A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Elaborado para: Sebrae Por: Diferencial Pesquisa de Mercado Março de 2010 Sebrae Estudo do Ambiente Econômico e Institucional dos Municípios do Programa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Elaborado para: Sebrae Por: Diferencial Pesquisa de Mercado Março de 2010 Sebrae Estudo do Ambiente Econômico e Institucional dos Municípios do Programa."— Transcrição da apresentação:

1 1 Elaborado para: Sebrae Por: Diferencial Pesquisa de Mercado Março de 2010 Sebrae Estudo do Ambiente Econômico e Institucional dos Municípios do Programa de Desenvolvimento Bom Sucesso do Sul Imbaú Carlópolis Munhoz de Mello Relatório Munhoz de Mello Relatório Munhoz de Mello

2 2 Sumário I – Introdução 03 II – Características Sócio-Demográficas e Econômicas de Munhoz de Mello 12 III –Análise dos Aspectos Gerais do Município 44 IV –Como São os Estabelecimentos em Munhoz de Mello?73 V –Como os Estabelecimentos da Cidade de Munhoz de Mello Atuam?90 VI –Ambiente Econômico e Organizacional99 VII –Apoio Institucional aos Empresários118 VIII –Avaliação do Ambiente Econômico e Social de Munhoz de Mello135 IX –Conclusões164

3 Introdução Introdução, Metodologia e Amostra 1

4 4 O Sebrae está inserido em um novo projeto que visa fortalecer municípios em desenvolvimento do estado do Paraná, aplicando esforços e programas para que as condições de empreender e ter sucesso na condução das empresas melhore, e com isto, o município passe a gerar mais emprego e renda com as consequentes melhorias sociais. Neste projeto, o Sebrae opera como articulador, fazendo a ponte com as entidades municipais, estaduais e federais, públicas ou privadas, a fim de que trabalhem juntas em projetos que aproximem a instituição de seus objetivos com este programa. Para contribuir com estes programas de desenvolvimento, é necessário estabelecer uma estratégia para os municípios e um conjunto de ações pontuais que removam barreiras ao desenvolvimento e potencializem oportunidades naturais destes municípios. Para estabelecer os planos de ação, é fundamental conhecer a realidade econômica e institucional de cada município, a fim de obter o melhor resultado das ações aplicadas. Para isto, o Sebrae contratou este estudo, que aborda diversos aspectos da realidade econômica do município de Munhoz de Mello. Apresentação do Estudo

5 5 Público-Alvo Para os públicos pesquisados foram eleitos: Instituições presentes no local; Líderes comunitários e empresariais; Agentes relevantes do poder público; Empresários, autônomos, empreendedores e produtores rurais em geral.

6 6 Apresentação do Estudo Objetivo do Estudo Intensificar o conhecimento do ambiente econômico e institucional do município de Munhoz de Mello; Identificar agentes locais do desenvolvimento, grupos organizados de trabalho, lideranças; Levantar dados cadastrais de empreendedores dos setores mais importantes da região, sejam eles formais ou em processo de formalização, privilegiando aqueles mais organizados; Detectar oportunidades e vazios econômicos do município e da região estudada como um todo; Identificar a que os agentes locais mais associam o município (produtos, eventos, pontos turísticos ou outro ícone que possa ser ponto de partida para o desenvolvimento).

7 7 Áreas de Investigação Características Sócio-Demográficas e Econômicas de Munhoz de Mello: evolução da população, número de empresas formais, número de funcionários, PIB e PIB per capita, dados de produção agrícola, entre outros; Aspectos Gerais do Município de Munhoz de Mello: aspectos gerais da economia do município, setores mais aquecidos, setores em crescimento, setores em desenvolvimento na cidade, ambiente institucional etc.; Como são os Estabelecimentos em Munhoz de Mello?: setor de atuação dos estabelecimentos, gênero e idade dos empresários, tempo de atuação como empresários e ano de fundação dos estabelecimentos; Como os Estabelecimentos da Cidade de Munhoz de Mello Atuam?: situação legal, atividade principal, principais produtos ou serviços, número de funcionários; Ambiente Econômico e Organizacional: controle do estabelecimento, faturamento, percepção de queda ou aumento do faturamento nos últimos anos e motivos, principais dificuldades na condução e administração do estabelecimento; Apoio Institucional aos Empresários: recebimento de apoio institucional, tipos de contato realizado com o Sebrae, motivos para procurar o Sebrae, associações e parcerias; Avaliação do Ambiente Econômico e Social de Munhoz de Mello: Vantagens e dificuldades por estarem instalados no município, percepção de setores mais e menos aquecidos, oportunidades de desenvolvimento, necessidade de mão de obra etc.

