A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REVISÃO DAS 8 PRIMEIRAS AULAS:. SAL DA TERRA LUZ PARA O MUNDO A NOIVA DE CRISTO CADA UM DOS QUE CRÊM EM CRISTO A IGREJA É

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REVISÃO DAS 8 PRIMEIRAS AULAS:. SAL DA TERRA LUZ PARA O MUNDO A NOIVA DE CRISTO CADA UM DOS QUE CRÊM EM CRISTO A IGREJA É"— Transcrição da apresentação:

1 REVISÃO DAS 8 PRIMEIRAS AULAS:

2 SAL DA TERRA LUZ PARA O MUNDO A NOIVA DE CRISTO CADA UM DOS QUE CRÊM EM CRISTO A IGREJA É

3 OS CINCO PRIMEIROS SÉCULOS A Igreja deixa de ser perseguida; A religião cristã torna-se a religião oficial do Império Romano, fundindo-se o Estado e a Igreja: numa só entidade dois braços: o espiritual e o secular; O paganismo migra para dentro dela e ela se torna-se uma RELIGIÃO;

4 CONSEQUÊNCIAS NEGATIVAS Aumento do esplendor e cerimonialismo nos cultos, perdendo na parte espiritual; Imagens de mártires, considerados santos, começam a entrar nos templos; Adoração à mãe de Jesus substitui a adoração a Vênus e a Diana; A Ceia do Senhor tornou-se sacrifício em vez de Memorial; O Presbítero evoluiu de pregador para sacerdote;

5 As Principais Heresias 1.Arianismo (Cristo era um semi-deus. 2.Gnosticismo (Chega-se a Deus por meio do Conhecimento) 3.Marcionismo (o Pai enviara seu Filho para salvar o homem da ira de Jeová); 4.Montanismo (Montano se dizia a encarnação do Espírito Santo e chegava a batizar em Nome do Pai, do Filho e de Montano) 5.Neoplatonismo (Opunha-se à fé cristã da Trindade e da vontade do Pai de relacionar-se com seus filhos. 6.Maniqueísmo (O espírito do homem, preso à matéria má, necessitava de um ascetismo rigoroso, inclusive o sexual, para ser liberto); 7.Modalismo/Sabelianismo (não haviam Três Pessoas e uma Essência Divina, mas uma Pessoa Divina que manifestou-se de três maneiras diferentes); 8.Ebionismo (Judeus cristãos: criam que Jesus foi um homem comum que tornou-se o Messias, por ter cumprido toda a Lei. A Lei é que salva); 9.Monarquianismo (Ensinava que Jesus fora um mero homem a quem o Logos habitou e o revestiu de poder no batismo)

6 Os Apologistas Tendo a Igreja necessidade de defender-se de ataques internos e externos e ensinamentos falsos ou espúrios (heresias) no que se refere à sã doutrina, especialmente da salvação pela Graça e da divindade de Jesus e da Trindade, surgiram homens estudiosos da Palavra, cultos e conhecedores dos ensinos dos apóstolos, além de grandes oradores, que se levantavam para fazer a defesa da fé cristã.

7 Como a Igreja reagiu aos herejes Com o surgimento das heresias a Igreja, além dos apologistas, teve que reagir basicamente com três soluções: 1)O Desenvolvimento Hierárquico 2) A formação do Cânon 3) O Símbolo Apostólico (Credo de Nicéia)

8 O Desenvolvimento Hierárquico A igreja criou uma estrutura hierárquica, com comando centralizado, surgindo então a figura do bispo monárqui- co, que centralizava a comunidade; Esse bispo era considerado sucessor dos apóstolos e guardião da tradição.

9 A Formação do Cânon Os Pais da Igreja, os Apologistas, os Bispos e Presbíteros tiveram muito trabalho, lendo e analisando (exegese) todos os livros escritos após a morte de Jesus e que circulavam nas Igrejas, para definirem quais eram, de fato, inspirados pelo Espírito Santo e quais não eram. Os do Antigo Testamento já estavam definidos pelos Judeus, formando assim a Bíblia Sagrada, com 66 livros.

