A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mónica Nunes Maria das Dores Policarpo João Feijão Faculdades de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Sociologia - Ano Lectivo 2009/ 2010 Sociologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mónica Nunes Maria das Dores Policarpo João Feijão Faculdades de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Sociologia - Ano Lectivo 2009/ 2010 Sociologia."— Transcrição da apresentação:

1 Mónica Nunes Maria das Dores Policarpo João Feijão Faculdades de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Sociologia - Ano Lectivo 2009/ 2010 Sociologia das Organizações

2 O que é burocracia? A burocracia é uma forma de organização humana e que se baseia na racionalidade instrumental, isto é, na adequação dos meios aos objectivos (fins) pretendidos, a fim de garantir a máxima eficiência possível no alcance desses objectivos. Max Weber

3 BurocraciaTipo de Poder

4 Max Weber e a Burocracia 3 tipos de sociedade TradicionalCarismática Legal, Racional ou Burocrática

5 Burocracia PoderLegitimidadeDominação Conceitos Weberianos Autoridade

6 Para Weber existem três tipos de Autoridade Legítima : 3 tipos de Autoridade TradicionalCarismática Legal, Racional ou Burocrática

7 A Burocracia é baseada em: 1. Caráter legal das normas e regulamentos 2. Caráter formal das comunicações. 3. Caráter racional e divisão do trabalho. 4. Impessoalidade nas relações. 5. Hierarquia de autoridade. 6. Rotinas e procedimentos estandardizados 7. Competência técnica e meritocracia 8. Especialização da administração 9. Profissionalização dos participantes 10. Completa previsibilidade do funcionamento Características da Burocracia (Max Weber) Consequências previstas: 1.Previsibilidade do comportamento Humano 2. Padronização do desempenho dos participantes Objectivo: Máxima eficiência da organização

8 Vantagens da Burocracia (Max Weber) 1.Racionalidade 2. Precisão 3. Rapidez nas decisões 4. Univocidade de interpretação 5. Uniformidade de rotinas e procedimentos 6. Continuidade da organização 7. Redução da fricção entre as pessoas 8. Constância 9. Subordinação dos mais novos aos mais antigos 10. Confiabilidade 11. Benefícios sob o prisma das pessoas na organização

9 Dilemas da Burocracia Pressões de forças exteriores para encorajar o burocrata a seguir normas diferentes das da organização. Compromisso dos subordinados com as regras burocráticas tende gradualmente a enfraquecer. FRAGILIDADE DA ESTRUTURA BUROCRÁTICA

10 Disfunções da Burocracia: 1. Interiorização das normas 2. Excesso de formalismo e papelada 3. Resistência a mudanças 4. Despersonalização do relacionamento 5. Categorização das decisões 6. Super-conformidade às rotinas e procedimentos 7. Exibição de sinais de autoridade 8. Dificuldades com clientes Imprevisibilidade do funcionamento Robert K. Merton

11 Modelo Burocrático de Robert K. Merton

12 Modelo Burocrático de Selznick Contrariamente a Weber, Philip Selznick demonstrou a possibilidade de adaptção da burocracia às: 1.Exigências externas dos clientes 2.Exigências internas dos participantes Estudo sobre Tennessee Valley Authority (T.V.A)

13 Conclusões de Selznick 1.Organização Burocrática é uma estrutura social adaptativa 2.Dentro da organização formal desenvolve-se uma estrutura informal 3.A estrutura informal torna-se paralela e indispensável ao sistema formal 4.A Burocracia deve ser analisada sob o ponto de vista estrutural e funcional (deve reflectir os aspectos do comportamento organizacional interno) 5.As tensões e os dilemas são resolvidos através das limitações ambientais e alternativas de comportamento

14 Conclusões de Selznick (cont.) Para atingir os seus objectivos, a Organização utiliza dois mecanismos de defesa: IdeologiaCooptação

15 Conclusões de Selznick (cont.) Da mesma forma que Merton, Selznick demonstra que as consequências não previstas provêm de problemas ligados à organização informal. (Chiavenatto: 29) (…) Para Selznick a burocracia não é rígida nem estática, como afirmava Weber, mas adaptativa e dinâmica, interagindo intensamente com o ambiente externo e adaptando-se a ele. (Chiavenatto: 29)

16 Modelo Burocrático de Selznick

17 Alvin Gouldner e os graus de burocratização FASE 1FASE 2 1.O controlo com pouco frequência do comportamento dos operários 2.Regras formais ignoradas 3.Infracções raramente punidas 4, Pouca pressão para produzir 5. Atitude favorável e positiva (dos operários) em relação à fábrica 1.Implantação de relatórios e controlo da produção (diários e semanais) trabalho suplementar dos supervisores 2.Corte dos favores pessoais Ciclo da supervisão fechada

18 Supervisão fechada sobre o operário Supervisor percebe o operário não motivado Supervisão mais fechada para aumentar o rendimento Apatia do operário reduz o rendimento Supervisor percebe o operário ainda mais desmotivado

