A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O que a bíblia ensina sobre :. Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O que a bíblia ensina sobre :. Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou."— Transcrição da apresentação:

1 O que a bíblia ensina sobre :

2 Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus”. “Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus”. Levítico Levítico 19.31

3  A palavra espírito vem do grego “pneuma”, que quer dizer sopro, sopro vital. O sufixo grego “ismos”, indica doutrina filosófica religiosa.  Portanto espiritismo significa “Doutrina da existência de comunicação entre vivos e mortos por meio dos espíritos encarnados e desencarnados”

4  Os primórdios do Espiritismo perdem-se na Antiguidade. Provavelmente estamos tratando da mais antiga heresia que existe. Ela resulta, antes de tudo, do desejo de obter informações sobre a vida além-túmulo.  Procura saber se: “a vida futura será tão repleta de tristezas quanto a vida presente”

5 Em Gêneses 3:1 houve a primeira sessão espírita da história, quando Satanás possuiu a serpente no Éden. A médium em questão, a serpente, foi possuída pelo diabo que usou aquele corpo de animal irracional para compartilhar a sua intenção e o seu desejo, já que os únicos homens existentes tinham contato unicamente com Deus, não podendo, portanto, ser médiuns. O resultado desta manifestação foi à entrada do pecado na raça humana, fruto da desobediência do primeiro homem Adão.

6 Entre os vários povos da antiguidade que praticavam o espiritismo temos os cananeus, os egípcios e os babilônicos. Na realidade, todas as nações ao redor de Israel praticavam o espiritismo.

7 Quando entrares na terra que o SENHOR, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. “Quando entrares na terra que o SENHOR, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro;nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR, teu Deus, os lança de diante de ti”. Deuteronômio 18:9-12 Quando entrares na terra que o SENHOR, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. “Quando entrares na terra que o SENHOR, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro;nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR, teu Deus, os lança de diante de ti”. Deuteronômio 18:9-12

8 PASSAR PELO FOGO O SEU FILHO OU A SUA FILHA = A prática de sacrifícios humanos geralmente estava associada com um pacto de poder. O Rei Manassés em busca deste poder sacrificou a seu próprio filho. “E queimou a seu filho como sacrifício, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro e tratava com médiuns e feiticeiros; prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira”. 2 Reis 21.6 Lev. 20:2-5 - Moloque

9 ADIVINHAÇÃO = A prática de tomar decisões ou predizer o futuro por meio da leitura dos sinais e dos presságios. A Bíblia proíbe a adivinhação porque ela envolve o desejo ardente de obter conhecimento secreto que Deus preferiu não revelar. "As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei." [Deut.29:29 ] Esse desejo de obter conhecimento proibido tem suas raízes no primeiro pecado do homem. "Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." [Gn 3:4-5]

10 As pessoas costumavam examinar o fígado ou as entranhas dos animais para obter informações dos deuses. Isso é mencionado na Bíblia. "Porque o rei de Babilônia parará na encruzilhada, no cimo dos dois caminhos, para fazer adivinhações; aguçará as suas flechas, consultará as imagens, atentará para o fígado." [Ez 21:21] O que eles estavam procurando era encontrar anormalidades que pudessem ser lidas como presságios. As setas podiam ser derrubadas ou lançadas no chão e a direção ou padrão em que elas caíam podiam ser lidos como indicação de onde atacar.

11 PROGNOSTICADOR = Um prognosticador é uma pessoa que faz prognósticos ou seja previsões utilizando métodos ocultistas para tal. "Aquele que tira sortes para prever o futuro” AGOUREIRO= O agoureiro é aquela pessoa que faz agouros, Forma de MAGIA pela qual se procura predizer males e desgraças (2Rs 17.17). Era proibido a Israel (Lv 19.26).

12 FEITICEIRO = Aquele que pratica feitiços, magia e bruxaria. A idolatria e a feitiçaria estão quase sempre aliadas. Pharmakeia, de onde provém a nossa palavra farmácia, é traduzida por "feitiçaria" (Gl 5:20; Apc 9:21; 18:23). ENCANTADOR= Pessoa que seduz através do encantamento. Sabemos conforme o registro em Êxodo 7:10-12 que os magos do Egito fizeram através de encantamentos os “mesmos” sinais que Moisés e Arão fizeram.