8 8 Metodologia Coleta, Organização e Análise de Dados Secundários Foram coletados, organizados, tratados e analisados centenas de dados secundários. As informações abordam dados demográficos e de infraestrutura como: população, escolaridade, taxa de alfabetização, área territorial, densidade demográfica, índice de desenvolvimento humano, número de empregados e de empresas. Dados econômicos como: PIB, PIB per Capita, produção agrícola, receitas municipais, finanças públicas, potencial de consumo, entre outros. As principais fontes consultadas foram: RAIS - Relação Anual das Informações Sociais do MTE IBGE – principalmente os dados do Banco de Dados da SIDRA (Sistema IBGE de Recuperação Automática) Atlas do Desenvolvimento Humano IPARDES – Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social Brasil em Foco – Target Marketing

9 9 Metodologia Entrevistas em Profundidade com os Principais Agentes Econômicos e Institucionais A entrevista em profundidade segue um roteiro previamente definido pelo instituto de pesquisa e pelo contratante, é previamente agendada com o entrevistado, devendo ocorrer no escritório ou local do entrevistado, seu conteúdo é gravado, transcrito e posteriormente analisado. Foram realizadas 6 entrevistas com lideranças e instituições do município. Entre estes entrevistados, estão representantes de entidades atuantes, os principais empresários e representantes do poder público.

10 10 Metodologia Pesquisa Quantitativa As entrevistas com empresários e empreendedores foram realizadas em seus estabelecimentos ou propriedades e em pontos de fluxo, que permitiram abordar empresários circulando na cidade. Foram realizadas 94 pesquisas entre os dias 03 e 07 de novembro de 2009.

11 11 Amostra Para se detectar mudanças de comportamento entre os segmentos de interesse, são apontadas diferenças de comportamento quando elas são estatisticamente relevantes, através de teste Z para diferenças de proporções, bi-caudal, com 90% de confiança, que corresponde a um teste unicaudal com 95% de confiança. O comportamento do segmento sempre é comparado com os demais segmentos de sua subdivisão. Os segmentos utilizados foram assim divididos: Tipo de Área Urbana – 51 Rural - 43 Gênero do Entrevistado Masculino – 66 Feminino - 28 Tempo de Atuação dos Empreendedores* Menos experientes (até 15 anos) – 50 Mais experientes (mais de 15 anos) – 43 * Um entrevistado não informou o seu tempo de atuação como empreendedor.

12 Características Sócio-Demográficas e Econômicas de Munhoz de Mello Dados Demográficos, Econômicos e de Desenvolvimento 2

13 13 Dados Demográficos O município de Munhoz de Mello está localizado ao norte do estado do Paraná, mais especificamente na microrregião de Astorga, que é composta por 22 municípios. Para referência, os dados apresentados neste capítulo serão, em sua maioria, comparados com os dados da microrregião de Astorga e com os dados do Estado do Paraná.

