecidos.

171 Leilões Reversos  Nos leilões reversos o preço tende a cair à medida em que se aproxima o encerramento do leilão. Tempo Preço Este tipo de leilão é o adotado pelos mercados B2B horizontais, como o FreeMarkets e o VerticalNet, bem como nas extranets das empresas.

172 Leilões Reversos Detalhes Interessantes  Os itens em que serão feitas ofertas são normalmente agrupados em lotes e são “convidados” fornecedores em número suficiente para que haja competição.  O mercado pré-qualifica os fornecedores de forma a garantir que sejam aceitáveis para o comprador e fornece informações completas (ex. requisitos de qualidade) para o vendedor.  O comprador não é obrigado a aceitar os menores preços.

173  Durante um leilão reverso, os fornecedores permanecem anônimos uns para os outros, mas estes podem ver as ofertas que estão sendo realizadas.  Já o comprador tem acesso tanto à identidade quanto à oferta.  Normalmente um leilão deste tipo demora de 1 a 3 horas. Leilões Reversos Detalhes Interessantes

174 Formas de Obtenção de Receita para um Mercado B2B  Taxas por transação  % do ganho obtido  Taxas por postagem  Assinatura  Hospedagem  Venda ou Licenciamento de Informações  Publicidade e Marketing  Outros serviços de valor agregado

175 Ambiente Mediado por Computador Aspectos da Comunicação de Marketing: - Muitos para Muitos: Cliente não se comunica apenas com a empresa fornecedora mas também outros clientes e com os concorrentes da empresa fornecedora. - Ambiente Mediador: A informação e o conteúdo não são transmitidos diretamente de um emissor para um receptor. - Interatividade com o meio: os usuários podem modificar a forma e o conteúdo.

176 Ambiente Mediado por Computador - Telepresença: Grau em que o usuário sente-se envolvido na web, transportando-se para o mundo real. - Controle sobre o processo de comunicação. - Mundo Virtual: a web não é uma simulação do mundo real; - Habilidade para interagir

177 Os novos modelos de negócio na internet  Loja Virtual;  Infomediário;  Brokers ou Intermediários de negócio;  Capacitadoras de e-business;  Provedores de infra-estrutura ou e-marketplaces.

178 Loja Virtual Vendas pela internet para seus clientes, oferecendo produtos, serviços e informações, tanto no mercado B2B quanto no B2C; - Atrair público para a sua loja; - Criar oferta atraente e exclusiva, de modo a gear a compra por parte do cliente; - Coordenar rede de parceiros que alavancaram negócios e colaboram na criação de relacionamento com os clientes; - Gerenciar múltiplos relacionamentos, assim como formá-los e dissolvê-los rapidamente; - Possuir uma infra-estrutura flexível, robusta e planejamento para crescer em pouco tempo; - Inovar continuamente produtos e serviços;

179 Infomediário São empresas que atuam como intermediárias na distribuição e na venda de conteúdo, também conhecido como agregadores de conteúdo, gateways ou portais. Sites de grande táfego e que funcionam como porta de entrada na internet, atraindo bastante público pela oferta gratuita de conteúdo e outros serviços. Parceiros de lojas virtuais, indicam clientes para elas e recebem um pagamento por cada usuário indicado, ou comissões sobre as intermediações e as vendas realizadas pelos usuários.

180 Brokers ou intermediários de negócio Facilitam as transações de negócio aproximando compradores e vendedores. Os brokers não tem a posse de produtos, dependendo de parcerias para fechar negócios.

181 Tipos de Brokers - Intermediários de compra: e a PackageNet.com, que oferecem serviços para grupos de compradores, reduzindo os custos e aumentando a eficiência dos processos de procura e transação.

182 Tipos de Brokers - Intermediários de venda: como a Autobytel.com, que presta serviços para grupos de vendedores. - Intermediários de Transação: como a Travelocity, que presta serviço para compradores e vendedores simultaneamente, Leilões Virtuais – Ebay, Arremate.com.br.

183 Tipos de Brokers - COINS – Comunidades de interesse: como a empresa VerticalNet.com que presta serviço para compradores e vendedores de uma área particular de interesse e negócios; : 13 mil fornecedoras de suprimentos para hospitais e médicos e 70 mil compradores de organizações de saúde.