10 O Símbolo Apostólico O terceiro aspecto da reação eclesiástica foi a fixação de uma confissão de fé e crença, as quais eram, inicialmente dirigidas ao batizando. Esse Credo foi estabelecido no Concílio de Nicéia (ano 325) e que até hoje é aceito pelos católicos romanos, católicos ortodoxos e também pelos reformadores (protestantes/evangélicos)

11 Os Concílios Ecumênicos Os concílios são Assembléias de dignitários religiosos que têm como objetivo definir as doutrinas que deveriam ser aceitas pela Igreja e condenar os ensinos perniciosos. Os principais concílios depois dos apóstolos foram: O Concílio de Nicéia, ano 325 Concílio de Constantinopla, ano 381 Primeiro Concílio de Éfeso, ano 431 Concílio de Calcedônia, ano 451

12 Os Pais da Igreja O termo Pai era atribuído pelos fiéis aos mestres e bispos da Igreja Primitiva devido à reverência e amor que muitos cristãos tinham pelos seus líderes religiosos dos primeiros séculos. Eram assim chamados carinhosamente devido ao amor e zelo que tinham pela igreja.

13 Constantinopla Oriente Ocidente Roma O IMPÉRIO ROMANO DIVIDIDO. A IGREJA UNIDA

14 O CISMA Havia disputas na evangelização entre o Ocidente e o Oriente; Problemas políticos, religiosos, culturais levaram ao Cisma ;

15 CISMA entre as Igrejas Latina e Grega Ocidente x Oriente ROMA CONSTANTINOPLA

16 NASCE O ISLÃ

17 ISLÃ Conforme diz o Corão, quando Maomé tinha por volta de 40 anos, ele passou a ter visões nas quais Deus falava com ele por meio do anjo Gabriel. Maomé foi chamado por Deus (Alá em árabe) para ser seu profeta, levar a sua palavra e estabelecer o monoteísmo na península arábica.

18 ISLÃ Pelos ditos de Maomé, Deus tinha mandado vários profetas ao mundo, entre eles Abraão, Moisés e Jesus. Maomé seria o último e o maior deles. No entanto ele não era um ser divino, como se afirma de Jesus Cristo no cristianismo.

19 Caaba

20 Islamismo x Cristianismo O Islamismo tornou-se a segunda maior religião do mundo e continua expandindo-se: Eles negam no cristianismo: A Trindade Que Jesus é O Messias Que Jesus tenha morrido na cruz A necessidade de morte vicária

21 A conquista de Jerusalém e Constantinopla Os sucessores de Maomé, chamados califas, eram líderes políticos-religiosos e com a Arábia já unificada, levaram o Islã a outros territórios.

22 Divisão Islâmica 1) Os sunitas – além do Corão, seguiam os ensinamentos reunidos na Suna (coletâneas de histórias piedosas de Maomé). Moderados, aceitavam como líder político pessoas eleitas pelos fiéis, como era a tradição das tribos do deserto.

23 IDADE MÉDIA (Séc V a XV) O FEUDALISMO O SACRO IMPÉRIO ROMANO

24 IMPÉRIO DECADENTE O Império dividido; A imoralidade; Sérios problemas financeiros levam à decadência do grandioso Império Romano.

25 FEUDALISMO Com a queda do Império Romano, surgiu o Feudalismo. Os senhores feudais conseguiam as terras porque o rei lhas dava. Os camponeses cuidavam da agropecuária dos feudos e, em troca, recebiam o direito a uma gleba de terra para morar, além da proteção contra ataques bárbaros.

26

27 A Igreja Medieval Gradativamente a Igreja tornou-se a instituição mais poderosa do mundo medieval, tendo sido a própria educação, em grande parte, controlada pelo clero por meio do monopólio da escrita e leitura. Para o homem medieval, a resposta para os seus questionamentos se encontrava no sagrado, e era a Igreja que fornecia explicações para essas questões.

