A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As cartas de Paulo III Gálatas, Efésios, Filipenses e Colossenses Diretrizes para as igrejas primitivas que valem para as igrejas cristãs de hoje Galácia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As cartas de Paulo III Gálatas, Efésios, Filipenses e Colossenses Diretrizes para as igrejas primitivas que valem para as igrejas cristãs de hoje Galácia."— Transcrição da apresentação:

1 As cartas de Paulo III Gálatas, Efésios, Filipenses e Colossenses Diretrizes para as igrejas primitivas que valem para as igrejas cristãs de hoje Galácia Éfeso Filipos Colossos

2 As cartas de Paulo III Gálatas, Efésios, Filipenses e Colossenses Estudo 03 O justo viverá pela fé Texto bíblico: Gálatas 3 Texto áureo: Gálatas 3.11 É evidente que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé

3 Depois de ter contestado os falsos mestres e os judaizantes seus adversários, fazendo a defesa do Evangelho da graça de Cristo contra os postulados da Lei mosaica, neste capítulo três, o apóstolo vai evidenciar que a Lei não pode justificar ninguém. Fazendo diversas perguntas, Paulo vai contrapor aos judaizantes a eficácia da fé em Cristo para a salvação, contra a obediência cega à Lei que eles postulavam.

4 Como fariseu que fora, Paulo sabia o quanto era importante a lei para o povo judeu. Embora considerando-a essencial para a formação da cultura religiosa judaica, ele queria demonstrar para todos que quanto à justificação do homem para a salvação ela era totalmente impotente. Daí sua afirmativa que remonta ao VT: O justo viverá da fé (Hc 2.4)

5 Para isto, como no início da carta, Paulo vai novamente chamá-los de insensatos por estarem se deixando seduzir pelas palavras enganadoras dos judaizantes que, embora parecendo reconhecer a Cristo como Salvador e Senhor, continuavam dando espaço para a importância da lei como instrumento para a salvação, querendo assim fazer prevalecer para os crentes gentios, ainda alguns dos preceitos da Lei.

6 Paulo vai adotar a técnica de perguntas incisivas e que conduzem de certa forma a resposta que ele deseja ouvir de seus discípulos na Galácia. Cristo já usara deste sistema. Foi desta forma que ele calou muito dos seus inquiridores Os cinco primeiros versículos do capítulo que estamos estudando, são questionamentos muito sérios, convidando os gálatas a refletirem sobre as contradições em que estavam caindo quando aceitavam as insinuações desses falsos mestres. Nos demais versículos, Paulo vai então refutar toda a argumentação legalista dos judaizantes demonstrando com lógica e racionalidade a eficácia da Graça sobre a Lei.

7 Vamos abrir as nossas Bíblias no capítulo 3 da Carta aos Gálatas. Paulo estará nos pregando como acima o faz, agora por meio de seus escritos. Como estamos compreendendo a dualidade bíblica da dispensação da Lei em face da dispensação da Graça?

8 As perguntas são de certa forma, respondidas por contra-argumentos lógicos e racionais que nem precisam ser citados pelo apóstolo: 1. Quem vos fascinou?... - Os judaizantes, sem dúvida! 2. Foi por obras da lei?... - Lógico que não! 3. Tendo começado pelo Espírito?... - De maneira nenhuma! 4. Será que padecestes em vão?... - Claro que não! 5. Quem opera os milagres?... - Por certo, é a fé! Gálatas Leiamos na Bíblia as cinco perguntas com que Paulo procura impactar os galátas, mostrando- lhes a incoerência que estavam experimentando, diante da bênção que haviam recebido.

9 Gálatas Refutando então aos argumentos dos judaizantes, Paulo vai abordar alguns aspectos históricos do povo hebreu, bem como expor temas teológicos de muita profundidade. Com inteligência cita Abraão, o nome mais respeitado para o povo hebreu. Depois afirma que Abraão foi justificado porque creu, e não por ter cumprido a lei que não existia ainda. A justificação alcançada por Abraão pela fé, daí ser chamado de pai da fé, se estendeu a todos que em todos os tempos e em todos os lugares do mundo viessem a crer em Deus pela graça de Cristo, alcançando-os então. Por isso recebeu a promessa: Em ti serão abençoadas todas as nações.

10 Gálatas Este é um dos textos mais expressivos da Bíblia na confrontação que passou a existir entre a Lei e a Fé. Paulo reportando a Deuteronômio 27.26, onde Moisés recebeu a lei que afirmava: Maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei, para as cumprir. E todo o povo dirá, Amém. Contra argumenta que isto ainda existia para aqueles que viviam segundo as obras da lei, mas não mais para aqueles que viviam segundo a fé em Cristo, daí o texto: É evidente que pela lei ninguém, é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé.

11 Gálatas O texto é de grande profundidade teológica. Paulo antepõe a teologia judaica, lastreada na Lei, diante da teologia cristã, baseada na fé Paulo quer mostrar que Cristo morrendo na cruz, fez-se maldição por nós, resgatando-nos do império da lei e levando-nos ao reino da graça. Dos tempos da lei aos nossos dias, os dias da graça, ela funcionou para dar senso de disciplina, de auto-controle, de domínio próprio ao povo judeu. Porém, mesmo neste tempo em que a lei imperou, a fé se fazia presente na vida de homens como Abraão, que cumpriam a lei não pelo rigor dela, mas crendo na esperança da promessa de Deus.

12 Gálatas Como Paulo estava falando a judeus por certo muito ciosos do valor da lei, ele teve que ressaltar o papel dela no plano de Deus. É quando ele faz mais uma pergunta: Logo para que a lei? – Será que para mais nada presta? É quando então ele explica que ela foi instituída para que o povo pautasse a sua vida dentro de um padrão moral, social e cultural que honrasse e dignificasse a promessa recebida. Era como se estivesse escrevendo ao povo judeu e a nós hoje: Se somos titulares de uma bênção tão grandiosa como esta, a salvação, não podemos viver nossos dias de forma desregrada e em desacordo com o plano de Deus para a sua criatura

13 Gálatas Paulo vai expor aqui que a lei cumpriu o seu papel. O papel de nos conduzir à fé. Ele usa a palavra aio, criado, servo, preceptor, para explicar isto. Esses versículos nos esclarecem muito bem isto. No 22, ele explica que a vitória sobre o pecado é da fé, e não da lei; No 23, ele explica que a lei teve o seu lugar e ocupou o seu espaço dentro de um tempo determinado por Deus. No 24, ele conclui, usando então o termo de que a lei foi útil como um servo nosso para nos encaminhar à fé.

14 Gálatas Como Paulo vai mudar a sua estratégia no capítulo 4, deixando de bater fortemente mas procurando amaciar a linguagem, ele resolve arrematar o assunto É quando encerra sua argumentação com cinco versículos: No 25, não estamos mais sob o domínio da lei, já que veio o tempo do domínio da fé pela graça de Cristo; No 26, por isto somos todos iguais em Cristo; No 27, o batismo em Cristo nos torna um povo só, quer gentios, quer judeus; No 28 e no 29, finaliza então sua lógica: Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa.

15 Conclusão 1)Qual é o significado da lei do AT para você? 2)Como crente como você convive com as regras morais e sociais que a sociedade nos impõe? 3)Como entende o fato de que ser honesto e correto não significa nada para a salvação? 4) Diante disto como você recebe a salvação de graça que Cristo nos deu?


Carregar ppt "As cartas de Paulo III Gálatas, Efésios, Filipenses e Colossenses Diretrizes para as igrejas primitivas que valem para as igrejas cristãs de hoje Galácia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google