A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

HISTÓRIA DO MATO GROSSO. Bandeirismo:HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp4HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp4 1717 – Pires de Campos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "HISTÓRIA DO MATO GROSSO. Bandeirismo:HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp4HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp4 1717 – Pires de Campos."— Transcrição da apresentação:

1 HISTÓRIA DO MATO GROSSO

2 Bandeirismo:HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp4HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp – Pires de Campos e Pascoal Moreira Cabral. Arraial de São Gonçalo e Arraial de Forquilha – Miguel Sutil – ouro – córrego Piranha – Vila Real do Bom Jesus de Cuiabá. Caminhos: Sul – Monções Norte – Rio Guaporé.

3 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Monções Saíam de Porto Feliz – Tietê – Paraná – Anhandui Guaçú – Pardo – CAMAPUÃ (posto de reabastecimento, foi fundada pelos irmãos Leme, os primeiros a fazer a rota das Monções)- Coxim – Taquari - Paraguai – S. Lourenço – Rio Cuiabá. No caminho surgiram vários povoados como é o caso do Arraial do Beliago, atual Coxim, que foi fundado em 1729 para ser um posto de socorro médico avançado.

4 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Em 1748 o governo português cria as Capitanias do MT juntamente com GO. Divisa entre as duas seria onde melhor conviesse, onde fosse mais cômoda. Logo nos primeiros tempos houve problemas pois GO propõe a divisão pelos rios Das Mortes, Taquari, Coxim, Camapuã, Pardo até o Paraná. Seguindo esta divisão o MT perderia 1/4 de seu território, por isso propõe que a divisão seria pelos rios Grande (atual Araguaia) e Caiapó. O problema permaneceu.

5 HISTÓRIA DO MATO GROSSO O primeiro governador foi Antônio Rolim de Moura, que mais tarde foi nomeado vice-rei do Brasil. Em 1752 fundou Vila Bela da Santíssima Trindade que foi a 1ª Capital. História de Mato Grosso Vila Bela da Santíssima Trindade.aviHistória de Mato Grosso Vila Bela da Santíssima Trindade.avi Luís de Albuquerque Melo Pereira e Cáceres foi o 4º governador ( ). Realizou o 1º censo da população, resolveu sérios problemas sanitários. Para defender a região dos espanhóis: funda às margens direitas do R. Paraguai o Forte Coimbra, este forte era para ser construído no Fecho do Morro atual Porto Murtinho, 300km abaixo; funda Vila Nossa Senhora de Albuquerque atual Corumbá 1778; funda Ladário e subindo o rio funda Vila Maria atual Cáceres. No norte o Forte de São João da Beira (rio Guaporé)

6 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Economia: Ouro – domina todo o século XVIII. Lavoura de subsistência –cana – mercado interno.

7 HISTÓRIA DO MATO GROSSO 1821 – Elite cuiabana exige a capital em Cuiabá – junta governativa em Cuiabá. Rusga HISTRIA DE MATO GROSSO A RUSGA.aviHISTRIA DE MATO GROSSO A RUSGA.avi Liberais – Sociedade dos Zelosos da Independência – Nativistas. Conservadores – Sociedade filantrópica – Imperialistas. Capital definitivamente Cuiabá (1835)

8 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Guerra do Paraguai Os Paraguaios já faziam investidas militares em terras mato- grossenses mesmo porque parte dos produtos industrializados consumidos na região já eram produzidos naquele país. Ainda em 1864 o Paraguai tomou o Forte Coimbra, eram uma média de paraguaios para 115 brasileiros, que só são salvos, segundo a crença popular, por um milagre de N. Sra. Do Carmo. Além disso, ouve a tomada do Forte Militar de Dourados, atual Antônio João. A notícia da invasão foi levada ao RJ por Joaquin Eugênio Gomes da Silva em 1865 viajando 47 dias. Já em 1867 houve a Retomada de Corumbá por parte das tropas brasileiras lideradas pelo Cel Antônio Maria Coelho.

9 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Trabalho escravo – No período colonial – índios e negros. Quilombos (negros; índios e caburés) Piolhinho (Quariteré) - Próximo a Vila Bela – Liderado por Rainha Tereza de Benguela (suicidou-se)

10 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Economia do Império: Pecuária – indústria do charque – Cáceres – Rafael del Descalvado. Açúcar... Poaia – p/ medicamentos – Bacia do Paraguai. Erva Mate. Após a Guerra do Paraguai.

11 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Erva mate: Thomaz Laranjeira era negociante de erva mate, tesoureiro da comissão demarcatória após a Guerra do Paraguai onde passou a conhecer os ervais nativos da região. Esta região estava ocupada por paraguaios, gaúchos e mineiros que exploravam um pouco de erva, mas que não possuíam o título definitivo das terras. Se torna concessionário pelo Decreto imperial de Ganha a concessão por 10 anos. Funda a Empresa Mate Laranjeira com sede em Concepcion no Paraguai com investimento do banco Francisco Mendes e Cia. Em torno da erva mate formaram-se Bela Vista, Porto Murtinho, Antônio João, Ponta Porã, Dourados...

12 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Erva mate: Os Murtinho que eram políticos fortes do MT, banqueiros que passaram a usar sua influência política e chegaram a usar a Constituição Federal para alcançar seus intentos - “as terras devolutas só podem ser concedidas pelos Estado Federados”. Manuel Murtinho, presidente da província, abre concorrência e quebra o monopólio da Empresa Mate Laranjeira. Entra nos negócios, em 1892, o Banco Rio e Mato Grosso, dos Murtinho. A associação dos Murtinho com T. Laranjeira dá origem a Cia Mate Larangeira com 2 milhões de Hectares. Tinha a posse total dos ervais nativos. Não dominava apenas os ervais, mas tinha o domínio político de toda a região. Estava ligada aos políticos do norte e impedia qualquer movimento separatista do sul.

