A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências no Estado de São Paulo. O papel do setor saúde na violência doméstica e sexual Vilma Gawryszewski

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências no Estado de São Paulo. O papel do setor saúde na violência doméstica e sexual Vilma Gawryszewski"— Transcrição da apresentação:

1 Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências no Estado de São Paulo. O papel do setor saúde na violência doméstica e sexual Vilma Gawryszewski 11º Congresso Mundial de Saúde Pública 8º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva

2 Os Núcleos de Prevenção de Acidentes e Violências e Promoção da Saúde Recursos do MSRecursos do MS Escolhidos baseados num ranking da violênciaEscolhidos baseados num ranking da violência SP: Secretaria Estadual de Saúde, municípios de S. Paulo, S. Bernardo do Campo, Diadema, Campinas, Osasco, Praia Grande, Itaquaquecetuba, Guarulhos, Embú, S. José dos Campos.SP: Secretaria Estadual de Saúde, municípios de S. Paulo, S. Bernardo do Campo, Diadema, Campinas, Osasco, Praia Grande, Itaquaquecetuba, Guarulhos, Embú, S. José dos Campos. Núcleo acadêmico: Faculdade de Saúde Pública da USP.Núcleo acadêmico: Faculdade de Saúde Pública da USP.

3 Somos 40 milhões de habitantes, vivendo em 645 municípios, o Centro de Vigilância Epidemiológica atua através de 24 Regionais de Saúde. Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências e Promoção da Saúde do estado de São Paulo

4 Mortalidade por causas externas segundo tipo de causa. Estado de São Paulo, 2004 Total: vítimas Coeficiente: 75,8/ Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências e Promoção da Saúde do estado de São Paulo

5 Prioridades estabelecidas Prioridades estabelecidas: 1.Acompanhamento e análise dos dados de mortalidade e morbidade por causas externas pelas Regionais. 2.Implementar a notificação dos Maus tratos contra a criança e o adolescente. 3.Estabelecer uma rede de atendimento as vítimas da violência sexual. A proposta de vigilância dos acidentes e violências para o Estado de São Paulo

6 1. A violência doméstica e a sexual são as formas mais freqüentes de violência contra mulheres e crianças, sendo registradas em quase todas as sociedades em várias partes do mundo. 2. O papel do setor saúde é indiscutível. 3. Existência de leis; 3. Adesão maior de parceiros. O papel do setor saúde na violência doméstica e sexual

7 As violências são um novo desafio? Revendo um pouco a história Esses agravos são velhos conhecidos da humanidade o crescimento a forma de ver o agravo

8 1550: Pelos próximos 150 anos, 150 mil mulheres acusadas de bruxaria morreram na fogueira ou na forca Mortes estimadas decorrentes de conflitos e guerras: século XVI - 1,6 milhão século XVII - 6,1 milhões século XVIII - 7,0 milhões século XIX - 19,4 milhões século XX - 109,7 milhões OMS: Revendo a nossa história

9 Muitos estudos mostram seqüelas por toda a existência As pessoas vítimas de violência tendem a repetir a violência quando se tornam adultas, especialmente com seus filhos ou com outras crianças e adolescentes com que se relacionam. Conflitos são normais. A violência começa quando o diálogo termina. Porque a Notificação de Maus Tratos?

10 Porque a violência sexual é prioridade Comprometimento da saúde física e mental.Comprometimento da saúde física e mental. Traumas físicos e ginecológicos, a gravidez, as conseqüências psicológicas e a possibilidade de desenvolver DST e a AIDS.Traumas físicos e ginecológicos, a gravidez, as conseqüências psicológicas e a possibilidade de desenvolver DST e a AIDS. A gravidez geralmente é encarada, pela maioria das mulheres, como uma segunda violência.A gravidez geralmente é encarada, pela maioria das mulheres, como uma segunda violência. Estudos indicam que o risco de infecção pelo HIV representa a principal preocupação para as vítimas de violência sexual.Estudos indicam que o risco de infecção pelo HIV representa a principal preocupação para as vítimas de violência sexual.

