A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Centro Catequético D. Gabriel Introdução ao Curso de Catequética (4º Aula)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Centro Catequético D. Gabriel Introdução ao Curso de Catequética (4º Aula)"— Transcrição da apresentação:

1

2 Centro Catequético D. Gabriel Introdução ao Curso de Catequética (4º Aula)

3 A Catequese Renovada da CNBB (1983) A CNBB em 15/04/1983 na 21ª Assembléia Geral aprovou o documento Catequese renovada: orientações e conteúdo. É o documento mais importante para a Igreja do Brasil em termos de catequese e tem, realmente, impulsionado a renovação da catequese nestes últimos anos. É o nosso Diretório Catequético Nacional.

4 Estas orientações catequéticas, inspiradas nos documentos da Igreja (Vaticano II, Medellín, Puebla, Evangelii Nunciandi e Catechesi Tradendae), querem ser uma resposta aos apelos do papa João Paulo II, na sua visita ao Brasil (1980), quando então nos dizia: "A Catequese é uma urgência. Só posso admirar os pastores zelosos que em suas Igrejas procuram responder concretamente a essa urgência, fazendo da catequese uma prioridade" (Encontro com os Bispos em Fortaleza - 10/07/80). Apresentamos 12 características da catequese renovada.

5 Como anda a catequese em sua paróquia? 1. Educação para a vivência da fé: 2. Vivência da fé em comunidade: 3. Processo permanente de educação da fé: 4. Catequese cristocêntrica: 5. Ministério da Palavra: 6. Coerência com a Pedagogia de Deus: 7. Catequese transformadora e libertadora: 8. Catequese inculturada: 9. Interação fé-vida: 10. Catequese integrada nas outras pastorais: 11. Fonte de espiritualidade: 12. Opção preferencial pelos pobres: [1] [2]

6

7 Padroeira da Música, Santa Cecília foi uma jovem de suave beleza que, com inquebrantável força de ânimo e possuída da mais ardente fé, professou e difundiu o Cristianismo. Interpretada pelos mais notáveis pintores, escultores e poetas, sempre lhe foram atribuídos os mais variados símbolos musicais, embora com particular predileção pelo órgão. Isso deve-se em grande parte ao caráter religioso que, a partir do século XV, se atribui a este instrumento. Historicamente as mais antigas referências não lhe conferem dotes particulares de musicalidade. Sabe-se, contudo, que era uma jovem patrícia muito culta, pertencendo a uma das mais ilustres famílias de Roma pelo que, tendo recebido esmerada educação, a prática da música ser-lhe-ía habitual, tocando, provavelmente, algum instrumento mais consentâneo com a sua feminilidade, como a harpa, a lira ou o saltério, pois o órgão, com que tão frequentemente é representada, era ainda um instrumento grosseiro e pouco difundido.

8 Segundo uma " Paixão " publicada no século V para satisfazer a curiosidade dos peregrinos que visitavam a primitiva Igreja " in Trastévere " dedicada à sua memória em Roma, Cecília, desposada contra vontade por imposição de seus pais, cumpriu o voto de castidade, já anteriormente formulado fazendo saber a Valeriano - o noivo - que a sua alma, bem como o seu corpo, estavam consagrados a Deus. Valeriano sentiu-se tocado pela pureza daqueles propósitos e, não só prometeu respeitar tais votos, como, procurando o venerando bispo Urbano, que exercia o ministério sacerdotal escondido nas catacumbas, recebeu das suas mãos o batismo. Ao regressar, encontrou Cecília em oração e um anjo a seu lado. Este, que tinha duas coroas na mão, colocou uma sobre a cabeça da jovem e a outra sobre a de Valeriano. Penetrado pela graça, o nobre príncipe romano, anima seu irmão Tibúrcio a receber igualmente o batismo. Entretanto recrudescia a perseguição aos cristãos e os dois irmãos davam-se à piedosa missão de recolher os corpos daqueles confessores da fé a quem as autoridades imperiais recusavam um lugar nos cemitérios. Pouco depois foram também eles presos e decapitados. Por sua vez, Cecília foi igualmente presa por ter ousado dar-lhes sepultura na sua "vila" da Via Ápia onde, com grande fervor, exercia a caridade acudindo aos pobres e protegendo os perseguidos. Colocada perante a alternativa de sacrificar aos deuses de Roma ou a morrer, não hesitou e dispôs-se ao sacrifício. Quando, durante os interrogatórios, o prefeito Almáquio lhe lembrava ter sobre ela direito de vida e de morte, respondeu : "É falso, porque podes dar-me a morte, mas não me podes dar a vida." Almáquio condenou-a a morrer asfixiada por vapor mas, como Cecília sobreviveu a esse suplício, ordenou que lhe cortassem a cabeça. O carrasco, por imperícia ou por ter vacilado ante a serenidade Angélica da condenada, depois de três golpes sucessivos não chegou a decepar a formosa cabeça deixando a mártir em dolorosa agonia.

