A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Energia Nuclear: Percepção de Risco AMSA. Título: Energia Nuclear: Percepção de risco. Autores: Afonso David N.º 19061 e Sara Carreira N.º 18952 Objectivo:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Energia Nuclear: Percepção de Risco AMSA. Título: Energia Nuclear: Percepção de risco. Autores: Afonso David N.º 19061 e Sara Carreira N.º 18952 Objectivo:"— Transcrição da apresentação:

1 Energia Nuclear: Percepção de Risco AMSA

2 Título: Energia Nuclear: Percepção de risco. Autores: Afonso David N.º e Sara Carreira N.º Objectivo: O objectivo do nosso trabalho é procurar compreender a percepção de risco existente em relação à tecnologia Nuclear aplicada na produção Energética. Para identificar as razões principais deste problema social procurámos estabelece, na pesquisa realizada, uma correspondência entre as bases científicas e as crenças e sentimentos pessoais dos cidadãos.

3 Introdução: A escolha do nosso tema terá em conta a crise energética actual e a consequente necessidade da utilização da tecnologia nuclear como fonte alternativa. Procuraremos compreender a credibilidade da percepção de risco geral face à energia nuclear, bem como os problemas aliados a esta percepção. Para obtermos conclusões concretas sobre o tema, vamos testar se a percepção de risco é baseada em factos científicos ou apenas sociais. Consideramos o nosso tema relevante, uma vez que se trata de uma polémica actual, com opiniões divergentes não só a nível dos cidadãos como também a nível dos cientistas, ecologistas e organizações de protecção do ambiente.

4 Metodologia: Para a realização do nosso trabalho efectuámos buscas pela Internet em sites de revistas cientificas (como a science magazine, a new scientist e a nature), em bases de dados da faculdade, (nomeadamente na IST web of knowledge) e de publicações científicas de instituições. Efectuámos a busca de documentação relacionada com o tema, inclusive publicações de revistas científicas na biblioteca do IST. Procurámos artigos mais ou menos recentes, no máximo com 3 anos, uma vez que se trata de um tema actual. Encontrámos 4 artigos sobre energia nuclear nas seguintes revistas: science magazine, new scientist, nature e tecnologias do Ambiente. Destes 4 artigos de revistas apenas 1 se mostrou mais específico na área dos problemas sociais do uso de energia nuclear, sendo os restantes muito ambíguos. Retirámos também 2 artigos de publicações de institutos por parte de cientistas.

5 Ideias-ConteúdoTópicos para a estrutura do texto 1 - Europeus mal informados sobre o problema dos resíduos nucleares. Projecto: Compreender a posição dos Europeus face aos resíduos Nucleares. Factos: A maioria das pessoas receia os resíduos nucleares e é contra a Energia nuclear. Consequência: os governos alteram as suas políticas face ao nuclear, influenciados pela opinião pública, ainda que esta tenha vindo gradualmente a mudar, resultado da crise petrolífera e do efeito de estufa. Resultado: A indústria nuclear desvaloriza a opinião negativa face ao nuclear, os ambientalistas concordam com os resultados do inquérito. Conclusão: O interesse pelo nuclear renova-se, mantendo-se polémico. A opinião das pessoas revela-se influenciável. 2 - Os Europeus do Norte segundo um inquérito são os que se sentem melhor informados face à questão, sendo os Europeus do Sul os que se sentem pior informados. 3 – A Esmagadora maioria dos Europeus receia os resíduos nucleares. 4 – A maioria das pessoas é contra a Energia Nuclear sendo o leste Europeu mais aberto e favorável a este tipo de Energia. 5 – A subida do preço do petróleo e o efeito de estufa influenciam a opinião pública favoravelmente face à Energia Nuclear. 6 – A credibilidade dos Europeus face aos Media e aos Governos europeus está em franca queda. 7 – Influenciados pela opinião pública muitos governos começam a abandonar o projecto nuclear sobretudo na Europa a – A associação representativa da indústria nuclear europeia (FORATOM) defende que o resultado deste inquérito não é baseado em dados científicos e é influenciado por factores políticos e sociais. 9 – As Organizações ambientalistas são de opinião idêntica às opiniões manifestadas no inquérito. 10 – Este inquérito é influenciado pela situação político- económica bem como por factores ambientais como o efeito de estufa, factores que vieram renovar o interesse pela energia Nuclear. Grelha de Leitura 1

