A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIJUI - Universidade Regional do Rio Grande do Sul DCS- Departamento de Ciências Sociais Programa de Pesquisa em Ciências Sociais Linha de Pesquisa: Meio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIJUI - Universidade Regional do Rio Grande do Sul DCS- Departamento de Ciências Sociais Programa de Pesquisa em Ciências Sociais Linha de Pesquisa: Meio."— Transcrição da apresentação:

1 UNIJUI - Universidade Regional do Rio Grande do Sul DCS- Departamento de Ciências Sociais Programa de Pesquisa em Ciências Sociais Linha de Pesquisa: Meio Ambiente Professor: Dejalma Cremose Elaborado: Márcia Maria dos Santos Pres. Tancredo Neves – Ba 29 Abril de 2008

2

3 Restringe-se à natureza, compreendendo ao meio físico, vegetal e animal Concepção do Meio Ambiente:

4 Aspectos econômicos, Aspectos sociológicos, Aspectos tecnológico, Aspectos éticos, Aspectos jurídicos, Aspectos psicológicos Aspectos filosóficos Aspectos que são eliminados na concepção do Meio Ambiente:

5 Ao contrário o mundo é visto em relações de integração, de forma que os problemas são sistemáticos, ou seja, intrinsecamente interligados e são interdependente.

6 A exaustão de recursos naturais, a inflação, o desemprego, o câncer, a criminalidade, são apenas facetas diversas de uma mesma crise, a crise de percepção.

7 Nas fotos que seguem percebe-se claramente tais crises de concepções

8

9 A visão holística do mundo, percebida cada vez mais na atualidade como a única compatível com interpretação do universo e da vida tem, hoje, conotação científica e filosófica, constituindo o paradigma conceitual que procura analisar e entender a questão ambiental. (CAPRA, 1982, p 42)

10 A percepção do alcance da mudança necessária na abordagem dessa questão conduz a lúcida certeza de que só é possível estabelecer uma relação diferente com a natureza se estabelecida uma outra relação dos homens entre si.

11 Esta situação exige uma reflexão imediata de forma que possa avaliar criticamente os comportamentos e as atitudes dos indivíduos, principalmente quando está relacionado à missão do cidadão.

12 É preciso que cada indivíduo tenha uma formação que o leve a ter responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

13

14 O ser humano historicamente, para garantir a sua sobrevivência precisou transferir os recursos naturais para a sua vida diária, acelerando o processo de devastação do meio ambiente.

15 A questão ambiental surge como uma crise de civilização levando a transformar a ordem econômica, política e cultural que só será possível com a transformação de consciência e do comportamento do ser humano.

16 Meio Ambiente é uma questão de educação e a partir do momento que o ser humano for orientado para o exercício da cidadania ele terá uma mudança de comportamento e atitudes. (Comissão Mundial do Meio Ambiente)

17 O homem não poder participar ativamente na história, no sociedade, na transformação da realidade, se não auxiliado a tomar consciência da realidade e de sua própria capacidade para transforma-la (FREIRE, 1979 p. 40).

18 A ecologia, como organização sistemática da natureza, parece como o paradigma capaz de preencher o vazio que deixa a ciência moderna para reordenar o mundo.

19 Durante a industrialização muitas pessoas imaginavam que o desenvolvimento da indústria moderna geraria uma nova era de abundância, na qual haveria uma elevação nos padrões de vida e a escassez seria um fenômeno do passado.

20 Com o processo de urbanização da população mundial e o crescimento desordenado das cidades, em países desenvolvidos e em desenvolvimento, passaram a acumular problemas ambientais.

21 Nos países mais pobres os danos ambientais são mais alarmantes, o desenvolvimento populacional é alto, as condições de vida são precárias e os investimentos públicos insuficientes.

22 A maneira como o homem reage o sofrimento é a confirmação da realidade humana, é a eficiência humana e o sofrimento humano, já que o sofrimento humanamente considerado é autoposse do homem. MARX, 2005, p. 141).

23 Se o consumismo e a utilização dos recursos ambientais permanecer sem controle haverá sérios riscos para o futuro bem-estar da sociedade humana.

24 O pensamento marxista, nos leva a perceber que o estudo da realidade social deve considerar como paradigma que não há homem e nem sociedade ideal isoladas da natureza.

25 A verdade é que a natureza não é pensada como forma de preservação, mas como força de produção da sociedade a qual está a serviço de bem-estar do homem; está ali para satisfazer as necessidades imediatas a partir da modificação e adaptação de sua necessidades.

26 Homem Meio Ambiente Relação indissociável

27 Quando o ser humano transforma a natureza, ele também sofre alterações. Quando o homem trabalha, ele interfere no meio ambiente e deixa nele suas marcas, mas neste processo de trabalho o meio interfere no homem.

28 CAPRA, Fritjof. O ponto de mutação: a ciência, a sociedade e cultura emergente. São Paulo: cultrix, FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários a prática educativa. São Paulo: paz e terra, 1996 – (Coleção leitura) MARX. Karl. Manuscritos Economico- Fisosóficos. Trad: Alex Marins. Texto integral. São Paulo. Martin Claret (Coleção Obra Prima de Cada Autor)

29 QUINTANEIRO. Tânia et all BARBOSA. Maria Lígia de Oliveira. Um toque de clássicos. Durkheim, Marx, Weiber. Ed. 4ª., Belo Horizonte. Ed. UFMG, /supers/supers em ONU. Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente, 1992.


Carregar ppt "UNIJUI - Universidade Regional do Rio Grande do Sul DCS- Departamento de Ciências Sociais Programa de Pesquisa em Ciências Sociais Linha de Pesquisa: Meio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google