9 Só passados três dias exalou o último suspiro e todos quantos haviam presenciado o modo sublime como aceitara tamanha provação, convertidos por tal exemplo à mesma fé, suplicavam a sua intercessão para que, na hora suprema, tivessem o mesmo valor e heroísmo por ela demonstrados, mesmo nas maiores angústias. Nas "Atas" do martírio de Santa Cecília, que se crê tenha ocorrido no ano de 230, lê-se : Enquanto ressoavam os órgãos, a Virgem Santa Cecília, no íntimo da sua mente, só a Deus se dirigia e cantava : "Permiti, Senhor, que o meu coração e o meu corpo permaneçam imaculados ", " Cantantibus organis Caecilia Domino decantabat dicens..." Tomando falsamente a palavra "organis" (designação sumária de instrumento) por órgão, os pintores já no século XV a fantasiavam tangendo-o como acompanhador dos seus piedosos cânticos.

10 O DIRETÓRIO GERAL PARA A CATEQUESE de Prefácio: apresentação geral - gênese, divisão, finalidade e destinatários 2. Exposição Introdutória - O anúncio do Evangelho no mundo contemporâneo. Espécie de ver a realidade; é uma visão pastoral (misericordiosa, não dialética) do mundo a ser evangelizado. São levantados os grandes desafios enfrentados pela Igreja na obra da evangelização e catequese hoje.

11 3. Primeira Parte: A catequese na missão evangelizadora da Igreja. 3 capítulos teológico-pastorais= 1. Revelação e Evangelização (elementos teológicos); 2. Evangelização e Catequese (catequese a serviço da: iniciação cristã, da educação permanente da fé; da iniciação escolar); 3. Natureza, finalidade e tarefas da Catequese (entrar em comunhão com Jesus Cristo, catecumenato). 4. Segunda Parte: A Mensagem evangélica. 2 capítulos em torno da Mensagem. 1. Critérios gerais da apresentação da Mensagem e 2. Os instrumentos para transmissão da mensagem = Catecismos (Catecismo da Igreja Católica [apresentação, finalidade, inspiração, uso] e catecismos locais). A sinfonia da fé entre o DGC e o CaIC.

12 5. Terceira Parte: A Pedagogia da Fé. 2 capítulos sobre a Pedagogia Divina; 1. um capítulo mais teológico = a pedagogia original da fé; 2. um outro capítulo mais das ciências humanas = metodologia 6. Quarta Parte: Os destinatários da Catequese. 5 breves capítulos sobre os Destinatários (Interlocutores) = 1. Normas Gerais sobre adaptação aos destinatários; 2. Catequese por Idades (adultos, jovens, crianças, anciãos); 3. Catequese em situações especiais (portadores de deficiência, marginalizados, minorias); 4. Catequese em situações sócio- religiosas (pluralismo, religiosidade popular, ecumenismo, judaísmo, outras religiões, novos movimentos religiosos); 5. Catequese no contexto sócio-cultural (inculturação).

13 7. Quinta Parte: A Catequese na Igreja Particular. 4 capítulos: 1. O ministério da catequese e seus agentes; 2. Formação de catequistas; 3. Lugares e vias da catequese (comunidade, família, catecumenato, paróquia, escolas, associações, CEBs); 4. A organização da catequese (organização, coordenação e tarefas). O Diretório termina com um Índice Temático interessante

14 Se desejamos que uma mensagem de amor seja ouvida, ela tem que ser enviada. Para mantermos uma lâmpada acesa, temos de colocar o óleo nela. Fique perto de Jesus Ele te ama Vamos orar Deus te abençoe M. Teresa.

15


Carregar ppt "Centro Catequético D. Gabriel Introdução ao Curso de Catequética (4º Aula)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google