A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VIOLÊNCIA VIRTUAL 1 CYBERBULLYING Prof. Luiz Antonio Burim Apucarana

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VIOLÊNCIA VIRTUAL 1 CYBERBULLYING Prof. Luiz Antonio Burim Apucarana"— Transcrição da apresentação:

1 VIOLÊNCIA VIRTUAL 1 CYBERBULLYING Prof. Luiz Antonio Burim Apucarana

2 Ciberbullying 2 Na convivência, no trabalho, no mundo estudantil, convivemos com pessoas que são capazes de praticar grandes e pequenas perversões. Debocham uns dos outros, reparam nas mínimas imperfeições, implicam, discriminam, praticam agressões verbais e fisicas. Isso é chamado de Bullying.

3 Ciberbullying.O que é bullying? 3 É uma palavra de origem inglesa, pode ser traduzida como :intimidar, zoar, ou amedrontar Sua principal característica é a agressão, seja (física, moral ou material). É sempre intencional e repetida várias vezes. Hoje o bullying, avançou, através do ameaçadores, mensagens negativas, torpedos com fotos e textos constrangedores. Isso foi batizado de Cyberbullying.

4 Ciberbullying 4 O Ciberbullying, é mais cruel que o bullying. Antes o constrangimento ficava restrito no convívio escolar, agora é via tecnologia. Os jovens utilizam cada vez mais as ferramentas da internet (orkut) e celular, para denigrir uma pessoa. A tecnologia permite que a agressão se repita indefinidamente.

5 Ciberbullying Fazem intrigas, criam perfis falsos e começam a escrever coisas que podem deixar as pessoas com má fama; As agressões podem ser diretas ou indiretas e vão desde apelidos indigestos, episódios de zombarias e difamação à exposição da intimidade das vítimas. Ex. ser pobre, ser de escola pública...etc

6 Ciberbullying O bullying, ganhou ainda maior alcance com o advento de redes sociais com o advento de redes sociais como o Orkut, Twitter, MSN, facebook ou Formspring. O uso da internet para intimidar ou agredir os colegas pode ser arrasador (moral, psicológico e também físicos);

7 Ciberbullying 7 No Ciberbullying há sempre três personagens fundamentais nesse tipo de violência: o agressor, a vítima e a platéia. É um tormento permanente que a internet provoca e faz com que a criança ou o adolescente e até o jovem, humilhados não se sintam mais seguros em lugar algum, em momento algum.

8 Ciberbullying 8 No Ciberbullying a pessoa tem sua intimidade invadida, todos podem ver os xingamentos e não existem fim de semana ou férias. O espaço do medo é ilimitado. Os jovens de hoje a grande maioria, já foi insultados pelo celular ou textos e imagens enviados por ou via sites de relacionamento.

9 Ciberbullying – Como fazer para evitar? 9 Aprender a lidar com a própria imagem (ser equilibrado (a). A escola ou instituição educacional, precisa fazer uma acompanhamento permanente, para afastar as agressões de seu cotidiano. Reuniões conjuntas com pais e alunos e ter um olhar atento dos jovens dentro e fora de sala de aula.

10 Ciberbullying – Como fazer para evitar? Fazer uma cópia da página com os insultos sofridos, pode ajudar a polícia a rastrear o computador de onde partiu a brincadeira; Procurar o Conselho Tutelar; Os agredidos podem registrar boletim de ocorrência na delegacia. As instituições de ensino devem fazer um trabalho voltado para a prevenção do bullying/ciberbullying.

11 Ciberbullying – Como fazer para evitar? Procurar ensinar/orientar os professores como observar e identificar os casos; O diálogo é de fundamental importância; A família tem que ficar atenta – Incentivar os filhos a pedirem ajuda em caso de ameaças sofridas. Não devemos ter medo de denunciar os agressores.

12 Ciberbullying - A vítima. 12 Costuma ser tímida ou pouco sociável e foge do padrão do restante da turma (aparência, altura,peso, religião...etc. Geralmente, é insegura e, quando agredida fica retraída e sofre (alvo fácil). São pessoas caladas ou sensíveis, tem medo de se manifestar ou não encontrar força suficiente para isso. Há os que concordam com as ofensas ( conformismo).

13 Ciberbullying – O Agressor 13 Atinge o colega com repetidas humilhações porque quer ser mais popular, se sentir poderoso e obter uma boa imagem de si mesmo. É uma pessoa que não aprendeu a transformar sua raiva em diálogo. Se sente satisfeito com o sofrimento do outro. Geralmente fica no anonimato. O Ciberbullying facilita isso.

14 Ciberbullying – O Espectador 14 O espectador típico é uma testemunha dos fatos: não sai em defesa da vítima, nem se junta aos agressores. Há os que atuam como uma platéia ativa ou uma torcida, reforçando a agressão, rindo ou dizendo palavras de incentivo. Eles retransmitem imagem ou fofoca, tornado-se coautores ou corresponsáveis.

