A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS Claudio Orestes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS Claudio Orestes."— Transcrição da apresentação:

1 USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS Claudio Orestes

2

3 Principais estratégias Prevenir infecção Diagnóstico e tratamento efetivos Uso sábio de antimicrobianos Prevenir a transmissão

4 12 passos para prevenir a resistência microbiana: 12 Bloquear transmissão 11 Isolar o patógeno 10 Cessar ATB na cura 9 Dizer não a vanco 8 Não tratar colonização 7 Não tratar contaminação 6 Apoio de especialistas 5 Dados locais 4 Praticar o controle de antimicrobianos 3 Identificar o patógeno 2 Retirar os cateteres 1 Imunização Prevenir a transmissão Uso sábio de antibióticos Diagnóstico e tratamento efetivos Prevenir infecção

5 Ações: Dar vacina contra influenza e pneumococo antes da alta dos pacientes de alto risco Imunizar anualmente os profissionais de saúde contra influenza Prevenir infecção Passo 1: Imunizar Fato: A vaci Imunização pré-alta de pacientes de risco contra influenza e pneumoco E imunização dos profissionais de saúde contra influenza pode prevenir infecções.

6 Fato: cateteres e outros procedimentos invasivos são a principal causa exógena de infecção hospitalar. Ações: Usar cateteres apenas quando essenciais Usar o cateter adequado Usar protocolos para inserção e manutenção dos cateteres Remover cateteres desnecessários Prevenir infecção Passo 2: retirar os cateteres

7 Fato: o uso adequado de antimicrobianos salva vidas. Ações: Cultura e teste de sensibilidade Iniciar terapia empírica contra os patógenos prováveis, de acordo com dados locais Alterar para a terapia definitiva logo que se identificar o patógeno e sua susceptibilidade antimicrobiana Diagnóstico e tratamento efetivos Passo 3: Identificar o patógeno

8 Fato: Infectologistas aprimoram o resultado do tratamento de infecções graves. Diagnóstico e tratamento efetivos Passo 4: Apoio de especialistas

9 Infectologista e o tratamento das infecções Vários estudos sugerem que o infectologista pode aprimorar os resultados do tratamento das infecções, otimizando o uso de antimicrobianos, reduzindo os custos e a permanência hospitalar –Pacientes graves –Pacientes que falham na resposta ao tratamento de primeira linha –Pacientes com esquema terapêutico complexo –Pacientes com maior risco de interação medicamentosa –Pacientes de risco para apresentar efeitos adversos relacionados aos medicamentos Outros profissionais também são essenciais, enfatizando-se a necessidade de um trabalho em equipe

10 Fato: Programas que controlam antibióticos podem ser efetivos. Uso sábio Dos antibióticos Passo 5: Realizar o controle de antimicrobianos

11 Uso sábio de antimicrobianos Passo 6: Utilizar dados locais Fato: A prevalência de resistência pode variar com o local, população de pacientes, unidade hospitalar e duração da hospitalização. Ações: Conhecer o perfil de sensibilidade Conhecer características de seus pacientes

12 Uso sábio de antibióticos Passo 8: tratar infecção, não colonização Fato: Outra causa importante do uso inadequado de antibióticos é o tratamento de colonização. Ações: Tratar pneumonia, não o aspirado traqueal Tratar a bacteremia, não o cateter ou o canhão Tratar a infecção do trato urinário, não a sonda vesical

13 Uso sábio de antimicrobianos Passo 9: Saber quando dizer não à vancomicina Fato: O abuso de vancomicina promove a emergência, seleção e disseminação de patógenos resistentes. Ações: Tratar infecção, não contaminação ou colonização Febre em paciente com cateter não é sinônimo de emprego de vancomicina

14 Fato: Não suspender o tratamento antimicrobiano desnecessário contribui para seu uso exagerado e com a resistência microbiana. Ações: quando a infecção está curada quando as culturas são negativas e infecção improvável quando a infecção não é diagnosticada Uso sábio de antimicrobianos Passo 10: Suspender o tratamento antimicrobiano

15 Previnir a transmissão Passo 11: Isolar o patógeno Fato:A transmissão cruzada pode ser previnida. Ações: empregar as Precauções Padrão conter os fluídos infectantes (precauções e isolamento de contato, gotículas e aerossóis) em dúvida, consultar a CCIH

16 Previnir a transmissão Passo 12: Não seja fonte de contaminação Fato:Profissionais de saúde podem disseminar microrganismos multiR para os pacientes Ação: fique em casa se estiver doente não contamine os pacientes faça higiene de suas mãos seja um exemplo!

17

18 OBRIGADO ! "Doutor, tenho uma dor no ouvido." 2000 A.C. -"Tome, coma esta raiz." 1000 D.C. -"Comer essa raiz é paganismo, reze esta prece." 1850 D.C. -"Essa prece é superstição, beba esta poção." 1930 D.C. -"Essa poção é banha da cobra, tome este comprimido." 1985 D.C. -"Esse comprimido é ineficaz, tome este antibiótico." 2007 D.C. -"Esse antibiótico é artificial. Tome, coma esta raiz."


Carregar ppt "USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS Claudio Orestes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google