A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Elementos da Cartografia

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Elementos da Cartografia"— Transcrição da apresentação:

1 Elementos da Cartografia
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS Elementos da Cartografia Telma Machado de Oliveira Peluzio Orientador: Ds. Alexandre Rosa dos Santos

2 Elementos de Cartografia: Sistemas Geodésicos de Referência
Roteiro Introdução; Objetivo; Desenvolvimento: Sistemas Geodésicos de Referência; Exercício de fixação e; Referências bibliográficas. Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

3 Introdução A forma da terra; Sistema geodésicos de referência;
Implicações para o cotidiano. Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

4 Objetivo Apresentar os sistemas geodésicos de referência do Brasil e do mundo, de forma a contextualizar sua importância e influência para o cotidiano do ser humano. Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

5 Sistemas Geodésicos de Referência
Forma da terra Fonte: Dana, 1994. Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

6 Sistemas Geodésicos de Referência
Principais diferenças entre geoide e elipsoide Geoide Elipsoide Superfície física, não possui definição geométrica Superfície equipotencial Superfície irregular A diferença entre os raios polar e equatorials é de 23 Km( numa circunferência com diâmetro igual a 1m, equivale a 3,5mm) Referência altimétrica Superfície de medição Superfície matemática, mais próxima do geoide O achatamento, razão que exprime a elipicidade e por equação F= 𝑎−𝑏 𝑎 a: semieixo equatorial (maior); b: semieixo polar (menor) Para a terra esse valor é de aproximadamente 1/300. Superfície de representação Fonte: Cruz e Pina, 2001 Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

7 Sistemas Geodésicos de Referência
Sistema de referência É um sistema coordenado, utilizado para representar características terrestres, sejam elas geométricas ou físicas. Na prática, serve para a obtenção de coordenadas (latitude e longitude), que possibilitam a representação e localização em mapa de qualquer elemento da superfície do planeta (IBGE, 2014). Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

8 Sistemas Geodésicos de Referência
Considerações fica definido pelo posicionamento do elipsóide de referência numa posição rígida em relação à superfície física da Terra e, consequentemente, em relação ao geóide Datum global utilizado na cobertura geral do globo, escolhido de forma a fazer coincidir o centro de massa da Terra com o centro do elipsóide de referência, e o eixo de rotação da Terra com o eixo menor do elipsóide. local adotado por um país ou continente, de forma que haja uma boa adaptação entre o geóide e o elipsóide de referência. Datum Geodésico Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

9 Sistemas Geodésicos de Referência
Sistemas de referência adotados no Brasil Sistema Ano de implantação Orientação Córrego Alegre 19xx Elipsoide-geoide Astro Datum Chauá 1967 SAD 69 1979 Sirgas 2000 2000/2005 Geocêntrica WGS84 1989 Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

10 Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

11 Sistemas Geodésicos de Referência
Data mais usados no planeta Datum internacional WGS 84 (World Geodetic System 1984) Datum Norte-Americano NAD (elipsóide Clarke 1866) Datum Sul-Americano (elipsóide internacional) Datum Arc (elipsóide Clarke 1880) Datum Europeu Datum WGS 72 Datum de Tóquio (elipsóide Bessel) Fonte: CEFET, 2008. Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

12 Sistemas Geodésicos de Referência
Parâmetros de transformação entre sistemas adotados no Brasil CÓRREGO   WGS84     SIRGAS     SAD69   Translação X -205,57 m -206,048 m -138,70 m Translação Y +168,77 m +168,279 m +164,40 m Translação Z -4,12 m -3,823 m +34,40 m WGS84     SIRGAS   CÓRREGO   SAD69   Translação X -0,478 m +205,57 m +66,87 m Translação Y -0,491 m -168,77 m -4,37 m Translação Z +0,297 m -72,623 m +38,52 m   SAD69     WGS84   CÓRREGO   SIRGAS   Translação X -66,87 m +138,70 m -67,348 m Translação Y +4,37 m -164,40 m +3,879 m Translação Z -38,52 m -34,40 m -38,223 m  SIRGAS     WGS84   CÓRREGO   SAD69   Translação X +0,478 m +206,048 m +67,348 m Translação Y +0,491 m -168,279 m -3,879 m Translação Z -0,297 m +3,823 m +38,223 m Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

13 Exercícios de fixação 1) O que é um sistema geodésico de referência? Para que serve na prática? 2) Quais os sistemas geodésicos de referência em uso hoje no Brasil? 3) Que tipo de problema a coexistência de mais de um sistema pode causar? 4) Até quando a mudança para o SIRGAS 2000 deve estar completa? Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência

14 Referências bibliográficas
CEFET. Sistema Geodésico de Referência. Disponível em: <ftp://www.cefetes.br/.../sistemas%20 geodesicos%20de% 20refe>. Acessado em DANA, P. H. Esquema da forma da terra. Disponível em :< https://under-linux.org/entry.php?b=2511>. Acessado em IBGE. Perguntas Mais Freqüentes. Disponível em: < /faq.shtm>. Acessado em MENEZES, P. M. L. de; FERNANDES, M. do C. Roteiro de Cartografia. São Paulo: Oficina de textos, 2013, 288p. Elementos da Cartografia: Sistemas Geodésicos de referência


Carregar ppt "Elementos da Cartografia"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google