A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cecília Rocha # 12001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula 1ª Aula Apresentação da Disciplina Método de Avaliação Bibliografia de Apoio Introduction.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cecília Rocha # 12001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula 1ª Aula Apresentação da Disciplina Método de Avaliação Bibliografia de Apoio Introduction."— Transcrição da apresentação:

1 Cecília Rocha # 12001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula 1ª Aula Apresentação da Disciplina Método de Avaliação Bibliografia de Apoio Introduction to Operations Research Frederick S. Hillier & Gerald J. Lieberman Mc Graw-Hill

2 Cecília Rocha # 22001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) O Processo de Investigação Operacional Etapas de um estudo de Investigação Operacional Definir o problema e recolher dados Estabelecer uma formulação matemática que represente o problema Desenvolver uma ferramenta automática (computador) que permita obter soluções para o problema a partir do modelo matemático definido Testar e calibrar o modelo Preparar a utilização do modelo conforme as necessidades da entidade decisora Implementação dos procedimentos

3 Cecília Rocha # 32001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) Definição do Problema e Recolha de Dados Escolha de objectivos adequados ( ex. Máximo Lucro ) Restrições às alterações a implementar Relações entre os diversos departamentos ou áreas Alternativas de actuação Prazo de actuação onda É muito importante que a equipa de IO esteja na mesma onda dos gestores, principalmente, no que se refere à correcta definição do problema e ao seu acompanhamento pelas chefias A recolha de dados é uma das tarefas mais complexas da IO, dado que a coerência e exactidão dos dados influencia bastante a qualidade do resultado final que, inicialmente, se obterá por simulação resultante da aplicação dos dados recolhidos

4 Cecília Rocha # 42001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) Formulação Matemática do Problema de IO A metodologia convencional de IO envolve a formulação de um problema matemático que representa a essência do problema Envolve um sistema de equações e expressões matemáticas que descrevem o problema Função Objectivo A expressão que representa o objectivo final do problema de IO denomina-se – Função Objectivo Variáveis de Decisão As variáveis envolvidas no problema que representam a quantificação de algumas decisões designam-se – Variáveis de Decisão Restrições As expressões matemáticas que representam as restrições ao valor das variáveis de decisão, normalmente, sob a forma de equações ou inequações, designam-se – Restrições

5 Cecília Rocha # 52001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) Formulação Matemática do Problema de IO (cont.) Parâmetros Os coeficientes presentes nas equações da função objectivo e das restrições denominam-se – Parâmetros do modelo Análise de Sensibilidade Devido à incerteza do valor a atribuir aos parâmetros é importante analisar as alterações da solução final do modelo quando se atribuem valores possíveis a esses parâmetros, ou seja, é necessário efectuar uma Análise de Sensibilidade Um critério para avaliar a validade do modelo é verificar se este prevê variações relativas provocadas por alterações no curso das actividades com precisão suficiente para permitir uma decisão avalizada, o que requer uma elevada correlação entre os resultados das previsões do modelo e o que se passaria na realidade.

6 Cecília Rocha # 62001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) Soluções obtidas a partir do Modelo Depois da formulação matemática do modelo, a fase seguinte envolve a obtenção de soluções a partir do modelo definido, normalmente, com recurso a ferramentas informáticas e através de algoritmos de IO Em IO procura-se obter uma solução óptima ou, pelo menos, a melhor solução. Assim, se o modelo estiver correctamente formulado e testado, a solução obtida pode ser uma boa aproximação da linha de actuação a seguir na realidade Solução Satisficing No entanto, em vez de obter a solução óptima para o problema, é preferível obter a Solução Satisficing. Esta é a abordagem que alguns gestores procuram em que preferem obter uma solução que é suficientemente boa para o caso em análise, mas não a óptima que resolva todos os conflitos entre os diferentes objectivos a atingir, sendo utilizada uma abordagem mais pragmática que define objectivos mínimos de desempenho pretendidos.

7 Cecília Rocha # 72001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) Teste do Modelo A primeira versão de um modelo complexo contém muitas imprecisões, dado que existem variáveis ou relações entre variáveis relevantes que não foram consideradas ou parâmetros que não foram correctamente estimados. Validação do Modelo É, por isso, necessário testar e melhorar o modelo para aumentar a sua aplicabilidade. Este processo denomina-se Validação do Modelo A equipa que faz a validação do modelo deve incluir pelo menos uma pessoa que não tenha integrado a equipa que construiu esse modelo, de forma a olhar numa perspectiva global para o problema e detectar erros ou falhas grosseiras. Outra forma de validar o modelo passa pela variação dos valores atribuídos aos parâmetros e/ou variáveis de decisão e posterior verificação da fiabilidade dos resultados obtidos Teste Retrospectivo Pode ainda ser utilizado um Teste Retrospectivo, que utiliza dados históricos no modelo desenvolvido e posteriormente compara os resultados obtidos a partir do modelo com os verificados na realidade. A desvantagem deste teste refere-se ao comportamento esperado para o futuro que pode não representar a continuação imediata do passado. No entanto, as soluções obtidas neste teste podem servir de ponto de partida para uma nova calibração do modelo

8 Cecília Rocha # 82001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) Preparação da implementação do Modelo Após a fase de teste e tendo-se chegado à conclusão de que o modelo desenvolvido deve ser aplicado, dá-se a implementação de um sistema para a sua concretização. Este sistema inclui o modelo, os procedimentos operacionais do modelo, uma análise de optimização e procedimentos gerais de funcionamento e, normalmente, baseia-se em ferramentas informáticas As bases de dados e o sistema de informação de gestão criados auxiliam a actualização de dados a introduzir no modelo de cada vez que é necessária a sua utilização Sistema de Suporte à Decisão Nalguns casos, é montado uma sistema interactivo – Sistema de Suporte à Decisão – que permite auxiliar os gestores a tomar decisões com base em toda a informação disponível nas bases de dado e sistemas de informação disponibilizados pelo modelo (não é tomada a decisão pelo modelo...se assim fosse não eram necessários gestores!)

9 Cecília Rocha # 92001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula (cont.) 1ª Aula (cont.) Implementação do Modelo Depois do desenvolvimento do sistema de aplicação do modelo, a última fase de um estudo de IO envolve a implementação desse sistema conforme instruções da administração (esta é uma fase crítica dado que só neste momento se podem ajuizar os benefícios do estudo) Após a conclusão do estudo a equipa de IO deve elaborar um documento com a descrição clara e precisa de metodologia seguida, de forma a que o seu trabalho possa ser reproduzido, o que é de importância primordial quando se está a lidar com situações que possam ser controversas.


Carregar ppt "Cecília Rocha # 12001/2002 I NVESTIGAÇÃO O PERACIONAL 1ª Aula 1ª Aula Apresentação da Disciplina Método de Avaliação Bibliografia de Apoio Introduction."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google