15 Ciberbullying – Prevenção e solução nas mãos da escola - 15 O Ciberbullying não pode ser visto como uma brincadeira de criança. Eis algumas ações, ao alcance das escolas. COMO PREVENIR – Ensinar a olhar para o outro. Criar relacionamentos saudáveis, em que os colegas tolerem as diferenças e tenham senso de proteção coletiva e lealdade. Desenvolver no grupo a capacidade de se preocupar com o outro, construindo uma imagem positiva de si e de quem está no entorno.

16 Ciberbullying – Prevenção e solução nas mãos da escola Deixar a turma falar. Num ambiente equilibrado, o professor forma vínculos estreitos com os estudantes, que mostram o que os deixa descontentes e são, de fato reconhecidos quando estão sofrendo algum tipo de violência relacionada ao Ciberbullying.

17 Ciberbullying – Prevenção e solução nas mãos da escola 17 Dar o exemplo – A equipe da Escola (professores e Equipe Pedagógica, são sempre modelos para enfrentar as dificuldades do Cotidiano Escolar, são modelos (para o bem e para o mal). Cuidado com seu atos e atitudes com os educando (Não Gritar, não seja indiferente).

18 Ciberbullying – Prevenção e solução nas mãos da escola 18 Mostrar os limites. É essencial estabelecer normas e justificar por que devem ser seguidas. As vezes, por medo de ser rígidos demais, há educadores que deixam os adolescentes soltos. Conscientizar o educando – Precisam de um norte.

19 Ciberbullying – Prevenção e solução nas mãos da escola - 19 Alertar para os riscos da tecnologia – O educando deve estar ciente da necessidade de limitar a divulgação de dados pessoais nos sites de relacionamento, ter o cuidado nos conteúdos acessados, procurar limitar o tempo do uso do computado.

20 Ciberbullying – Prevenção e solução nas mãos da escola - 20 Ficar atento – Com um trabalho do conscientização constante, os casos se resolvem antes de estourar. (Reuniões com pais, com grupos de alunos) Evitar que o problema se instale.

21 Ciberbullying - Como resolver 21 COMO RESOLVER – Reconhecer os Sinais – Identificar as mudanças no comportamento do educando, ajuda a identificar o ciberbullying. É comum as vítimas se queixarem de dores e de falta de vontade de ir à escola

22 Ciberbullying – Prevenção e solução nas mãos da escola- 22 COMO RESOLVER – Fazer um diagnóstico – Uma boa saída é realizar uma sondagem, aplicando questionários para verificar como os educandos se relacionam – (sem que sejam identificados As informações servem por base para discussões sobre como melhorar o problema.

23 Ciberbullying- Como resolver -23 Falar com os envolvidos – Identificados os indícios, é hora de conversar com a vitima e o agressor em particular. Orientar – A escola não pode legitimar a atuação do agressor nem puni-lo com sanções.( ex. tirar o intervalo) A vítima precisa estar fortalecida e segura de que não será mais prejudicada. O foco deve se voltar para a recuperação de valores essenciais, como o respeito.

24 Ciberbullying- Como resolver -24 Encaminhar os casos para outras instâncias – Em situações extremas, é possível levar o problema a delegacias especializadas em crimes digitais. Para que os possam se tomados como provas, eles devem ser impressos, mas é essencial que também sejam guardados no computador para que a origem da mensagem seja rastreada.

25 Ciberbullying- Como resolver -25 Nos sites de relacionamento, existe uma opção de denuncia de conteúdos impróprios em suas páginas e, em certos casos, o conteúdo agressivo é tirado do ar.

26

27

28 Ciberbullying O Agressor pode agir sem precisar se identificar. O Agressor age na sombra, ele pode criar um perfil falso no Orkut ou uma conta fictícia de (ou ainda roubar a senha de outra pessoa), para mandar seus recados maldosos e desaforados

29 Ciberbullying Essas situações que apresentamos é totalmente nova em comparação com o bullying tradicional. Para agredir de forma virtual, não é necessário ser o mais forte, pertencer a um grupo ou ter coragem de se manifestar em público, no pátio da escola ou na classe.

30 Ciberbullying Basta ter acesso a um celular ou à internet. Alguns acham que é pura brincadeira, no entanto a Violência acontece. Trabalhar para que o Ciberbullying deixe de fazer parte da rotina é uma tarefa de toda equipe escolar de uma escola ou qualquer outra instituição.

31 Ciberbullying ABRAÇOS A TODOS E MUITO OBRIGADO PELA ATENÇÃO. Prof. Luiz Antonio Burim

32 Quer saber mais. Bullying: Mentes Perigosas na Escola – Ana Beatriz Barbosa Silva- Ed. Fontanar; Fenômeno Bullying: Como Prevenir as Violências nas Escolas e Educar para a Paz – Cléo Fante, Ed. Verus; na busca tudo sobre bullying.


Carregar ppt "VIOLÊNCIA VIRTUAL 1 CYBERBULLYING Prof. Luiz Antonio Burim Apucarana"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google