A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profa. Dra. Lúcia de Fátima Guerra Ferreira Pró-Reitora de Extensão e Assuntos Comunitários Universidade Federal da Paraíba Assessora Especial do FORPROEX.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profa. Dra. Lúcia de Fátima Guerra Ferreira Pró-Reitora de Extensão e Assuntos Comunitários Universidade Federal da Paraíba Assessora Especial do FORPROEX."— Transcrição da apresentação:

1 Profa. Dra. Lúcia de Fátima Guerra Ferreira Pró-Reitora de Extensão e Assuntos Comunitários Universidade Federal da Paraíba Assessora Especial do FORPROEX Fórum Permanente de Extensão da UNICAMP, Financiamento de Projetos de Extensão em Universidades Públicas

2 Financiamento interno - Obrigação do mantenedor: custeio básico e incentivo - Captação de recursos: parcerias e venda de serviços - Fundo Institucional de Apoio - Política de aplicação dos recursos: prioridades e transparência Esferas governamentais e privadas - Linhas de fomento - Convites, Chamadas Públicas e Editais - Monitoramento e Avaliação - Problemas na periodicidade Financiamento de Projetos de Extensão em Universidades Públicas Considerações Iniciais

3 3 Ministério da Educação - SESu Programa de Apoio à Extensão Universitária- PROEXT Criado pela Secretaria de Educação Superior – SESu/MEC, em 2003, abrange programas e projetos de extensão universitária com ênfase na inclusão social. Criado pela Secretaria de Educação Superior – SESu/MEC, em 2003, abrange programas e projetos de extensão universitária com ênfase na inclusão social. Áreas: Áreas: - Formação de Professores; - EJA; - Juventude e Desenvolvimento Social; - Geração de Renda e Economia Solidária - Promoção da Saúde - Atenção ao Idoso, Portadores de Necessidades Especiais, Indígenas e Quilombolas Apresentação de propostas por IPES: IFES: 2 Programas e 2 Projetos IFES: 2 Programas e 2 Projetos IEEPS: 3 Projetos IEEPS: 3 Projetos - Edital 2007: previsto para junho

4 4 Ministério da Educação – SESu RECONHECER: Ressignificando o ensino de Direito e construindo práticas emancipatórias Objetivos: - Fomentar e promover uma nova cultura nas Faculdades de Direito que venha a estabelecer um caminho para a formação cidadã dos estudantes, orientada pelos Direitos Humanos. - Fomentar e promover uma nova cultura nas Faculdades de Direito que venha a estabelecer um caminho para a formação cidadã dos estudantes, orientada pelos Direitos Humanos. : Eixos: - Formação e Qualificação - Formação e Qualificação - Publicação - Publicação - Ações em Direitos Humanos Voltadas a Comunidade - Ações em Direitos Humanos Voltadas a ComunidadeInstituições: - IPES e ICES - IPES e ICES

5 5 Ministério da Educação - SECAD Programa Brasil Alfabetizado Objetivos: Aumentar a escolarização de jovens e adultos e promover o acesso à educação como um direito de todos em qualquer momento da vida. Caracterização: Período de alfabetização de seis até oito meses; Estabelecimento de um piso para o valor da bolsa paga ao alfabetizador, Aumento da quantidade de turmas em regiões com baixa densidade populacional e em comunidades populares de periferias urbanas; Implantação de um sistema integrado de monitoramento e avaliação do programa. Projetos Inovadores de Cursos Objetivos: Fomentar os cursos pré-universitários populares Critérios: Contingente da população afro- descendente; O número de estudantes que estão concluindo o ensino médio; O nível de pobreza, A existência e demanda das organizações que trabalham com o tema. Integra o Programa Diversidade na Universidade

6 6 Ministério da Educação - SECAD Objetivos: Estimular a maior articulação entre a universidade e as comunidades populares, com a devida troca de saberes, experiências e demandas; Possibilitar que os jovens universitários de origem popular desenvolvam a capacidade de produção de conhecimentos científicos e ampliem sua capacidade de intervenção em seu território de origem. Valor: Até R$ ,00 (por enquanto só para capitais) Escola Que Protege Modalidade: - Curso a distância e presencial de " Formação de educadores: subsídios para atuar no enfrentamento à violência contra crianças e adolescentes Objetivos: - -Abordar a temática da violência física, psicológica, abandono, negligência, exploração sexual comercial e exploração do trabalho infantil, com desdobramento em ações. - -Valor: Até R$ ,00

