A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Filho de retirantes da seca nordestina Exilado durante a ditadura militar, morreu na França, em 1975 Todos os seus trabalhos tinham como tema o fenômeno.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Filho de retirantes da seca nordestina Exilado durante a ditadura militar, morreu na França, em 1975 Todos os seus trabalhos tinham como tema o fenômeno."— Transcrição da apresentação:

1

2 Filho de retirantes da seca nordestina Exilado durante a ditadura militar, morreu na França, em 1975 Todos os seus trabalhos tinham como tema o fenômeno da fome Alguns exemplos: O Problema Fisiológico da Alimentação no Brasil de 1932, O Problema da Alimentação no Brasil de 1933, Condições de Vida das Classes Operárias do Recife e Alimentação e Raça ambos de 1935

3 Com formação médica, ele partia sempre de desafios biológicos para chegar aos problemas sociais. Nosso conceito de fome: as fomes individuais e coletivas. As fomes totais e parciais. As fomes específicas e as fomes ocultas. Trata especificamente da fome coletiva seja ela endêmica (permanente) ou epidêmica (transitória), seja ela total (inanição) ou parcial ou oculta.

4

5 Vê a fome como fenômeno político e social. é a expressão biológica dos males sociológicos". Confere atenção especial para a fome parcial ou oculta por esta, segundo ele, ser mais freqüente e atingir uma maior parte da população. Análise do subdesenvolvimento e da desigualdade regional (Nordeste não está condenado à fome) Subdesenvolvimento = desigualdade entre classes e regiões. indica insistentemente para o fato de que todas as regiões que passaram pelo processo de colonização (europeu principalmente) sofreram e ainda sofrem com o flagelo da fome.

6 Nenhum fator é mais negativo para a situação de abastecimento alimentar do país do que a sua estrutura agrária feudal, com um regime inadequado de propriedade, com relações de trabalho socialmente superadas e com a não utilização da riqueza potencial dos solos. O tipo de reforma que julgamos imperativo da hora presente não é um simples expediente de desapropriação e redistribuição da terra para atender às aspirações dos sem-terra. Processo simplista que não traz solução real aos problemas da economia agrária. Concebemos a reforma agrária como um processo de revisão das relações jurídicas e econômicas, entre os que detêm a propriedade agrícola e os que trabalham nas atividades rurais.

7 Precisamos enfrentar o tabu da reforma agrária - assunto proibido, escabroso, perigoso - com a mesma coragem com que enfrentamos o tabu da fome. Falaremos abertamente do assunto, esvaziando desta forma o seu conteúdo tabu, mostrando através de uma larga campanha esclarecedora que a reforma agrária não é nenhum bicho-papão ou dragão maléfico que vá engolir toda a riqueza dos proprietários de terra, como pensam os mal-avisados, mas que, ao contrário, será extremamente benéfica para todos os que participam socialmente da exploração agrícola...

8 Dualidade brasileira entre os setores industrial e agrário Estrutura agrária feudal Produção agrícola pouco eficiente Inflação e baixa capacidade de compra das classes baixas Ausência de um programa de educação alimentar

9 Diz que a fome leva à apatia: Jeca Hoje cerca de 39 mil toneladas de comida são desperdiçadas diariamente no país. Estima-se que seriam suficientes para alimentar 19 milhões de pessoas. Problema da obesidade: má alimentação (comer sem alimentar-se) >> outra face do mesmo processo.

10 Josué de Castro afirma que o fenômeno da superpopulação não causa fome, mas sim que a fome é a causa do fenômeno da superpopulação. Com um alto índice de mortalidade infantil e a necessidade de braços para trabalhar para o sustento da família o número de filhos por casal também aumentaria significativamente. afirma que a melhor maneira de se controlar o crescimento da população é promovendo uma melhoria significativa do padrão alimentar das pessoas.

11 "Denunciei a fome como flagelo fabricado pelos homens, contra outros homens. Metade da população brasileira não dorme porque tem fome; a outra metade não dorme porque tem medo de quem está com fome. Só há um tipo verdadeiro de desenvolvimento: o desenvolvimento do homem.

12 "Os neomalthusianos, ao afirmarem que o mundo vive faminto e está condenado a perecer numa epidemia total de fome porque os homens não controlam de maneira adequada os nascimentos de novos seres humanos, não fazem mais do que atribuir a culpa da fome aos próprios famintos". Ao contrário do que prega a doutrina malthusiana, Josué constata que a explosão demográfica é um efeito da fome, e por esta razão uma característica de países subdesenvolvidos. Observa que há uma correlação entre uma alimentação pobre em proteínas e o aumento da taxa de natalidade. Trata-se de uma expressão biológica de uma calamidade social.

13 PROGRAMA 10 PONTOS DE COMBATE À FOME 1- Combate ao latifúndio. 2 -Combate à monocultura em largas extensões sem as correspondentes zonas de abastecimento dos grupos humanos nela empregados. 3- Aproveitamento racional de todas as terras cultiváveis circunvizinhas dos grandes centros urbanos para agricultura de sustentação, principalmente de substâncias perecíveis como frutas, legumes e verduras que não resistem a longos transportes, sem os recursos técnicos da refrigeração. 4- Intensificação do cultivo de alimentos sob forma de policultura nas pequenas propriedades. 5-Mecanização intensiva da lavoura, da qual dependem os destinos produtivos de toda nossa economia agrícola. 6- Financiamento bancário adequado e suficiente da agricultura assim como garantia da produção pela fixação de bom preço mínimo. 7- Progressiva diminuição até a absoluta isenção de impostos da terra destinada inteiramente ao cultivo de produtos de sustentação. 8- Amparo e fomento ao cooperativismo, que poderá servir de alavanca impulsionadora à nossa incipiente agricultura de produtos alimentares. 9- Intensificação dos estudos técnicos de Bromatologia e Nutrologia no sentido de que se obtenha um conhecimento mais amplo do valor real dos recursos alimentares. 10- Planejamento de uma campanha de âmbito nacional para a formação de bons hábitos alimentares, o qual envolva não só o conhecimento dos princípios históricos de higiene como o amor à terra, os rudimentos de economia agrícola e doméstica, os fundamentos da luta técnica contra a erosão.


Carregar ppt "Filho de retirantes da seca nordestina Exilado durante a ditadura militar, morreu na França, em 1975 Todos os seus trabalhos tinham como tema o fenômeno."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google