28 O PAPADO Roma estava sem governo e sua administração caiu nas mãos do seu bispo que tinha grande prestígio. O patriarca de Roma, Leão I salvou a cidade da destruição bárbara intercedendo junto a Átila. Em 440 surge o primeiro papa (pai ). Leão I O Grande

29 O PAPADO O Império desapareceu e a Igreja tornou-se guardiã do que restara da velha civilização; Com sua conduta, Leão I, O Grande, tornou-se o primeiro papa, com um poder que os outros patriarcados nunca tiveram...

30 O SACRO IMPÉRIO ROMANO Com a coroação de Carlos Magno por Leão III, Roma declara-se independente de Constantinopla e nasce assim o SACRO IMPÉRIO ROMANO, em torno do ano 800 e o poder papal atinge o seu auge; Os reis são coroados pelo Papa; Os senhores feudais devem obediência ao rei e ao Papa; Os Papas têm sempre a última palavra, tanto em questão administrativa, quanto em questão espiritual;

31 O SACRO IMPÉRIO ROMANO Estabelece-se o celibato sacerdotal para que a herança dos sacerdotes não passe para os herdeiros, mas fique com a Igreja; Passa-se a vender indulgências e posições eclesiásticas (simonia); A Igreja Católica Apostólica Romana enriquece e fica poderosa;

32 AS CRUZADAS Cerca de 200 anos

33 CRUZADAS Os Muçulmanos haviam conquistado Constantinopla e Jerusalém. Em 1094, a Igreja, que atravessava sérios problemas financeiros resolve reconquistar as duas cidades. O Papa Urbano II convoca os nobres, o povo, os jovens e até mulheres para uma cruzada santa contra os muçulmanos

34 Por Que as Cruzadas? Defender a honra de Cristo Retomar a terra santa por causa das peregrina- ções Tentativa de reunificar a Igreja Salvação Pessoal

35 O papa promete absolvição de pecados para todo aquele que lutasse nas Santas Cruzadas.

36

37 Cruzados tomam as duas cidades com extrema violência.

38 Resultados reais de sete cruzadas As sete cruzadas, mais a cruzada das crianças (1212), contribuíram para o fim do feudalismo e possibilitaram o intercâmbio comercial com o oriente Ao invés de reunificar a igreja, contribuíram para o afastamento final entre a Igreja Ortodoxa (grega) e a Católica (romana) Os cavaleiros da fé (violentos, cruéis e sanguinários) eram movidos mais pelos desejos egoístas de melhorar suas condições financeiras do que pela fé em Jesus Cristo.

39 GRANDES HOMENS Enquanto isto, vários grupos discordavam das atitudes da Igreja Católica: Os Valdenses e Albigenses (Franceses) Dominicanos e Franciscanos em 1182; Anselmo, Tomás de Aquino.

40 HUMANISMO Século XV

41 HUMANISMO O Feudalismo acaba e inicia o movimento que começou na Itália no fim da Idade Média procurando valorizar o Homem, buscando o Renascimento da cultura Grega e Romana;

42 Leonardo da Vinci

43 HUMANISMO Homem torna-se o centro do universo e a inteligência é a primeira de suas qualidades e em muitos casos substitui a fé. Os artistas procuravam retratar o corpo humano com realismo e misturavam à fé Cristã.

44

45

46 HUMANISMO Em Roma são os papas que protegem os grandes artistas e enriquecem a Igreja com Obras de arte. A riqueza passa a ser o objetivo principal dos homens.

47 GRANDES HOMENS João Huss da Boêmia considerava a Bíblia a autoridade máxima e condenava os abusos da Igreja; Foi excomungado em 1410;

48

49 GRANDES HOMENS Convidado a participar do Concílio de Constança em 1415, foi preso e condenado a morrer na fogueira. No cárcere, sentenciado pelo papa a ser queimado vivo, João Huss disse:

50 GRANDES HOMENS Podem matar o ganso (na sua língua, huss é ganso), mas daqui a cem anos, Deus suscitará um cisne que não poderão queimar.