7 7 Ministério do Meio Ambiente Programa Nacional de Formação de Educadores e Educadoras Ambientais Objetivos: Contribuir para o surgimento de uma dinâmica nacional contínua de Formação de Educadores(as) Ambientais, a partir de diferentes contextos; Apoiar e estimular processos educativos que apontem para a transformação ética e política em direção à construção da sustentabilidade socioambiental. Coletivos Educadores Objetivos: Fomentar e reunir instituições que atuam em processos formativos permanentes, participativos, continuados e voltados à totalidade e diversidade de habitantes de um determinado território; Realizar o Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA) e o Programa Nacional de Formação de Educadoras e Educadores Ambientais (ProFEA).

8 8 Ministério do Meio Ambiente SALAS VERDES Objetivos: Desenvolver atividades de caráter educacional voltadas à temática ambiental, tendo como ferramenta a divulgação e a difusão de publicações sobre Meio Ambiente produzidas e/ou fornecidas pelo MMA Periodicidade: Chamadas públicas anuais

9 9 Ministério da Saúde VER-SUS/Brasil - Vivências e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde Objetivo: Oferecer a estudantes universitários vivências e estágios no Sistema Único de Saúde Parcerias: Ministério da Saúde com as entidades estudantis dos cursos da área da saúde, as secretarias municipais de saúde e as IES Valor: R$ Até R$ ,00 Modalidades: Estágios Regionais Interprofissionais no SUS - ERIP-SUS Vivências em Educação Popular no SUS - VEPOP-SUS

10 10 Ministério do Trabalho e Emprego Programa Nacional de Incubadoras de Cooperativas Populares – Proninc Programa Nacional de Incubadoras de Cooperativas Populares – PronincRecursos: MCT/FINEP, Secretária Nacional de Economia Solidária/MTE, Comitê de Entidades no Combate à Fome e pela Vida - COEP, da Fundação Banco do Brasil – FBB. Projeto para o Desenvolvimento de Ações de qualificação social e profissional de caráter setorial, voltadas para a implementação de Planos Setoriais de Qualificação no âmbito do Plano Nacional de Qualificação – PNQ Projeto para o Desenvolvimento de Ações de qualificação social e profissional de caráter setorial, voltadas para a implementação de Planos Setoriais de Qualificação no âmbito do Plano Nacional de Qualificação – PNQRecursos:MTE/PNQ

11 11 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome CONSAD O Consórcio de Segurança Alimentar e Desenvolvimento Local é um arranjo territorial envolvendo Municípios para desenvolver ações, diagnósticos e projetos, sob a forma de associações civis sem fins lucrativos com representação do poder público - 1/3 e da sociedade civil - 2/3, de cada Município. Implantação: 40 CONSADs, em 26 estados, 576 municípios nca-alimentar-e-nutricional-san/consad Inclusão Produtiva de Jovens Inclusão Produtiva de JovensRecursos: - MDS/PNUD Intituições: - IPES e ICES Áreas: - Formação para inserção no mundo do trabalho - Capacitação para geração de renda - Empreendedorismo para criação de unidades produtivas

12 12 Ministério das Cidades PROEXT/MEC/Cidades Instituições: IFES Áreas Temáticas: Abastecimento de Água: Produção, tratamento, distribuição e consumo; Esgotamento Sanitário: Coleta, tratamento e disposição final; Manejo sustentável de Águas Pluviais Urbanas; Planejamento e Gestão institucional e Gerenciamento comercial e operacional; Educação, informação e mobilização social em saneamento ambiental e saúde; Planos Municipais de Saneamento (Saneamento Rural e de comunidades indígenas e quilombolas).

13 13 Ministério das Cidades Rede de Capacitação e Extensão Tecnológica em Saneamento Ambiental (Recesa) Objetivos: Reunir, articular e integrar instituições e entidades para promover o desenvolvimento institucional mediante soluções de capacitação, intercâmbio técnico e extensão tecnológica. Núcleos Regionais (MCidades/MCT/FINEP/Chamada Pública – )Chamada Pública Centro-Oeste: UnB (coordenação) e UFMS; Nordeste: UFBA (coordenação), UFC, UFPE e UFPB; Sudeste: UFMG (coordenação), UFES, UFRJ e UNICAMP; e Sul: UFSC (coordenação), UFRGS, UNISINOS e UCS. Norte: ---