11 Porque a violência sexual é prioridade A maioria das vítimas procura a área da saúde.A maioria das vítimas procura a área da saúde. Temos ações a serem realizadas prontamente:Temos ações a serem realizadas prontamente: - antiretrovirais em 72 horas, anticoncepção de emergência. - antiretrovirais em 72 horas, anticoncepção de emergência. As vítimas apresentam problemas de saúde a longo prazo.As vítimas apresentam problemas de saúde a longo prazo.

12 Principal obstáculo Não sabemos a magnitude do problema para o estadoNão sabemos a magnitude do problema para o estado A SSP SP registrou casos de violência sexual no ano de A SSP SP registrou casos de violência sexual no ano de Não temos o perfil dessas vítimas e dos eventos para planejar açõesNão temos o perfil dessas vítimas e dos eventos para planejar ações

13 HC FMUSP HC Ribeirão Preto UNICAMP/ CAISM Município de Diadema Município de São Vicente Município de Jundiaí CRT AIDS PAVAS / FSP Hospital Hospital Pérola Byington Conjunto Hospitalar de Sorocaba Município de S. Bernardo/ PAVAS UNIFESP Hospital do Jabaquara Sociedade Paulista de Pediatria FEBRASGO Comitê assessor para o Atendimento às vítimas de violência no estado de São Paulo

14 Centro de Vigilância Epidemiológica Mapear os serviços que estão atendendo as pessoas em situação de violência; Conhecer quem não está atendendo mas pode iniciar um serviço;. Adesão ao sentinela do MS. Buscar a articulação com outros setores Estabelecimento da REDE de Atendimento às vítimas de violência sexual

15 A construção da rede de atendimento às vítimas de violência sexual no estado de São Paulo A rede como uma malha de fios, entrelaçados, que não acaba.A rede como uma malha de fios, entrelaçados, que não acaba. A rede como uma articulação política entre atores e/ou instituições iguais, não hierárquica.A rede como uma articulação política entre atores e/ou instituições iguais, não hierárquica. Instituições e serviços que podem ser diferentes, respeitam suas diferenças, se apoiam e dão as mãos.Instituições e serviços que podem ser diferentes, respeitam suas diferenças, se apoiam e dão as mãos.

16 Implantando a Ficha de Notificação de Violências do Ministério da Saúde Unifica o registro de dados.Unifica o registro de dados. As Regionais e serviços receberam a ficha, um aplicativo em EPI INFO e proposta de fluxo.As Regionais e serviços receberam a ficha, um aplicativo em EPI INFO e proposta de fluxo. Procurar os serviços que atendem violência sexual na Regional para discutir a implantação da ficha.Procurar os serviços que atendem violência sexual na Regional para discutir a implantação da ficha.

17 A experiência intersetorial do Hospital Pérola Biygton e BEM ME QUER Objetivos: Humanização do atendimento; Melhor acolhimento das vítimas; Evitar a revitimização. Parceria: Secretaria de Segurança Pública e Secretaria da Saúde Recebe vítimas encaminhadas das: Delegacias Policiais e Delegacia de Defesa da Mulher; Guarda Municipal; Outros serviços de saúde ou dos conselhos de saúde, de direitos da mulher, da criança e adolescente etc.

18 Foto cedida por Dr. Jefferson Drezzet

19

20 Nós devemos às nossas crianças, os seres mais vulneráveis do uma Se almejamos uma vida livre da violência e do medo, devemos ser incansáveis em nossos esforços para promover a paz, a justiça e a prosperidade. Nelson Mandela

21 Muito obrigada a todos pela atenção


Carregar ppt "Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências no Estado de São Paulo. O papel do setor saúde na violência doméstica e sexual Vilma Gawryszewski"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google