19 Conclusões de Gouldner A hipótese central de Gouldner é a de que a supervisão fechada destrói as relações entre superiores e subordinados e viola as regras informais do grupo. Identificação das funções das regras burocráticas Identificação de três tipos de comportamento burocrático: 1. Burocracia fingida 2. Burocracia representativa 3. Burocracia punitiva

20 Conclusões de Gouldner (cont.) Identificação das consequências imprevistas comuns a todos os modelos burocráticos Para Gouldner não há um tipo único de burocracia, mas vários que oscilam entre os excessivamente burocratizados e os pouco burocratizados

21 Modelo Burocrático de Gouldner

22 Teoria da Burocracia: uma apreciação crítica…. Burocracia super-racionalizada Não leva em conta a natureza organizacional Vantagens da burocracia são exageradas

23 Burocracia: uma apreciação crítica… (cont.) Grau variável de burocratização Divisão do trabalho Hierarquia de autoridade Sistema de regras Sistema de procedimentos Impessoalidade nas relações interpessoais Promoção e selecção baseados na competência técnica

24 Warren G. Bennis Oposições à Burocracia: BUROCRACIA Não tem em conta o crescimento pessoal e o desenvolvimento da personalidade das pessoas Desenvolve a conformidade e o pensamento de grupo Não considera a organização informal Sistema de controle e de autoridade irremediavelmente ultrapassado Não tem um adequado processo jurídico Não possui meios adequados para resolver diferenças e conflitos entre classes, principalmente entre grupos funcionais Comunicações bloqueadas ou distorcidas devido às divisões hierárquicas Não pode assimilar o influxo de novas tecnologias ou cientistas que ingressam na organização Pode modificar a personalidade do homem e condicioná-lo

25 Bennis defende ainda que, para sobreviver, a organização burocrática deve consumar tarefas secundárias: 1. Manter o sistema interno e integrar o lado humano da empresa (organização informal) 2. Adaptação ao ambiente externo

26 Ameaças à burocracia (Bennis) 1.Transformações rápidas e inesperadas do ambiente 2.Aumento de tamanho (o acréscimo das actividades da organização não é suficiente para sustentar o seu crescimento) 3.Inovação da tecnologia (maior integração entre actividades e pessoas altamente especializadas e de competência muito diferentes) 4.Mudanças radicais no comportamento administrativo

27 Para Chavienato, a teoria da Burocracia caracteriza-se por uma abordagem descritiva e explicativa As componentes descritiva e explicativa proporcionam um conhecimento mais profundo sobre o objecto de estudo e uma ampla flexibilidade e versatilidade na solução dos problemas. Possibilitam ainda que o administrador compreenda a situação e verifique qual a melhor forma para lidar com a organização.

28 Críticas à perspectiva burocrática de Weber Embora reconheça a importância da estrutura informal, Weber não a inclui no seu tipo ideal de burocracia As distinções de Weber entre tipos de autoridade são consideradas exageradas Conflito interno na organização é considerado altamente indesejável É o que Merton pretende mostrar, ao estudar as disfunções da burocracia, que a forma burocrática tem influência na personalidade dos seus membros e estimula uma aderência às norma e regulamentos.

29 Burocracia: uma apreciação crítica… (cont.) TEORIA DA MAQUINA FayolWeberTaylor Características: 1.Especialização do processo das tarefas 2. Padronização do desempenho da função 3. Uniformidade das práticas institucionalizadas 4. Garantia da centralização através da não duplicação da função

30 Burocracia: uma apreciação crítica… (cont.) 1.Pouca importância do intercâmbio do sistema com o seu ambiente e negligência das influências do meio 2. Limitações na concepção de muitos tipos de intercâmbio com o ambiente 3.Pouca atenção aos subsistemas de organização (com dinâmicas diferenciadas 4.Negligência à organização informal dentro da organização formal 5. Organização concebida como rígida e estática

31 Posição da Teoria da Burocracia dentro da Teoria das Organizações Para alguns autores, o modelo burocrático constitui um terceiro pilar da Teoria Tradicional da Organização, ao lado do Taylorismo e da obra de Fayol e Gulick (Teoria Clássica) Pode dizer-se que Weber é considerado o precursor do estruturalismo, estando mais identificado com a organização formal Contudo, existem diferenças entre a Teoria Burocrática de Weber e a Teoria Clássica: Teoria ClássicaTeoria Weberiana Alocação de autoridade e responsabilidade; número de níveis hierárquicos Grandes esquemas de organização Abordagem predominantemente dedutiva Weber é essencialmente indutivo Moderna organização industrialTeoria geral da organização social e económica Normativa e prescritivaDescritiva e explicativa


Carregar ppt "Mónica Nunes Maria das Dores Policarpo João Feijão Faculdades de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Sociologia - Ano Lectivo 2009/ 2010 Sociologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google