A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Manual de Administração SIS-MA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Manual de Administração SIS-MA"— Transcrição da apresentação:

1 Manual de Administração SIS-MA
SISMA – Sistema de Informação de Saúde para Monitoria e Avaliação Data: Maio de 2014 Versão 1.0

2 Agradecimentos  A MOASIS (mozambican open architectures, standards and information systems) expressa os seus agradecimentos a: - Jembi Health Systems; - Departamento de Informação para a Saúde do Ministério da Saúde da República de Moçambique; - Pessoal das Direcções Provinciais de Saúde e respectivos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social (SDSMAS), em particular os técnicos dos Núcleos de Estatística e Planificação (NEPs) e Médicos Chefes Distritais de Saúde incluindo o pessoal das unidades sanitárias envolvidas. - CDC (U.S. Centers for Disease Control and Prevention). - e a todos aqueles que directa ou indirectamente contribuíram pessoal ou institucionalmente e de forma desinteressada mas preciosa para a produção e divulgação do presente manual e para o sucesso deste projecto em geral. "O desenvolvimento do presente manual e do respectivo projecto beneficiaram do apoio do Acordo de Cooperação entre o Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Centros para o Controle de Doenças e Prevenção - Divisão de HIV/SIDA Global e Jembi Health Systems/MOASIS [Co-operative Agreement Nº U2G/PS ]. O seu conteúdo é da exclusiva responsabilidade dos autores e não representa necessariamente a posição oficial do CDC. "

3 Índice Capítulo Pág. 1 Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central – Online 4 2 Instalação e Configuração do SIS-MA nas máquinas Clientes – Offline 20 3 Instalação e Configuração do OTRS 24 Instalação e Configuração do Icinga 40 5 Ficha Técnica 52 Apresentar o índice

4 Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central – Online

5 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
Pré-requisitos do Servidor Criação de um novo Utilizador Ajuste do Sistema operativo Kernel Instalação de JAVA Instalação do motor de Base de dados PostgreSQL Configuração de ligação da aplicação à Base de Dados Instalação do Serviço Aplicacional Tomcat Executar o SISMA

6 Pré-requisitos Mínimos 2 Pré-requisitos Recomendados
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Pré-requisitos do Servidor O SISMA é uma aplicação com uma base de dados intensiva e requer que o servidor tenha memória RAM, núcleos de CPU e disco rígido adequados. Para sua instalação deve-se ter em conta os seguintes pré-requisitos de Software e Hardware: 1 Pré-requisitos Mínimos 2 Pré-requisitos Recomendados Sistema Operativo: Linux Ubuntu ou Superior Motor de Base de dados: PostgreSQL Serviço aplicacional: Tomcat Memória RAM: Pelo menos 4 GB por uma instância pequena. CPU: 4 Núcleos de CPU para instância pequena. Disco Rígido: Disco de 7200 RPM, velocidade minima de leitura deve ser de 150 Mb/s Mb/s Sistema Operativo: Linux Ubuntu ou Superior Motor de Base de dados: PostgreSQL Serviço aplicacional: Tomcat Memória RAM: Pelo menos 12 GB . CPU: 8 Núcleos de CPU para instância pequena - Processador quad-core 2GHZ ou superior Disco Rígido: Disco SSD, velocidade de leitura deve ser 350 Mb/s ou superior

7 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Criação de um novo Utilizador Não é recomendado a execução usando o utilizador “root”. Se pretender criar um novo utilizador para a execução do SISMA, invoque os seguintes comandos: # Descrição Comando na terminal 1 Criar um novo utilizador chamado “sisma”: useradd –d /home/sisma –m sisma –s /bin/bash 2 Se não existe um grupo admin, deve-se cria-lo: groupadd admin 3 Atribuir ao utilizador a execução temporarária de operações como root: usermod –G admin sisma 4 Atribuir uma palavra passe para a conta: passwd sisma 5 Certificar que introduziu uma palavra passe forte. Se pretender desabilitar o login remoto para a conta root invoque o comando: sudo passwd –l root