184 Avalista de Confiança  São empresas que viabilizam uma atitude de confiança entre vendedores e compradores, oferecendo um ambiente seguro e “auditável”.  Dois tipos:  Avalistas de pagamentos  Avalistas de confiança

185 Avalistas de Pagamento - É a empresa que garante transações de pagamento seguras, reduzindo o risco de fraude tanto para compradores quanto para vendedores. Ex: - Verifone, Verisign,Paypal - Visanet, os pagamentos com cartão de crédito são garantidos pela Visa.

186 Avalistas de Confiança - TradeSafe/AmbironTrustWave, é uma organização que oferece um ambiente autenticado e de confiança, no qual os compradores e vendedores podem realizar transações seguras. -

187 Capacitadores de e-business São organizações que criam e mantêm uma infra-estrutura no qual provedores de produtos e serviços podem realizar negócios, de modo confiável na internet. Oferecem tecnologia para e-commerce e serviços como suporte técnico, manutenção de software e hardware, gerenciamento de centros de processamento, redes corporativas e call centers, serviços de gerenciamento de logística. Ex: Federal Express, AuctionServices –

188 Provedores de infra-estrutura ou e-marketplaces Agregam comunidades de interesse em torno de uma infra-estrutura comum por meio da internet, disponibilizando serviços que viabilizam as transações entre compradores e vendedores. Exemplo: mais de revendas de automóveis,250 brokers, fornecedores de crédito, 30 bancos comerciais, 500 administradoras de frotas e 250 contas de leasing.www.chrome.com

189 Provedores de infra-estrutura ou e-marketplaces  No Brasil:   – Mercado Eletrônico Receitas de R$ 25 bilhões, com 38 mil fornecedores e cerca de 28 mil transações diárias com cotações e pedidos de compras.  – Iniciativa da Embraer

190 Trabalho – Dia  1 – Contexto do Negócio  Apresentar a empresa;  Descrever o contexto que o Negócio está inserido;  Detalhar o setor da empresa relacionado com o problema focado;  2 – Problema com Sistema de Informação  Apresentar o problema com o Sistema de Informação;  Destacar a importância, o impacto da sua solução;  3 – Funcionalidades  Cada Participante, isoladamente, deve listar as Funcionalidades que o Sistema de Informação Logístico (SIL) deve prover;  Na especificação de cada Funcionalidade, o Participante deve refletir acerca de como o SIL será utilizado no Processo de Tomada de Decisão, enfim, para que servirá o SIL a ser desenvolvido  Cada Funcionalidade deve ser escrita numa folha, no formato: “O SIG deve possibilitar ao usuário... ” Ex.:... IDENTIFICAR AS NECESSIDADES DE TREINAMENTO Grupos de 02 pessoas. Apresentação em Power Point e documento texto.

191 Avaliando Serviços de Gerenciamento da cadeia de suprimentos  Este projeto ajudará a desenvolver sua habilidade para usar a Web a fim de pesquisar e avaliar serviços empresariais.  Hoje, as transportadoras não se limitam mais a simplesmente levar mercadorias de um lugar para o outro. Algumas também oferecem serviços de gerenciamento da cadeia de suprimentos e ajudam os clientes a gerenciar suas informações. Investigue o site de duas empresas e verifique como os serviços dessas empresas podem ser usados para o gerenciamento da cadeia de suprimentos. Depois, responda às seguintes perguntas:  Em quais processos da cadeia de suprimentos dos clientes cada uma dessas empresas pode atuar?  Como os clientes podem usar os sites de cada uma para gerenciar sua cadeia de suprimentos?  Compare os serviços de gerenciamento da cadeia de suprimentos oferecidos pelas duas empresas. Qual delas você contrataria? Por que?  Monte uma apresentação Power Point.

192 Analisando fornecedores de aplicações integradas  Forme um grupo de dois colegas. Usem a Web para pesquisar e avaliar os produtos de dois fornecedores de softwares de aplicações integrados. Vocês podem comparar, por exemplo, os sistemas integrados SAP, Oracle, Microsiga, RM. Usem tudo o que encontrarem nos sites dessas empresas para comparar os pacotes de software selecionados em termos de: funções de negócio apoiadas, plataforma de tecnologia, custo e facilidade de uso. Qual fornecedor vocês escolheriam? Por quê?Vocês escolheriam o mesmo fornecedor para uma microempresa e para uma empresa de grande porte?  Façam uma apresentação em power point.


Carregar ppt "SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM LOGÍSTICA Prof. Vivian Borim www.vivianborim.com.br."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google