A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profª: Letícia Lazarini de Abreu Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profª: Letícia Lazarini de Abreu Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental."— Transcrição da apresentação:

1 Profª: Letícia Lazarini de Abreu Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental

2 Bibliografia Disponível na Biblioteca da UCB - KAPLAN. H.I.& SADOCK. B.J. Compêndio de Psiquiatria.3 ed. Porto Alegre, Leituras complementares- Oferecidas pela docente ao longo do período.

3 Distúrbios Mentais - Histórico Gregos e Romanos Tolerância e Compreensão Cristianismo Idade Média ate a Idade Moderna -Cismas Teóricos: *Sem alma *Feitiços (demônios) * Dom (privilégio ) Século XVIII Indignação pelo modelo de tratamento Francês Philippe Pinel (Pai da Psiquiatria) Algemas

4 Bethlem Royal Hospital O Bethlem Royal Hospital foi o primeiro hospital psiquiátrico, fundado em 1247 em Londres. Era famoso pela forma desumana como tratava os doentes e permitia que visitantes "pagantes" assistissem a "espetáculos" protagonizados pelos internos, como um verdadeiro circo de horrores.

5 Asilos Pinel Manicômios O tratamento no manicômio: -Deveria ser de reeducação do alienado; -Em respeito às normas; -Com desencorajamento das condutas inconvenientes. A função disciplinadora do manicômio e do médico deve ser exercida como um perfeito equilíbrio entre firmeza e gentileza. Mais ainda, a permanência demorada do médico em contato com os doentes melhora seu conhecimento sobre os sintomas e sobre a evolução da loucura, afirmava Pinel. SÉCULO XIX

6 Tratamento humanizado Philippe Pinel = Primeiro a utilizar métodos humanizados no tratamento dos doentes, enquanto foi superintendente do asilo Bisêtre em Paris. Jean Baptiste Pussin, Enfermeiro, foi o primeiro a questionar a ausência de humanidade na atenção ao portador de sofrimento psíquico, removendo as amarras dos internos.

7 Início do século XIX releitura distorcida do tratamento moral de Pinel Utilização de medidas físicas e higiênicas como duchas, banhos frios, chicotadas, máquinas giratórias e sangrias. Doença moral passou também a ter uma concepção orgânica, de acordo com o pensamento de vários discípulos de Pinel. As técnicas de tratamento usadas pelos que defendiam as teorias organicistas eram as mesmas empregadas pelos adeptos do tratamento moral, todas com explicações e justificativas fisiológicas para sua utilização. Prevalência das teorias organicistas da doença mental= decorrentes de descobertas experimentais da neurofisiologia e da anatomia patológica. Sistema asilar = percebe-se uma institucionalização das relações lá exercidas,tornando-se um mundo à parte, afastando cada vez mais o indivíduo de suas relações exteriores.

8 "Eles são mais mal tratados que os criminosos; eu os vi nus, ou vestidos de trapos, estirados no chão, defendidos da umidade do pavimento apenas por um pouco de palha. Eu os vi privados de ar para respirar, de água para matar a sede, e das coisas indispensáveis à vida. Eu os vi entregues às mãos de verdadeiros carcereiros, abandonados à vigilância brutal destes. Eu os vi em ambientes estreitos, sujos, com falta de ar, de luz, acorrentados em lugares nos quais se hesitaria até em guardar bestas ferozes, que os governos, por luxo e com grandes despesas, mantêm nas capitais." (Esquirol, 1818, apud Ugolotti, 1949) A idéia de submissão do louco persistia.

9 O doente mental.... Eles constituem uma população específica, com perda da sua autonomia e vulneráveis não só em decorrência da própria doença que os afeta, mas também pela situação de abandono que muitas vezes se encontram. Formas de Tratamento já usadas: - Insulinoterapia de Sakel, - eletroconvulsoterapia de Ugo Cerletti, (ECT). A fundamentação teórica para estes procedimentos seria que uma desmontagem da estrutura psíquica proporcionaria uma reconstrução sadia. - a malarioterapia (paralisia geral) foi introduzida pela primeira vez no Brasil, no Hospital São Pedro, com grande sucesso na época.

10 HOSPITAIS PSIQUIÁTRICOS NO BRASIL Os hospitais psiquiátricos no Brasil surgiram no final do século XIX; Influenciados pela psiquiatria francesa e pelo tratamento moral; O primeiro foi o Asilo Pedro II, no Rio de Janeiro fundado em A história oficial da psiquiatria no Brasil teve início com a chegada da família real portuguesa ao Rio de Janeiro, em 1808, trazendo a bordo, engaiolada, a rainha D.Maria I. Sua Alteza havia sido considerada insana e afastada de suas funções;

11 Lei da Insanidade = – Somente pacientes com atestado médico poderiam ser admitidos num hospício; 1948 – Serviço Nacional de Saúde= Todos os hospitais passam ao Estado e são igualados em status e financiamento; Pacientes começam a ser tratados como seres humanos dignos

12 Década de 50 Lei da saúde Mental – 1959 = Abolição das diferenças entre doença mental e orgânica; Índice de alta hospitalar aumenta; Aprovada lei que mandava fechar os hospitais psiquiátricos; 1961 = Diminuição de necessidade de leitos em 3,3% para cada hab 1976 = Diminuição de necessidade de leitos em 1,8% para cada 1000 hab.

