A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aristóteles de Estagira 384 – 322 a.C. Considerações importantes sobre Aristóteles:  Pertence ao terceiro período da filosofia antiga, conhecido como.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aristóteles de Estagira 384 – 322 a.C. Considerações importantes sobre Aristóteles:  Pertence ao terceiro período da filosofia antiga, conhecido como."— Transcrição da apresentação:

1 Aristóteles de Estagira 384 – 322 a.C. Considerações importantes sobre Aristóteles:  Pertence ao terceiro período da filosofia antiga, conhecido como sistemático IV-III a.C.;  É considerado o maior discípulo de Platão, embora não aceite o conceito de dualidade do real existente, proposto pelo mestre;  Em sua Teoria do Conhecimento busca compreender o que é dinâmico [acidentes] e o que é estático [essência/substância] nos seres contingentes/sensíveis;  Busca estabelecer como conhecimento verdadeiro o conceito de ser enquanto ser: o que é;  Opõem-se aos sofistas;  Escreve essencialmente em forma de tratado. Continuação...

2 Aristóteles de Estagira 1ª Fase: Discípulo de Platão; 2ª Fase: Preceptor e conselheiro de soberanos, entre eles Alexandre da Macedônia, conhecido como o Grande; 3ª Fase: Fundador da escola “Liceu” – Belas Artes – que ficou conhecida como peripatética, porque seus alunos tinham aulas passeando pelos jardins e alamedas do local. Fases da vida de Aristóteles: Metafísica – 14 livros; Ética a Nicômaco – 10 livros; Política – 8 livros; Poética – 1 livro [?]; Da geração e da corrupção – 2 livros. Principais obras de Aristóteles: Órganon [obras de lógica clássica/formal], composta de 5 livros, são eles:  Categorias;  Da interpretação;  Primeiros analíticos;  Segundos analíticos;  Tópicos.

3 Aristóteles de Estagira A escola de Aristóteles, assim como a de Platão, é um centro superior de estudos. A diferença essencial é que o “Liceu” se dedicou principalmente à Filosofia e às Ciências Naturais, enquanto que a “Academia” se dedicou fundamentalmente à Filosofia e à Matemática [Geometria]. Aristóteles [à direita] a educar Alexandre [à esquerda].

4 Aristóteles de Estagira A Metafísica ou “Filosofia Primeira” A Metafísica é o ramo do conhecimento que procura atingir à realidade intima das coisas, a saber: substância ou essência. Procura compreender os fenômenos que se situam “além do físico”, mas cujas manifestações ou conseqüências são percebidas pelos sentidos e avaliados pela experiência ou indução. Todo este processo filosófico que analisa a cognição do objeto percebido pelo sujeito é chamado de ‘especulações metafísicas’.  Dentre as principais ‘especulações e/ou conceitos’ metafísicos temos:  Teoria das quatro causas ou princípios;  Teoria do Ato [forma] e Potência [matéria];  Teoria do Primeiro Motor Imóvel [ou Ato-puro];  Teoria da causa substancial [segunda] e acidental.

5 Máxima aristotélica: “O ser se diz de muitos modos, mas nenhum modo exprime o ser”; ou, “O ser se diz de vários sentidos”. Aristóteles de Estagira A Metafísica ou “Filosofia Primeira” De volta a Atenas, em 335 a.C., treze anos depois da morte de Platão, Aristóteles fundava, perto do templo de Apolo Lício, a sua escola. Daí o nome de Liceu dado à sua escola.

6 Especulações Metafísicas Ciência teorética [teórica/contemplativa], Ciência dos primeiros princípios e das primeiras causas ou Ciência do ser enquanto ser [substância/essência], é a própria “Metafísica” ou “Filosofia Primeira”.  Portanto: A Metafísica ou Filosofia Primeira, que em Aristóteles é ciência, possui como objeto de estudo a substância ou essência das coisas – seres. Aristóteles de Estagira A Metafísica ou “Filosofia Primeira” Aristóteles, em sua obra Metafísica livro I, capítulo 1, 1º parágrafo, começa com a seguinte frase: “Todos os homens têm o desejo de conhecerem”. A partir deste enunciado Aristóteles inicia as suas especulações metafísicas com o intuito de conhecer o que o “ser é”. Continuação...

