A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ISOLAMENTO DO PACIENTE Disciplina: Biossegurança Prof.: Vanessa Sampáio Cravo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ISOLAMENTO DO PACIENTE Disciplina: Biossegurança Prof.: Vanessa Sampáio Cravo."— Transcrição da apresentação:

1 ISOLAMENTO DO PACIENTE Disciplina: Biossegurança Prof.: Vanessa Sampáio Cravo

2 Isolamento do Paciente O que é? Para que serve? – É separar o paciente para evitar a transmissão de bactérias e outros patógenos encontrados em pacientes colonizados/infectados para pacientes susceptíveis e profissionais da saúde, contribuindo para o aumento das infecções hospitalares.

3 Cuidados da Enfermagem usar a técnica correta de lavagem das mãos; conhecer o diagnóstico, sua história e evolução; como se dá a transmissão da doença; estar ciente e ter conhecimento do quadro e diagnóstico que envolve o internado; desprezar o material e acessórios de acordo com o padronizado pelo local; conhecer técnicas que sejam realizadas com segurança; praticar as técnicas de proteção aos expostos, ou seja, proteger as pessoas que circulam ao redor do internado para que elas não corram risco de contaminação

4 Como é feito o isolamento do paciente A expansão das infecções dentro de um hospital requer 3 elementos: Fonte de microrganismo infectante – pacientes, profissionais ou visitas Hospedeiro susceptível – pessoas não resistentes a agentes infecciosos. Transmissão - contato, perdigotos, ar, veículo comum e vetor.

5 Tipos de isolamento isolamento estrito – realizado para evitar a transmissão de infecção altamente contagiosa, que pode ser disseminada pelo ar ou vias de contato. – Doenças – difteria, febres hemorrágicas virais, varíola, herpes zoster em pacientes imunodeprimidos ou em quadro disseminado, – tipos de quarto isolado com sala privada – pacientes portadores do mesmo agente infeccioso podem ficar no mesmo quarto. – medidas de proteção – uso de máscaras, aventais e luvas ( descartáveis)

6 Tipos de isolamento isolamento de contato evitar a transmissão de infecções altamente contagiosas disseminadas pelo contato direto, que não justifiquem o isolamento estrito – Doenças: infecção respiratória, conjuntivite em recém nascido, difteria, tuberculose, herpes simples, doenças de pele, – Medida de proteção: uso de máscaras, aventais e luvas ( descartáveis) Isolamento para tuberculose – – Doenças: tuberculose pulmonar e tuberculose de laringe

7 Tipos de isolamento Isolamento respiratório para evitar a transmissão de doenças infecciosas a pequena distancia pelo ar. – Doenças: sarampo, meningite, caxumba, coqueluche; – Medidas de proteção: uso de máscaras, aventais e luvas (descartáveis) Isolamento para precauções entéricas visa evitar infecções por contato direto com as fezes – Doenças: cólera, diarréia infecciosa, hepatite A, meningite viral, gastrenterite – Medidas de proteção: uso de máscaras, aventais e luvas (descartáveis), lavagem correta das mãos antes e depois do trato com o paciente.

8 Tipos de isolamento – Precauções Com drenagem / secreção de materiais – Doenças: abscessos, infecções de pele, queimaduras, feridas infectadas, conjuntivite, úlcera de decúbito Quarto comum Com sangue/ fluidos corporais ou líquidos orgânicos – Doenças: AIDS, dengue, febre amarela, hepatite B, siflis. Quarto isolado Obs- somente nos casos em que o paciente não consegue manter sua higiene pessoal tornando-a precária.

9 Doenças que necessitam de isolamento e tempo de isolamento Sarampo – Durante internação Varicela Herpes zoster disseminado – até fase de crosta TBC pulmonar – 14 dias após inicio da terapêutica H. Influenza invasivo – meningite, epiglote, septicemia – 24 horas de terapia Meningococo – meningite, septicemia, pneumonia – 24 horas de terapia Difteria faríngea – 2 culturas com intervalo de 24hs negativo Coqueluche – 5 dias Caxumba – 9 dias após início do edema Adenovírus – Durante internação Faringite, pneumonia, escarlatina em crianças – 24 hs após início da terapêutica Bactérias – Durante internação Rubéola congênita – 1 ano Criança com infecção respiratória aguda – Durante internação Difteria - 2 culturas com intervalo de 24hs negativo Conjutivite viral hemorrágica - Durante internação Hepatite A em pacientes com incontinência fecal - Durante internação

10 Tipo de Transmissão Contato direto Contato indireto Gotículas Ar Veículo Comum Vetor

11 Como é o isolamento Coloque o paciente em quarto privativo que por qualquer motivo possa contaminar o ambiente. Roupa – manipule quando usada e suja, de maneira a não contaminar profissionais, pacientes e ambientes Ambiente – a limpeza do ambiente é padronizada pelo hospital. Obs: O isolamento vai depender do tipo de transmissão da infecção.

12 Equipamentos de Proteção Individual para profissionais da enfermagem Luvas Máscaras e óculos Capote Equipamentos

13 Comissão Interna de Infecção Hospitalar - CIH Funções Detectar casos de infecção hospitalar seguindo os critérios de diagnósticos previamente estabelecidos Identificar e Conhecer as principais infecções hospitalares detectadas pelo serviço e definir se as ocorrências destes fatos episódicos de infecção estão dentro dos parâmetros aceitáveis. Elaborar normas de padronização para que os procedimentos realizados na instituição sigam uma técnica asséptica, diminuindo o risco de o paciente adquirir infecção. Colaborar no treinamento de todos os profissionais de saúde no que se refere a prevenção e controle de infecções hospitalares. Realizar o controle da prescrição de antibióticos, evitando que os mesmos sejam utilizados de maneira descontrolada no hospital. Recomendar medidas de isolamento de doenças transmissíveis, quando se tratar de pacientes hospitalizados. Oferecer apoio técnico à administração hospitalar para aquisição correta de materiais e equipamentos e para o planejamento adequado da área física das unidades.

14 Comissão Interna de Infecção Hospitalar - CIH PROFISSIONAIS QUE FAZEM PARTE Medico Enfermeiro Farmacêutico Microbiologista Epidemiologista Cirurgiões Obstetras


Carregar ppt "ISOLAMENTO DO PACIENTE Disciplina: Biossegurança Prof.: Vanessa Sampáio Cravo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google