A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

3° Encontro Anual de Usuários 3 de dezembro de 2007 ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "3° Encontro Anual de Usuários 3 de dezembro de 2007 ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA."— Transcrição da apresentação:

1 3° Encontro Anual de Usuários 3 de dezembro de 2007 ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA

2 Comércio Exterior da Bahia ∆ %2006∆ %2007*∆ % BRASIL % % % BAHIA % % % BA/BR%4,5%4,9% 4,5% Fonte: MDIC/Secex - (*) Estimativa Usuport Valores: BAHIA x BRASIL (Em US$ FOB)

3 Comércio Exterior da Bahia 3 Fonte: MDIC/Secex - (*) Estimativa Usuport Quantidade de cargas: BAHIA x BRASIL (Em Toneladas) ∆ %2006∆ %2007*∆ % BRASIL % % % BAHIA % % % BA/BR%2,7%3,1%2,6%2,3%

4 4 Comércio Exterior da Bahia Fonte: Codeba e MDIC/Secex (*) Estimativa Usuport Movimentação de cargas pela Bahia e por outros Estados 12% 14% 19% 63% 48% 45% 54%

5 Porto público BA Qte. Fora BA % Fora BA 29%30%38%37% 30% Cargas conteinerizadas – toneladas Comércio Exterior da Bahia 5 Fontes: Codeba e MDIC/Secex

6 6 Fonte: Codeba Espera de navios – em dias Saturação dos portos públicos

7 7 Movimentação de granéis sólidos, líquidos e produtos gasosos Porto de Aratu Fonte: Codeba (*) 2007 estimativa Usuport

8 8 TGS I Sul Capacidade anual em função do movimento e da espera de navios Fonte: Codeba Granéis sólidos TGS I Norte Capacidade anual em função do movimento e espera de navios Porto de Aratu

9 9 TGS II Capacidade anual em função do movimento e espera de navios Fonte: Codeba Porto de Aratu Granéis sólidos

10 10 TGL Sul Capacidade anual em função do movimento e da espera de navios Fonte: Codeba TGL Norte Capacidade anual em função do movimento e da espera de navios Granéis Líquidos e Gasosos Porto de Aratu

11 11 TPG Capacidade anual em função do movimento e da espera de navios Fonte: Codeba Porto de Aratu Granéis líquidos e gasosos

12 12 Capacidade atual Movimento 2007* Movimento 2011* TGS I S TGS I N TGS II Granéis sólidos TGL S TGL N TPG Granéis líquidos e produtos gasosos * Estimativa Usuport Capacidade e projeções (Em toneladas) Porto de Aratu

13 13 Porto de Salvador Movimentação de contêineres cheios em unidades Fonte: Codeba 17% a.a.

14 14 Itens Variação Preço THC R$94,23 R$393,00317% Produtividade mar – mov./h % Produtividade terra (1) – carretass/ filasc/ filas- Espera navios (dias)0185∞% Franquia de armazenagem exp.10 dias7 dias-30% Franquia de armazenagem imp.+ 1dia útil0-100% Preço energia ctn reefer - 3 diasR$6,78R$384, % Armazenagem ctn até 15 dias0,50%R$300,00- Armazenagem ctn a partir 16o dia exp.R$2,00/dR$350,00/15 d Horário ExtraordinárioNãoR$139,00 – 208,00 ∞% Funcionamento24hc/ interrupções Dados comparativos – avaliação de eficiência/ineficiência em contêineres Fontes: Armadores, Codeba, Tecon e Usuários Porto de Salvador

15 15 Capacidade anual em função de unidades e espera de navios Capacidade anual em função de unidades e ocupação do berço Terminal de Contêiner Porto de Salvador Fonte: Codeba

16 16 Capacidade Atual* Movimento 2007* Movimento 2011* Contêiner Unidades ** Carga solta e granéis Toneladas Fonte: Codeba (*) Estimativa Usuport (**) 13% a.a. Capacidade e projeções Porto de Salvador

17 17 USUPORT EM 2007 Agenda Mínima para a Infra-estrutura na Bahia ; Cobrança irregular da tarifa de segurança (ISPS Code); Cobrança irregular da tarifa THC2; Plano Nacional de Logística de Transportes; Via Portuária; Porto de Aratu – TGS; Porto de Salvador – cais dos armazéns 3 e 4; Porto de Salvador - 2º Terminal de Contêineres; AFRMM; Tráfego de cargas de Salvador; Banco de dados. PRINCIPAIS AÇÕES: Contribuições ao planejamento; Redução do valor; Suspensão da cobrança; Contribuições com dados e sugestões; Contribuições técnicas ao projeto; Manutenção e repotencialização; Andamento das obras; Convencimento às autoridades; Isenção por norma da Sudene; Contribuições e acompanhamento ações; Formação. RESULTADOS:

18 18 Economia Cenário positivo e dinâmico. Portos Expectativa de melhora cenário pelas mudanças administrativas, em relação ano anterior, mas sem conseguir superar os gargalos e a lentidão de processos. Rodovias Melhora cenário em relação ao ano anterior, pelas melhorias na conservação, mas sem superar os gargalos. Ferrovias Manutenção cenário ruim. Logística Manutenção de gargalos e custos altos, que continuarão a comprometer a competitividade das empresas usuárias. Perspectivas 2008

19 19 Paulo Roberto Batista Villa Diretor Executivo Anne Beatriz Queiroz Assistente administrativa-financeira Lara Mueller Assessora de comunicação André Silveira Estagiário de economia Praça Conde dos Arcos, s/n Salvador BA Telefax (71) Visite nosso website: ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA


Carregar ppt "3° Encontro Anual de Usuários 3 de dezembro de 2007 ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google