A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTERNATIONAL HANDBOOK OF ALCOHOL DEPENDENCE AND PROBLEMS Peters & Stockwell Chapter 17: Developmental Processes Dennis M. Gorman Elisabeth Dentello Camolesi.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTERNATIONAL HANDBOOK OF ALCOHOL DEPENDENCE AND PROBLEMS Peters & Stockwell Chapter 17: Developmental Processes Dennis M. Gorman Elisabeth Dentello Camolesi."— Transcrição da apresentação:

1 INTERNATIONAL HANDBOOK OF ALCOHOL DEPENDENCE AND PROBLEMS Peters & Stockwell Chapter 17: Developmental Processes Dennis M. Gorman Elisabeth Dentello Camolesi Dependência Química Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira São Paulo - Agosto 2001

2 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Identifica variáveis na infância e adolescência que são determinantes para o abuso e dependência do álcool. Teorias e experiências relacionadas ao processo fundamental de desenvolvimento da dependência do álcool. Família / Grupo de amigos

3 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Três modelos específicos que juntam o processo fundamental com abuso e dependência do álcool: a) modelo de desenvolvimento social (Hawkins e Catalano) b) teoria do comportamento problemático (Richard & Jessor) Ambos entendem que abuso e dependência de álcool é parte de uma gama de comportamentos anti-sociais e de saúde : uso de drogas, violência, fumo, desnutrição e problemas mentais.

4 PROCESSOS FUNDAMENTAIS c) modelo específico e integrador (Wagenaar & Perry) aborda a diferença entre abuso e dependência do álcool por um tempo limitado x por toda a vida; a natureza da relação entre abuso e dependência do álcool e outros tipos de problemas; as implicações das evidências relativas dos processos fundamentais e prevenção do abuso e dependência do álcool.

5 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Risco* e Proteção a maioria das pessoas iniciam comportamentos de riscos durante a adolescência; a ocorrência da maioria dos comportamentos de riscos, inclusive o abuso do álcool, surge no final da adolescência e início da juventude; é significativa a proporção de sinais na infância e adolescência daqueles que vão ter problemas persistentes; a maioria daqueles que apresentaram problemas durante a adolescência desistem entre 20 e 30 anos. *Risco refere-se a probabilidade estatistíca de que algo ocorrerá em algum momento mais tarde (Zucker, 1996)

6 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Risco e Proteção Hawkins, Catalano & Miller (1992) descrevem fatores de risco para estudos de prevenção: 1) ambiente ( leis, normas, permissões, desorganização social e probreza); 2) caracteristícas dos indivíduos (diferenças fisiológicas, atitutes frente às drogas, educação, disposições gerais, conformidade e alienação); 3) relações interpessoais, envolvendo família e amigos.

7 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Risco e Proteção Existem teses que consideram que fatores de risco possuem limitações inerentes e que, como alternativa, devemos considerar fatores de proteção; Brow e Rerowitz (1993) sugerem que os dois conceitos têm-se desenvolvido através de áreas e representam paradigmas distintos; Teóricos fundamentalistas conceituam risco e proteção como aspectos complementares inclusive, considerando a adversidade entre os mesmos; Rutter (1985) refere que o papel do fator de proteção é modificar a reação para uma adversidade posterior e preferivelmente proporcionar um desenvolvimento numa direção favorável.

8 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Processos Familiares ( risco) De acordo com a Teoria de Aprendizagem Social, processos como condicionamento, imitação e aprendizado por observação são fatores chave para explicar o comportamento de beber, influenciado por membros da família. Muito da literatura sobre interação e estresse familiar tem como tema, a influência de familiares com comportamento de bebida sob seus filhos/crianças. A intensidade do relacionamento entre a criança e seu parente e a qualidade do ambiente do lar, têm sido apontados como forte influenciadores de comportamento de bebida do adolescente, independentemente do parente fazer uso de álcool.

9 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Processos Familiares (proteção) Tem sido menor a atenção para mecanismos protetotres, como a utilização de objetivos estabelecidos pelos pais (Bermet & Wollin, 1990). Brown (1993) conclui que atitudes familiares como decisão em família estão associadas a escolha de grupos pelos adolescentes.