14 14 Dados Demográficos Municípios Pertencentes à Microrregião de Astorga População Nossa Senhora das Graças Munhoz de Mello Presidente Castelo Branco

15 15 Dados Demográficos -1% 4% Fonte: IBGE - Cidades e BDE - IPARDES (IBGE - Censo) O município de Munhoz de Mello registrou um aumento de 4% da população de 2000 para 2007, enquanto isto, o estado cresceu 7,5% no mesmo período e a microrregião de Astorga apresentou um ligeiro crescimento de 1,9%. População Microrregião de Astorga Estado do Paraná Crescimento1,9%7,5% População de Munhoz de Mello – 1996, 2000 e 2007

16 16 Dados Demográficos Participação da População Rural e Urbana em Munhoz de Mello – 2007 Fonte: Brasil em Foco % Pop. Urbana Município de Munhoz de Mello Microrregião de Astorga Estado do Paraná 78% 84% % Pop. Rural 22% 16% Enquanto a microrregião de Astorga e o estado do Paraná possuem 16% da população na área rural, a cidade de Munhoz de Mello atinge 22% da sua população residindo na área rural da cidade.

17 17 Dados Demográficos Densidade Demográfica (hab/km 2 ) – 1996 a 2007 Fonte: IBGE-IPARDES Área territorial do município de Munhoz de Mello: 137,6 km² Ano de 2007 Microrregião de Astorga Paraná Densidade demográfica3551

18 18 Dados Demográficos Fonte: BDE-IPARDES e IBGE * PEA é a soma das pessoas a partir de 10 anos de idade que estão trabalhando mais as pessoas desempregadas que estão procurando emprego. A PEA de 2007 foi estimada com base no crescimento da população de 2000 para Por exemplo, Munhoz de Mello teve um crescimento populacional de 4%. Assim, esse será o crescimento da PEA O dado significa que, em Munhoz de Mello, existem 2,0 habitantes para cada cidadão economicamente ativo Dados Demográficos Microrregião de Astorga Paraná População Estimada População Economicamente Ativa (PEA) Relação População e PEA2,012,06 A relação entre população e população economicamente ativa mostra o quanto existem geradores de renda para apenas consumidores de renda. Quanto menor a relação, mais dinâmica é a economia da área analisada. Neste sentido, Munhoz de Mello está praticamente igual a microrregião de Astorga e do estado do Paraná População e PEA* (População Economicamente Ativa) – 2007

19 19 Dados Demográficos Fonte: BDE-IPARDES (IBGE), RAIS-MTE Empregos Formais e PEA (População Economicamente Ativa) – 2007 Em Munhoz de Mello existem 4,1 potenciais candidatos para cada emprego formal. Empregos Formais - PEA Microrregião de Astorga Paraná População Economicamente Ativa (PEA) Empregados Formais Relação Empregos Formais e PEA 2,62,1 A relação entre a PEA e os empregos formais mostra o quanto a população economicamente ativa conta com empregos formais, ou empregos de carteira assinada para sua subsistência. Quanto menor esta relação, mais emprego existe para cada potencial trabalhador, e consequentemente, mais renda a cidade pode gerar. Por este indicador, nota-se que Munhoz de Mello apresenta uma relação mais elevada que o estado e que a Microrregião de Astorga.

20 20 Dados Demográficos Número de Eleitores – 2000 e 2008 Fonte: BDE-IPARDES (Tribunal Regional Eleitoral – TRE, Tribunal Superior Eleitoral - TSE ) Ano de 2000 Município de Munhoz de Mello Microrregião de Astorga Estado do Paraná Ano de Variação 37% 9%12%

21 21 Dados Demográficos Número de Domicílios no Município de Munhoz de Mello – 2000 e 2007 Fonte: Para os dados de BDE-IPARDES (IBGE) e para os dados de TARGET Número médio de habitantes por domicílio: 2,79 Número médio de habitantes por domicílio: 3,65 O número de domicílios está diminuindo, mas o número de pessoas por família cresceu 31% entre 2000 e O número de habitantes por domicílio em Munhoz de Mello, ainda é maior que na microrregião de Astorga e também no estado do Paraná, característica de cidades pequenas que abrigam grandes famílias. Ano de 2007 Microrregião de Astorga Paraná População Domicílios Habitantes por Domicílio 3,273,28

22 22 Dados Demográficos Fonte: Brasil em Foco – 2007 Classe Econômica – 2007 Enquanto na microrregião de Astorga existem 27% de domicílios classes AB e no Paraná esse percentual seja de 34%, na cidade de Munhoz de Mello esse número atinge apenas 21%. Tanto na microrregião como na cidade existe um poder de consumo abaixo da média do estado. Classe Econômica Microrregião de Astorga Paraná Classe A3%6% Classe B24%28% Classe C48%43% Classe D23%21% Classe E2% População AB Munhoz de Mello: 21% Micro Astorga: 27% Paraná: 34%