8 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Ajuste do Sistema Operativo Kernel Para o ajuste do Sistema Operativo Kernel, siga os passos abaixo (Estas configurações são opcionais, excepto a configuração da memória partilhada, pois é necessário para a alocação em postgreSQL). 1 Abra o ficheiro de configurações Kernel invocando na terminal: sudo nano /etc/sysctl.conf 2 No final do ficheiro adicione as seguintes linhas ao lado: Estas configurações são opcionais, excepto a configuração da memória partilhada, pois é necessário para a alocação em postgreSQL. Deve ajustar esses valores dependendo das caracteristicas do servidor kernel.shmmax = net.core.rmem_max = net.core.wmem_max = 3 Grave as alterações fazendo com que estas tenham efeito: sudo sysctl -p

9 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Instalação de JAVA O SIS-MA foi desenvolvidousando a linguagem JAVA. Para a sua instalação, siga os seguintes comandos: 1 Para a instalar o Java invoque o seguinte comando: sudo apt-get install openjdk-7-jdk 2 Verifique se a instalação correu bem invocando: (Deverá obter como output a versão do Java instalado) java -version

10 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Instalação do motor de Base de Dados PostgreSQL 1 Para a instalação do motor de base de dados PostgreSQL versão 9.1, primeiramente deve-se adiciona-lo ao repositório de pacotes Ubuntu para o sistema em uso. sudo apt-get install python-software-properties sudo add-apt-repository ppa:pitti/postgresql sudo apt-get update 2 Invoque o seguinte comando para instalar o PostgreSQL sudo apt-get install postgresql-9.1 3 Mude para o utilizador postgres usando: sudo su postgres 4 Crie um utilizador não previlegiado chamado “sisma” e Introduza uma palavra passe segura no prompt createuser -SDRP sisma 5 Crie a base de dados para a aplicação SISMA, invocando: createdb -O sisma <Nome da base de dados> 6 Retorne a sessão executando: exit Após execução dos comandos citados, o motor de base de dados PostgreSQL estará instalado, com um utilizador postgreSQL “sisma” e com as base de dados para o SIS-MA definida pela utilizador.

11 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Instalação do motor de Base de Dados PostgreSQL Após instalação do PostgreSQL e criação de uma base de dados para a aplicação SIS-MA, é necessário ajustar alguns parâmetros de forma a obter um melhor desempenho. 7 Faça o ajuste de desempenho, abrindo o arquivo “postgresql.conf”: sudo nano /etc/postgresql/9.1/main/postgresql.conf 8 Defina as seguintes propriedades para o ajuste de desempenho (estas foram definidas tendo como base o minimo de pré-requisito definido para o servidor. É necessário que ajuste estes valores de acordo com as carateristicas do servidor a ser instalado o SIS-MA): shared_buffers = 2400MB work_mem = 20MB maintenance_work_mem = 256MB effective_cache_size = 8000MB checkpoint_segments = 32 checkpoint_completion_target = 0.8 wal_buffers = 16MB synchronous_commit = off wal_writer_delay = 10000ms 9 Faça o restart do PostgreSQL invocando: sudo /etc/init.d/postgresql restart

12 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Configuração de ligação da aplicação à Base de Dados A informação da conexão entre a aplicação SIS-MA e a base de dados é fornecida através da configuração de um ficheiro chamado “hibernate.properties”. 1 Crie um ficheiro chamado hibernate.properties contendo os parâmetros definidos ao lado e guarda o ficheiro em local conveniente. Nos parâmetros ao lado, deve-se tomar em atenção o seguinte: <NOME DA BD SISMA> - Base de dados criada nos passos anteriores para a aplicação SISMA. Username – Utilizador criado para a base de dados SISMA Password – Senha indicada para o utilizador criado. hibernate.dialect = org.hibernate.dialect.PostgreSQLDialect hibernate.connection.driver_class = org.postgresql.Driver hibernate.connection.url = jdbc:postgresql:<NOME DA BD SISMA> hibernate.connection.username = sisma hibernate.connection.password = xxxx hibernate.hbm2ddl.auto = update 2 O ficheiro “hibernate.properties” contêm a senha em texto claro para a sua base de dados, logo, é preciso proteger contra acessos não autorizados, dando permissão de leitura e escrita ao utilizador “sisma” Para isso invoque o comando ao lado. Nota: este comando deve ser executado no directório onde se localiza o ficheiro hibernate.properties chmod hibernate.properties

