A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Friederich Nietzsche “Tu tá maluco? Respeita o moço Patente alta, dá aula Bigode grosso” MC Marcelly “Não sou um homem, sou uma dinamite” Nietzsche.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Friederich Nietzsche “Tu tá maluco? Respeita o moço Patente alta, dá aula Bigode grosso” MC Marcelly “Não sou um homem, sou uma dinamite” Nietzsche."— Transcrição da apresentação:

1 Friederich Nietzsche “Tu tá maluco? Respeita o moço Patente alta, dá aula Bigode grosso” MC Marcelly “Não sou um homem, sou uma dinamite” Nietzsche

2 Biografia Friederich Nietzsche: filósofo alemão ( ) Filho de pastor protestante. Pai morreu quando tinha 5 anos. Foi criado pela mãe e pela irmã. Gênio brilhante: estudou grego, latim, teologia e filologia Professor da Universidade da Basiléia Influência de Arthur Shopenhauer (pessimista) que acreditava na inexistência de Deus e da alma e na falta de sentido da vida, que se constitui de sofrimento e luta.

3 Lou Salomé, Paul Reé e Nietzsche

4 Richard Wagner: música e rompimento Serviço militar: adoecimento Afastamento da universidade Crises intensas de dores de cabeça o levaram a viver percorrendo diferentes clínicas de tratamento. Paralisia progressiva de origem supostamente sifilítica : foi cuidado pela irmã e pela mãe até sua morte. A irmã se apropria de sua obra e a associa ao anti-semitismo, mas ele sempre foi contra.

5 Influência da música na vida de Nietzcshe "O Nascimento da Tragédia" (1872) " Sem a música, a vida seria um erro" "E os que foram vistos dançando foram julgados insanos pelos que não conseguiam ouvir a música" "Ciência, Arte e Filosofia crescem tão juntas em mim que um dia irei parir centauros"

6 Obra Crítica à filosofia ocidental a partir de Sócrates, acusado de negar a intuição criadora da filosofia anterior, a pré-socrática. Princípio apolíneo x Princípio dionisíaco Apolo (deus da razão, da clareza e da ordem) x Dionísio (deus da aventura, da música, da fantasia e da desordem). Visões complementares que foram separadas na Grécia socrática, optando pela razão.

7 Dionísio X Apolo

8 Genealogia da moral Crítica intensa aos valores morais Genealogia da moral: estudo da origem dos valores morais. Nietzsche concluiu que não existe o bem e o mal absolutos. Para ele, as concepções surgem dos homens, são produzidos pela história humana. São os homens que criam os valores morais, as religiões e as impõem como “vontade de Deus” Crítica ao judaísmo e cristianismo na civilização ocidental

9 “Moral de rebanho”: submissa aos valores burgueses e cristãos Anunciou a “morte de Deus”: se os valores são construções humanas, então devemos refletir sobre eles e questioná-los. Enfrentar o desafio de viver por nossa conta e risco. Ressentimento: “Tua culpa” = incapacidade de esquecer, negação da vida adoecimento psico-fisiológico. Cultiva a memória das coisas ruins. Má consciência: “Minha culpa”

10

11 Cultivar o esquecimento: “Memória longa para coisas boas e memória curta para coisas más”. Esquecimento é força que alimenta a vida, promove a digestão das situações desagradáveis para o orgamismo. O ressentido não esquece, quer vingança, reparação. Alimenta o ódio e vinganças imaginárias. Ele não aceita as diferenças, quer todo ponto de vista igual ao seu. Adoecimento.

12 Má consciência: origem na passagem do homem selvagem para o homem social. Processo de interiorização: é a consequência de “uma violenta separação do homem de seu passado animal” e com ele assistimos ao incrível espetáculo de uma “alma animal que se volta contra si mesma” “má consciência” = sentimento de culpa (interiorização dos impulsos agressivos) revela-se como um capítulo central no processo de hominização. Violência contra si mesmo, o homem emerge como um animal doente: Ela é uma “má consciência” inicialmente animal, sem caráter consciente ou moral, uma matéria- prima que só ao fim de um longo processo adquirirá o aspecto moral de uma consciência de culpa, depois de entendida religiosamente como pecado.

13 Escravo x Senhor A justiça dos fracos: a civilização foi criada pelos fortes, pelos inteligentes, pelos homens competentes, os líderes que se destacaram da massa. Moral: Sócrates e Jesus = negaram essa realidade em nome dos fracos. Propagando uma moral que protegia os fracos dos fortes, os mansos dos ousados, que valorizava a justiça em vez da força, eles inverteram os processos pelos quais o homem se elevou acima dos animais e exaltaram como virtudes características típicas de escravos: abnegação, auto-sacrifício, colocar a vida a serviço dos outros.

14 O super-homem A partir do momento em que o cristianismo deixou de ser a única verdade, os valores da civilização ocidental são questionados, pois não têm origem divina, somos livres para negá-los e escolher nossos próprios valores. Ao "tu deves" devemos responder com o "eu quero". É a vontade de poder que permite ao indivíduo que se autoelege desenvolver seu potencial máximo de modo a tornar-se um super-homem ou um ser além- do-homem - isto é, que se coloca acima da massa. Niilismo: “morte de Deus”, rejeitar a crença de um ser absoluto, transcendente, capaz de traçar o destino do homem e suas verdades.

15

16 Afirmação da vida Afirmar a potência de vida: valores afirmativos da vida, capazes de expandir as potências latentes em nós. Liberdade da razão sem conformismo, submissão ou resignação.

17 o eterno retorno queira para sua vida somente aquilo que você desejar o seu eterno retorno


Carregar ppt "Friederich Nietzsche “Tu tá maluco? Respeita o moço Patente alta, dá aula Bigode grosso” MC Marcelly “Não sou um homem, sou uma dinamite” Nietzsche."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google