13 NECROMANTE= O que se comunica com os mortos. Na realidade, o necromante é um médium. Para os espíritas, a palavra médium refere-se a “meio”, como uma espécie de conector entre dois mundos (de vivos e de mortos), e inclui todas as suas práticas: psicográficas, visuais, auditivas, intuitivas enfim, alguma comunicação atribuída aos mortos. Já o termo necromancia refere-se a mediunidade dentro da magia negra e busca de adivinhação; e a feitiçaria está ligada a rituais e obras de bruxaria. Com frequência os praticantes de cada crença promovem diferenciação entre elas, entretanto, a abordagem bíblica não as difere, ou seja, quaisquer dessas manifestações trazem uma mesma fundamentação: pessoas que viveram na terra e saíram do corpo carnal, manifestação de mortos.

14 MÁGICO=Aquele que produz efeito extraordinário, que não tem explicação natural. Na Bíblia encontramos em Atos 8 um certo homem chamado Simão, que exercia magia. Hoje em dia também encontramos esse mesmo grupo de pessoas que usam outros nomes: Tarólogo, Vidente, Pai de Santo, Cartomante, Guia Espiritual etc. Todos eles são mensageiros do inferno.

15  A doutrina espírita recebeu direta influência do pensamento religioso budista da índia, dissenção do Bramanismo e hinduísmo, baseia- se no SANSARA (ciclo de nascimentos, mortes e reencarnações dos seres vivos no mundo transitório.)  A retribuição das ações cometidas (boas ou más) ou seja, o KARMA, é que determina o lugar de cada reencarnação numa escala hierárquica onde inclui seres humanos, deuses e demônios, fantasmas, animais, plantas e minerais.

16  Segundo o budismo, a vida é uma continuação de vidas anteriores e a preparação de vidas futuras, onde o reencarnado pode passar por vários estágios onde receberá passivamente o fruto de seus atos.  A única salvação deste ciclo infinito é chegar a um estado chamado NIRVANA (evasão da dor), mas somente uma minoria sábia pode saltar do Sansara para a Salvação, enquanto a maioria dos seres continuará o seu ciclo.

17  Influenciados pelo Budismo, o espiritismo moderno como conhecemos foi iniciado nos Estados Unidos pelas famosas irmãs Margaret e Kath Fox em meados do século XIX se consolidou na França através da formulação de Allan Kardec.  Já naquela época se praticava a “magia branca” como a “magia negra”. Quando alguém queria entrar em contato com os espíritos dos mortos na intenção de ser beneficiado ou influenciado por eles, praticava- se a magia branca, em caso contrário, a magia negra.

18 a)Espiritismo comum: Quiromancia (adivinhação por meio das linhas da palma da mão), Cartomancia (adivinhação pela leitura de cartas), Grafologia (um ramo dela, que parte para a adivinhação através da forma da escrita), Hidromancia (adivinhação por meio da água), Astrologia (pressupõe a influência dos astros na vida dos homens), etc. b) Baixo Espiritismo: Vodu, Candomblé, Umbanda, Quimbanda, Macumba (sem forma nem doutrinas).

19 escrever diversos livros doutrinários. c) Espiritismo Científico (Alto Espiritismo ou Espiritualismo): Aqui encontramos "sociedades que se dizem filosóficas, teológicas, científicas ou beneficentes." Normalmente têm doutrinas diferentes do Espiritismo Kardecista. São elas: Ecletismo, Esoterismo, LBV, Teosofismo, Rosacrucianismo, etc. d) Espiritismo Kardecista: É o mais praticado no Brasil. Divulga os pensamentos do francês Hyppolyte Leon Denizard Rivail, que alegou ter sido possuído em 1856, pelo espírito de um poeta celta, chamado ALLAN KARDEC, passando a escrever diversos livros doutrinários. a

20  A comunicação com os mortos na busca incessante de “evolução” espiritual no além, onde os espíritos tomam “emprestado” o corpo das pessoas, a prática da caridade, e orientação nos ensinamentos espíritas, enquanto os próprios espíritos aguardam o momento da sua reencarnação, para através do sofrimento, pagar os erros cometidos em outras encarnações se constituem a base dos ensinamentos do professor francês, León Hippolyte D. Riavail, maçon, grau 33.  O mesmo adotou o nome Allan Kardec, que em 1857 ao lançar o “Livro dos Espíritos”, deu início a doutrina espírita, pois esta obra passou a ser uma espécie de bíblia do espiritismo.