23 23 Dados Econômicos PIB a Preços Correntes do Município de Munhoz de Mello – 2007 Fonte: BDE-IPARDES Nota: PIB a preços correntes e o valor do PIB global expresso em moeda corrente, resultante da multiplicação do valor constante por um índice de preço. PIB (em R$ mil) R$ R$ R$ PIB per capita (R$/Hab) R$ R$ R$ O PIB de Munhoz de Mello representa 0,02% do PIB do estado Os dados mostram que a geração de riquezas por habitante em Munhoz de Mello é inferior que a registrada na cidade de Astorga e no Paraná. Há necessidade do projeto pensar em geração de riquezas na cidade. Município de Munhoz de Mello Cidade de Astorga Estado do Paraná

24 24 Dados Econômicos PIB a Preços Básicos dos Setores de Agropecuária, Indústria e Serviços (em R$ 1 mil) % 3% 7% 39% 25% Participação de cada setor na economia do Município: PIB dos Setores Microrregião Astorga % de cada Setor Paraná % de cada Setor Serviço com adm. pública ,8% ,9% Serviço sem adm. pública ,6% ,6% Agropecuária ,7% ,5% Impostos ,0% ,3% Indústria ,5% ,3% * Inclui administração, saúde e educação pública Fonte: BDE-IPARDES

25 25 Dados Econômicos Dados de Produção de Munhoz de Mello Fonte: IBGE-IPARDES * O Rendimento Médio é a relação entre a quantidade produzida (em toneladas) dividida pela área colhida (em hectare). ** O Valor Médio é a relação entre o valor total da produção dividido pela quantidade produzida. Produção Agrícola Munhoz de Mello Microrregião de Astorga Paraná Participação na Micro Participação no Paraná Cana de Açúcar Quantidade Produzida (t) ,0%0,4% Rendimento Médio (t/ha)*82,2886,8986,18 Milho Quantidade Produzida (t) ,0%0,1% Rendimento Médio (t/ha)*4,764,025,34 Soja Quantidade Produzida (t) ,0%0,1% Rendimento Médio (t/ha)*3,002,732,97 Produção de Origem Animal Munhoz de Mello Microrregião de Astorga Paraná Participação na Micro Participação no Paraná Leite - quantidade produzida (mil litros) ,38%0,08% Leite - valor total (R$1.000,00)R$ 1.040R$ R$ Leite - valor médio por litro** (R$ 1,00) R$ 0,45 R$ 0,52R$ 0,56

26 26 Dados Econômicos Quantidade de Leite Produzido Entre os Anos de 2000 e 2008 – em Mil Litros Fonte: IBGE-IPARDES De 2000 para 2008 o município de Munhoz de Mello registrou uma queda de 16% na produção de leite, mas nos últimos cinco anos a produção está estagnada

27 27 Dados Econômicos Quantidade de Cana-de-Açúcar Produzida Entre os Anos de 2000 e 2008 – em Toneladas Fonte: IBGE-IPARDES De 2000 parar 2008 o município de Munhoz de Mello registrou um crescimento de 679% na produção de cana-de-açúcar.

28 28 Dados Econômicos Quantidade de Milho Produzida Entre os Anos de 2000 e 2008 – em Toneladas Fonte: IBGE-IPARDES De 2000 parar 2008 o município de Munhoz de Mello registrou um crescimento de 750% na produção de milho.

