A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

3 a Reunião do Grupo de Trabalho do P.I.F.E.C. – Processos de Integração Física, de Energia e de Comunicações COMITÊ DAS ROTAS DE INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "3 a Reunião do Grupo de Trabalho do P.I.F.E.C. – Processos de Integração Física, de Energia e de Comunicações COMITÊ DAS ROTAS DE INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA."— Transcrição da apresentação:

1

2 3 a Reunião do Grupo de Trabalho do P.I.F.E.C. – Processos de Integração Física, de Energia e de Comunicações COMITÊ DAS ROTAS DE INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL André Rüttimann e Rafael Marchesini Departamento de Integração da América do Sul 22/09/ a Reunião do Grupo de Trabalho do P.I.F.E.C. – Processos de Integração Física, de Energia e de Comunicações COMITÊ DAS ROTAS DE INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL André Rüttimann e Rafael Marchesini Departamento de Integração da América do Sul 22/09/2005

3 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil O BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para o financiamento de longo prazo, priorizando:   a recuperação e desenvolvimento da infra-estrutura   a modernização e ampliação da estrutura produtiva   a promoção das exportações   a redução das desigualdades sociais   o fomento às pequenas e médias empresas e APLs   a integração continental da América do Sul BNDES – Atuação Estratégica

4 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Operações de Comércio Exterior

5 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Operacões de Comércio Exterior  Oferecer linhas de crédito a exportação de bens e serviços de maior valor agregado, com as menores taxas e maiores prazos disponíveis  Aumentar a base exportadora, com ênfase no apoio às MPME´s  Ampliar os investimentos, o emprego e a renda no país  Promover a integração da América do Sul Objetivos

6 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil AEX: VISÃO RETROSPECTIVA é 1991: início das operações de apoio às exportações (Pré-embarque) é 1994: Pós-embarque (somente supplier’s credit) no âmbito do CCR é 1996/1997:  aumento do escopo setorial  mudança nas taxas, prazos e participação do BNDES  apoio às exportações de serviços  Pós-embarque buyer’s credit é2000/2001:  aumento da estrutura  Project Finance p/ setor de Petróleo & Gás (Repetro) é2002:  Pré-embarque (outras modalidades)   2003:  aumento da estrutura - Departamento de Comércio Exterior e Integração Sul- Americana  Ênfase em projetos de integração

7 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Elegibilidade Itens Elegíveis Bens de capital Serviços associados à exportação de bens e materiais Outros produtos manufaturados Índice de nacionalização igual ou superior a 60% do valor FOB Itens Não - Elegíveis Produtos de baixo valor agregado e matérias- primas intermediárias, tais como açúcar e álcool, grãos, suco de laranja, minerais, celulose e outras commodities

8 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Elegibilidade - Serviços Comercialização no exterior de serviços associados à exportação de bens elegíveis Comercialização no exterior de serviços de construção civil e engenharia, desde que as exportações brasileiras de bens a serem incorporados de forma definitiva ao projeto representem, no mínimo, 35% do valor total do financiamento

9 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Produtos Linhas Pré-embarque Financia a produção (capital de giro) de bens para exportação em embarques pré-determinados Linha Pós-embarque (buyer’s ou supplier’s credit) Financia a comercialização da exportação de bens e serviços

10 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Condições Gerais – Pós Embarque Custo Total: US$ + Libor + 2% a.a. Participação do BNDES: até 100% do valor total das exportações Prazos (inclusive carência): até 12 anos Garantias: negociadas caso a caso

11 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Pós-Embarque: Garantias Possíveis  Convênio de Pagamentos e Créditos Recíprocos (CCR /ALADI)  Seguro de Crédito às Exportações  Outras garantias passíveis de análise pelo BNDES:  Aval, fiança ou carta de crédito de banco de 1ª linha, no Brasil ou no exterior, com limite de crédito aprovado pelo BNDES  Garantias prestadas por Organismos Multilaterais de Crédito  Estruturas lastreadas em receitas diversas podem ser apresentadas ao SCE

12 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Apoio ao Comércio Exterior: Desembolsos Anuais US$ milhões Estimativa

13 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil ‘96‘96 ‘97‘97 ‘98‘98 ‘99‘99 4,0%4,0% 7,2%7,2% 12,5%12,5% 19,1%19,1% ‘00‘00 ‘01‘01 ‘02‘02 24,5%24,5% 23,9%23,9% 30,8%30,8% 33,0%33,0% 28,1%28,1% ‘03‘03 ‘04‘04 Créditos às Exportações no BNDES (%)

14 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil US$ milhão Apoio BNDES às Exportações de Serviços

15 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Integração Sul-Americana

16 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Desembolsos AEX Mercosul e América do Sul US$ milhão

17 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Integração Sul-Americana Carteira de Projetos Contratados ou Aprovados Ampliação Gasoduto S. Martin/ TGS (AR) UHE San Francisco (EQ) UHE La Vueltosa (VE) Ruta 10 (PR) Ampliação Metrô Santiago (CH) Ampliação Gasoduto Norte/ TGN (AR) Linhas 3 e 4 Metrô de Caracas (VE)

18 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Integração Sul-Americana – Ações Institucionais Acordos de Cooperação com a Venezuela, Bolívia, BICE e Banco de la Nación Argentina, visando apoio financeiro a exportações brasileiras de bens e serviços destinados a projetos de interesse dos governos e prioritários para a integração da América do Sul Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria do MERCOSUL Intercâmbio de informações com organismos multilaterais (CAF, BID) e instituições relacionadas com a integração: IIRSA, ALADI, ALIDE, entre outras

19 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Integração Sul-Americana - Garantias PRINCIPAL QUESTÃO PARA A VIABILIDADE DOS FINANCIAMENTOS MECANISMOS DE GARANTIAS PARA PROJETOS DE INTEGRAÇÃO FÍSICA E REGIONAL, ESPECIALMENTE OS DE CARÁTER PÚBLICO NECESSIDADE DE OS BANCOS CENTRAIS DA AMÉRICA DO SUL REVISAREM SEUS PROCEDIMENTOS PARA APOIAR OPERAÇÕES DE LONGO PRAZO

20 BNDES – Banco de Desenvolvimento do Brasil Integração Sul-Americana - CONCLUSÕES EXPORTAÇÃO DE BENS E SERVIÇOS BRASILEIROS MECANISMOS DE GARANTIAS PARA PROJETOS DE INTEGRAÇÃO FÍSICA E REGIONAL, ESPECIALMENTE OS DE CARÁTER PÚBLICO PARTICIPAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS EM INVESTIMENTOS NA AMÉRICA DO SUL AUMENTO DO COMÉRCIO BILATERAL E MULTILATERAL

21


Carregar ppt "3 a Reunião do Grupo de Trabalho do P.I.F.E.C. – Processos de Integração Física, de Energia e de Comunicações COMITÊ DAS ROTAS DE INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google