A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Professora: Vilma Paixão Disciplina: Língua Portuguesa Aula 2 e 3 – 03/05/2012 e 10/05/2012 - Tairu. Aula 1 e 2 – 07/05/2012 e 14/05/2012- Mar Grande.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Professora: Vilma Paixão Disciplina: Língua Portuguesa Aula 2 e 3 – 03/05/2012 e 10/05/2012 - Tairu. Aula 1 e 2 – 07/05/2012 e 14/05/2012- Mar Grande."— Transcrição da apresentação:

1 Professora: Vilma Paixão Disciplina: Língua Portuguesa Aula 2 e 3 – 03/05/2012 e 10/05/ Tairu. Aula 1 e 2 – 07/05/2012 e 14/05/2012- Mar Grande. Professora: Vilma Paixão Disciplina: Língua Portuguesa Aula 2 e 3 – 03/05/2012 e 10/05/ Tairu. Aula 1 e 2 – 07/05/2012 e 14/05/2012- Mar Grande. PRÉ-VESTIBULAR QUILOMBO ILHA 30/04/2012

2 FRASE é o enunciado que estabelece uma comunicação de sentido completo. ORAÇÃO é o enunciado que contém um verbo ou uma locução verbal. 30/04/2012

3 PERÍODO – é a frase formada por uma ou mais orações. Período simples é constituído de uma só oração. Período composto é constituído de duas ou mais orações. 30/04/2012

4 SUJEITO é o ser de quem se declara alguma coisa. PREDICADO é tudo aquilo que se diz sobre o sujeito. Em geral, o verbo do predicado concorda em gênero e número com o sujeito. 30/04/2012

5 Leia estas orações. a)O marido de Helga pensou bem sobre o assunto. b)Os amáveis anfitriões vão servir filé e lagostas. - Agora, responda: quais são os sujeitos dessas orações? - Identifique os núcleos dos sujeitos. 30/04/2012

6 Como esses sujeitos são constituídos por um só núcleo, são chamados de sujeitos simples. SUJEITO SIMPLES é aquele que apresenta um só núcleo. 30/04/2012

7 Observe os sujeitos nestas orações. a)Helga e Hagar decidiram ir à festa juntos. b)As palavras finais dele e sua atitude agradaram-na. Há mais de um núcleo no sujeito de cada oração. Quais são eles? 30/04/2012

8 Como esses sujeitos são constituídos por mais de um núcleo, são chamados de sujeitos compostos. SUJEITO COMPOSTO é aquele que apresenta mais de um núcleo. 30/04/2012

9 Há casos em que o sujeito não está expresso claramente na frase, mas é possível identificá-lo pela desinência verbal. a)Estamos apreensivos com o resultado dos exames. 30/04/2012

10 Sujeito oculto: nós SUJEITO OCULTO (IMPLÍCITO OU DESINENCIAL) é aquele que está implícito na desinência ou terminação verbal. 30/04/2012

11 Às vezes, não é possível dizer quem pratica a ação ou não se quer identificar claramente o sujeito da oração. Leia o trecho da obra Incidente em Antares, de Érico Veríssimo. 30/04/2012

12 “O remédio agora é esperar a hora de fazer uma revolução e reconduzir o Velho ao trono”. “Xisto, o primeiro Vacariano na ordem da sucessão, resmungou: “Essa república não se aguenta nas pernas. Dizem que o barulho já começou no Rio de Janeiro”. VERRÍSIMO, Érico. Incidente em Antares. Rio de Janeiro: globo, /04/2012

13 Na última frase, o emprego do verbo dizer está na 3ª pessoa do plural, o que caracteriza o sujeito indeterminado. Dizem que o barulho já começou no Rio de Janeiro. 30/04/2012

14 O verbo não se refere a nenhum termo identificado anteriormente, nem em outra oração, como acontece com o sujeito oculto. Eles são chatos e falam demais. (O sujeito está expresso na 1ª oração e oculto na segunda - eles) 30/04/2012

15 O sujeito indeterminado pode ser expresso de dois modos: 1. O verbo está na terceira pessoa do plural, como vimos, sem que se possa dizer qual é o sujeito: a) Fizeram alterações no relatório da empresa. b) Estão admitindo jovens sem nenhuma experiência. 30/04/2012

16 2. O verbo é flexionado na 3ª pessoa do singular e seguido do pronome se, que funciona como índice de indeterminação do sujeito. Esse modo só se aplica se o verbo for transitivo indireto, intransitivo ou de ligação. Veja. a) Investe-se pouco em saúde e educação. 30/04/2012