29 29 Dados Econômicos Quantidade de Efetivos de Bovinos e Galináceos Entre os Anos de 2000 e 2008 Fonte: IBGE-IPARDES * Composto pela soma de galinhas, galos, frangos, frangas e pintos. De 2000 para 2008 o município de Munhoz de Mello registrou um crescimento de 258% no efetivo de galináceos. No mesmo período, o efetivo de rebanho de bovinos caiu 36%

30 30 Dados Econômicos Número de Estabelecimentos Agropecuários com Tratores Fonte: IBGE Munhoz de Mello Estabelecimentos com tratoresEstabelecimentos sem tratores Cidade de Astorga Paraná Média de tratores por estabelecimento: 1,62 Média de tratores por estabelecimento: 1,46 Média de tratores por estabelecimento: 1,49 Agricultura pouco mecanizada. Necessário pensar em cooperativas e associações para aquisição de máquinas e implementos de maneira coletiva

31 31 Dados Econômicos Número de Contratos e Montante do Crédito Rural do Pronaf* e 2009 Fonte: SAF – MDA *Pronaf – Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar. Montante a preços correntes Número de contratosMontante (R$ 1,00) Valor médio dos contratos % Munhoz de Mello %R$ R$ R$ 8.834R$ Paraná %R$ R$ R$ 2.094R$ Participação do município no Paraná 0,01%0,04%0,05%0,03% Na cidade de Munhoz de Mello o número de contratos do Pronaf cresceu 150% entre os anos de 2000 e 2009, já no estado do Paraná houve uma queda de 23%. O valor médio dos contratos na cidade de Munhoz de Mello no ano de 2009 foi 17% menor que o valor médio no Paraná.

32 32 Dados Econômicos Fonte: TARGET-2007 * Este ranking inclui todos os 399 municípios que integram o estado do Paraná. Potencial de Consumo de Munhoz de Mello (em R$ 1 mil) Posição de Munhoz de Mello no Ranking Estadual de Consumo*: Potencial de Consumo Urbano R$ R$ R$ R$ R$ R$ Município de Munhoz de Mello Microrregião de Astorga Estado do Paraná Potencial de Consumo Rural Potencial de Consumo Total R$ R$ R$ % urbana e 15% rural Munhoz de Mello corresponde a 1,44% da microrregião e 0,02% do estado Munhoz de Mello corresponde a 3,14% da microrregião e 0,05% do estado 1,56% da microrregião e 0,02% do estado

33 33 Dados Econômicos Fonte: RAIS – MTE Número de Estabelecimentos Formais a 2008 Participação de empresas com pelo menos 1 funcionário no total: 39% 40% 35% Número de Empresas Microrregião de Astorga Paraná Total de empresas Total de empresas com pelo menos 1 funcionário Participação43%38% Apesar de crescente, o número de empresas em Munhoz de Mello é muito baixo. Além disso, 39% das empresas, em 2008 possuíam pelo menos 1 funcionário registrado. Valor próximo ao registrado na microrregião de Astorga e no estado do Paraná 34%

34 34 Dados Econômicos Fonte: RAIS – MTE Crescimento do Número de Empresas Formais com Pelo Menos 1 Funcionário – 2005 a % 10% Crescimento do Número de Empresas com pelo Menos Um Funcionário de 2005 a 2008 Munhoz de Mello: 18% Microrregião de Astorga: 7% Estado Paraná: 13% A cidade de Munhoz de Mello teve um crescimento do número de empresas com pelo menos 1 funcionário na casa de 18% entre 2005 e 2008, um pouco acima do registrado no estado. 4%

35 35 Dados Econômicos *Fonte: RAIS – TEM **SIBEC – Sistema de benefícios ao Cidadão / Caixa Econômica Federal Crescimento do Número de Empregos Formais* – 2005 a % 3% Crescimento do Número de Empregos Formais de 2005 a 2008 Munhoz de Mello: 20% Microrregião de Astorga: 23% Estado Paraná: 19% Munhoz de Mello registrou um crescimento de 7% no número de empregados formais entre 2005 e 2008, inferior ao crescimento registrado na microrregião e no estado do Paraná. 0% Paraná: Munhoz de Mello: 159 Número de Famílias Beneficiadas pelo Bolsa Família** - janeiro 2010

36 36 Dados Econômicos Fonte: RAIS – MTE *Número de funcionários por empresa, considerando as empresas com pelo menos um funcionário Crescimento do Tamanho Médio das Empresas* – 2005 a 2008

