A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fisiologia Renal Profa. Dra. Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Adjunto do Depto. Ciências Fisiológicas-CCB-UFSC Como citar este documento: PINTO, Cristina.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fisiologia Renal Profa. Dra. Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Adjunto do Depto. Ciências Fisiológicas-CCB-UFSC Como citar este documento: PINTO, Cristina."— Transcrição da apresentação:

1 Fisiologia Renal Profa. Dra. Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Adjunto do Depto. Ciências Fisiológicas-CCB-UFSC Como citar este documento: PINTO, Cristina Maria Henrique. Fisiologia Humana: Fisiologia Renal. Disponível em:. Acesso em: coloque a data aqui

2 Bibliografia básica recomendada sobre Fisiologia Humana Livros-textos: “Berne & Levy: Fisiologia” Koeppen & Stanton, 2009, 6ª Ed. (Ed. Elsevier) “Tratado de Fisiologia Médica” Guyton & Hall, 2006, 11ª Ed. (Ed. Elsevier) “Fisiologia” Aires, M. M. 2008, 3ª Ed. (Ed. Guanabara Koogan) “Fisiologia” Costanzo, 2007, 3ª Ed. (Ed. Elsevier) “Berne & Levy: Fundamentos de Fisiologia”, Levy et al, 2006, 4ª Ed. (Ed. Elsevier) “Fundamentos de Fisiologia Médica” Johnson, 2003 (Ed. Guanabara Koogan) “Fisiologia: texto e atlas” Silbernagl e Despopoulos, 2003 (Ed. Artmed)

3 AS FIGURAS AQUI UTILIZADAS FORAM RETIRADAS DE DIVERSOS WEBSITES E, QUANDO POSSÍVEL, SÃO SEGUIDAS PELO ENDEREÇO NA INTERNET. PARA CONSULTA A TEXTOS E OUTROS RECURSOS ONLINE, VISITE OS SITES RECOMENDADOS EM “SITES DIDÁTICOS”SITES DIDÁTICOS PRESERVE O DIREITO AUTORAL CITANDO A FONTE.

4 Fisiologia Renal Terceira Parte: Mecanismos Tubulares Renais II (néfron distal)

5 REABSORÇÃO FACULTATIVA (MODULAÇÃO HORMONAL) DO FILTRADO RESTANTE Mecanismos de manipulação do filtrado pelos túbulos renais: Néfron Distal (TCDf e DC)

6 Regulação hormonal da reabsorção renal de Água no néfron distal (TCD final e DC) Modificado de “Despopoulos Color Atlas of Physiology”, 2003

7 sem ADH com ADH extraído, enquanto disponível, de:

8 Mecanismo intracelular do ADH para a reabsorção de Água no Néfron distal extraída, enquanto disponível, de:

9 Regulação da secreção do ADH Regulação Hipotalâmica da reabsorção de água pelos rins... e secretado na circulação sangüínea nas terminações dos axônios na neurohipófise.... transportado nos axônios até a neurohipófise... ADH é sintetizado nos núcleos Supra-óptico e Paraventricular hipotalâmicos...

10 Osmolaridade plasmática + Regulação da secreção do ADH  reabsorção de água pelo ND

11 Regulação da secreção do ADH  reabsorção de água pelo ND Osmolaridade plasmática -

12 Regulação da secreção do ADH P. A. +

13 Regulação hormonal da reabsorção renal de NaCl no néfron distal (TCD final e DC cortical) Modificado de “Despopoulos Color Atlas of Physiology”, 2003

14 Eventos renais e extra-renais para a secreção de Aldosterona para a regulação da reabsorção de NaCl e secreção de K +

15 Resposta renal de reabsorção de íon Sódio e secreção (excreção) de íon Potássio durante infusão de Aldosterona Produção de ANG II e Aldosterona a partir da liberação renal de Renina