13 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Instalação do Serviço Aplicacional Tomcat Para a instalação do Tomcat faça download do Tomcat usando um browser apartir do link: Extraia o ficheiro para uma localização conveniente. 1 Limpe todos os ficheiros existentes na pasta webapps dentro do ficheiro descarregado, através do comando: rm -rf webapps/* Apartir da pasta do projecto SISMA, \SISMA - Management Repository\deliverables\Phase 4 - Software development, copie os ficheiros “SISMA.WAR” e “ROOT.war” para o directório webapps. Crie um ficheiro chamado setenv.sh e coloque dentro da pasta bin localizado dentro da pasta do tomcat extraido e adicione no ficheiro as linhas abaixo. 2 O primeiro comando vai definir a localização do seu Java Runtime Environment; O segundo comando vai dedicar memória para o Tomcat (Deve-se adaptar de acordo com a memória RAM da máquina); O terceiro comando vai especificar o directório onde irá especificar o local para onde SIS-MA vai procurar o ficheiro de configuração hibernate.properties para leitura de dados. export JAVA_HOME='/usr/lib/jvm/java-7-openjdk' export JAVA_OPTS='-Xmx7500m -Xms4000m -XX:MaxPermSize=500m -XX:PermSize=300m' export DHIS2_HOME='/home/sisma/config'

14 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Instalação do Serviço Aplicacional Tomcat Para configurar a porta que o Tomcat que atende aos pedidos, abra o ficheiro de configuração do Tomcat no directório /conf/server.xml, localize o elemento <Connector> que não é comentada e altere o valor do atributo da porta para o número da porta desejada. Exemplo: Usando a porta 8082 <Connector port="8082" protocol="HTTP/1.1" connectionTimeout="20000" redirectPort="8443" URIEncoding="UTF-8" /> 1 O log é a principal fonte de informação para monitorar o comportamento do Tomcat. Os registos podem ser facilmente visualizados a partir do comando: tail -f logs/catalina.out

15 1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central
1. Instalação e Configuração do SIS-MA no Servidor Central Executar o SIS-MA 1 Atribua previlegios de execução para os ficheiros no directório bin apatir do comando: chmod 755 bin/* 2 O SISMA pode ser iniciado/interrompido invocando: bin/startup.sh bin/shutdown.sh 3 O ficheiro log pode ser monitorado através do comando: tail -f logs/catalina.out Execução do SISMA Use o Google chrome para o acesso ao SIS-MA Link de Acesso: configurada> Para aceder a instância SISMA, apartir de um outro computador na rede, use: Link de Acesso:http://IP do servidor:<porta configurada>, ou configurada>

16 Instalação e Configuração do SIS-MA nas máquinas Clientes – Offline

17 2. Instalação e Configuração do SIS-MA nas máquinas Clientes
Pré-requisitos da máquina Instalação do SIS-MA Acesso ao SIS-MA

18 2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline
2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline Pré-requisitos da máquina A aplicação SIS-MA no modo offline será instalado nas máquinas onde não há acesso a internet, ou o mesmo é limitado. Este SIS-MA usa motor de base de dados H2, e o serviço aplicacional Jetty Para o funcionamento do SIS-MA modo offline, deve se garantir os seguintes requisitos mínimos: 1 Pré-requisitos Mínimos Sistema Operativo: Windows XP ou 7 Memória RAM: Mínimo 1 GB. Browser: Google Chrome

19 2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline
2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline Instalação do SIS-MA 1 O SIS-MA dispõe de um instalador para o modo on-line e off-line. Executando o mesmo, Será aberto o “Janela” de instalação, clique no botão “Seguinte>”para avançar com a instalação. Na janela “tipologia de instalação” caso seleccione modo on-line, será apenas instalado o browser Google Chrome. Na instalação offline, o utilizador será guiado através dos diversos passos da instalação seleccione a opção “Offline”> clique em “Seguinte”. Na janela “Importação de configurações”, o utilizador tem a possibilidade de escolher as seguintes opções de importação de configurações: Base de dados limpa - Criação de uma base de dados limpa, sem dados. Base de dados com configurações - Criação de base de dados com configurações. Base de dados com configurações e histórico - Criação de uma base de dados com a possibilidade de escolha da Província e seu respectivo histórico de dados. 2 3

