A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

13 o ENCONTRO REGIONAL DO PROGRAMA DE INCENTIVO À LEITURA (PROLER) LEITURA E INFORMAÇÃO PARA A CIDADANIA Prof a Magda Chagas Blumenau, 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "13 o ENCONTRO REGIONAL DO PROGRAMA DE INCENTIVO À LEITURA (PROLER) LEITURA E INFORMAÇÃO PARA A CIDADANIA Prof a Magda Chagas Blumenau, 2010."— Transcrição da apresentação:

1 13 o ENCONTRO REGIONAL DO PROGRAMA DE INCENTIVO À LEITURA (PROLER) LEITURA E INFORMAÇÃO PARA A CIDADANIA Prof a Magda Chagas Blumenau, 2010.

2 Assistir à TV. Falar ao telefone. Movimentar conta bancária. Verificar multas de Trânsito. Comprar diferentes produtos. Trocar mensagens com o outro lado do planeta. Pesquisar e estudar. SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Ler jornais, mantendo-se atualizado.

3 Utilização ampla de tecnologias de armazenamento e transmissão de dados e informação de baixo custo.

4 Esta generalização da utilização da informação e dos dados é acompanhada por inovações organizacionais, comerciais, sociais e jurídicas que vem alterando profundamente o modo de vida tanto no mundo do trabalho como na sociedade em geral.

5 As tecnologias de informação e comunicação “fizeram a humanidade entrar na era da comunicação universal”, colocando informações mais rigorosas e atualizadas à disposição de qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo e permitindo uma interatividade “sem limite de distância ou tempo” (DELORS, J. (Org.) Educação: um tesouro a descobrir: Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. São Paulo: Cortez, 2000.)

6 O acesso à leitura e à informação apresentam-se como elementos essenciais para o avanço do conhecimento. São um direito fundamental que permite aos cidadãos participar de forma efetiva da sociedade na qual estão inseridos.

7 simples meio de decodificar uma mensagem LEITURA elemento extremamente importante no processo de formação dos indivíduos

8 LEITURA Grande fonte de energia que impulsiona a descoberta, elaboração e difusão do conhecimento.

9  a aquisição de conhecimentos,  a formação de valores,  a reflexão,  o pensamento crítico e,  auxilia no convívio em sociedade. A Leitura possibilita:

10 Papel importante desde o período de alfabetização, quando a criança é introduzida no mundo das letras e das palavras escritas. A Leitura na escola:

11 No decorrer da evolução educacional, a necessidade da leitura vai se acentuando, considerando que os livros e outras formas gráficas são utilizados como instrumento básico para as atividades de ensino- aprendizagem. A Leitura na escola:

12 leitura informação conhecimento A leitura nos coloca em contato com a informação, considerando que praticamente todo o registro do conhecimento encontra-se em livros, periódicos, jornais e outras formas gráficas.

13 É a noção, idéia ou mensagem contida num documento. É sempre incorpórea, por isso foi definida como matéria-prima abstrata. É sinônimo de poder. INFORMAÇÃO

14 O processo tradicional de aquisição de CONHECIMENTO baseia-se na observação humana de fatos ocorridos ao longo do tempo, aos quais se agrega valor, transformando-os em informação e incorporando-os ao conhecimento. INFORMAÇÃO: conjunto de elementos formadores do CONHECIMENTO.

15 Sociedade da Informação A Sociedade da Informação acentua:  a necessidade de aptidões intelectuais e cognitivas,  a exigência de pessoas formadas para a inovação, “capazes de evoluir, de se adaptar a um mundo em rápida mudança e capazes de dominar essas transformações”. (DELORS et al., p. 72).

16 Diferenças sociais, econômicas, educacionais. Brasil : Diferentes oportunidades de acesso à informação e ao conhecimento.

17 Dados ali publicados mostram o avanço, nunca antes conhecido, de uma tecnologia de informação e comunicação:  a Internet, em 4 anos, atingiu, nos EUA, 50 milhões de pessoas;  a TV levou 13 anos;  o computador pessoal, 16;  o rádio, 38. (TAKAHASHI, Tadao. Sociedade da Informação no Brasil: livro verde. Brasília: Ministério da Ciência e da Tecnologia, set. 2000).

18  Um dos 12 países mais bem posicionados;  apenas 5% da população utiliza os serviços de rede;  existe um grande déficit de meios físicos para acesso à Internet;  poucos conteúdos em português (85% deles são em inglês);  existem metas muito tímidas conquistadas pelos projetos governamentais de informatização das escolas públicas (só 3,3% das 165 mil escolas de ensino fundamental estão conectadas). (VOGT, Carlos. Informação e Simulacro Disponível em:. Acesso em: 08 maio 2010.)

19 É um direito fundamental, um direito primário, o primeiro de todos os direitos, pois sem ele não se tem acesso aos outros direitos. O acesso à informação não é apenas um direito.

20 “Com a emergência revolucionária e espetacular da sociedade da informação, neste final de século, em que se multiplicam as possibilidades de acesso a dados e a fatos, a educação deve permitir que todos possam recolher, selecionar, ordenar, gerir e utilizar as mesmas informações”. (DELORS et al., 1998, p ).