14 14 Ministério da Cultura Programa Monumenta / Valorização do Patrimônio Brasileiro Inscrições: Até dia Áreas: Educação Patrimonial: projetos educativos, capacitação e material didático. Promoção de Atividades Econômicas em Sítios Históricos: projetos de valorização da identidade cultural das regiões, ações na área de turismo e atividades culturais tradicionais com aplicação ou impacto direto sobre os 87 municípios históricos predefinidos pelo Edital. Informações:

15 15 Ministério da Cultura PROEXT Cultura - Programa de apoio à Extensão Universitária/Cultura Iniciativa: Ministério da Cultura e da Petrobras, com o apoio da Fundação de Apoio da Universidade Federal de São João Del-Rei Objetivo: Apoiar projetos culturais de extensão acadêmica feitos em universidades públicas, voltados à inclusão social e que contribuam para a implementação de políticas públicas culturais. Temas: Memória Social e Patrimônio; Inclusão e Sustentabilidade Econômica; Leitura e Cidadania; Inovação de Linguagem; Produção de Conteúdo Audiovisual e Linguagens Alternativas Inscrições e Valor: Até 6 de julho de 2007 / Valor máximo de R$ ,00

16 16 Ministério do Desenvolvimento Agrário PRONERA Objetivo: O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária, do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, tem por objetivo ampliar os níveis de escolarização formal dos trabalhadores rurais assentados. Modalidades: Cursos de educação básica (alfabetização, ensino fundamental e médio) Técnicos profissionalizantes de nível médio Cursos superiores e de especialização Parcerias: Movimentos sociais e sindicais de trabalhadores rurais, instituições públicas e comunitárias de ensino, governos estaduais e municipais

17 17 Ministério do Desenvolvimento Agrário Apoio a Projetos de Assistência Técnica e Extensão Rural - ATER DIRETRIZES : Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural – Pnater. Combate à pobreza rural Sistemas de produção sustentáveis Geração de renda e agregação de valor Segurança alimentar e nutricional Articulação ATER-pesquisa-ensino Gênero, geração, raça e etnia Redes territoriais de ATER INSCRIÇÕES: Até 22 de junho de 2007 VALOR: R$ ,00

18 18 Secretaria Especial dos Direitos Humanos - SEDH NÚCLEOS DE PESQUISA E PROMOÇÃO DA CIDADANIA DE GLBT Ações: a) apoio a projetos de fortalecimento de instituições públicas e não-governamentais que atuam na promoção da cidadania homossexual e/ou no combate à homofobia; b) capacitação de profissionais e representantes do movimento homossexual que atuam na defesa de direitos humanos; c) disseminação de informações sobre direitos, de promoção da auto-estima homossexual; incentivo à denúncia de violações dos direitos humanos do segmento GLTB. Valor: Até R$ ,00 BALCÕES DE DIREITOS Ações: a) orientação à população sobre seus direitos e os respectivos instrumentos de defesa; b)assistência judiciária para encontrar soluções pacíficas para os conflitos por meio de mediação e conciliação c)nos casos em que não é possível uma solução amigável, os profissionais encaminham e acompanham os processos no âmbito do Poder Judiciário. Esta atividade é realizada por advogados e estagiários de direito colocados à disposição do projeto; d)orientação para emissão de documentação civil básica (Certidão de Nascimento e de Óbito, Carteira de Identidade, Carteira Profissional Certificado de Reservista, em articulação com diferentes organismos governamentais responsáveis. Valor: Até R$ ,00, para 10 projetos

19 19 Secretaria Especial dos Direitos Humanos SEDH PROJETOS DE IMPLANTAÇÃO DE OBSERVATÓRIOS DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS DA PESSOA IDOSA Objetivo: Objetivo: Implantar Observatórios de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa Ações: a) estudos, pesquisas e produção de conhecimentos: construção e disseminação de informações sobre a realidade da população idosa. b) banco de dados: com informações geradas pelos estudos, pesquisas e captadas de outras fontes visando subsidiar o Observatório Nacional bem como instituições públicas e privadas interessadas no assunto. c) capacitação em direitos humanos, visando o empoderamento das pessoas e grupos, por meio de lideranças comunitárias, capacitando-as numa abordagem de assuntos referentes ao enfretamento da violência e da discriminação. Ações: a) estudos, pesquisas e produção de conhecimentos: construção e disseminação de informações sobre a realidade da população idosa. b) banco de dados: com informações geradas pelos estudos, pesquisas e captadas de outras fontes visando subsidiar o Observatório Nacional bem como instituições públicas e privadas interessadas no assunto. c) capacitação em direitos humanos, visando o empoderamento das pessoas e grupos, por meio de lideranças comunitárias, capacitando-as numa abordagem de assuntos referentes ao enfretamento da violência e da discriminação. Apoio: Apoio: 08 projetos Valor: Valor: Até R$ , 00