20 2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline
2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline Instalação do SIS-MA 4 Na janela “Seleccione a localização de destino” mantenha a localização por defeito e clique em “Seguinte”; Na janela “Seleccione os componentes” seleccione a opção de “instalar o Google Chrome” caso a sua máquina não tenha o Browser instalado. Caso contrário seleccione a opção de “não instalar nenhuma componente”. Prossiga clicando no botão “Seguinte”; Na janela seguinte seleccione a opção de criar ícone no Ambiente de trabalho se assim o desejar ou não seleccione caso não pretenda ter o ícone de atalho da aplicação do SIS-MA. Clique em “Seguinte”; 5 6

21 2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline
2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline Instalação do SIS-MA 7 Esta é uma janela de mera informação do local, tipo e tarefas que serão instaladas. Prossiga com a instalação clicando novamente no botão “ Seguinte”; Se a aplicação necessitar do java seleccione o JRE>=1.7 que a janela apresenta. Conclua e passe para a janela seguinte; A instalação é iniciada e concluída após algum tempo. Termine a instalação clicando no botão “Concluir”; 8 9

22 2. Instalação do SIS-MA nas máquinas em modo offline Acesso ao SIS-MA
1 Aceda à aplicação através do ícone de atalho SIS-MA ou pelo menu de Todos os Programas. Aguarde enquanto a aplicação abre os serviços necessários. Este processo pode levar algum tempo 2

23 Instalação e Configuração do OTRS

24 3. Instalação e configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS)
Conceito do OTRS e enquadramento com o SIS-MA Lista de processos/Fluxos Pré-requisitos da máquina Instalação e Configuração Acesso ao OTRS Configurações de Administração do OTRS Configuração de Filas de Pedidos Configuração de Grupos de Agentes Configuração de Agentes Relação Agente-Grupo Criação de um cliente (Customer) Configuração de Estados de Pedidos (Tickets)

25 Enquadramento no SIS-MA
3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Conceito e enquadramento no SIS-MA O que é o OTRS? OTRS- Open-source Ticket Request System, é um sistema de gestão de incidências livre e de código aberto que uma empresa, organização ou outra entidade pode usar para atribuir rótulos para a entrada de requisições e acompanhar comunicações futuras sobre elas. É um meio de gerenciar consultas recebidas, reclamações, pedidos de suporte, relatórios de defeitos e outras comunicações. Enquadramento no SIS-MA O OTRS é um sistema web, sem custos, direccionado para o registo de pedidos de Help Desk (ex. pedidos de suporte, ou pedidos de resolução de um determinado problema) que permitirá aos utilizadores do SIS-MA a criação de pedidos via internet para a resolução de determinados tipos de acções/problemas encontrados no dia-a-dia associados a aplicação SIS-MA.

26 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Lista de Processos/Fluxos no OTRS Para a integração entre o SISMA e o OTRS foram definidos uma lista de processos que serão disponibilizados aos diferentes utilizadores que terão acesso ao OTRS, como pode veriticar na tabela abaixo Lista de Processos/Fluxos ID Pedidos Requisitante Responsável 1 Suporte - Utilizadores Criaçao/Actualização de Utilizadores Todos utilizadores do SIS-MA Administrador de Sistema/Equipa de Suporte à aplicação Criação/Actualização de Funções Outros 2 Suporte - Funcionalidades Criação/Actualização de Formulários Responsável do Programa Director da DPS, Director Nacional da DPS, DIS/DPC, Administrador do sistema Criação/Actualização de Relatórios Criação/Actualização de Unidades Organizacionais Director Províncial de Saúde

27 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Lista de Processos/Fluxos no OTRS Os pedidos no OTRS possuem o seu ciclo de vida, com vários estados possíveis, todas elas manualmente configuráveis no sistema. Um pedido começa sempre em estado submetido após a sua criação, passa por vários estados intermédios, até o pedido ser resolvido e fechado.