13 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Erva mate: A partir dessa união a Mate Laranjeira passou a ter domínio total na região, fechando-se totalmente. Era a Cia. a única responsável pela região e só ela poderia: - Estabelecer contratos com terceiros; - fiscalizar estes contratos; - eliminar quem fazia concorrência; - autorizar a guarda policial (chegou a ter um corpo policial próprio); - expulsar os elementos que não quisesse.

14 HISTÓRIA DO MATO GROSSO República: Conflitos dos coronéis. - Oligarquias nortistas – usinas – região de Cuiabá. - Oligarquias sulistas – região da Mate Laranjeira (comerciantes e pecuaristas) 1º gov – Antônio Maria Coelho. Oposição dos Murtinho e Ponce. Revolta 1892 – o povo estava fora do processo eleitoral. Os Murtinho assumem o poder.

15 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Massacre da Baia os Garcez – 1898 Ponce (vence as eleições) x Murtinho (ligados a Campos Sales) – legião “Campos Sales” comandada por Antônio Paes de Barros – Totó Paes – ataque a Cuiabá (também em Ponta Porã; Porto Murtinho e Leverger – usina da Conceição...morte de 17 pessoas. Revolta de 1906 – Totó se afasta dos Murtinho que se juntam a Ponce –Os rebeldes atacam Cuiabá – morre Totó Paes.

16 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Caetanada –– Pedro Celestino se afasta dos Ponce Governador Caetano Farias de Albuquerque que entra em conflito com o vice presidente Manoel escolástico Virgílio (este monta um governo em Corumbá) – intervenção federal nomeia Dom Aquino Correa Morbeck e cavalinho – cangaçeiros De amigos a inimigos – Cavalinho delegado (Pedro Celestino) - Arguaia.

17 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Coluna Prestes - Sul - Brasilândia. Comissão Rondon – 1900 – Telegrafo. Ferrovia Madeira Mamoré. Ferrovia NOB. Vargas – Marcha para o oeste Sul – Colônia federal de Dourados. Norte - Expedição Roncador-Xingu.

18 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Divisão João Ferreira Mascarenhas e João Texeira Muzzi Outro líder sulista foi Bento Xavier que passa a lutar pela legalização das terras aos pequenos proprietários na região da Mate Laranjeira, era o que ele chamava de “Revolução da Paz”. Queria a suspensão e eliminação dos direitos da Mate Laranjeira. Luta também contra a proibição de instalação de gaúchos na região. Em 1908 é derrotado e refugia-se no Paraguai voltando em 1911.

19 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Divisão Em 1903 é criada a empresa NOB que começa a idealizar a ferrovia. São feitos os primeiros estudos e começa a construção em 1905 o projeto era Bauru- Cuiabá. Em 1907 a rota é alterada para Bauru- Corumbá por causa da conveniência de se ter uma ligação com a Bolívia e a futura ligação entre Atlântico e Pacífico. Em 1908 começa a construção em Porto Esperança (Rio Paraguai). Em 1914 encontra-se em Campo Grande (estação Ligação).

20 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Divisão A Revolução Constitucionalista de 1932 (SP) leva o sul do MT apoiar os paulistas e o governo do estado permanece fiel ao governo de Vargas. Em Campo Grande foi instalado um governo independente sob o comando de Vespasiano Barbosa Martins. O Nome do estado era Maracaju. Chegou a criar um Diário Oficial.

21 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Divisão Em 1943 Vargas criou o, na mesma época que criou os Territórios de Guaporé (Rondônia), Amapá, Rio Branco (Acre) e Iguaçu. O Território Federal de Ponta Porã ia do Rio Apa até o Miranda e o Dourados. Foi um jeito encontrado por Vargas para isolar as idéias divisionistas. O Território foi extinto com a Constituição de 1946

22 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Divisão Neste mesmo ano foi criada a Colônia Federal de Dourados. Vargas dividiu 300 mil hectares em lotes de trinta hectares (perfazendo um total de 10 mil lotes) que foram dados a migrantes nordestinos que saíam de São Paulo. Deste empreendimento surge Vila Brasil (Fátima do Sul) e Vila Glória (Glória de Dourados).

23 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Divisão As ideias divisionistas ganham mais forças graças à ação da Liga Sul Matogrossense. Muitas pessoas se empenham na luta. Mas foi em 1961, quando é eleito o presidente Jânio Quadros, nascido na região, acreditou- se que o movimento desenvolver-se-ia, porém o próprio Jânio era contra a divisão. Jânio chegou a afirmar que a tesoura símbolo da divisão “cortava-lhe o coração”.

24 HISTÓRIA DO MATO GROSSO Divisão No governo de Castelo Branco, o presidente manda os generais Geisel e Golbery estudarem a viabilidade de criação do estado, o relatório apresentado foi positivo. E nos ciclos de estudos da ESG em Campo Grande ganhou mais força a idéia de divisão- Uma nota oficial, do governo federal, é noticiada no dia 3 de maio de 1977 anunciando que seria criado o Estado novo. Geisel precisava garantir para os militares a maioria de representantes no congresso nacional por causa do Pacote de Abril de 77. Na verdade a criação do estado a nível federal foi um retrocesso político.


Carregar ppt "HISTÓRIA DO MATO GROSSO. Bandeirismo:HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp4HISTRIA DE MATO GROSSO RESISTNCIA INDGENA.mp4 1717 – Pires de Campos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google