20 20 Secretaria Especial dos Direitos Humanos SEDH PAIR - Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-juvenil no Território Brasileiro Metas: Desenvolver estudos quantitativos e qualitativos para análise da situação de violência sexual infanto-juvenil; Organizar um Sistema de Informações local sobre a situação infanto-juvenil; Fortalecer os Conselhos pertinentes a população infanto-juvenil; Desenvolver Campanhas de Sensibilização e Mobilização da Sociedade; Fortalecer as articulações nacionais, regionais e locais; Qualificar os Serviços de Perícia Técnica como forma de assegurar atendimento humanizado às crianças e adolescentes em situação de violência; Promover a participação proativa dos segmentos jovens na construção e implementação dos planos operativos locais voltados ao enfrentamento da violência sexual infanto-juvenil. Seleção: Convite para IPES das áreas pré-definidas Valor: Até R$ 80.00,00 por município

21 21 Ministério da Ciência e Tecnologia de C&T para Inclusão Social (SECIS) Secretaria de C&T para Inclusão Social (SECIS) Editais dos Fundos Setoriais 2004: Edital CT-AGRO 2005: Editais CT-AGRO e CT-HIDRO Bolsas de Fomento Tecnológico e Extensão Inovadora (2005/2006) Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora Extensão no país Apoio Técnico em Extensão no país Popularização da Ciência Olimpíadas Semana Nacional de C & T

22 22 Prêmio Banco Real Universidade Solidária Tema: Desenvolvimento Sustentável, com ênfase em geração de renda. Instituições: IES Apoio: até dois projetos por IES. Prêmio: para dez propostas, com R$ 40 mil para cada. Periodicidade: anual

23 23 Alfabetização Alfabetização Solidária Projetos: Nacional Alfabetização nas Empresas Grandes Centros Urbanos Ver Complementação Nutricional Educação Digital: Capacitação de Alfabetizadores Fortalecendo a EJA Incentivo à Leitura Instituições: IES Periodicidade: semestral Financiamento: Capacitação, bolsas para coordenação setorial e alfabetizador, auxílio deslocamento, material didático, merenda

24 24 Prêmio CAIXA Melhores Práticas em Gestão Local - Seleção: 10 Melhores Práticas - Patrocínio: R$ ,00 - Inscrição no Prêmio Internacional de Dubai, promovido pelo "Best Pratices and Local Leadership Programme", das Nações Unidas -Instituições: do setor público, organizações associativas, institutos de pesquisa, empresas privadas e universidades. - Ações e programas em que a CAIXA é parceira e sinalizam para a predominância nas categorias de erradicação da pobreza urbana e criação de emprego, gestão ambiental, desenvolvimento econômico, habitação

25 25 Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - Seleção: 8 premiações -Categorias : 5 prêmios para "Região" (1 para cada região geográfica do País), 1 prêmio para "Aproveitamento/tratamento de rejeitos/resíduos/efluentes de processos produtivos", 1 para "Direitos da Criança e do Adolescente" e 1 para "Gestão de Recursos Hídricos - Patrocínio: R$ ,00 -Periodicidade: bi-anual -Instituições: legalmente constituídas no País, de direito público ou privado, desde que sem finalidade lucrativa. -Definição de Tecnologia Social: compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de transformação social.

26 Ação do FORPROEX - Aproximação com Ministérios/Secretarias - Participação em Comissões, Comitês, Grupos de Trabalho - Fortalecimento das Áreas Temáticas - Papel da RENEX.ORG.BR Financiamento de Projetos de Extensão em Universidades Públicas Considerações Finais

27 27 Obrigada pela atenção! Obrigada pela atenção!


Carregar ppt "Profa. Dra. Lúcia de Fátima Guerra Ferreira Pró-Reitora de Extensão e Assuntos Comunitários Universidade Federal da Paraíba Assessora Especial do FORPROEX."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google