28 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Pré-requisitos da máquina
O OTRS requer como requisitos mínimos para o seu bom funcionamento, o seguinte: 1 Pré-requisitos Mínimos Sistema Operativo: Linux ubuntu 12.04 Memória RAM: Pelo menos 4 GB. Disco Rigido: 250GB

29 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Instalação e Configuração do OTRS Para instalar e configurar correctamente, deve-se seguir os passos abaixo: # Descrição Comando na terminal 1 Actualização completa do sistema operativo Linux sudo apt-get install aptitude sudo aptitude update sudo aptitude dist-upgrade 2 Instalação de aplicativos de suporte – Serviço Aplicacional Apache e o SGBD MYSQL (Caso já tenha instalado na maquina os aplicativos deverá cancelar e passar para o passo seguinte) sudo apt-get install build-essential libgd2-xpm-dev sudo apt-get install mysql-server libapache2-mod-auth-mysql php5-mysql 3 Instalação do OTRS - Download do OTRS versão 3.3.5 wget 4 Descomprima o ficheiro tar.gz, e mova o ficheiro para directório /opt, alterando o nome da paste de otrs para otrs tar -xzf otrs tar.gz mv otrs /opt mv otrs otrs 5 Instalação do módulo perl sudo aptitude install libapache2-mod-perl2 libdbd-mysql-perl libnet-dns-perl libnet-ldap-perl libio- socket-ssl-perl libpdf-api2-perl libsoap-lite-perl libgd-text-perl libgd-graph-perl libapache-dbi-perl mysql-server

30 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Instalação e Configuração do OTRS 6 Configuração do apache- Deve-se copiar os ficheiros sample configuration. O sistema irá usar mais tarde estes ficheiros, localizados em /opt/kernel e /opt/otrs/Kernel/Config, tendo um sufixo .dist cd /opt/otrs/Kernel cp Config.pm.dist Config.pm cp Config/GenericAgent.pm.dist Config/GenericAgent.pm 7 O directório apache em /etc/apache ou /etc/apache2. Use o utilizador root e altere o seu directório para conf.d e copie o template apropriado em /opt/otrs/scripts/apache2-httpd.include.conf para um ficheiro chamado otrs.conf no directório de configurações Apache. sudo su cd /etc/apache2/conf.d cp /opt/otrs/scripts/apache2-httpd.include.conf /etc/apache2/conf.d/otrs.conf 8 Restart ao seu web Server para o carregamento de novas configurações /etc/init.d/apache2 restart

31 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Instalação e Configuração do OTRS Após finalizar o processo de instalação do OTRS, este estará acessível apartir de um browser para a configuração final. Para aceder abra um browser (Mozilla ou google Chrome) e insira o seguinte link: 1 Verificação da informação sobre o OTRS e Clique em Next para continuar; Clique em aceitar e next para continuar. Em seguida deve-se criar a base de dados para o OTRS, indicando as seguintes informações: Admin User, Admin password, Host, Type (<Tipo de Base de dados a usar. Seleccione Mysql>). Após terminar, Clique em check databases settings para verificar se as informações introduzidas estão correctas. 2 3

32 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Instalação e Configuração do OTRS 4 Caso a sua configuração seja bem- sucedida, visualizará uma interface que as configurações passaram a validação; Configuração de , pode ser feito posteriormente, clique em Next para continuar; A configuração do OTRS está assim terminada, é gerada os dados da conta para acesso ao OTRS, podendo posteriormente alterar a senha default criada; 5 6

33 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Acesso ao OTRS
Após o término da instalação e configuração, o OTRS disponibiliza 2 interfaces de visualização: 1 Interface Web do Agente 2 Interface Web do Cliente Permite que os Agentes possam responder os pedidos dos clientes; Permite criar novos pedidos para os clientes ou outros Agentes; Permite a alteração dos dados dos clientes, etc. Link de Acesso: Os clientes têm uma interface Web separada no OTRS Os clientes podem criar e editar os seus pedidos e obter uma visão geral dos pedidos por eles criados. Link de Acesso:

34 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Configuração de Administração do OTRS Configuração de Filas de Pedidos No OTRS os pedidos (Tickets) são guardadas em filas (queues) e sub-filas (sub-queues). Configuração de Filas de Pedidos Ex: Fila: Suporte – Utilizadores Sub-Fila: Criação de novo utilizador 1 Acede-se a Interface Web do Agente, Login com perfil de Administrador; Clica-se no menu do topo o botão “Administração ”; Na secção “Definições de filas” clique a opção “Fila”. Clique no botão “Adicionar Fila”; Preencha o formulário com os detalhes da fila que se pretende criar: O campo sub-fila é usado para relacionar uma fila dentro da outra. O campo Grupo define o tipo de utilizadores que tem acesso aos pedidos direccionados a esta fila 2 3 4