51 102 anos depois surge...

52 GRANDES HOMENS Voltando de uma viagem ao Vaticano Lutero disse: Roma é um círco, um esgoto vivo. Compra-se de tudo: sexo, salvação... Tem bordéis só para clérigos. Vende-se perdão de pecados...

53

54 INDULGÊNCIA VENDIDA "Pela autoridade de todos os santos, e em misericórdia perante ti, eu absolvo-te de todos os pecados e crimes e dispenso-te de quaisquer castigos por 10 dias"

55 A REFORMA PROTESTANTE

56 I Éfeso Pureza apostólica II e III Esmirna Perseguição IV e V PérgamoComp. c/Política VI a XVI Tiatira Papado (ICAR) XVII e XVIII Sardes Reforma XIX e XX Filadélfia Avivamento XXILaodicéia APOSTASIA A Igreja nos séculos:

57 MARTIN LUTERO 31/10/1517, Lutero afixou na Igreja de Wittenberg, 95 teses, baseadas na Bíblia, que feriam de frente a autoridade papal.

58

59

60 MARTIN LUTERO F avorecidas pela invenção da primeira Impressora de Gutemberg, várias cópias de suas teses foram distribuídas na Alemanha.

61 MARTIN LUTERO Foi excomungado e condenado; Para não morrer foi escondido por um amigo num castelo; Traduziu a Bíblia para o alemão e o povo começou a ler a Palavra de Deus.

62

63 MARTIN LUTERO Seu Protesto mudou a história da Igreja. Lutero se tornou o homem mais conhecido da Alemanha com vários seguidores. Apesar de perseguida pelo papa, a Igreja Luterana, ou reformada, cresceu.

64 CALVINO Na Suiça, Ulrico Zuínglio e João Calvino deram início à Igreja Presbiteriana. Dinamarca, Suécia, Noruega, Holanda, também aceitaram os ensinos de Lutero.

65 GRANDES HOMENS A Reforma chegou na Escócia e Inglaterra que romperam com a Igreja Católica, fundando a Igreja Anglicana. Henrique VII

66 A REFORMA Em 50 anos chegou também a Escandinávia, Boêmia, Áustria, Hungria, Polônia e progredia na França.

67 A CONTRA REFORMA

68 CONTRA REFORMA A Igreja Romana durante cerca de 100 anos combateu a Reforma Protestante. Foi fundada a: Ordem dos Jesuítas Foi criada a: Santa Inquisição

69 TRIBUNAL

70

71

72

73

74

75

76

77

78 Guerra dos trinta anos A Guerra dos Trinta Anos ( ) é a denominação genérica de uma série de guerras que diversas nações européias travaram entre si, especialmente na Alemanha, por motivos variados: rivali- dades religiosas, dinásticas, territoriais e comerciais. As rivalidades entre católicos e protestantes e assuntos constitucionais germânicos foram gradualmente transformados numa luta européia. O tratado de Paz foi negociado durante três anos pelos representantes dos católicos e protestantes, reunidos em Münster (onde tinha precendência a França católica) e em Osnabrück (onde tinha precedência a Suécia protestante).

79 PROTESTANTES X CATÓLICOS A assinatura da paz garantiu a protestantes e católicos a liberdade de culto. Assim, o mapa religioso da Europa ficaria estável. Após 100 anos de lutas, muito sangue derramado, finalmen- te estavam definidos os limites da fé Protestante e Católica; Porém, a paz levou a Europa a um esfriamento espiritual; caracterizado pela ausência da necessidade de defender a fé.

80

81 CULTOS FORMAIS Seguiu-se um período de paz que diminuiu a fé avivada do início da reforma. Imensas Catedrais foram construídas por Católicos e Protestantes. No início do século XVIII as principais igrejas da Europa começaram a praticar cultos formalistas e racionais, dominados pelo intelectualismo mas sem poder espiritual sobre os crentes. hoje estas Igrejas estão vazias.