16 Eventos renais e extra-renais da produção de Angiotensina II extraído, enquanto disponível, de:

17 Mecanismo celular de reabsorção de NaCl e secreção de K + no néfron distal Aldosterona + +

18  PA  FRS  Ø U R  autoregulação renal Ativação de mecanismos extra-renais:  Ativação S. Simpático,  Sist. Renina- Angiotensina,  secreção de ADH  reabsorção de Na + /H 2 O  PA  FRS  Ø U R  autoregulação renal e Ativação de mecanismos extra-renais:  Liberação do PNA  secreção de Renina,  produção de Angio II,  secreção de Aldosterona  excreção de Na + /H 2 O Pressão arterial (mmHg)  

19 Eventos renais e extra-renais da produção de Peptídeo Natriurético Atrial (ANP) extraído, enquanto disponível, de:

20 Diagrama dos eventos extra-renais para a regulação da PA na hemorragia extraído, enquanto disponível, de:

21 Diagrama dos eventos para a regulação renal da osmolaridade plasmática pelo aumento da ingestão de NaCl e de água extraído, enquanto disponível, de:

22 H2OH2O O néfron e sítios de ação dos diuréticos extraído, enquanto disponível, de:

23 Fisiologia Renal Métodos de avaliação da função renal: depuração plasmática (ou “clearance”)

24 Esquema simplificado Manipulação renal de substâncias Urinary SystemUrinary System (Vander, Sherman & Luciano, Human Physiology, Cap. 16, 2002)Vander, Sherman & Luciano

25 Manipulação renal de substâncias Parcialmente filtrada Não reabsorvida nem secretada parcialmente excretada Exemplos: inulina e creatinina Substance W Urinary SystemUrinary System (Vander, Sherman & Luciano, Human Physiology, Cap. 16, 2002)Vander, Sherman & Luciano

26 Parcialmente filtrada Manipulação renal de substâncias Parcialmente excretada Exemplos: água e íons Parcialmente reabsorvida Urinary SystemUrinary System (Vander, Sherman & Luciano, Human Physiology, Cap. 16, 2002)Vander, Sherman & Luciano

27 Parcialmente filtrada totalmente reabsorvida Manipulação renal de substâncias Não excretada Exemplos: Glicose e AAs Urinary SystemUrinary System (Vander, Sherman & Luciano, Human Physiology, Cap. 16, 2002)Vander, Sherman & Luciano

28 Parcialmente filtrada Totalmente excretada Exemplos: xenobióticos (drogas) e catabólitos secretada Manipulação renal de substâncias Urinary SystemUrinary System (Vander, Sherman & Luciano, Human Physiology, Cap. 16, 2002)Vander, Sherman & Luciano

29

30 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

31 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

32 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

33 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma INULINA

34 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma 1 ml de plasma foi depurado de 1 mg de Inulina INULINA Depuração plasmática da Inulina

35 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma 1 ml de plasma foi depurado de 1 mg de Inulina INULINA U inu =125mg/ml e V urin =1ml/min

36 Depuração plasmática da Inulina 1 ml de plasma 1 mg de Inulina 1 mg de Inulina/1 ml de plasma 1 ml de plasma foi depurado de 1 mg de Inulina INULINA U inul x V P inul C inu l = 125mg/ml x 1ml/min 1mg/ml C inul = C inul = 125 ml/min U inu =125mg/ml e V urin =1ml/min

37 Medidas de TFG e FRP P inul = 1mg/ml V = 1ml/min U inul = 125mg/ml

38 Medidas de TFG e FRP quantidade filtrada excretada = TFG x P inul = U inul x V U inul x V P inul TFG = P inul = 1mg/ml V = 1ml/min U inul = 125mg/ml Inulina tem desvantagens para medida da TFG: é exógena (precisa ser infundida).

39 Medidas de TFG e FRP Então, usar substância endógena e com produção relativamente constante: CREATININA

40 Medidas de TFG e FRP Então, usar substância endógena e com produção relativamente constante: CREATININA

41 Medidas de TFG e FRP

42 FISIOLOGIA RENAL Veja mais sobre: Filtração glomerular Mecanismos tubulares I Estes arquivos são resumos das apresentações em sala de aula. Estão divididos em 4 partes, disponíveis no site da Profa. Cristina:


Carregar ppt "Fisiologia Renal Profa. Dra. Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Adjunto do Depto. Ciências Fisiológicas-CCB-UFSC Como citar este documento: PINTO, Cristina."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google