A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profª Deyse Conceição Santoro CHOQUECHOQUE. O que é choque? Francês choc: parada INTRODUÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profª Deyse Conceição Santoro CHOQUECHOQUE. O que é choque? Francês choc: parada INTRODUÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Profª Deyse Conceição Santoro CHOQUECHOQUE

2 O que é choque? Francês choc: parada INTRODUÇÃO

3 Falha no mecanismo que bombeia o sangue (coração); Problemas nos vasos sangüíneos (alteração na resistência da parede vascular); Baixo nível de fluido no corpo (sangue ou líquidos corporais). Causas

4 CHOQUE HIPOVOLÊMICO: perda de sangue, plasma ou líquidos extracelulares; CHOQUE CARDIOGÊNICO: insuficiência miocárdica ; CHOQUE DISTRIBUTIVO: diminuição do tônus vascular. Dividido em: –CHOQUE NEUROGÊNICO; –CHOQUE ANAFILÁTICO; –CHOQUE SÉPTICO. CHOQUE OBSTRUTIVO: obstrução mecânica do fluxo sangüíneo. Classificação

5 Inquietude, às vezes ansiedade e temor; Náuseas, lipotímias; Astenia e sede intensa. Sintomas que antecedem o choque

6 hipotensão taquicardia pulso fino e taquicárdico pele fria e pegajosa sudorese abundante Mucosas descoradas e secas palidez cianose resfriamento das extremidades hipotermia respiração superficial, rápida e irregular sede náuseas e vômitos alterações neurossensoriais. Sinais e sintomas gerais

7 Definição: tipo mais comum Causas: * perda sangüínea secundária hemorragia (interna ou externa) e * perda de líquidos e eletrólitos Choque Hipovolêmico

8 Fisiopatologia: * sistemas hematológico; * sistema cardiovascular; * sistema renal e * sistema neuroendócrino. Choque Hipovolêmico

9 Volume sangüíneo diminuído Retorno venoso diminuído Volume sistólico diminuído Débito cardíaco diminuído Perfusão tecidual diminuído Choque Hipovolêmico

10 Manifestações clínicas: * psiquismo; * pele; * circulação; * respiração. Choque Hipovolêmico

11 Tratamento: * da causa básica; * reposição hídrica e sangüínea; * redistribuição de líquidos; * medicamentos. Choque Hipovolêmico

12 CALÇAS MILITARES ANTI-CHOQUE Usadas em situação de extrema emergência, quando o sangramento não pode ser controlado

13 Definição: Etiologia: * infarto do miocárdio; * falência miocárdica aguda; * arritmias; * eletrocussão; * miocardites; * hipóxia; * depressão dos centros nervosos; * acidose; * distúrbios eletrolíticos; * intoxicações ou envenenamento. Choque Cardiogênico

14 Fisiopatologia: Choque Cardiogênico

15 Contratilidade cardíaca diminuída Débito cardíaco e volume sistólico diminuídos Perfusão tecidual sitêmica diminuída Perfusão dimnuída da artéria coronária Congestão pulmonar

16 Manifestações clínicas: * hipotensão arterial; * queda rápida e acentuada do índice cardíaco; * oligúria; * sinais de estimulação simpatomimética; * taquisfigmia; * hiperpnéia; * alteração no nível de consciência; * dor anginosa e arritmias. Choque Cardiogênico

17 Tratamento: vai depender do agente etiológico. * deficiência aguda do enchimento e esvaziamento cardíaco, por obstrução mecânica: cirúrgico; * comprometimento miocárdico: monitorização hemodinâmica e uso de drogas. Choque Cardiogênico

18 Utiliza-se ainda: Sedação; Oxigênio; Reposição de volume; Correção das alterações hemodinâmicas, através do uso de: dopamina, dobutamina, associação de drogas inotrópicas e vasodilatadoras, agentes fibrinolíticos,bicarbonato de sódio, heparina, isoproterenol, adrenalina, amrinona; Balão intra-aórtico. Choque Cardiogênico

19 Definição: Subdivisão: * neurogênico; * anafilático; * séptico Choque Distributivo

20 Vasodilatação Má distribuição do volume sangüíneo Retorno venoso diminuído Volume sistólico diminuído Débito cardíaco diminuído Perfusão tecidual diminuído Choque Distributivo

21 Definição: Causas: * lesão da medula espinhal; * anestesia espinhal; * lesão do sistema nervoso; * efeito depressor de medicamentos; * uso de drogas e ainda estados hipoglicemiantes. Choque Neurogênico

22 Fisiopatologia: Manifestações clínicas: * pele seca e quente; * hipotensão; * bradicardia; Choque Neurogênico

23 Tratamento: * restauração do tônus simpático, através da estabilização da medula espinhal, no caso de anestesia espinhal ou posicionar o paciente corretamente. Choque Neurogênico

24 Definição: Causas: * alimentos e aditivos alimentares; * picadas e mordidas de insetos; * agentes usados na imunoterapia; * drogas como a penicilina; * drogas usadas como anestésicos locais (benzocaína e lidocaína); * vacinas como o soro antitetânico; * poeiras e substâncias presentes no ar (casos raros). Choque Anafilático

25

26 Fisiopatologia: Manifestações clínicas: * sensação de desmaio; * pulso rápido; * dificuldade respiratória; * náuseas e vômito; * dor de estômago; Choque Anafilático

27 Manifestações clínicas: * inchaço nos lábios, língua ou garganta (edema de glote); * urticária; * pele pálida, fria e úmida; * tonteira, confusão mental e perda da consciência; * pode haver parada cardíaca. Choque Anafilático

28 Tratamento: emergencial * Adrenalina; * Anti-histamínico; * Corticóide Em casos de paradas cardíaca e respiratória : RCP Caso necessário: intubação endotraqueal Garantir acesso venoso Choque Anafilático

29 Definição: Etiopatogenia: Fisiopatologia: Choque Séptico

30 Manifestações clínicas: * Fase hiperdinâmica ou quente; * Fase hipodinâmica ou fria. Tratamento: Choque Séptico

31 Definição: Choque Obstrutivo

32 Conclusão


Carregar ppt "Profª Deyse Conceição Santoro CHOQUECHOQUE. O que é choque? Francês choc: parada INTRODUÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google