35 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Configuração de Administração do OTRS Configuração de Grupos de Agentes Os agentes são utilizadores que tem acção sobre os pedidos requisitados pelos clientes. Estes podem editar os pedidos, responder, visualizar ou encaminhar. O grupo de agentes é onde se define os privilégios do agente do grupo. 1 Para a criação de um grupo de agentes seleccione no painel principal da administração, Grupos, dentro da área de gestão de agentes; No painel pressione o botão “Adicionar grupo” No formulário abaixo preencha com um nome, e coloque como o grupo como válido e clique em “Submeter”. 2 3

36 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Configuração de Administração do OTRS Configuração de Agentes 1 Para criar os agentes seleccione no painel de administração o botão Agentes na área de gestão de agentes. Em seguida pressione em adicionar agente; Preencha o formulário com os dados do agente e clique em “submeter”. 2 3

37 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Configuração de Administração do OTRS Relação Agente - Grupo As relações entre Agente e Grupo permite a um agente pertencer a um ou mais grupos, obtendo assim as permissões indicadas para cada grupo. 1 1 Para entrar nesta funcionalidade, no painel de administração clique “Agentes<>Grupos” . O painel que segue mostra de um lado os agentes configurados na aplicação e do outro os grupos; Clicando sobre qualquer um dos elementos das listas, é possível visualizar os seus privilégios. Nas referências indicado a amarelo na imagem, pode-se ter uma descrição de cada privilégio. 2 3

38 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Configuração de Administração do OTRS Criação de um cliente (Customer) O cliente é todo o utilizador que tem o privilégio de criar um pedido de suporte no sistema, enviando o pedido para os agentes para a sua resolução. 1 Para criar um cliente basta no painel de administração dentro da secção “Gestão de clientes” clicar em “Customer User” Clicar em “Add customer user”; Preencha o formulário e clicar no botão “Submeter” 2 3

39 3. Instalação e Configuração do Open-Source Ticket Request System (OTRS) Configuração de Administração do OTRS Configuração de Estados de Pedidos Como todos os pedidos passam por um estado, desde o inicio (Submetido) até ao fecho (Fechado), o OTRS permite a configuração de diferentes tipos de estados. 1 No painel de administração na área de “Definições de tickets” clique a opção “Estados”; Clicar no botão ”Adicionar Estado” Preencha o formulário com o nome e o tipo de que pretende fornecer o estado e clicar no botão “Submeter”. Por padrão o OTRS possui alguns estados pré-configurados, podendo nesse caso altera-los ou criar novos. 2 3

40 Instalação e Configuração do ICINGA

41 4. Instalação e Configuração do Icinga
Icinga: Conceito e enquadramento no SIS-MA Pré-requisitos da máquina Parâmetros Monitorados Instalação e Configuração Acesso ao icinga Monitorização de uma máquina remota Configurações da máquina remota Configurações do Servidor icinga Configurações dos parâmetros/serviços a monitorar

42 Enquadramento no SIS-MA
4. Instalação e Configuração do ICINGA Conceito e enquadramento no SIS-MA O que é o Icinga? ICINGA é um sistema de monitoramento de qualidade de código aberto, que vigia as redes e qualquer recurso de rede concebível, notifica o usuário sobre os erros e as recuperações e gera os dados de desempenho para relatórios. É extensível, e pode monitorar, grandes ambientes complexos em toda locais dispersos. O ICINGA implica a instalação e configuração de dois serviços: ICINGA CORE e ICINGA WEB. O primeiro é o sistema de backoffice que garante a configuração dos parâmetros a recolher e toda a componente de recolha automática e de alarmística. A segunda componente é a componente de acesso à monitorização e reporting por parte de utilizadores com perfis associados. Enquadramento no SIS-MA O ICINGA, é uma aplicação Web, sem custos, e a sua instalação no MISAU estará focada em providenciar uma elevada qualidade de serviço no SISMA, através da monitorização activa dos servidores e serviços que correm no mesmo. A ferramenta possibilita também a configuração de alertas/notificações, garantindo uma rápida reacção das equipas técnicas de suporte, em caso de quebras de serviços críticos ao SIS-MA.