82

83

84

85

86

87

88 DESCOBRIMENTOS

89 Ide por todo o mundo!

90

91 DESCOBRIMENTOS Espanhóis; Portugueses; Ingleses; Holandeses; chegam às Américas.

92 Ide por todo o mundo!

93 REFORMA da REFORMA Apesar do descobrimento das Américas e o estabelecimento das colônias, o cristianismo era formal. Era necessário um avivamento.

94 I Éfeso Pureza apostólica II e III Esmirna Perseguição IV e V PérgamoComp. c/Política VI a XVI Tiatira Papado (ICAR) XVII e XVIII Sardes Reforma XIX e XX Filadélfia Avivamento XXILaodicéia APOSTASIA A Igreja nos séculos:

95 AVIVAMENTO

96 PRIMEIROS AVIVAMENTOS Eram reavivamentos interdenominacionais. Leigos em reuniões diárias de oração buscavam direção de Deus.

97 JOHN BUNYAN (1628 – 1688) Viveu na Inglaterra e era conhecido como O Sonhador Imortal. Escreveu vários livros, entre os quais O Peregrino, A Peregrina, Graça Abundante ao Principal dos Pecadores. O Peregrino, em mais de 140 idiomas, é o livro mais vendido, depois da Bíblia

98 JONATHAN EDWARDS (1703 – 1758) Jonathan Edwards, USA, com seu famoso sermão: Pecadores nas mãos de um Deus irado.

99 JOHN WESLEY (1703 – 1791) A Tocha Tirada do Fogo Inglaterra do século XVIII: uma sociedade conturbada pela Revolução Industrial, onde crescia muito o número de desempregados. A Inglaterra estava cheia de mendigos itine- rantes, políticos corruptos, vícios e violência generalizada. O cristianismo, em todas as suas denominações, estava definhando e ao invés de influenciar, estava sendo influenciado, de maneira alarmante, pela apatia religiosa e pela degeneração moral.

100 IRMÃOS WESLEY Em 1738, a Inglaterra e as colônias Americanas foram despertadas por pregadores sinceros como João e Carlos Wesley conhecidos como: Metodistas Wesleyanos;

101 GEORGE WHITEFIELD (1714 – 1770) o Pregador ao Ar Livre Ao perceber que muitos púlpitos lhe estavam fechados, quebrou a tradição e passou a pregar ao ar livre. A freqüência de ouvintes tornara-se tão numerosa que impressionara John Wesley, que concordou em utilizar o mesmo método de pregação ao ar livre. Afirma-se que quase nunca pregava sem chorar, e que costumava ler a Bíblia de joelhos. Tendo consagrado a vida a Cristo, orava freqüentemente.

102 FINNEY ( ) Finney, O apóstolo do avivamento, em Nova York se eu não tivesse o espírito de oração, não alcançaria coisa alguma. Se por um dia, ou por uma hora eu perdesse o espírito de graça e de súplica, não poderia pregar com poder e fruto, e nem ganhar almas pessoalmente

103 D. L. MOODY (1837 – 1899) O Célebre Ganhador de Almas Filho de lavradores pobres, aceitou a Cristo embrulhando sapatos nos fundos de uma sapataria. Estima-se que Moody evangelizou mais de almas e muitos o consideram o homem mais importante do século XIX

104 Avivamento nos EUA Os presbiterianos, batistas e metodistas foram os grandes responsáveis pelo avivamento nos EUA; principalmente nos estados do Sul. O avivamento caracterizou-se por alcançar resultados incomuns e pela abertura de dezenas de igrejas. Verificou- se um fortalecimento moral nos lares, no trabalho e no lazer.