10 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Relacionamentos em grupos Estudos indicam que este é um dos mais poderosos fatores que conduzem o adolescente ao uso do álcool. Contudo, existem críticas em relação ao tópico anterior, uma vez que valorizam muito os aspectos que dizem respeito à formação do grupo e subestimam outros valores, que, talvez, influenciassem essa formação. Adolescentes selecionam amigos que são semelhantes e acabam influenciando-se unilateralmente uns aos outros e dividindo comportamentos que vão além do hábito de bebida, tais como agressividade e atitudes anti-sociais (Jacob & Leonard, 1994).

11 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Relacionamentos em grupos Adolescentes e crianças agressivas tendem a sofrer rejeição por parte dos amigos sociais e aproximarem-se daqueles com comportamentos parecidos com o próprio. Brown (1993) conclui que atitudes como monitoramento do jovem e a decisão em família estão associadas a escolha de grupos pelos adolescentes.

12 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Modelo de Desenvolvimento Social envolve outras três teorias: controle social, aprendizagem social e associação diferenciada; expressa a importância da criança desenvolver fortes laços com as principais instituições de socialização: família, amigos, comunidade e escola. É através destes laços que se desenvolverão comportamentos sociais ou anti-sociais; os fatores de riscos para uso do álcool e outros comportamentos ocorrem seqüencialmente ( família, escola, grupo de amigos, etc). Entretanto, se um indivíduo originado de família disfuncional tiver oportunidade de aproximação com grupos funcionais, as influências familiares negativas tendem a diminuir. ( intervenção / mensuração Seattle - Catalano & Hawkins)

13 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Teoria do Comportamento Problemático o comportamento problemático é um comportamento aprendido; a estrutura conceitual envolve três sistemas: personalidade, ambiente percebido e comportamento - dentro de cada sistema está um grupo de variáveis explicativas que são instigadoras ou controladoras do comportamento problemático; o resultado desta relação de instigadores ou controladores é chamado risco; comportamentos problemáticos como uso de outras drogas, delinqüêcia e atividade sexual prematura, aumentam o risco para o abuso e dependência do álcool; (diferença controladoras e instigadoras)

14 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Teoria do Comportamento Problemático Jerry e Jessor (1985) propuseram que o modelo triplo * foi apropriado na explicação de comportamentos de saúde: exercício do sono, desnutrição, o não uso de cintos de segurança, direção embriagada, habilidades limitadas para o trabalho, repetência escolar, isolamento social e desmotivação. * personalidade, ambiente percebido e comportamento

15 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Modelo Integrativo de Álcool / Específico Wagenaar & Perry : o modelo é específico porque explica somente o abuso do álcool e integrativo por conta dos modelos que inclui: comportamento problemático, aprendizagem social, teoria do esforço, teorias de condicionamento cognitivo e operacional, teoria do controle social e, ainda, normas e acesso em relação ao álcool (utilidade e custo). considera-se que influenciar no comportamento de beber só é possível se os antecedentes pessoais e do ambiente forem modificados. (intervenção / estudo - Perry / Projeto Northland / Minnesoto,1996)

16 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Tipologias e Trajetórias : Generalistas x Especialistas Persistentes x Limitados Estudos sobre o Modelo de Desenvolvimento Social, Teoria do Comportamento Problemático e Modelo Específico e Integrador do Álcool, concluem que é de fundamental importância considerar : 1) até que ponto o abuso do álcool relaciona-se a outros comportamentos e problemas de saúde e até que ponto, isto é etapa fundamental comum ? 2) até que ponto o abuso do álcool é um problema persistente por toda a vida do indivíduo ou pode ser apenas por um tempo limitado?

17 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Tipologias e Trajetórias: Generalistas x Especialistas Persistentes x Limitados De acordo com as Teorias do Comportamento Problemático e Modelo de Desenvolvimento Social, o abuso do álcool convive com outros problemas de comportamento e a relação destes comportamentos resulta num processo fundamental comum. As pessoas, contudo, diferem entre si em termos do tipo de comportamento problemático, enquanto que a pressão das influências externas vão determinar se o indivíduo seguirá por caminho um social ou anti- social.

