A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Canulização da Veia Umbilical - Técnica A Identificação da veia umbilical; B Inserção do cateter na veia umbilical; C Fixação do cateter com ponte de fita.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Canulização da Veia Umbilical - Técnica A Identificação da veia umbilical; B Inserção do cateter na veia umbilical; C Fixação do cateter com ponte de fita."— Transcrição da apresentação:

1 Canulização da Veia Umbilical - Técnica A Identificação da veia umbilical; B Inserção do cateter na veia umbilical; C Fixação do cateter com ponte de fita adesiva A Identificação da veia umbilical; B Inserção do cateter na veia umbilical; C Fixação do cateter com ponte de fita adesiva Pinça Adson Pinça Halstead Mosquito A B C

2 Canulização da Veia Umbilical Disposiçãoanatômica da veia umbilicalDisposiçãoanatômica umbilical Veia porta Veia esplênica Veia mesentérica superior Veia umbilical Duto venoso Átrio direito

3 Falsos trajetos Canulização da Artéria Umbilical A) Anatomia normal da artéria umbilical em corte sagital; B) Cateter (C) perfurou a artéria na região do ângulo umbilical; C) Cateter (C) rompeu a túnica íntima (TI) da artéria umbilical; D) Cateter (C) empurrou a TI da artéria umbilical. A) Anatomia normal da artéria umbilical em corte sagital; B) Cateter (C) perfurou a artéria na região do ângulo umbilical; C) Cateter (C) rompeu a túnica íntima (TI) da artéria umbilical; D) Cateter (C) empurrou a TI da artéria umbilical. Modificado de Clark e Jung, 1977 Veia umbilical Artéria umbilical Úraco Bexiga Sínfise púbica Artéria ilíaca interna Artéria ilíaca externa Bifurcação da aorta Peritônio

4 Manutenção do cateter: cuidados l Evitar formações de coágulos. l Limpeza diária local com clorexidina 0,5%. l Sem necessidade de antibiótico ou curativo oclusivo. l Evitar alimentação enteral com cateter arterial umbilical, pela possibilidade de associação com tromboembolismo mesentérico. Manutenção do cateter: cuidados l Evitar formações de coágulos. l Limpeza diária local com clorexidina 0,5%. l Sem necessidade de antibiótico ou curativo oclusivo. l Evitar alimentação enteral com cateter arterial umbilical, pela possibilidade de associação com tromboembolismo mesentérico. Canulização da Artéria Umbilical

5 TécnicaTécnica Canulização da Veia Umbilical Apoio à introdução do cateter na luz da veia umbilical pela fixação da borda do coto com a pinça de Kocher

6 Relação entre o comprimento do cateter na artéria umbilical e a estatura do RN Canulização da Artéria Umbilical Para a ponta do cateter localizar-se acima do diafragma entre T6 e T9 - catéteer umbilical na posição alta Para a ponta do cateter atingir a bifurcação da aorta entre L3 e L5 - cateter umbilical na posição baixa Rosenfeld, 1981 T8 Comprimento do cateter (cm) Estatura (cm) L3 L5 Comprimento do cateter (cm)

7 Normograma para estimativa da introdução adequada dos cateteres umbilicais Canulização da Artéria Umbilical Normograma para estimativa da introdução adequada dos cateteres arteriais Normograma para determinação da introdução adequada dos cateteres venosos Dunn, 1966

8 Fixação do cateter Canulização da Artéria Umbilical Fixação do cateter umbilical utilizando uma ponta em H do esparadrapo. A base pode ser realizada com fita tipo Micropore®. A pele deve estar isenta de oleosidade e seca. A utilização de uma solução de tintura de benjoim na pele auxilia a melhor fixação da fita. Esparadrapo Micropore ®

9 Disposiçãoanatômica das artérias umbilicaisDisposiçãoanatômica umbilicais Canulização da Artéria Umbilical L3

10 l Peritonite l Enterocolite necrosante l Onfalite l Onfalocele l Comprometimento vascular de Mis l Patologias renais l Peritonite l Enterocolite necrosante l Onfalite l Onfalocele l Comprometimento vascular de Mis l Patologias renais Canulização da Artéria Umbilical Contra-indicaçõesContra-indicações

11 l Material flexível para evitar aderências na curvatura do vaso e paredes rígidas (silicone) l Material não aderente para evitar coágulos em superfície l Ponta uniforme e redonda para evitar perfuração l Pequena capacidade para retirada de pouco volume de sangue e infusão de solução salina l Traço radiopaco irregularidade na superfície l Material flexível para evitar aderências na curvatura do vaso e paredes rígidas (silicone) l Material não aderente para evitar coágulos em superfície l Ponta uniforme e redonda para evitar perfuração l Pequena capacidade para retirada de pouco volume de sangue e infusão de solução salina l Traço radiopaco irregularidade na superfície Canulização da Artéria Umbilical Características do cateter Arterial

12 Aspectomacroscópico dos vasos umbilicaisAspectomacroscópico umbilicais Canulização da Artéria Umbilical Artéria umbilical Veia umbilical


Carregar ppt "Canulização da Veia Umbilical - Técnica A Identificação da veia umbilical; B Inserção do cateter na veia umbilical; C Fixação do cateter com ponte de fita."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google