43 4. Instalação e Configuração do ICINGA Parâmetros a monitorar
Parâmetros/Serviços Descrição Alerta Significado Acesso ao Servidor Monitorização constante do uptime do servidor UP Servidor Ligado DOWN Servidor Desligado Endereço externo desligado Serviço Aplicacional do SISMA - TomCat Monitorização do estado do servidor aplicacional Tomcat, fundamental para o SIS-MA OK Processo TOMCAT do SIS-MA em execução WARNING Vários processos (Acima do Esperado) TOMCAT a correr simultâneamente CRITICAL O processo Tomcat do SIS-MA não está em funcionamento Memória RAM Monitorização do consumo da memória RAM do servidor Central onde o SIS-MA estará instalado <80% Consumo de memória total aceitável Entre 80 a 90 % O Alerta para o memória. Prestes a atingir o consumo máximo >90% O consumo de memória atingiu máximo Disco Rígido Monitorização constante do uso do disco rígido do servidor central Consumo de disco rígido aceitável Entre 80 a 90% Alerta para o disco rigido. Prestes a atingir o consumo máximo <90% Disco Rígido prestes a atingir o consumo máximo

44 4. Instalação e Configuração do ICINGA Pré-requisitos da máquina
Para a correcta instalação da ferramenta de monitorização ICINGA, deve-se garantir os seguintes requisitos minimos: 1 Pré-requisitos Mínimos Sistema Operativo: Linux Ubuntu 12.04 Memória RAM: Pelo menos 4 GB. Disco Rigido: 250GB

45 4. Instalação e Configuração do ICINGA
4. Instalação e Configuração do ICINGA Instalação e Configuração do Icinga-Core Para a instalação e configuração do ICINGA-Core, siga os passos abaixo: # Descrição Comando na terminal 1 Actualização completa do sistema operativo Linux sudo apt-get install aptitude sudo aptitude update sudo aptitude dist-upgrade 2 Instalação do serviço aplicacional Apache sudo apt-get install apache2 build-essential libgd2-xpm-dev 3 Instalação de softwares necessários (a instalação do pacote dbconfig-commom será usado para questionar ao utilizador sobre o acesso a base de dados). sudo apt-get install dbconfig-common 4 É necessário adicionar o pacote do icinga e actualiza-lo para a mais recente versão. sudo apt-get install python-software-properties sudo add-apt-repository ppa:formorer/icinga sudo apt-get update 5 Instalação dos pacotes icinga, icinga-idoutils e do motor de base de dados Mysql (Durante a instalação, poderá ser necessário fornecer alguns dados e configurar o utilizador de acesso ao motor de base dados Mysql Certifique-se de fornecer respostas válidas) sudo apt-get install icinga icinga-idoutils mysql-server libdbd-mysql mysql-client

46 4. Instalação e Configuração do ICINGA
4. Instalação e Configuração do ICINGA Instalação e Configuração do Icinga-Core 6 É necessário activar o serviço ido2db no directório /etc/default/icinga, colocando o ido2db para “yes”. Para isso, altere o ficheiro através do seguinte comando: nano /etc/default/icinga 7 Abra o ficheiro idoutils.cfg e copie o seguinte código abaixo, caso não exista deverá ser criado: define module{ module_name idomod module_type neb path /usr/lib/icinga/idomod.so args config_file=/etc/icinga/idomod.cfg } cd /etc/icinga/modules nano idoutils.cfg 8 Para garantir que as alterações foram feitas com sucesso, execute o seguinte comando: ln -s /usr/lib/icinga/idomod.so /usr/sbin/ 9 Para que o icinga envie notificações, Edite o ficheiro contacts_icinga.cfg . Altere Altere para seu endereço- . nano /etc/icinga/objects/contacts_icinga.cfg

