A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA LINGUAGEM E DO DISCURSO Fernanda Miranda Menéndez Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA LINGUAGEM E DO DISCURSO Fernanda Miranda Menéndez Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa."— Transcrição da apresentação:

1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA LINGUAGEM E DO DISCURSO Fernanda Miranda Menéndez Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa

2 Pragmática Subdisciplina da Linguística que tem como objecto «a língua em uso» A língua em situação de uso é regulada por um conjunto de regras que vão além dos preceitos gramaticais de cada uma. Para a Pragmática, a Língua é instrumento de acção e de comportamento.

3 Várias perspectivas pragmáticas : 1. Stephen Levinson: cada indivíduo tem a capacidade de usar a língua, apropriada a cada momento e fazendo inferências adequadas. Essa capacidade está presente quer a nível de produção quer a nível de recepção e é descrita pela pragmática.

4 Várias perspectivas pragmáticas : 2. Dan Sperber & Deirdre Wilson (teoria da relevância): a pragmática é o estudo da interpretação dos enunciados, ou seja, «a disciplina que descreve como um ouvinte é capaz de converter um estímulo numa proposição completa baseando-se no conhecimento contextual»

5 Várias perspectivas pragmáticas : 3. Jacob Mey distancia-se das correntes psicológicas de interpretação, insistindo nas condições sociais, políticas culturais e históricas que determinam os usos da linguagem: «a Pragmática é o estudo das condições do uso humano da linguagem determinados pelo contexto da sociedade

6 Várias perspectivas pragmáticas : 4. Teoria de Anscombre-Ducrot : A Argumentação na Língua (=«dentro da») Realiza-se a partir da frase e estuda particularmente as «palavras vazias» (os conectores) que são posteriormente aplicados às «palavras plenas» para fornecer uma análise que procura detectar qual a orientação que é dada ao discurso..

7 Várias perspectivas pragmáticas 5. Máximas conversacionais (Grice)e estrutura da conversação em turnos mostram a implicação linguística com o referencial e com a estrutura comunicativa.

8 Comunicação verbal Propostas de Grice -princípio da cooperação como princípio geral dentro do qual o Autor distingue quatro regras ou máximas: -1. Quantidade: dê a informação necessária em cada momento -2. Qualidade: seja verdadeiro -3. Relevância: seja pertinente -4. Modo: seja claro

9 Princípios de Cortesia Erving Gofman – conceito de «imagem pessoal» (= face)

10 Comunicação verbal Modelo comunicacional de Shannon & Weaver (1949) Intervenientes: Locutor Interlocutor Ouvinte(s)

11 Comunicação verbal Universo de referência Contexto situacional Contexto verbal Saber compartilhado Inferências Pressuposição Implicatura conversacional

12 Enunciação Actualização da língua em discurso. Dela resulta um enunciado.

13 Interacção discursiva Discurso Dialogismo

14 Acto de fala Força ilocutória Acto locutório Acto perlocutório Acto ilocutório assertivo directivo compromissivo expressivo declarativo Acto ilocutório indirecto

15 Adequação discursiva Uso oral Uso escrito Registos formal e informal Formas de tratamento

16 Relato de discurso Discurso directo Discurso directo livre Discurso indirecto Discurso indirecto livre Outras formas de relato Verbos introdutores de relato de discurso

17 Texto (Beaugrande & Dressler 1997(2005)) Acontecimento comunicativo que cumpre sete normas de textualidade: - coesão (centrada no texto): estabelece as diferentes possibilidades em que podem unir-se entre si dentro de uma determinada sequência os componentes de uma superfície textual, quer dizer, as palavras que realmente se escutam ou lêem. - coerência (centrada no texto): regula a possibilidade de que sejam acessíveis entre si e interactuem de modo relevante os componentes do mundo textual (relações e conceitos)

18 Normasde textualidae (cont.) Noções centradas no usuário 3. Intencionalidade (do produtor textual) 4. Aceitabilidade (do receptor) 5. Informatividade (serve para avaliar até que ponto as sequências de um texto são previsíveis ou inesperadas) 6. Situacionalidade (faz com que um texto seja relevante na situação em que é usado) 7. Intertextualidade (faz intervir o conhecimento de textos anteriores)

19 Cadeias de referência Anáfora Catáfora Co-referência anafórica Coesão lexical

20 Tipologia textual Sequencialidade Configuração Protótipo textual – modelos mentais construídos a partir da abstracção de características tidas como comuns.

21 Paratexto Título Índice Prefácio Posfácio Nota de rodapé Bibliografia

22 Pontuação Breve história da pontuação Funções da pontuação

23 Lexicologia Lexicologia e lexicografia Dicionários Terminologias


Carregar ppt "INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA LINGUAGEM E DO DISCURSO Fernanda Miranda Menéndez Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google