7 Aristóteles de Estagira Teoria das 4 causas ou princípios Demonstrar tudo aquilo que determina a realidade do ser - isto é, demonstrar como surgem os seres contingentes ou sensíveis. Para tanto, uma causa final motiva uma causa eficiente a aplicar em uma causa material uma causa formal.  Objetivo:  Causa Formal: o que é ou vai ser – isto é, é aquilo que faz com que um ser seja tal ser determinado. Exemplo: a figura pensada pelo escultor.  Causa Material: do que é feito – isto é, a matéria de que uma coisa é feita. Exemplo: madeira.  Causa Eficiente: quem faz – isto é, é aquilo pelo qual uma coisa é ou vem a ser. Ou seja, é o fenômeno que produz o outro. Exemplo: o cinzel utilizado pelo escultor.  Causa Final: porque ou para que é feito – isto é, é a realidade para qual algo tende a ser. Ou seja, é o fim pretendido na execução de um ato. Exemplo: o dinheiro pelo qual o escultor trabalha. Continuação...

8 Aristóteles de Estagira Teoria das 4 causas ou princípios A Causa Formal é entre as causas a mais importante, pois é ela que permite determinar a essência/substância dos seres. 1ª Causa Final2ª Causa Eficiente4ª Causa Formal3ª Causa Material  Atenção:  A relação entre a Causa Material [hylé] e Causa Formal [morfos]: Causa Material [Mundo das Sombras] Causa Formal [Mundo das Idéias] += Substância/essência/sínolo Por si só é imperfeita Perfeita

9 Aristóteles de Estagira Teoria do Ato e Potência PotênciaAto Causa eficiente ou dýnamis A passagem não se dá ao acaso, ela é causada pela causa eficiente – dýnamis. Potência [dinâmica/muda]: é imperfeita, pois se refere ao que deve ser – ou seja, refere- se a matéria como possibilidade de devir ou vir a ser no tempo. Ato [estático/não muda]: é perfeito, pois se refere ao que é – ou seja, refere-se a unidade de matéria e forma [ou energéia da coisa tal como ela é aqui e agora] como essência do ser. Continuação... Cada Ser ao surgir, surge em ‘ato’ [o que o Ser é] e em ‘potência’ [o que o Ser deverá ser]. Cabe a dýnamis atualizar a potência, de tal modo que o Ser ‘não muda de forma’, mas passa de uma forma ‘menos perfeita’ para a ‘forma mais perfeita’ ou acabada.  Muita Atenção!

10 Teoria do Ato e Potência Aristóteles de Estagira  Processo de contingência dos seres sensíveis: Ato InicialAto Final FetoAdolescenteCriançaAdulto Potência Ato/homem Homem Continuação...  Atenção! Sem o thelos [realização de um Ato Final denominado por Aristóteles de entelékheia], nenhuma potência/matéria é atualizada e sem o ato, nenhuma forma se realiza.

11 Aristóteles de Estagira Teoria do Ato e Potência  Explicando o processo de contingência dos seres sensíveis: Quando um homem e uma mulher se unem, surge na matéria a forma do feto, que é o Ser futuro em potência. Esta potência deverá ser atualizada no tempo pela dýnamis da matéria, até que se torne uma criança, depois um adolescente e depois um adulto, realizando integralmente sua forma potencial.Vale ressaltar que a passagem se faz sempre da Potência ao Ato. Para ajudar:  Ato = Morfos = Perfeito = Estático = Imutável  Potência = Hylé = Imperfeito = Dinâmico = Mutável Filosofia Primeira: relação com a Metafísica: Ato/Forma/O que o Ser é Filosofia Segunda: relação com a Física: Potência/Matéria/O que o Ser deverá ser  A relação da Filosofia Primeira e da Filosofia Segunda:

