A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Biocombustível Alternativas e riscos Recife-Maio de 2008 James Onnig Tamdjian.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Biocombustível Alternativas e riscos Recife-Maio de 2008 James Onnig Tamdjian."— Transcrição da apresentação:

1

2 Biocombustível Alternativas e riscos Recife-Maio de 2008 James Onnig Tamdjian

3 Geógrafo -PUC-SP Autor da Editora FTD Pesquisador- bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian-Lisboa. Assessor do governo da Armênia no Alto Comissariado para os Direitos Humanos da ONU ( ) Delegado da Internacional Socialista( )

4 As preocupações com a degradação ambiental 1962 DDT X SAÚDE HUMANA

5 A Comissão de Meio Ambiente aprova proibição a DDT em agrotóxicos como inseticidas, pois afeta a saúde humana. Aconteceu - 28/05/ h29

6 Clube de Roma Ong criada em 1968 por pensadores e empresários. Sua principal preocupação é o Desenvolvimento Sustentável.

7 Limites do Crescimento Utilizando modelos matemáticos o MIT chegou a conclusão que o Planeta Terra não suportaria mais o crescimento populacional devido à pressão sobre os recursos naturais e energéticos e o aumento da poluição, mesmo considerando o avanço das tecnologias. ECOMALTHUSIANISMO

8 Crise do petróleo Após sucessivas derrotas para Israel (1948,1967,1973), os países árabes que lideravam a OPEP decidiram aumentar radicalmente o preço do barril do petróleo como forma de retaliação.

9 Choque de 1973 Os países do Oriente Médio descobriram que o petróleo é um bem não-renovável. Diminuíram a produção, elevando o preço do barril de US$ 2,90 para US$ 11,65. As vendas para os EUA e a Europa foram embargadas nessa época devido ao apoio dado Israel.

10 Mas o petróleo vai acabar? 1 - Tomando como base reservas de 480 bilhões de toneladas e dependendo do ritmo do crescimento econômico, podemos ter petróleo para mais 54 ou 83 anos. 2 – Pelo menos nos países industrializados, com a evolução tecnológica e a utilização de outras fontes de energia, o consumo do petróleo tende a diminuir, o mesmo porém não se pode afirmar para os países emergentes. 3 – Com a escassez do petróleo, o preço do mesmo poderá subir vertiginosamente, o que por outro lado, levará a uma diminuição do consumo, com aumento do tempo de duração do mesmo.

11 1º choque

12 Situação do Brasil Milagre brasileiro Década perdida

13 Anos 70: Descompasso entre consumo e produção A situação anterior ao choque, de petróleo barato, de certa forma incentivava a importação e não a produção interna. Em 1973 o Brasil importava 80% do petróleo consumido Após o choque, a produção começou a correr atrás do consumo!

14

15 Alternativa urgente: Pró- Álcool Breve histórico: - Em 1931 o governo já autorizava a mistura de 5% de álcool na gasolina. -Em 1966 o governo autoriza 25% de mistura de álcool na gasolina. -Em 1973 o Brasil importava 80% do petróleo consumido, lembre-se em pleno “M I L A G R E”

16 Mas o que é o Pró – Álcool? Programa Nacional do Álcool visava substituir os combustíveis veiculares derivados de petróleo por álcool, financiado pelo governo a partir de 1975 devido a crise do petróleo em 1973.

17 Mas como isso foi feito? As vantagens oferecidas pelo governo eram irrecusáveis: financiamento de 80% para compra de equipamentos com juros de 2% a 6% ao ano num período em que a inflação esteve entre 30% e 230% ao ano, e os juros mensais entre 2,3% e 14%.

18 1975- Crise nas fazendas brasileiras

19 Vantagens Ambientais do Álcool Eliminação do aditivo “Chumbo da Gasolina” substituído pelo álcool anidro.(Brasil foi o 1º do mundo a eliminar) Reduz a poluição nos centros urbanos. Balanço energético positivo. Contribui para a diminuição do efeito estufa.

20 Vantagens econômicas do Álcool Movimenta aproximadamente R$ 20 bilhões/ano representando importante contribuição nos impostos. Geração de empregos e portanto salários. É uma reserva estratégica do país.

21

22 06/07/2007 Cobertura florestal pode desaparecer em 45 anos O promotor Alexandre Raslan, alertou, que a cobertura do Pantanal pode desaparecer em 45 anos. Esta bacia é a mais visada pelas usinas de cana-de-açúcar, que estão se instalando. Para ele, a solução é "considerar o meio ambiente como componente do desenvolvimento, não um oponente". Daniel Pedra/Mídia Max

23 Q U E I M A D A S A Embrapa mostra que, em sete anos, são perdidos 96% de nitrogênio, 76% de enxofre, 47% de fósforo, 48% de potássio, 35% de cálcio, e 40% de magnésio do solo. Para recuperar essas perdas, o agricultor deve deixar a área que foi plantada descansando. Com esse repouso, surge uma nova vegetação que trará uma reposição dos nutrientes perdidos. Em alguns casos, esse período pode ser de 3 a 7 anos. Para quem é pequeno agricultor, isso pode significar uma eternidade.

24

25

26 PROGRAMA NACIONAL DE ENERGIA – 1983 Inicia-se uma verdadeira corrida para a obtenção de outros combustíveis a partir da biomassa. Inaugura-se o Laboratório de pesquisa em biodiesel proveniente da soja na Universidade Federal do Paraná. Foi a base do Programa Nacional de Produção de Biodiesel anos depois.