18 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Tipologias e Trajetórias: Generalistas x Especialistas Persistentes x Limitados Na análise das Teorias Especialistas, entendem-se que os problemas de comportamento estão associados a dois fatores: as relações entre os comportamentos são instáveis e as essências deles diferem pela genética (Glube & Morgan, 1990).

19 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Tipologias e Trajetórias: Generalistas x Especialistas Persistentes x Limitados White (1992) : problemas de saúde mental não se relacionam fortemente com comportamentos problemáticos, incluindo o uso do álcool para homens e apenas um pouco para mulheres. Brack & Orr (1994): relacionam o álcool com vários outros comportamentos destrutivos e concluem que o álcool normamalmente relaciona-se com uma rebelião contras as normas dos adultos e associa-se ao comportamento de uso de outras drogas, problemas na escola, relações sexuais prematuras e problemas com a polícia. Álcool não relaciona-se com problemas de reprodução e afetivos como tristeza, nervosismo e auto controle.

20 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Tipologias e Trajetórias: Generalistas x Especialistas Persistentes x Limitados Chen & Kandel (1995) : usuários pesados de bebidas surgem na idade antes de 20 anos e diminuem depois disso. Weber (1989)* : dois caminhos no uso do álcool: adolescentes normais e adolescentes com problemas de comportamento aumentaram o consumo do álcool após um ano de acompanhamento. Labouvie (1991)*: indivíduos que apresentaram iniciação prematura e tornaram-se usuários pesados, apresentaram problemas na escola, problemas de disciplina, baixo nível de apego aos familiares, menor auto controle, menor satisfação pessoal em relação aos individuos com trajetória normais de consumo do álcool. *Estudo longitudinal: amostra de adolescentes usuários de álcool com 12a. e adolescentes que haviam inciado o uso da bebida um ano antes.

21 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Tipologias e Trajetórias: Generalistas x Especialistas Persistentes x Limitados Labouvie*: entre indivíduos de 20 até 30 anos foram identificados dois subgrupos: indivíduos que só beberam na adolescência e indivíduos que ainda apresentaram problemas na vida adulta. Labouvie*: um normal e progressivo aumento de consumo do álcool foi considerado normal como parte do processo de socialização. *Estudo longitudinal: amostra de adolescentes usuários de álcool com 12anos e adolescentes que haviam inciado o uso da bebida um ano antes.

22 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Conclusões e Implicações Diante dos conceitos de generalistas e especialistas, persistentes e limitados, encontramos diversos tipos de usuários de álcool: Especialista Generalista Generalista Generalista em álcool comportam. problemas problemas problemático psicológicos saúde Limitados Persistentes Gorman, 1996 : a principal implicação para a prevenção é que precisamos desenvolver tipos específicos de intervenções para sub-grupos específicos de indivíduos. Nós precisamos mudar a utilização de intervenções universais, para específicas.

23 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Conclusões e Implicações Se existem diferentes grupos de usuários de álcool com distintos processos fundamentais, alguns destes grupos não aceitariam intervenções baseadas num estilo universal. As pessoas praticantes de um mesmo comportamento (bebida alcóolica ) adotam tal prática por diferentes motivos. Perry (1996) testou intervenção baseada na influência social que não produziu resultado nos usários prematuros de álcool. Halwkins e Catalano com o projeto de desenvolvimento social / Seattle, obtiveram efeitos prematuros com indivíduos de alto risco.

24 PROCESSOS FUNDAMENTAIS Considerações Finais Risco conduz, inevitavelmente, ao desenvolvimento de intervenções de abstinência orientadas,que aumentam a patologia e deficiência do indivíduo. Modelo Protetor conduz ao desenvolvimento de intervenções de saúde pública que promovem bem estar geral. Devemos enfocar, portanto: * Programas de Abstinência x Programas de Saúde Pública * Deficiência Individual x Condições Ambientais

25 PROCESSOS FUNDAMENTAIS OBRIGADA ! Elisabeth Dentello Camolesi Dependência Química Fone: (11)


Carregar ppt "INTERNATIONAL HANDBOOK OF ALCOHOL DEPENDENCE AND PROBLEMS Peters & Stockwell Chapter 17: Developmental Processes Dennis M. Gorman Elisabeth Dentello Camolesi."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google