A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MERCADO DE EVENTOS: TENDÊNCIAS & OPORTUNIDADES. NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO... MAS PODEMOS AJUSTAR AS VELAS AUTOR DESCONHECIDO NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO...

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MERCADO DE EVENTOS: TENDÊNCIAS & OPORTUNIDADES. NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO... MAS PODEMOS AJUSTAR AS VELAS AUTOR DESCONHECIDO NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO..."— Transcrição da apresentação:

1 MERCADO DE EVENTOS: TENDÊNCIAS & OPORTUNIDADES

2 NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO... MAS PODEMOS AJUSTAR AS VELAS AUTOR DESCONHECIDO NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO... MAS PODEMOS AJUSTAR AS VELAS AUTOR DESCONHECIDO

3 Os Investimentos em eventos aumentam e o turismo agradece Foi-se o tempo em que organizar um evento consistia em tarefa ingrata para as empresas, que não investiam na atividade por considerá-la pouco valorizada no contexto dos negócios. Hoje, os eventos são vistos como importante ferramenta de comunicação, usada de maneira estratégica pelas organizações para formar e consolidar imagem e para aproximar a marca de seus públicos, propiciando um excelente canal de relacionamento.

4 Os números não deixam mentir. Segundo estimativa do mercado, no Brasil os investimentos nesta ferramenta tota1izaram cerca de R$ 1,3 bilhão em 2005, montante que já representa 8% de tudo que o chamado marketing promocional fatura no País. Dados da Ampro (Associação de Marketing Promocional) apontam que, em 2004, a penetração da atividade de eventos entre as 100 maiores empresas do Brasil chegou a 95%, superando até mesmo o índice de 90% da publicidade. Tantos investimentos confirmam o dado da Federação Brasileira de Convetion & Visitors Bureaux de que, hoje, são realizados 327 mil eventos por ano na País. Só em São Paulo acontece um evento a cada 12 minutos.

5 Com dados animadores e investimentos expressivos na área de eventos, o setor de turismo acaba sendo beneficiado. Afinal, grandes eventos podem atrair também muitos turistas. Como exemplo, podemos citar o show do Roling Stones, em Copacabana, que reuniu milhares de pessoas de todos os cantos do País. O turismo de eventos é um dos segmentos mais disputados pelos países porque, nessas ocasiões, muitas vezes, os produtos turísticos são vendidos por atacado. Além de se hospedar durante toda a duração do acontecimento, o turista de eventos contribui para a arrecadação local, freqüentando shoppings, cinemas, teatros, bares, restaurantes etc. Além de ser um ótimo negocio para os locais receptivos, este tipo de turismo independe dos fatores climáticos.

6 O crescimento da atividade acompanha também a exigência por parte do mercado e o surgimento de novos conceitos que trazem sofisticação e resultados mensuráveis ao universo da criação de eventos. Qualquer que seja o acontecimento escolhido, cada vez mais as empresas utilizam esta ferramenta para fazer com que seus públicos tenham experiência com a marca. Toda sensação que um publico tem em um evento é importantíssima, pois será lembrada como a experiência que uma determinada marca lhe oferece. Em um evento perfeito, quem dele participa vivencia todos os benefícios que tal marca pode lhe trazer.

7 Quando as empresas optam por oferecer uma experiência positiva com a marca, os pontos turísticos mais bem estruturados ganham novamente. Em um evento tudo precisa impressionar e causar um impacto positivo, passando, inclusive, pela escolha do local. Novamente, podemos recorrer ao show da banda inglesa. Quem compareceu ao evento, que teve o patrocínio de grandes marcas, além de aproveitar um mega show gratuito, pôde curtir as praias e o sol da Cidade Maravilhosa. Outros exemplos são as convenções de empresas que freqüentemente, ocorrem nas capitais do Nordeste.

8 Para finalizar, vale ressaltar que o setor de eventos responde por grande parte dos fluxos turísticos para uma variedade destinos. Multidões viajam para eventos religiosos, como o Círio de Nazaré, em Belém, ou a Paixão de Cristo, em Nova Jerusalém; ou para eventos esportivos como a Fórmula 1, em São Paulo; para eventos culturais como a Festa do Boi Bumba, em Parintins, no Amazonas; agropecuários, como a Festa do Vinho, em Caxias, no Rio Grande do Sul, ou a Festa do Peão de Boiadeiro, em Barretos, em São Paulo; eventos comerciais como o Salão do Automóvel, em São Paulo; ou para eventos técnicos e científicos que ocorrem pelo Brasil todo. Tal setor tem sua importância ainda mais ampliada ao considerarmos que, por meio dele, os negócios são alavancados, as ciências e as tecnologias evoluem, as informações são socializadas e o entendimento é atingido.

9 Vale lembrar que sob a liderança da UBRAFE, as feiras de negócios brasileiras cresceram 300% de 1992 a 2006 e consolidaram-se como os maiores e mais importantes encontros comerciais do Brasil para empresas de todos os portes: grandes, médias, pequenas e micro. Em 1992, eram 38 feiras de negócios associadas em uma área locada de 500 mil m2. Em 2008, serão 118 feiras de negócios locadas em mais de 2 milhões de m².

10 Rubens Ricupero explica o turismo de negócios como economia criativa O Ministro Rubens Ricupero acaba de realizar a Palestra Magna do Seminário Eventos com o tema Um novo cenário internacional para a indústria de Eventos, o experiente diplomata compartilhou sua experiência sobre o mercado de eventos, que segundo ele está constituído em um novo ramo da economia, o da economia criativa.

11 Segundo Ricupero, a economia criativa é um ramo da economia que não depende dos fatores tradicionais de produção e sim da criatividade do ser humano, englobando as indústrias culturais e de entretenimento, com forte ligação com as artes". Um ramo que, por estar baseado na capacidade de criar e da contratação de talentos individuais oferece grandiosas perspectivas para a geração de empregos e tem capacidade de crescimento quase que ilimitada.

12 O ex-ministro prosseguiu comentando que esse setor ocupa lugar de destaque na economia dos países desenvolvidos, figurando em primeiro lugar no Reino Unido e segundo nos Estados Unidos. A indústria de eventos está inserida nessa atividade e portanto, mesmo nos tempos mais difíceis é um dos ramos que mais cresce.

13 EMPREENDER é ter Esperan ç a; é decidir pela vit ó ria em cada Circunstância que a Vida nos Coloca EMPREENDER é ter Esperan ç a; é decidir pela vit ó ria em cada Circunstância que a Vida nos Coloca


Carregar ppt "MERCADO DE EVENTOS: TENDÊNCIAS & OPORTUNIDADES. NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO... MAS PODEMOS AJUSTAR AS VELAS AUTOR DESCONHECIDO NÃO PODEMOS DIRIGIR O VENTO..."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google