21 Irmãs Fox 1848 Léon Hippolyte D. Riavail (Allan Kardec)

22 1910 a 2002

23 O espiritismo apresenta-se como a TERCEIRA REVELAÇÃO : 1- A primeira revelação é a de Moisés e está no Velho Testamento; 2- A Segunda revelação é a de Jesus, contida no Novo Testamento; a terceira revelação, a que faltava para esclarecer os segredos da vida e da morte, está na doutrina espírita' (Revista Espírita, ano XII, no 45, pág. 26). 3- Essa terceira revelação veio na metade do século 19 por meio de Allan Kardec, que seria, segundo o pensamento espírita, o 'espírito da verdade' prometido por Jesus".

24 (Necromancia) O espiritismo tem a tese de que o espírito dos mortos tem o poder de comunicar-se com os vivos, por intermédio dos médiuns, pessoas que agem como intermediárias entre o mundo material e o mundo espiritual. 1- COMUNICAÇÃO COM OS MORTOS

25 Deus em Sua Palavra, proíbe totalmente esta prática, por que além de enganosa é uma abominação a Ele. As pessoas ingênuas ou aflitas, buscam comunicação com uma pessoa morta e quem responde, fazendo-se passar pelo falecido é um demônio. ( Isaías 8:19; Lc. 16:19-31; Ecl. 9:2-6) “E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz”. 2 Coríntios 11.14

26 2- CRENÇA NA REENCARNAÇÃO Existem variações sobre a noção de reencarnação, mas a ideia básica é que a nossa vida atual neste mundo é uma repetição de outras existências vividas em outros corpos - a alma da mesma pessoa continua reencarnando, esquecendo as vidas passadas. As vidas futuras das pessoas, são determinadas pela lei do karma, que afirma que os maus atos passados estão relacionados com a vida presente, e que ações atuais da pessoa têm implicações para as vidas futuras. O estado (social e físico) no qual a pessoa a pessoa nascerá no futuro é assim determinado.

27 RESSURREIÇÃO, SIM. REENCARNAÇÃO, NÃO ! - o credo dos apóstolos afirma "CREIO... NA RESSURREIÇÃO DO CORPO" ; é assim que cristãos de tradições diferentes como católicos, ortodoxos e protestantes têm unanimemente confessado sua fé através dos séculos. A ressurreição é a base da esperança do crente diante da morte (Jo 5:28-29; 1Co 15; 1Ts 4:16-17). “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação”. Hebreus 9.27,28

28 3- CRENÇA NO AUTO-SACRIFÍCIO O espiritismo crê que não podemos escapar à consequência de nossos atos : "aqui se faz, aqui se paga". O próprio ser humano é que se auto- sacrifica por seus pecados : se não for nesta, será em outra encarnação.

29 O sacrifício feito por Cristo na cruz, cancelou definitivamente diante de Deus, os pecados daqueles que verdadeiramente se arrependeram e creram que Cristo é o Senhor - (Cl 2:13-15). Não há mais nada para ficar pagando em outras vidas (que não existem).

30 4- CRENÇA NA SALVAÇÃO PELA CARIDADE (OBRAS) A Frase mais conhecida da doutrina espírita é que “Sem caridade não há salvação.” Usam principalmente textos do livro de Tiago para fundamentar seus argumentos.

31 Nenhuma boa ação que o homem faça, pode justificar seus pecados perante o Criador do Universo. Aos olhos de Deus, somente o sacrifício de Cristo perdoa o homem pecador (Ef. 2:8- 10). As obras são efeito da salvação e não a causa.

32 5- CRENÇA DE QUE O INFERNO NÃO EXISTE Afirma Kardec: O dogma da eternidade absoluta das penas (inferno e lago de fogo) é portanto incompatível com o progresso das almas, ao qual apõe uma barreira intransponível. Kardec coloca a realidade do inferno e do juízo eterno como uma incompatibilidade, como uma barreira intransponível da realidade, como falta de bom senso e sendo uma doutrina contrária ao amor de Deus.

33 Apesar de crerem os espíritas que a lei do Carma determina as vidas sucessivas, e que ninguém prestará contas a Deus pelas faltas cometidas, os espíritas não negam a existência do castigo após a morte,mas eles acreditam que o espírito só poderá ser castigado de duas maneiras: ou reencarnando para sofrer em uma nova existência, ou sofrendo como espírito errante, no espaço.

34 É comum ouvirmos expressões como estas: “O inferno é aqui mesmo”. “Deus é muito bom, não faria um lugar tão terrível para mandar o homem”. “O inferno é a sepultura”. “Esta vida aqui já é um inferno”. – Será o inferno uma realidade? O que fazemos para tirar esta dúvida enganosa? Opiniões erradas a respeito do Inferno: 1- Um mito inventado pelos contadores de história da Grécia antiga.- Estes são aqueles que não distinguem perfeitamente a ficção da realidade. 2- Uma invenção da Igreja Medieval para impedir as pessoas de se rebelarem contra o poder eclesiástico. - Estes são aqueles que culpam a igreja pelo medo que as pessoas têm do castigo eterno.