47 4. Instalação e Configuração do ICINGA
4. Instalação e Configuração do ICINGA Instalação e Configuração do Icinga-Web Para a instalação e configuração do ICINGA-Web, siga os passos abaixo: # Descrição Comando na terminal 1 Para a instalação do icinga-web, adicione o pacote ao repositório, actualize para obter a versão mais recente e efectue a instalação, apartir do comandos abaixo. sudo add-apt-repository ppa:formorer/icinga-web sudo apt-get update sudo apt-get install icinga-web

48 4. Instalação e Configuração do ICINGA Acesso ao ICINGA
Após o término da instalação e configuração, o icinga disponibiliza 2 interfaces de visualização: 1 Icinga Core 2 Icinga Web Componente mais administrativa Link de Acesso: Utilizador:icingaadmin Palavra-passe:xxxx Componente para o utilizador geral Link de Acesso: Utilizador:icingaadmin Palavra-passe:xxxx

49 4. Instalação e Configuração do ICINGA
4. Instalação e Configuração do ICINGA Monitorização de uma máquina remota O ICINGA permite a monitorização de máquinas remotas na mesma rede ou ambientes dispersos, recorrendo aos diferentes plugins para diferentes sistemas operativos.O plugin Nagios Remote Plugin Executor  (NRPE) permite a recolha de informação em ambientes linux. A figura abaixo mostra como é feita a execução dos processos a partir do servidor icinga para maquina remota Linux.

50 4. Instalação e Configuração do Icinga
4. Instalação e Configuração do Icinga Monitorização de uma Máquina Remota Configurações da Máquina Remota # Descrição Comando na terminal sudo apt-get install nagios-nrpe-server 1 Instalação do servidor “Servidor NRPE” na máquina remota a monitorar: 2 Instalação do plugin do nagios sudo apt-get install nagios-plugins 3 Deve-se editar o ficheiro nrpe.cfg localizado em /etc/nagios/nrpe.cfg. Na linha allowed_hosts= deve-se adicionar o endereço IP do servidor ICINGA (os hosts devem ser separados por vírgula. Na linha dont_blame_nrpe=0, deve – se mudar o valor para 1 nano /etc/nagios/nrpe.cfg 4 Salve as alterações feitas no passo anterior e faça restart do nagios-nrpe-server Salve as alterações feitas no passo anterior e faça restart do nagios-nrpe-server

51 4. Instalação e Configuração do Icinga
4. Instalação e Configuração do Icinga Monitorização de uma Máquina Remota Configurações no Servidor Icinga Após instalação do plugin Servidor-NRPE na máquina remota a monitorar, é preciso instalar o plugin do NRPE no servidor onde está instalado o ICINGA, onde este será responsável por enviar comandos para os computadores monitorados. Os passos seguintes ilustram como este plugin deverá ser instalado e configurado: # Descrição Comando na terminal 1 Download do nagios-nrpe-plugin wget -O nrpe.tgz 2 Instalação do plugin do nagios tar xzf nrpe.tgz 3 Salve as alterações feitas no passo anterior e faça restart do nagios-nrpe-server cd nrpe-2.12 ./configure --enable-ssl make all make install-plugin 4 Instalação nagios-nrpe-plugin (contém as definicoes dos comandos check_nrpe) /usr/lib/nagios/plugins/check_nrpe -H <IP_MAQUINA_REMOTA> 5 Verificação da Instalação, O comando acima deverá retornar a versão do NRPE instalado. Ex: NRPE v2.12 wget -O nrpe.tgz

52 4. Instalação e Configuração do ICINGA
4. Instalação e Configuração do ICINGA Configuração de parâmetros/Serviços a monitorar Abaixo é indicado um exemplo da forma correcta de configurar um serviço no icinga: Para monitorar o Acesso ao servidor é necessário adicionar o seguinte codigo abaixo no ficheiro localizado em etc/icinga/objects/localhost_icinga.cfg; Editar o ficheiro hostgroups_icinga.cfg, acrescentando o servidor icinga na área dos “members” 1 2

53 República de Moçambique
7. Ficha Técnica República de Moçambique Ministério da Saúde Projecto SISMA – Sistema de Informação de Saúde para Monitoria e Avaliação Titulo Manual de Administração SIS-MA Data Maio de 2014 Versão 1.0 Editores Critical Software – Eurosis - Colaboração MISAU – MOASIS – Jembi Health Systems – CDC -


Carregar ppt "Manual de Administração SIS-MA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google