6 Ideias-ConteúdoTópicos para a estrutura do texto 1 – O aquecimento global é um dos maiores perigos para a humanidade. Projecto: Conhecer as soluções para impedir o aquecimento global. Factos: Toda a terra está em perigo com o aquecimento global, os efeitos são já visíveis e urge actuar. Estamos perante uma crise energética, com novas exigências por parte de uma população em crescimento e com a necessidade de aplicação de novas tecnologias limpas e eficientes. Os danos causados no planeta são da responsabilidade dos humanos e só estes podem tentar inverter a situação. Conclusão: Apesar do medo e da oposição das pessoas face ao nuclear, esta é única fonte Energética disponível para travarmos a tempo o verdadeiro problema do nosso planeta, o aquecimento global. 2 – O desaparecimento da calote glaciar e a consequente subida do nível da água poderá inviabilizar a vida em muitas cidades costeiras. 3 – Não só os glaciares estão em perigo, o aumento da temperatura afecta igualmente a floresta da Amazónia, especialistas avisam que o pior está para vir e que os efeitos são já visíveis. 4 – O problema reside no pouco tempo que temos para inverter a situação, o aquecimento global é um efeito que aumenta exponencialmente. 5 – Uma população de 6 mil milhões de habitantes na terra exige enorme dispêndio energético, nada comparado às necessidades de há um século atrás. É necessário deixarmos de utilizar combustíveis fósseis em prol de uma fonte alternativa de Energia. 6 – As Energias renováveis não se encontram ainda suficientemente avançadas para uma produção energética em grande escala. 7 – Mesmo que actuemos agora convenientemente os danos provocados no planeta irão levar décadas até serem ultrapassados. 8 – Apenas nós, humanos, temos o puder para inverter esta situação e por motivos diversos, nomeadamente políticos, já ficámos na ignorância demasiado tempo. 9 – O medo das pessoas face à energia nuclear não tem razão de ser, está comprovado que esta é uma forma segura de Energia. O verdadeiro problema reside no aquecimento global. Também os ecologistas são contra o Nuclear. 10 – O aquecimento global necessita de medidas urgentes, é um problema imediato. A única fonte energética segura e disponível neste momento é o nuclear, e é a nossa única salvação. Grelha de Leitura 2

7 Ideias-ConteúdoTópicos para a estrutura do texto 1 – Há uma ausência do conhecimento do risco em relação à energia nuclear. Projecto: compreender a percepção de risco da energia nuclear Factos: a maioria do público avalia os riscos não cientificamente mas subjectivamente, sendo a percepção desses mesmos riscos crucial para a aceitação ou rejeição da situação em análise. Estudos revelam que a familiaridade/proximidade com a problemática nuclear, nomeadamente o conhecimento sobre o assunto, revelam- se fundamentais para a aceitação dos riscos envolvidos. Derivada da falta de conhecimento, a percepção do risco da Energia nuclear ao ser superior à percepção dos Benefícios que esta aparenta, leva a uma decisão negativa a respeito do uso desta tecnologia. Uma percepção de risco elevada nem sempre corresponde a uma percepção verdadeira. Conclusão: No processo de aceitação de uma tecnologia como a Nuclear, a percepção de risco e a de benefício são influenciáveis pelo conhecimento que as populações têm do assunto e por factores sociais como a proximidade física de um risco, neste caso de uma central. 2 – O modo como os projectos nucleares são implementados dificulta a aceitação dos seus riscos por parte da sociedade. 3 – Estudos efectuados mostram que a maioria do público avalia os riscos mais por critérios subjectivos do que por standards científicos por várias razões: possível acidente, complexidade da tecnologia e invisibilidade da radioactividade entre outros. 4 – A percepção do risco influencia a aceitação social desse mesmo risco, por exemplo, a exposição a radiações provenientes do sol excede a exposição a centrais nucleares, que são tomadas como perigosas publicamente. 5 – Estudos feitos pelo INSC em 98 revelam que a maioria das pessoas que se preocupam com centrais nucleares são aquelas que não têm experiências anteriores com energia nuclear mas poderão vir a ter no futuro; revelam também que os moradores próximos de uma central sentem que nada têm a ganhar em comparação com o resto da população, os benefícios da central manifestam-se apenas nas empresas e nos utilizadores em geral, com preços mais baixos da electricidade. 6 – Estudos feitos pelo mesmo instituto revelam também que a comunidade pode tomar decisões baseadas na sua percepção do que é verdadeiro. Se a percepção dos benefícios não ultrapassar a percepção dos riscos, a decisão será negativa. 7 – A falta do conhecimento e da percepção dos benefícios influencia na percepção pública dos riscos da energia nuclear. Riscos aos quais estamos expostos no quotidiano, como conduzir, parecem ser menores do que quando nos expomos à energia nuclear, mesmo que cientificamente seja provado um elevado n.º de mortes na estrada e poucos acidentes nucleares. 8 – Estudos recentes mostram que as percepções de risco formam uma parte no processo de aceitação de uma proposta pública e o potencial de benefício forma outra. 9 – Um estudo efectuado na Coreia revelou que a percepção dos benefícios é mais influenciável na aceitação nacional e a percepção dos riscos é mais influenciável na aceitação local. Grelha de Leitura 3