35 1- Porque Deus criou o inferno? “Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.” Mateus 25.41,46

36 R: O Inferno foi preparado por Deus para punição do diabo e seus anjos. "E o Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados pelos séculos dos séculos" (Apoc. 20:10). No caminho do Inferno estão igualmente todos os pecadores impenitentes.

37 O que impede a salvação de todos? R: Fato é de que os indivíduos escolhem livremente rejeitar a graça de Deus. Nós sempre podemos resistir ao Espírito Santo (At 7.51). Deus não envia as pessoas para o inferno ; elas rejeitam a Deus livremente, e se condenam, por não admitirem as suas culpas. Apesar do desejo de Deus de que todos sejam salvos (1 Tm 2.4; 2 Pe 3.9), muitos ainda o resistem (Ez. 18:23,32, Ez: 33:11).

38 Na realidade, por causa do pecado, todos os seres- humanos já nascem condenados ao inferno. “Quem n'Ele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no Filho Unigênito de Deus.” (João 3: 18). “Quem crê no Filho têm a Vida eterna; o que todavia se mantém rebelde contra o Filho não verá a Vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” (João 3: 36). Os que estão no inferno rejeitaram a oferta do perdão de Deus em Jesus Cristo.

39 Morto porque quis. Conta-se uma história de um condenado à morte no velho oeste dos EUA. Aquele homem havia se envolvido numa briga de bar e acabou matando um homem. Por causa disso estava no corredor da morte esperando o dia da execução. A população da cidade resolveu pedir ao governador do Estado para perdoá-lo. Depois de analisar o caso, o governador resolveu conceder o perdão, mas queria conhecê-lo antes. Colocou a carta de perdão dentro de uma Bíblia, se disfarçou de pastor e foi à prisão. Quando chegou à cela daquele homem, portando a carta que o livraria da morte, foi mal recebido e veementemente rejeitado. Mesmo assim insistiu dizendo para o preso que tinha dentro daquele livro algo muito bom, mas o condenado não o recebeu. Quando o governador foi embora, o carcereiro falou ao preso o que ele havia perdido.No dia da execução, o condenado pediu para pronunciar suas últimas palavras e então disse: “Não estou morrendo por que matei um homem, estou morrendo porque rejeitei o perdão”. É assim também em relação ao reino de Deus. Ninguém se perderá porque pecou, mas sim porque rejeitou o perdão de Deus.

40 2- Se Deus é amor como podemos crer que ele punirá pessoas no inferno? Deus é infinitamente BOM, mas também é infinitamente JUSTO (simultânea e harmoniosamente), sendo a Sua Justiça imensamente séria e rigorosa. A Justiça Divina assinalou um prazo máximo para o exercício incondicional e total da Sua Misericórdia: somente nesta vida. “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo.” Hebreus 9.27

41 Deus não pode perdoar a quem não quer ser perdoado. E como o pecador não quis aceitar o perdão de Deus, e dessa forma ultrajou a Misericórdia Divina, recusando-a deliberadamente, o Senhor deverá exercer a Sua rigorosa Justiça. "Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?" (Romanos 2:4).

42 Há dois aspectos do castigo no inferno: 1- a dor de perda 2- e a dor de sentir. A dor de perda é a ausência de tudo que é bom; mais significativamente é a separação de Deus. Isto não quer dizer que Deus não está no inferno; significa que aqueles no inferno não terão comunhão com Deus e não experimentarão nada de Seu amor, graça ou benção. Em outras palavras, eles serão isolados de qualquer gozo de Sua glória espetacular. Este é o significado da imagem de trevas usada para descrever o destino dos perdidos. Aqueles no inferno experimentarão a ira e a justiça de Deus. A dor de sentir é o sofrimento do tormento no corpo e na alma – a adição de castigo indesejado. Ambos destes aspectos do inferno são transmitidos por Jesus em Mateus 25:41, quando Ele diz aos perdidos “Apartai-vos de mim [a punição de perda], malditos, para o fogo eterno [a punição de sentir – tormento] preparado para o diabo e seus anjos”. Resumindo, o castigo do perdido é a subtração de benção e a punição de sentir é a adição de tormento físico e espiritual.


Carregar ppt "O que a bíblia ensina sobre :. Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google