13 A Premissa da Enfermagem Psiquiátrica era: Conter, Medicar, Vigiar 1970 – Movimento pró Reforma Psiquiátrica Brasileira II Congresso Nacional do MTSM (Bauru- S.P)- Por uma sociedade sem Manicômios I Conferência Nacional de Saúde Mental ( Rio de Janeiro).

14 Crítica do modelo hospitalocêntrico ( ) 1987-surgimento do primeiro CAPS no Brasil, na cidade de São Paulo; Greve dos trabalhadores em 1978, quando se inicia a organização do Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental – MTSM, no Rio de Janeiro; Luis da Rocha Cerqueira ( ), psiquiatra, foi um dos precursores da psiquiatria social no Brasil. Em 1973, enquanto Coordenador de Saúde Mental do Estado de São Paulo criou o Centro de Atenção Diária. Posteriormente, o primeiro CAPS fundado, em 1987, recebeu seu nome em homenagem à sua luta pela causa maior da saúde mental.

15 Regulamentação dos direitos da pessoa com transtornos mentais e a extinção progressiva dos manicômios no país Projeto de Lei do deputado Paulo Delgado (PT/MG), que propõe a regulamentação dos direitos da pessoa com transtornos mentais e a extinção progressiva dos manicômios no país Constituição - é criado o SUS 1989-Núcleos de Atenção Psicossocial (NAPS) que funcionam 24 horas, em Santos;

16 Começa a implantação da rede extra-hospitalar ( ) os movimentos sociais, inspirados pelo Projeto de Lei Paulo Delgado, conseguem aprovar em vários estados brasileiros as primeiras leis que determinam a substituição progressiva dos leitos psiquiátricos por uma rede integrada de atenção à saúde mental. Declaração de Caracas( Reflete sobre a psiquiatria na comunidade), e pela realização da II Conferência Nacional de Saúde Mental. Experiências dos primeiros CAPS, NAPS e Hospitais-dia, e as primeiras normas para fiscalização e classificação dos hospitais psiquiátricos.

17 A Reforma Psiquiátrica brasileira foi influenciada pelo movimento reformista italiano. Franco Basaglia foi o principal ator da reforma psiquiátrica italiana. Reforma Psiquiátrica no Brasil Nasceu em Veneza, Itália em 1924, falecendo em Era médico e ao ingressar no hospital psiquiátrico de Gorizia na condição de diretor (1968), iniciou ações no intuito de transformá-lo em uma comunidade terapêutica. Porém, com o passar do tempo, percebeu que somente a humanização da assistência não seria suficiente para superar a miséria, por exemplo, dos internos. Então, iniciou o movimento de transformação radical, no sentido de extinguir o hospital psiquiátrico.

18 Crise da Divisão Nacional de Saúde Mental; greve dos trabalhadores em 1978, quando se inicia a organização do Movimento dos Trabalhadores em Saúde Mental – MTSM, no Rio de Janeiro; abertas as portas à reforma psiquiátrica apoio dos pacientes, familiares e parte da sociedade Reforma Psiquiátrica no Brasil

19 redireciona a assistência em saúde mental Reforma Psiquiátrica no Brasil Lei nº /2001 ( Paulo Delgado) Não se usa mais paciente, mas usuário. Desinstitucionalização de pessoas longamente internadas é impulsionado, com a criação do Programa De Volta para Casa. Reforma Psiquiátrica se consolida como política oficial do governo federal. De modelo hospitalocêntrico passamos ao modelo psicossocial, que busca um olhar abrangente sobre este ser humano que sofre de um transtorno mental.

20 III Conferência Nacional de Saúde Mental e a participação de usuários e familiares : Reforma Psiquiátrica como política de Governo CAPS Mudança no modelo de assistência Políticas de saúde p/ usuários de álcool e outras drogas Estabelece o controle Social como garantia na Reforma

21 Ano Leitos HP Redução de leitos da segunda metade da década de 90 Embora em ritmos diferenciados, a redução do número de leitos psiquiátricos vem se efetivando em todos os estados brasileiros, sendo muitas vezes este processo o desencadeador do processo de Reforma. Entre os anos de 2003 e 2005 foram reduzidos 6227 leitos. Leitos Psiquiátricos SUS por ano ( ) PNASH/Psiquiatria, PRH, Programa de Volta para Casa

22 A luta anti-manicomial A reforma psiquiátrica não deve ser entendida apenas como a mudança do modelo de atenção, e a substituição dos manicômios por serviços de atenção diária. É um movimento social de inclusão, de reintegração social e de reconstrução, na busca – cotidiana e permanente – do novo lugar do doente mental na sociedade.

23

24

25


Carregar ppt "Profª: Letícia Lazarini de Abreu Enfermagem Psiquiátrica e Saúde Mental."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google