21  bibliotecas;  tempo de instrução;  tarefas de casa;  livros didáticos;  conhecimentos do professor;  experiência do professor;  laboratórios;  salário do professor;  tamanho da classe”. TORRES, Rosa María. Tendências da formação docente nos anos 90. In: WARDE, M. J. (Org.) Novas políticas educacionais: críticas e perspectivas. São Paulo: PUC-SP, p

22 Buscam a formação de alunos capazes de interagir neste mundo em mudanças, sendo capazes de construir o seu conhecimento, privilegiando a intuição e a descoberta.

23 Como solucionar esse problema?

24 A biblioteca pública é o principal meio de proporcionar a todos o livre acesso aos registros dos conhecimentos e das idéias do homem e às expressões de sua imaginação criadora. FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE ASSOCIAÇÕES DE BIBLIOTECAS E INSTITUIÇÕES (IFLA). Manifesto da Ifla/Unesco sobre Bibliotecas Públicas Disponível em:. Acesso em: 29 jun

25 A biblioteca pública tem a preocupação de reanimar o espírito do homem, proporcionando-lhe livros que divirtam e sejam gratificantes, de assistir ao estudante e de ter à disposição dos interessados informações técnicas, científicas e sociológicas atualizadas. (FEDERAÇÃO, 1994)

26  mediação entre documentos ( e o conhecimento ali registrado ) e os usuários;  apoio a todas as atividades de ensino-aprendizagem;  fornecimento de informações atualizadas e adequadas às necessidades da comunidade escolar.

27  Devem ser organizadas de acordo com as características de seus usuários;  devem seguir, na medida do possível, padrões internacionais de organização;  devem possuir acervos atualizados e adequados às características de seus usuários;  devem educar os usuários para o uso dos documentos, independente do suporte no qual estejam registrados.

28  Precariedade de instalações;  desatualização, escassez e seleção inadequada do seu acervo;  desconhecimento das características do usuário real e potencial;  ausência de bibliotecário como profissional qualificado.

29 A reprodução da violência social ocorre no espaço escolar e juvenil como uma cópia do comportamento adulto, nas relações entre crianças que carecem de outras referências sociais e culturais para romperem com a vulnerabilidade a que estão submetidas.

30 41,5% 11% Sul e Sudeste = 41,5% escolas com bibliotecas; Norte e Nordeste = 11% (TAKAHASHI, 2000, p. 51). Em 2003: estabelecimentos brasileiros com ensino público fundamental (2003); desses, (22,88%) com bibliotecas (BRASIL. Ministério da Educação. Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE): leitura e bibliotecas nas escolas públicas brasileiras. Brasília: Ministério da Educação, 2008.)

31 Censo Escolar (2004): 52,8% 52,8% dos alunos do ensino básico e profissional dispõem de bibliotecas escolares; 214 mil Total de escolas que participaram deste censo mil; Dessas, apenas, ou seja, (26,4%) possuem bibliotecas; Dessas, apenas 2% possuem bibliotecário (BRASIL. Ministério da Educação. Censo Escolar Brasília: Ministério da Educação, 2005.)

32  Devem organizar um movimento global de renovação cultural, aproveitando-se da riqueza de informações.  Devem fornecer uma formação geral na direção de uma educação integral.  Devem superar a visão utilitarista de só fornecer informações úteis para a competitividade, para obter resultados.

33  Precisam de projetos;  precisam de dados;  precisam fazer sua própria inovação;  precisam de um novo projeto político pedagógico que inclua a biblioteca como elemento essencial.

34  O bibliotecário é um mediador de conhecimentos, diante do usuário que é o sujeito da sua própria formação.  Precisa construir conhecimento a partir do que faz.  Precisa ser curioso.  Precisa buscar sentido para o que faz.  Precisa aprender novos sentidos para o fazer dos seus alunos.

35  Responsabilidade na formação e desenvolvimento de um acervo atualizado e adequado às diferentes faixas etárias que compõem a escola e a comunidade na qual está inserida.

36  O acervo deve ser composto de enciclopédias, dicionários, livros didáticos, literatura, periódicos, entre tantos outros documentos que contribuem para o enriquecimento das atividades desenvolvidas no processo escolar.

37  estudantes brasileiros lêem 7,2 livros por ano;  5,5 deles são didáticos ou indicados pela escola;  1,7 livro é lido por vontade e escolha própria;

38  46% dos estudantes do país dizem não freqüentar bibliotecas;  17% afirmaram não gostar de ler. Fonte: Pesquisa: Retratos da Leitura, do Instituto Pró-Livro, 2007.

39 É necessário que as bibliotecas escolares estaduais retomem seu importante papel como instrumento no processo de formação de crianças e jovens, fomentando e disseminando na comunidade local, de forma significativa, a qualificação de leitores críticos e atuantes.

40 O fundamento político que se deve buscar tem como referência retomar o compromisso com a educação pública para a promoção de mudanças nas relações de precariedade social e estímulo à formação de indivíduos autônomos e cientes da sua condição de sujeito de direito.

41 compromisso com a educação pública mudanças nas relações de precariedade social formação de indivíduos autônomos e cientes da sua condição de sujeito de direito. O fundamento político que se deve buscar tem como referência retomar o compromisso com a educação pública para a promoção de mudanças nas relações de precariedade social e estímulo à formação de indivíduos autônomos e cientes da sua condição de sujeito de direito.

42 OBRIGADA!


Carregar ppt "13 o ENCONTRO REGIONAL DO PROGRAMA DE INCENTIVO À LEITURA (PROLER) LEITURA E INFORMAÇÃO PARA A CIDADANIA Prof a Magda Chagas Blumenau, 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google