17 b) Viajava-se com maior economia e segurança. c) Aqui se fica bem instalado. SUJEITO INDETERMINADO é aquele que não está expresso na oração, porque não se pode identificá-lo ou não se quer nomeá-lo. 30/04/2012

18 Leia o texto a seguir. Havia uma festa anual nos jardins da empresa. Os que trabalhavam para a grande máquina, ou nas indústrias ligadas a ela, eram convidados. Isto significava que noventa por cento da população comparecia, sendo que os outros dez por cento eram penetras. 30/04/2012

19 Nunca perdi uma festa. Queria a minha chance, e tive. Há dez anos tentava me aproximar do presidente da empresa. Não conseguia. Ninguém me mostrava quem era o presidente. BRANDÃO, Ignácio de Loyola. O homem que procurava a máquina. In: cadeiras proibidas; Vida. São Paulo: Global, /04/2012

20 Na primeira frase do texto e no segundo parágrafo ocorre o emprego do verbo haver. Observe:  Havia uma festa anual nos jardins da empresa.  Há dez anos tentava me aproximar do presidente da empresa. 30/04/2012

21 Nesses exemplos, o verbo haver é impessoal, não tem sujeito e conjuga-se na 3ª pessoa do singular. Equivale a realizar-se e fazer, respectivamente. Esses são exemplos de oração sem sujeito. 30/04/2012

22 Ocorre oração sem sujeito nos casos a seguir.  Com o verbo haver no sentido de existir: Há bons cinemas neste shopping  Com os verbos fazer, haver e ir referindo-se a tempo decorrido: Faz muito tempo que não o vejo. 30/04/2012

23 Morei no Rio há cerca de dez anos. Ia o tempo da Primeira República quando se conheceram.  Com o verbo ser indicando tempo em geral Era um período de inverno rigoroso. 30/04/2012

24  Com os verbos que denotam fenômenos da natureza, incluem-se nesse caso os verbos chover, ventar, nevar, trovejar, relampejar, etc. Veja estes exemplos: Ventava forte naquela tarde. Esfriou muito nesta noite. De noite choveu. 30/04/2012

25 Isso não ocorre quando os verbos que exprimem fenômenos da natureza estão em sentido figurado. Os meninos amanheceram com fome. O sujeito dessa frase é determinado e simples, os meninos. 30/04/2012

26 ORAÇÃO SEM SUJEITO é aquela que se forma apenas pelo predicado, cuja declaração não se refere a nenhum ser. 30/04/2012

27 SUJEITO ORACIONAL ocorre quando o sujeito é uma oração subordinada. Ex. É preciso que o grupo melhore. 30/04/2012

28

29

30 Das Pedras Ajuntei todas as pedras que vieram sobre mim. Levantei uma escada muito alta e no alto subi. Teci um tapete floreado e no sonho me perdi. Uma estrada, um leito, 30/04/2012

31 B. Identifique o número de frases nominais ocorrentes no poema de Cora Coralina e diga em que estrofe estão. 30/04/2012

32

33 Classifique o sujeito das orações destacadas. A.Fazia calor tremendo naquela sala. B. Aqui se fica bem instalado. C. “… E gastei uma quantidade gigantesca de energia e preocupação temendo o que determinei que era mau ”… (A CABANA, William P. Young). D. “Só confiamos nas pessoas em quem temos de confiar”. (SUZAK, Markus - A menina que roubava livros). 30/04/2012

34 E. “Nunca perdi uma festa. Queria a minha chance, e tive. Há dez anos tentava me aproximar do presidente da empresa. Não conseguia. Ninguém me mostrava quem era o presidente”. ( BRANDÃO, Ignácio Loyola. O homem que procurava a máquina. In: cadeiras proibidas; vida. São Paulo: Global, 1988) F. “Essa república não se aguenta nas pernas. Dizem que o barulho já começou no Rio de Janeiro”. (VERÍSSIMO, Érico. Incidente em Antares. Rio de Janeiro: Globo, 1986). 30/04/2012

35

36 b)Oferecem-se passagens para Fernando de Noronha. c) A medicina se beneficiou também do avanço tecnológico como outras áreas. 30/04/2012

37

38 REFERÊNCIAS SARMENTO, Leila Lauar. Gramática em textos. 2. ed. Ver, São Paulo: Moderna BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 2009.


Carregar ppt "Professora: Vilma Paixão Disciplina: Língua Portuguesa Aula 2 e 3 – 03/05/2012 e 10/05/2012 - Tairu. Aula 1 e 2 – 07/05/2012 e 14/05/2012- Mar Grande."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google