8 Resumo do Texto/Anexo 1: O texto pretende compreender a posição dos europeus face aos resíduos nucleares através de um inquérito. Este estudo revela que apesar dos europeus do norte estarem melhor informados face ao problema que os europeus do sul, a maioria das pessoas ainda receia e é contra a energia nuclear. Perante esta realidade, os governos de alguns países começam a alterar as suas políticas face ao nuclear, influenciados por uma opinião pública que, contraditoriamente, se mostrar cada vez mais vulnerável à crise petrolífera e ao aumento do efeito de estufa. Assim de um lado a indústria nuclear desvaloriza a opinião negativa das pessoas face à Energia Nuclear, do outro lado os ambientalistas são a favor dos resultados do inquérito. O interesse pela Energia Nuclear renova-se com a nova situação político-económica e mantém-se polémico, sendo a opinião pública divergente e influenciável, no que toca ao assunto. Crise petrolífera e Aquecimento global Energia Nuclear? Governos Maioria das pessoas Ecologistas Indústria Energética NÃO! SIM!

9 Resumo do Texto/Anexo 2: O texto que se segue refere a Energia Nuclear como uma solução para impedir o aquecimento global. A terra está a aquecer a uma velocidade significativa, pelo que os efeitos já são visíveis e urge actuar. Actualmente encontramo-nos num período de crise energética e a população mundial em crescimento necessita da aplicação de novas tecnologias limpas e eficientes para a produção eléctrica; as energias renováveis, assumamos, ainda não estão tecnologicamente avançadas o suficiente. Os humanos são os principais responsáveis pelos danos causados no planeta e são os únicos capazes de inverter esta situação, logo, apesar da inicial rejeição da hipótese nuclear, esta fonte energética deverá ser tomada em conta para travar enquanto é tempo o problema do aquecimento global. Aquecimento global Energia Nuclear! Solução?

10 Resumo do Texto/Anexo 3: O artigo pretende compreender a percepção de risco que as pessoas têm da energia nuclear. Estudos efectuados mostram que a maioria das pessoas avalia os riscos de um modo muito mais subjectivo do que científico, sendo a percepção desses riscos indispensável para a aceitação ou rejeição da situação em análise. Os mesmos estudos realizados pelo INSC revelam que a proximidade com o problema nuclear e o conhecimento sobre o assunto são fundamentais na aceitação dos riscos envolvidos. Assim, muito devido à ausência de conhecimento sobre o assunto, quando a percepção do risco da Energia nuclear supera o potencial dos seus benefícios, há 1 decisão negativa a respeito do uso desta tecnologia. No entanto, uma percepção de risco elevada nem sempre corresponde a uma percepção verdadeira. Concluindo, no processo de aceitação da Energia Nuclear, o conhecimento dos cidadãos sobre o assunto, bem como factores sociais como a proximidade física de um risco, neste caso uma central, influenciam bastante na percepção do risco e na do benefício. Percepção de risco Subjectiva Movida por: Falta de conhecimento Factores sociais: Ex.: Proximidade física

11 Resumo/ dos textos: O primeiro texto (Artigo 1), dá ênfase à posição dos europeus perante os resíduos nucleares. Se por um lado os governos são influenciados pela opinião negativa dos cidadãos em relação à energia nuclear e os ambientalistas apoiam esta opinião, por outro a indústria nuclear desvaloriza estes pontos de vista, permanecendo um clima de polémica em torno desta questão na qual a escolha pública se revela influenciável. Este excerto incide mais sobre o lado subjectivo da questão nuclear, aliado aos sentimentos e percepções imediatas por parte de cidadãos comuns que influenciam nas decisões políticas. É por isso também importante referir o lado mais científico da questão nuclear, daí a justificação para a escolha do nosso segundo excerto (Artigo 2). Neste segundo excerto a energia nuclear aparece como uma possível solução perante a crise energética da actualidade e o aumento constante do aquecimento global, procurando eliminar certos dogmas existentes face à energia nuclear, com provas científicas e estatísticas reais. No terceiro excerto (Artigo 3), procura-se compreender a percepção de risco em relação á energia nuclear, ajudando a esclarecer o motivo pelo qual as opiniões divergem em relação ao tema. Refere que no processo de aceitação da situação analisada a percepção de risco e de benefício depende do tipo de avaliação feita pelo público (científica ou subjectiva), da familiaridade com a problemática nuclear, do conhecimento sobre o assunto e da proximidade física em relação ao risco em questão (central nuclear). Estes três artigos situam-nos na problemática Nuclear e abrem as portas à discussão na qual o nosso trabalho se baseia: a percepção de risco das pessoas em relação à energia nuclear e os fenómenos por detrás desta percepção, na nossa opinião, falsa.


Carregar ppt "Energia Nuclear: Percepção de Risco AMSA. Título: Energia Nuclear: Percepção de risco. Autores: Afonso David N.º 19061 e Sara Carreira N.º 18952 Objectivo:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google