A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AMÉRICA NO SÉCULO XIX. Processo de libertação das colônias espanholas: 1810/1830 Fatores externos: –Crise geral do Antigo Regime (enfraquecimento das.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AMÉRICA NO SÉCULO XIX. Processo de libertação das colônias espanholas: 1810/1830 Fatores externos: –Crise geral do Antigo Regime (enfraquecimento das."— Transcrição da apresentação:

1 AMÉRICA NO SÉCULO XIX

2 Processo de libertação das colônias espanholas: 1810/1830 Fatores externos: –Crise geral do Antigo Regime (enfraquecimento das potências coloniais) * Iluminismo (base ideológica) * Independência dos EUA (exemplo) * Guerras Napoleônicas (ESP invadida sem condições de controlar as colônias) * Revolução Industrial (pressão inglesa para abertura de mercados) * Doutrina Monroe: A América para os Americanos (auxílio dos EUA) Fatores internos: –Pacto colonial retardando desenvolvimento das colônias. –Desigualdades sociais. Independências das nações latino- americanas:

3 A SOCIEDADE COLONIAL ESPANHOLA: (aprox. 20 milhões de pessoas). CHAPETONES e CLERO: Espanhóis, altos cargos, privilégios. CRIOLLOS: Descendentes de espanhóis nascidos na América. Elite colonial, grandes proprietários e comerciantes. Integrantes dos Cabildos (Câmaras Municipais) MESTIÇOS: capatazes e artesãos que serviam aos criollos. ÍNDIOS e NEGROS: explorados como escravos ou semi-escravos (Mita ou Repartimiento – trabalho forçado nas minas/ Encomienda – trabalho servil nos latifúndios agroexportadores, também chamados de haciendas ou plantations) CLERO E CHAPENOTES CRIOLLOS MESTIÇOS ÍNDIOS e NEGROS 1% 13,5% 27,5% 58%

4 –TUPAC AMARU (PER – 1780): rebelião indígena. Massacre de aproximadamente 80 mil pessoas. –FRANCISCO MIRANDA (VEN – 1811): criollo que liderou libertação provisória da Venezuela. Foi preso e morreu na ESP. Guerras de Independência: –Intervenção napoleônica na ESP. –Deposição do rei Fernando VII. TUPAC AMARU Precursores

5 QUEM FINANCIOU AS INDEPENDÊNCIAS? Apoio da ING e dos EUA, ambos interessados em novos mercados. BOLIVAR – libertação da Venezuela em direção ao Peru (norte para o sul). SAN MARTIN – libertação da Argentina em direção ao Peru (sul para o norte). Apoio popular. Libertação de escravos. BOLIVARISMO: ideal de unidade territorial do continente (oposição da ING, EUA e elites rurais locais). Fracasso (Congresso do Panamá).

6 BOLÍVAR - Republicano SAN MARTIN - monarquista Principais Líderes

7 A AMÉRICA INDEPENDENTE : MÉXICO – 1821 REPÚBLICA CENTRO AMERICANA – 1821 EQUADOR – 1830 PERU – 1821 VENEZUELA – 1830 HAITI – 1804 NOVA GRANADA – 1831 BOLÍVIA – 1825 CHILE – 1818 ARGENTINA – 1810 URUGUAI – 1828 PARAGUAI – 1811 BRASIL – 1822

8 Consequências: –Fragmentação territorial em várias repúblicas. –Instabilidade política (lutas internas pelo poder). –Dependência econômica (Sul – ING, Centro – EUA). –Estrutura econômica inalterada (América permanece como fornecedora de matéria-prima e consumidora de manufaturados). –CAUDILHISMO – tipo de governo característico da América Latina do período, com líderes autoritários, paternalistas e conservadores, representantes das elites locais. –Desigualdades sociais – mestiços, índios e negros ainda marginalizados.

9 Aumento populacional: –3,5 milhões em 1776 e 7 milhões em Lei do Povoamento – 1862 O governo oferecia por uma pequena quantia, um lote familiar a quem se dispusesse a cultivá-lo. –Emigrantes europeus. Más condições na Europa. Terras disponíveis nos EUA. Necessidade de mão-de-obra nos EUA. Os EUA no século XIX:

10 Expansão Territorial: –Conquista do Oeste (far west). –Aumento da produção de alimentos (busca de terras para plantio e pastagens). –Busca de metais (descoberta de ouro em 1848 provoca a corrida do ouro). –Doutrina do Destino Manifesto – EUA predestinado a dominar a América. –Anexações territoriais: Compra: Luisiana (FRA), Flórida (ESP) e Alasca (RUS). Acordo: Oregon (ING). Guerra: Texas, Novo México, Califórnia (MÉX).