12 Aristóteles de Estagira Teoria do Primeiro Motor Imóvel Afirma que tudo que se move, deve ser movido por um outro. Neste sentido, somente o imóvel é causa absoluto do móvel, pois o ser movente se move, porque deseja não mais se mover – isto é, o ser que se move, move-se para buscar a perfeição, que é a ausência de potência. Isso ocorre pelo fato de todo ser contingente aspirar uma identidade consigo mesmo, a saber: ser o que é. Neste sentido a perfeição do ser que é a essência nunca muda, já a matéria, por ser mutável, é uma imperfeição que dirige o seu thelos à perfeição  Tipos de seres: Ser Ato-Puro [sempre imóvel]: é o próprio Motor Imóvel, Ser que sempre foi idêntico a si mesmo, por isso nunca se moveu - é desde o início realizado. Ou seja, o Motor Perfeito [“Deus”], é o que é, pois jamais teve ou terá potencialidades. Além disso ele contém em si mesmo, em Ato, a perfeição que imprime os demais seres ditos contingentes/sensíveis. Seres contingentes [move-se rumo ao imóvel]: são seres que nem sempre existiram, por isso não são realizados por completo, tendo uma finalidade [thelos] que é encontrar a forma mais perfeita, a saber, o ato final. Continuação...

13 Aristóteles de Estagira Teoria do Primeiro Motor Imóvel  O thelos dado pelo Motor Imóvel aos seres contingentes: Todo o movimento dos seres contingentes é causado pela Substância (Eterna) Supra (Motor Imóvel) Sensível (Ato-Puro), comumente chamado de “Deus”. “Deus” em Aristóteles não é no sentido cristão, mas sim na forma de Ser que organiza o universo, dando a ele formas – isto é, essência. Nesse sentido a inteligência e o inteligível são uma só e mesma coisa em “Deus”, que pensa a si e por si mesmo. Dito de outro modo: “Deus “ é pensamento de pensamento [nóesis] ou o pensamento puro, que de longe move [cria/ordena] os seres contingentes.  Atenção! Continuação... Busto de Aristóteles

14 Para cada Ser contingente (gênero, espécie e indivíduo) existe uma entelequeia [realização de um Ato Final] própria, dada pelo seu thelos [fim] próprio. Portanto, a natureza dos seres agem sempre tendo em vista um thelos, uma finalidade... pois o thelos é a causa final do devir; e, a causa final é o motor do movimento. Aristóteles de Estagira Teoria do Primeiro Motor Imóvel  Exemplo de thelos dado pelo Moto Imóvel aos seres contingentes:  Veja o exemplo abaixo: Ato InicialAto Final Semente Olhos Feto Peixe Árvore Visão Nadar Pessoa O resultado final é a entelékheia

15 Aristóteles de Estagira Teoria da Causa Substancial [segunda] e Acidental  Definição: Causa Substancial [segunda]: é aquilo que faz parte da essência do ser, por isso não pode dele ser tirado. Causa Acidental: é aquilo que não faz parte da essência do ser, por isso pode dele ser tirado.  O exemplo de proposição é: S é p S: é substância ou essência primeira – sujeito da oração; é: cópula verbal – verbo de ligação; p: são as categorias/termos/atributos/grupos/classes: substancial segunda [é 1] e os acidentes [são 9] – predicado da oração. Continuação...

16 Aristóteles de Estagira Teoria da Causa Substancial [segunda] e Acidental  O que são proposições? São enunciados que podem ser atribuído valor de verdade, a saber: ou é verdadeiro ou é falso.  Exemplo: Todo homem é mortal: é proposição, pois pode ser acrescentado V ou F. Neste caso é (V) e dedutiva; Todo homem é imortal: é proposição, pois pode ser acrescentado V ou F. Neste caso é (F) e dedutiva; A Maria é bonita: é uma proposição, pois pode ser acrescentado V ou F. Neste caso... Ah! Neste caso sabe-se que ou é V ou é F, mas não dá para deferir, por isso é indutivo. Proibido fumar: não é proposição, pois não pode ser acrescentado V ou F; Não pise na grama: não é proposição, pois não pode ser acrescentado V ou F. Continuação...

17 Aristóteles de Estagira Teoria da Causa Substancial [segunda] e Acidental  Análise das categorias – “p”: S é “p”  Dado como exemplo as proposições abaixo, observe: Fim Sócrates é filósofo Sócrates é gordo Sócrates é mortal Sócrates é homem Sócrates é feio Acidente Substância  Logo:. A matéria e a forma por si só são, em relação aos seres contingentes, imperfeitas. A perfeição ocorre somente com a unidade de ambas que formam o Sìnolo Sínolo [perfeito]: Matéria + Forma


Carregar ppt "Aristóteles de Estagira 384 – 322 a.C. Considerações importantes sobre Aristóteles:  Pertence ao terceiro período da filosofia antiga, conhecido como."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google