27

28

29 Capacidade produtiva média de algumas oleaginosas (litros/hectare) Dendê – a 6.000Girassol – 720 a 940 Carnaúba – a 1.700Arroz – 700 a 900 Azeitona – a 1.500Soja – 440 a 550 Amendoim – 900 a 1.100Milho – 170 a 200 Mamona – 740 a 1.000Caroço de algodão – 280 a 340

30 Processos de produção A TRANSESTERIFICAÇÃO é o processo mais utilizado atualmente para a produção de biodiesel. CATALIZADOR (REAÇÃO QUÍMICA ) ÓLEO VEGETAL OU GORDURA ANIMAL ETANOL OU METANOL BIODIESEL GLICERINA OLEAGINOSA TORTA, FARELO, ETC

31 Identificação de mistura B22% de biodiesel misturado ao óleo diesel B55% de biodiesel misturado ao óleo diesel B2020% de biodiesel misturado ao óleo diesel B5050% de biodiesel misturado ao óleo diesel B100biodiesel puro

32 O que é o Biodiesel? Segundo a Lei nº , de 13 de janeiro de 2005, biodiesel é um “ biocombustível derivado de biomassa renovável para uso em motores a combustão para geração de outro tipo de energia, que possa substituir parcial ou totalmente combustíveis de origem fóssil”.

33 Prazos para mistura 5% oito anos após a publicação lei,2% três anos após a publicação. A Lei estabelece a adição de um percentual mínimo de biodiesel ao óleo diesel comercializado, em qualquer parte do território nacional. Esse percentual será de 5% oito anos após a publicação lei, havendo um percentual de 2% três anos após a publicação. B22008 B52013

34  I Introduzir o biodiesel na matriz energética brasileira de forma SUSTENTÁVEL  G Geração de emprego e renda, especialmente no campo  INCLUSÃO SOCIAL RReduzir emissões de poluentes e gastos com importação de petróleo e derivados  E Exigir e fiscalizar rigorosamente a QUALIDADE  U Uso de distintas oleaginosas: mamona, palma (dendê), girassol, algodão, soja, pinhão-manso, amendoim. DIRETRIZES DO PNPB

35 Generalidades sobre o Biodiesel Já está comprovado que a adição de 2% de biodiesel ao óleo diesel não exige alterações nos motores, tendo inclusive garantia de fábrica; Todas as formulações - B2, B5, B20 e B50 - estão sendo testadas, inclusive pelos fabricantes de tratores; O biodiesel é adquirido pelo Governo através da Agência Nacional do Petróleo, por intermédio de leilões; A Alemanha já utiliza biodiesel B100 com plena garantia dos fabricantes de veículos.

36 Fim da Guerra Irã- Iraque Em 1989 o governo Sarney iniciou os cortes nos subsídios do Pró-Álcool

37 Produção de Etanol Guerra Irã-Iraque

38

39 ETANOL NOS EUA Os americanos devem reduziram sua área de soja em 2007 para produzir milho para o etanol. Como conseqüência, as exportações de soja dos Estados Unidos para a China caíram e o Brasil, deve ocupar o espaço deixado pelos Estados Unidos no mercado chinês. Fonte: Agência Estado

40 Os EUA vai limitar a produção de álcool de milho. O país vai substituir 15% do consumo de gasolina por álcool até Se todo este volume fosse produzido a partir do milho, a área plantada teria que triplicar. Estão investindo em novas tecnologias de produção de álcool, em especial celulose.São seis usinas produzindo 80 milhões de litros/ano. US$ 18 bilhões já foram investidos em pesquisas. "O álcool veio para ficar e vamos investir na pesquisa e na produção, independente dos preços do petróleo", afirmou um alto funcionário do governo dos EUA.

41 E A SOJA NO BRASIL?

42

43

44

45

46

47

48 Riscos para o Brasil NÃO CONSEGUIRMOS ACOMPANHAR INVESTIMENTOS DOS PAÍSES MAIS RICOS. MAIS UMA VEZ A SAÍDA É A EDUCAÇÃO

49 RISCOS PARA O BRASIL ESSE SETOR SER CAPTURADO EXCLUSIVAMENTE POR GRANDES CORPORAÇÕES TRANSNACIONAIS AFASTANDO A AGRICULTURA FAMILIAR DESSE IMPORTANTE MERCADO FUTURO E PROMISSOR.

50 Riscos para o Brasil Biocombustíveis estão perdendo o rótulo ambiental, diz ‘El País’ 31 Março, 2008 É difícil garantir o rótulo de fonte de energia ambientalmente “verde” aos biocombustíveis, por conta dos crescentes questionamentos sobre os possíveis efeitos danosos de sua produção, Outros especialistas e a maior parte dos grupos ecologistas emitem diariamente declarações nas quais afirmam que os biocombustíveis não contribuem para lutar contra a mudança climática, que provocam graves impactos ambientais em regiões como a América do Sul, que alteram o preço dos alimentos e que estabelecem um modelo agrícola de alta dependência de grandes multinacionais”.

51 Somos um país que é conhecido por seus enormes desmatamentos. Isso pode ser usado contra o Brasil que já sofre pressões externas.

52

53 UMA SOLUÇÃO POSSÍVEL

54 Fonte: IBGE E IBAMA 448 MUNICÍPIOS DO NORDESTE APTOS AO PLANTIO DE MAMONA META ATÉ 2008: AGRICULTORES FAMILIARES DO NORDESTE NA CADEIA DO BIODIESEL ÁREA EM AMARELO: CAATINGA – POTENCIAL PRODUTORA DE MAMONA

55 O B R I G A D O A R I A N O James 4/05/2008 “ Defendo e vou defender sempre o nacional, o regional e o local”. Ariano Suassuna,


Carregar ppt "Biocombustível Alternativas e riscos Recife-Maio de 2008 James Onnig Tamdjian."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google