105 Avivamento nos EUA Universidades, como Princeton e Columbia foram criadas para formar ministros para as muitas congregações que surgiam. Conversões começaram a acontecer. O país inteiro foi abalado. Quando o despertamento estava no seu auge, foi estimado que cinqüenta mil pessoas estavam se convertendo por semana no país inteiro. No decurso do avivamento, mais de um milhão de pessoas foram acrescentadas às igrejas cristãs

106 Próxima aula: MOVIMENTO MISSIONÁRIO

107 O evangelho na américa latina

108 Colonizada por espanhóis e portugueses e, portanto, desde o seu descobrimento estar sobre o manto da igreja católica romana, a américa latina teve suas portas abertas para o protestantismo somente a partir do século XIX. O protestantismo implantado dava mais ênfase a doutrina correta e ao compromisso pessoal do indivíduo. Embora todo tipo de protestantismo tenha buscado fazer um lugar para si mesmo, os que colocaram maior ênfase na evangelização, juntamente com o compromisso pessoal de mudança do comportamento, cresceram mais rapidamente. As denominações que começaram seu trabalho na América Latina foram os Anglicanos, Luteranos, Congregacionais, Presbiterianos, Metodistas, Batistas e Adventistas. As missões anglicana, luterana trabalharam quase exclusivamente com os emigrantes que determinaram tanto a forma cultural quanto a extensão do alcance dessas denominações. As demais trabalharam com os nativos em sua própria linguagem e cultura.

109 O evangelho na américa latina O Catolicismo Romano não foi muito simpático com o avanço missionário protestante. Os três séculos de atividade não se prestaram à introdução do plurarismo religioso. Com exceção da primeira metade do século XIX, quando houve relativa aceitação dos missionários principalmente no Brasil. Porém, houve muita intolerância e perseguição. Os protestantes encontraram aliados e até protetores entre os políticos liberais, o que provocou reação ainda mais forte entre os ultramontanistas do clero. Principalmente no Brasil, onde a hierarquia do clero temia pela protestanização do país através da imigração. Os evangélicos foram tentados a levarem uma vida de refúgio sob a proteção de comunidades tipo gueto, de onde se afastavam somente para ir em busca de novas conversões. A evangelização teve início associada à venda de Bíblias e a alfabetização de novos convertidos. As pessoas se convertiam, compravam Bíblias e como não sabiam ler ou escrever, se dedicaram a alfabetização para se dedicarem à leitura das Sagradas Escrituras. Estas característica no seio do protestantismo era tão forte que os crentes passaram a ser chamados de os Bíblias.

110 O evangelho na américa latina Foram dois os incidentes que se destacaram no rompimento eventual do monopólio católico-romano. A pressão externa aplicada pela Inglaterra, forçando um tratado com o Brasil e o outro foi a nomeação de Diego Thompson em 1819 como diretor da educação primária na Argentina, feita pelo governo sob orientação dos liberais. A Grã-Bretanha forçou as portas da colônia portuguesa. No início do século XIX caiu o Império Português. A Inglaterra tornou-se senhora dos mares, ao destruir as armadas francesas e espanholas. A Inglaterra forçou o governo Português sediado no Rio de Janeiro, a abrir os portos brasileiros ao comércio mundial. Em tratado assinado com a Inglaterra em 1810, o Governo Português se comprometeu a permitir a construção de casas de adoração para os estrangeiros, contanto que não tivessem a aparência de igrejas. Era proibido colocar-se a cruz nas construções.

111 O evangelho na américa latina A implantação definitiva do protestantismo na América Latina dependeu de um avanço duplo da imigração e dos missionários. Sendo que esse avanço ocorreu em maior parte na segunda metade do século XIX depois das mudanças sócio-políticas terem aberto as portas para o testemunho evangélico. A partir de meados de 1940, o protestantismo avançou rapidamente na América Latina, especialmente no Brasil. Fonte:


Carregar ppt "REVISÃO DAS 8 PRIMEIRAS AULAS:. SAL DA TERRA LUZ PARA O MUNDO A NOIVA DE CRISTO CADA UM DOS QUE CRÊM EM CRISTO A IGREJA É"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google