11 Aumento populacional: –3,5 milhões em 1776 e 7 milhões em –Emigrantes europeus. Más condições na Europa. Terras disponíveis nos EUA. Necessidade de mão-de-obra nos EUA. Expansão territorial: –Conquista do Oeste (far west). Os EUA no século XIX: O DESTINO MANIFESTO

12 EXPANSÃO TERRITORIAL AMERICANA CALIFÓRNIA Cedida pelo México em OREGON Cedido pela Inglaterra em 1848 LUISIANA Comprado da França em 1803 TEXAS Conquistado do México em 1845 FLORIDA Comprado da Espanha em COLÔNIAS Conquistado na guerra de Independência

13 Consequências da expansão: –Crescimento demográfico. 9 milhões em 1820 e 30 milhões em Imigração incentivada pelo governo (Homestead Act – 1862). –Desenvolvimento econômico: Maior mercado consumidor e oferta de mão-de-obra. Disponibilidade de matéria-prima. Expansão da indústria e o aumento da produção agrícola, pecuária e atividades comerciais e mineradoras.

14 Mas… e as diferenças? –Disparidades regionais: NORTE E NORDESTE – região industrial, com forte burguesia e grande número de operários. CENTRO E OESTE – região agropastoril formada por colonos desbravadores. SUL – latifúndio agroexportador escravista. –Massacre e confinamento de indígenas.

15 Guerra de Secessão (1861 – 1865) NORTE (União) Partido Republicano Protecionismo Abolicionismo X SUL (Confederados) Partido Democrata Livre-cambismo Escravismo

16 A GUERRA DE SECESSÃO:

17 Causa imediata: eleição de Abraham Lincoln para a presidência em 1860, representando os interesses da burguesia nortista. 1861: Estados do sul separam-se (Estados Confederados, liderados por Jefferson Davis). –1863: abolição da escravidão. –1865: derrota do sul. Abraham Lincoln é assassinado: o ator John Wilkes Booth, defensor da escravatura e com ligações fortes ao Sul. X

18 Consequências 600 mil mortos. Supremacia política e econômica dos estados do Norte. Crescimento industrial. Negros apesar de livres, permanecem marginalizados e sem direitos. Surgimento de grupos racistas no sul do país (KU KLUX KLAN).

19 Criada pelo presidente James Monroe ( ) em sua mensagem ao Congresso em 2 de dezembro de 1823, A América para os americanos. O seu pensamento consistia em três pontos: não criação de novas colônias nas Américas; não intervenção nos assuntos internos dos países americanos; a não intervenção dos Estados Unidos em conflitos relacionados aos países europeus como guerras entre estes países e suas colônias. Doutrina Monroe

20

21

22 A política do Big Stick

23

24 Intervenção dos EUA na independência do Panamá

25 O Canal do Panamá é um canal de 82 km: liga o Oceano Atlântico e o Oceano Pacífico. De 1903 a 1977, o território foi controlado pelos Estados Unidos da América, que construiu e financiou a construção do canal. De 1977 a 1999, o canal esteve sob jurisdição conjunta dos EUA e do Panamá. 31 de dezembro de retornou ao controle panamenho. Agora utilizado para o turismo, especialmente para navios de cruzeiros.

26 Canal do Panamá Intervenção dos EUA na independência do Panamá

27 Emenda Platt Cuba foi uma colônia espanhola até 1898, quando houve a guerra entre Espanha e EUA. Até 1902, Cuba foi dependente dos EUA, após essa data passou mais trinta e um anos como protetorado estadunidense. A "República de Cuba" é atualmente o único Estado socialista das Américas.

28 –Após a independência, Cuba passou de um país dominado pelos espanhóis para um país dependente dos Estados Unidos. –De 1902 a 1933 vigorou a Emenda Platt, que dava aos Estados Unidos o direito de invadir Cuba a qualquer momento em que os seus interesses econômicos fossem ameaçados. - Em 1933, após um golpe militar, assume o poder Fulgêncio Batista. Com tendências socialistas, Batista desagrada os Estados Unidos, que irá a partir de agora tentar derrubá-lo do poder a todo custo, principalmente após a Segunda Guerra Mundial. –Da pra acreditar nisso????? Que independência é essa? Viva Cuba!!!


Carregar ppt "AMÉRICA NO SÉCULO XIX. Processo de libertação das colônias espanholas: 1810/1830 Fatores externos: –Crise geral do Antigo Regime (enfraquecimento das."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google