A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Arlindo Moreira Carlos Alexandre T. Crivelente Carlos Henrique P. Maduro José Luiz Nogueira Filho Pablo Freire.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Arlindo Moreira Carlos Alexandre T. Crivelente Carlos Henrique P. Maduro José Luiz Nogueira Filho Pablo Freire."— Transcrição da apresentação:

1 Arlindo Moreira Carlos Alexandre T. Crivelente Carlos Henrique P. Maduro José Luiz Nogueira Filho Pablo Freire

2 SOA = arquitetura + metodologia de desenvolvimento. SOA é uma arquitetura que satisfaz um modelo empresarial, utilizando serviços. O SOA orquestra os serviços, que estão organizados em processos de negócios, permitindo uma maior agilidade e dinamismo. O SOA é uma arquitetura associada a uma serie de tecnologias: WebServices, SOAP, BPEL4Ws, WSCI, UDDI, XML, HTTP.

3 Serviço é um meio de se escrever tecnologicamente uma função ou processo específico do negócio. Deve ser compartilhado e reutilizado em diversas áreas da empresa. Deve ser independente de outros serviços e invocado através de protocolos de comunicação independentes da localização e da tecnologia de suporte.

4 Login Acesso ao BD Rotina de verificação Atualização Saque

5 SOA é uma abordagem arquitetural CORPORATIVA que permite a criação de SERVIÇOS DE NEGÓCIO INTEROPERÁVEIS que podem facilmente ser reutilizados e compartilhados entre aplicações e empresas. Kleber Bacili Diretor de tecnologia DigitalAssets

6 WebService é uma solução utilizada na integração de sistemas e na comunicação entre aplicações diferentes. Pode ser desenvolvido em diferentes linguagens com suporte a Web: Java,.Net, PHP, ASP.

7 Submarino.com Correios CEP Operadora Cartão Crédito Operadora Cartão Crédito Consulta limite

8 Devemos fazer pensar o SOA como sendo uma planta de construção de uma aplicação e como elas irão se conectar. O modelo SOA, propõe uma espécie de barramento corporativo (ESB - Enterprise Service Bus), através da qual, aplicações antigas possam ser agregadas e compartilhadas, mas para tal deverá ser traduzida para uma linguagem ou protocolo padrão, o XML.

9 Enterprise Service Bus

10 Middleware Comprei um ESB (Middleware). O que faço agora? Se um middleware resolve seu problema, por qual motivo você iria considerar a implantação de SOA neste momento? SOA não veio para conectar coisas - arquitetura orientada a serviços está relacionada a uma mudança de estilo de arquitetura, com um mapeamento mais próximo da necessidade do negócio. O negócio deve definir a arquitetura (daí a importância de SOA) e que a arquitetura deve dirigir a tecnologia a ser adotada. A tecnologia não deve ditar as normas para a arquitetura.

11 A estratégia correta é: implemente apenas e se necessário, apenas quando houver a necessidade do negócio, e não porque você está prevendo que alguém irá precisar desta implementação. Eu considero esta uma das regras de ouro da arquitetura SOA. Se você já tem um ESB na sua corporação, saiba que você já deu um grande passo em direção ao mundo SOA. Contudo, não caia na tentação de construir uma EOA (ESB - Oriented Architecture).

12 Uma pesquisa do IDC aponta que 58% das empresas no mundo estão estudando o SOA, 18% colocaram o conceito em produção e 13% têm um projeto piloto. Somente 11% declararam que não estão fazendo nada a respeito. Para que o SOA entre em prática, começa a surgir uma demanda por profissionais de TI O salário desse profissional pode chegar ao patamar do de um gerente de tecnologia ou de projeto, algo entre 8 a 12 mil reais.

13 O Gartner posicionou SOA – Service Oriented Architecture, entre as 10 prioridades dos executivos de TI para ª Conferência SOA da América Latina Data: 02 de setembro de 2008 Local: WTC Hotel

14 Benefícios da arquitetura Paralelismo no desenvolvimento Integração entre tecnologias distintas. Reutilização e eficiência de custos Interoperabilidade Flexibilidade ou Manutenção

15 Empresa: Petrobras Como não há uma formação específica para atuar em SOA, o que conta é a combinação da experiência do profissional, a habilidade técnica e a visão do negócio. Marcelo Jaccoud Amaral, 43 anos, Arquiteto tecnológico. Setor: PetroquímicoProfissionais envolvidos: 30 Faculdade de Engenharia Química. Mestrado de Engenharia de Software pela PUC-Rio

16 - Subestimar a complexidade técnica da adoção de SOA em larga escala. - Ter governança demais ou de menos. - Tratar SOA como qualquer outro projeto de desenvolvimento de aplicações. - Colocar a infra estrutura, aplicativos e serviços SOA para rodar sem a devida segurança.

17 - Tentar ferver o Oceano (Gartner). - Implementar alguns WebServices. - Pensaremos em governança mais tarde. - Vamos às Compras.

18 SOA não é um produto e portanto não pode ser vendida

19 Pesquisa realizada pelo AppLabs, constatou que 59% dos profissionais ouvidos desconhecem completamente os riscos associados à SOA. Este estudo, que ouviu mais de 50 profissionais de empresas listadas na Fortune 500, também revelou que 19% deles não sabem como abordar temas como gerenciamento de qualidade e testes em ambientes SOA. Perto de 5% revelou que pretendem testar SOA do mesmo modo que em outros sistemas de TI.

20 Criado em janeiro de 2007 Não é um consórcio de padronização, como o W3C e o OASIS Tem como missão incentivar e apoiar fornecedores e usuários para que as maiores organizações adotem o SOA com sucesso


Carregar ppt "Arlindo Moreira Carlos Alexandre T. Crivelente Carlos Henrique P. Maduro José Luiz Nogueira Filho Pablo Freire."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google