A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ATENDIMENTO EDUCACIONAL Márcia Cristina Lima Pereira DEEMOAB.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ATENDIMENTO EDUCACIONAL Márcia Cristina Lima Pereira DEEMOAB."— Transcrição da apresentação:

1 ATENDIMENTO EDUCACIONAL Márcia Cristina Lima Pereira DEEMOAB

2 ATENDIMENTO EDUCACIONAL O início: ASTECA Classes especiais Integração Clientela: Autistas Psicóticos

3 Transtornos Globais do Desenvolvimento CID 10, versão 2008 CID 10, versão 2008 F84 Transtornos globais do desenvolvimento F84 Transtornos globais do desenvolvimento Grupo de transtornos caracterizados por alterações qualitativas das interações sociais recíprocas e modalidades de comunicação e por um repertório de interesses e atividades restrito, estereotipado e repetitivo. Estas anomalias qualitativas constituem uma característica global do funcionamento do sujeito, em todas as ocasiões. Grupo de transtornos caracterizados por alterações qualitativas das interações sociais recíprocas e modalidades de comunicação e por um repertório de interesses e atividades restrito, estereotipado e repetitivo. Estas anomalias qualitativas constituem uma característica global do funcionamento do sujeito, em todas as ocasiões.

4 Transtornos Globais do Desenvolvimento F84.0 Autismo infantil F84.0 Autismo infantil F84.1 Autismo atípico F84.1 Autismo atípico F84.2 Síndrome de Rett F84.2 Síndrome de Rett F84.3 Outro transtorno desintegrativo da infância F84.3 Outro transtorno desintegrativo da infância F84.4 Transtorno com hipercinesia associada a retardo mental e a movimentos estereotipados F84.4 Transtorno com hipercinesia associada a retardo mental e a movimentos estereotipados F84.5 Síndrome de Asperger F84.5 Síndrome de Asperger F84.8 Outros transtornos globais do desenvolvimento F84.8 Outros transtornos globais do desenvolvimento F84.9 Transtornos globais não especificados do desenvolvimento F84.9 Transtornos globais não especificados do desenvolvimento

5 ATENDIMENTO EDUCACIONAL ATENDIMENTO EDUCACIONAL MODALIDADES DE ATENDIMENTO Instituições conveniadas (AMA em processo) Instituições conveniadas (AMA em processo) Centro de Ensino Especial Centro de Ensino Especial Classe Especial Classe Especial Integração Inversa Integração Inversa Inclusão Inclusão

6 Vamos receber o aluno? Preparação: ORGANIZAÇÃO FÍSICA ORGANIZAÇÃO FÍSICA Ambiente estruturado (cuidado com os estímulos) Ambiente estruturado (cuidado com os estímulos) Mobiliário: Mobiliário: Quadro Quadro Carteiras Carteiras Cadeiras Cadeiras Mesa auxiliar Mesa auxiliar Armário (encostado na parede, que feche) Armário (encostado na parede, que feche) Colchonete Colchonete

7 Quem é o meu aluno? Avaliação inicial Avaliação inicial Plano Pedagógico Individual (dentro das possibilidades) Plano Pedagógico Individual (dentro das possibilidades) Observação em situações livres e dirigidas: Observação em situações livres e dirigidas: Canais de comunicação Canais de comunicação Desenvolvimento Desenvolvimento Formas de exploração Formas de exploração Relacionamento com o meio (pessoas e objetos) Relacionamento com o meio (pessoas e objetos)

8 Comportamento (verbal, rituais, estereotipias,...) Comportamento (verbal, rituais, estereotipias,...) Funcionamento adaptativo: comunicação, auto-cuidado, vida familiar, vida social, autonomia, funcionalidade acadêmica, lazer, trabalho, saúde/segurança Funcionamento adaptativo: comunicação, auto-cuidado, vida familiar, vida social, autonomia, funcionalidade acadêmica, lazer, trabalho, saúde/segurança Roteiro de observação Roteiro de observação escala de desenvolvimento: Portage escala de desenvolvimento: Portage

9 PROPOSTA EDUCACIONAL PROPOSTA EDUCACIONAL Rotina preestabelecida Rotina preestabelecida (ensino estruturado) Valorização de elementos da natureza Valorização de elementos da natureza Abordagem vivencial da aprendizagem Abordagem vivencial da aprendizagem Participação Participação Generalização Generalização Funcionalidade Funcionalidade Utilização da música Utilização da música Respeito à condição humana Respeito à condição humana

10 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA Por quê? Por quê? Aluno: Aluno: Previsibilidade Previsibilidade Diminui a ansiedade Diminui a ansiedade Situa no tempo Situa no tempo Transmite segurança Transmite segurança Diminui a angústia Diminui a angústia Diminui os distúrbios de comportamento Diminui os distúrbios de comportamento Professor: Professor: Organização Organização Cumprimento do planejamento Cumprimento do planejamento

11 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA ENTRADA ENTRADA Recepção do aluno Recepção do aluno Agenda Agenda HISTÓRIA HISTÓRIA Clima Clima Transporte Transporte Escola e dependências Escola e dependências Natureza Natureza Pessoas Pessoas Elementos mágicos Elementos mágicos Variáveis: Objetivos Conceitos e conteúdos Comportamento Tempo

12 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA ORAÇÃO MÚSICA Atividades específicas Fundo musical TRABALHO Contato com o material Observação da evolução

13 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA PASSEIO PASSEIO Promover a interação ao contexto social Promover a interação ao contexto social Estimular a percepção do meio ambiente Estimular a percepção do meio ambiente Estimular a observação e o contato com os elementos da natureza Estimular a observação e o contato com os elementos da natureza Explorar o ambiente reforçando e promovendo a generalização dos conceitos Explorar o ambiente reforçando e promovendo a generalização dos conceitos Trabalhar o aspecto cognitivo, sensorial, perceptivo e comportamental Trabalhar o aspecto cognitivo, sensorial, perceptivo e comportamental Explorar os aspectos afetivos e psicomotores Explorar os aspectos afetivos e psicomotores Vivenciar as atividades Vivenciar as atividades Treinamento social e lazer Treinamento social e lazer Aprendizagem bilateral Aprendizagem bilateral

14 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA HIGIENE HIGIENE Habilidades e independência no auto- cuidado Habilidades e independência no auto- cuidado LANCHE LANCHE Uso adequado de talheres Uso adequado de talheres Hábitos alimentares Hábitos alimentares Partilha ou respeito Partilha ou respeito

15 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA ESCOVAÇÃO ESCOVAÇÃO Habilidades e independência no auto- cuidado Habilidades e independência no auto- cuidado RECREIO RECREIO Integração, interação e adequação comportamental a ambientes não estruturados Integração, interação e adequação comportamental a ambientes não estruturados

16 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA TRABALHO Atividades dirigidas, habilidades novas (emergentes) Dividir tarefas em etapas Ajudas físicas Dicas verbais Uso do reforço

17 ROTINA DIÁRIA ESTRUTURADA RECREAÇÃO Atividades lúdicas, jogos simples, manipulação de objetos (sucata) SAÍDA Organização da sala e despedida

18 INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR Olhar nos olhos. Olhar nos olhos. Articular devagar, utilizar gestos e mímicas ou ainda dicas físicas. Articular devagar, utilizar gestos e mímicas ou ainda dicas físicas. Colocar limites de forma clara, com frases curtas e simples. Colocar limites de forma clara, com frases curtas e simples. Cumprir as promessas; não fazer ameaças impossíveis. Cumprir as promessas; não fazer ameaças impossíveis.

19 INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR Evitar mudanças bruscas de rotina e, quando acontecerem, comunicar ao aluno. Evitar mudanças bruscas de rotina e, quando acontecerem, comunicar ao aluno. Propiciar, quando necessário, um momento para descanso, para a liberdade. Propiciar, quando necessário, um momento para descanso, para a liberdade. Manter um ambiente organizado, limpo, com poucos estímulos visuais. Manter um ambiente organizado, limpo, com poucos estímulos visuais. Evitar comentários inadequados perto da criança, não menosprezando sua capacidade de compreensão e discernimento. Evitar comentários inadequados perto da criança, não menosprezando sua capacidade de compreensão e discernimento.

20 INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR Pegar pela mão, sem arrastar. Pegar pela mão, sem arrastar. Falar no nível da criança: tanto de compreensão quanto no nível físico, para manutenção do contato com os olhos da criança. Falar no nível da criança: tanto de compreensão quanto no nível físico, para manutenção do contato com os olhos da criança. Concluir as atividades propostas (devem ser vivenciadas de modo agradável, respeitando a fase do desenvolvimento na escolha das mesmas). Concluir as atividades propostas (devem ser vivenciadas de modo agradável, respeitando a fase do desenvolvimento na escolha das mesmas). Diminuir a quantidade e aumentar a qualidade dos estímulos dados. Diminuir a quantidade e aumentar a qualidade dos estímulos dados.

21 INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR Descrever o comportamento desejado com precisão e clareza. Descrever o comportamento desejado com precisão e clareza. Ter cuidados com objetos e brinquedos de grande interesse expostos. Ter cuidados com objetos e brinquedos de grande interesse expostos. Envolver a família. Envolver a família.

22 INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR INTER-RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO E POSTURA DO PROFESSOR Demonstrar estabilidade emocional e constância de humor. Demonstrar estabilidade emocional e constância de humor. Buscar sempre capacitação e reciclagem, sendo auto-crítico no trabalho. Buscar sempre capacitação e reciclagem, sendo auto-crítico no trabalho. Valorizar cada aquisição, e mesmo as tentativas. Valorizar cada aquisição, e mesmo as tentativas.

23 ATENDIMENTO EDUCACIONAL ATENDIMENTO EDUCACIONAL Obrigada! Sejam felizes!

24 ATENDIMENTO EDUCACIONAL ATENDIMENTO EDUCACIONAL


Carregar ppt "ATENDIMENTO EDUCACIONAL Márcia Cristina Lima Pereira DEEMOAB."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google