37 37 Setor Empresas Número de Funcionários Tamanho Médio das Empresas* Total Com pelo menos 1 funcionário Indústria Construção civil3111 Comércio Serviços Agropecuária, extração vegetal, caça e pesca Administração Pública**31187 Total Participação da Administração Pública no total de funcionários 42% Distribuição das Empresas e Funcionários por Setores no Município de Munhoz de Mello Dados Econômicos Fonte: RAIS – MTE * Média de funcionários por empresa. Considerando apenas as empresas com pelo menos 1 funcionário. **Esta seção compreende as atividades que, por sua natureza, são normalmente realizadas pela Administração Pública e, como tal, são atividades essencialmente não-mercantis, compreendendo a administração geral (o executivo, o legislativo, a administração tributária etc., nas três esferas de governo) e a regulamentação e fiscalização das atividades na área social e da vida econômica do país; as atividades de defesa, justiça, relações exteriores etc.; e a gestão do sistema de seguridade social obrigatória Percentual de Funcionários Públicos em Algumas Cidades Florianópolis – 42% Brasília – 41% Imbaú – 29% Bom Sucesso do Sul – 27% Curitiba – 23% São Paulo – 20% Carlópolis – 20%

38 38 Distribuição das Empresas e Funcionários por Setores no Município de Munhoz de Mello Dados Econômicos Fonte: RAIS – MTE * Média de funcionários por empresa. Considerando apenas as empresas com pelo menos 1 funcionário. Setor Empresas Número de Funcionários Tamanho Médio das Empresas* Total Com pelo menos 1 funcionário Indústria de produtos minerais não metálicos1000 Indústria mecânica1000 Ind. química de produtos farmacêuticos, veterinários, perfumaria 1000 Indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos Indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico Serviços industriais de utilidade pública1144 Total

39 39 Dados Econômicos Fonte: RAIS – MTE Escolaridade da Mão de Obra no Município de Munhoz de Mello – 2005 e Ensino médio Ensino superior Ensino fundamental completo Ensino fundamental incompleto 7% 26% 29% 38% A escolaridade dos funcionários de Munhoz de Mello está em ascensão. O percentual de funcionários com ensino fundamental incompleto caiu em 3 anos. Mesmo assim, a mão de obra na microrregião e na cidade apresenta baixa escolaridade Ano de 2008Microrregião de AstorgaParaná Ensino fundamental incompleto29%18% Ensino fundamental completo25%14% Ensino médio36%48% Ensino superior ou pós9%19% A mão de obra com nível superior representa 15% dos funcionário de Munhoz de Mello, percentual superior ao da microrregião de Astorga que é de 9% ; no Paraná atinge 19%. 15% 31% 21% 34%

40 40 Dados Econômicos Fonte: RAIS – MTE *Considerando o salário mínimo brasileiro em dezembro de 2008, R$ 415,00 Faixa Salarial dos Empregados – 2008 Tanto na microrregião de Astorga como no município de Munhoz de Mello é baixo o nível salarial da mão de obra, o que está diretamente associado ao baixo poder de consumo Ano Microrregião de Astorga Paraná Até 1 salário mínimo3%4% De 1,01 a 1,5 salários mínimos41%32% De 1,51 a 3 salários mínimos46%40% Mais de 3 salários mínimos11%24%

41 41 Dados de Desenvolvimento Taxa de Alfabetização do Município de Munhoz de Mello – 2002 e 2007 Ano Microrregião de Astorga Paraná %88% %91% Variação2,4%3,4% 2,4% Tanto a microrregião de Astorga como a cidade de Munhoz de Mello apresentam níveis de escolaridade abaixo da média do estado. Fonte: TARGET

42 42 Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Munhoz de Mello – 1991 e 2000 Dados de Desenvolvimento Ano Cidade de Astorga Paraná 19910,7050, ,7500,787 Variação6%11% 16% Com esse IDH, Munhoz de Mello ocupa a 100ª posição do ranking dos 399 municípios do estado, uma posição inferior a posição ocupada em O IDH de Munhoz de Mello é superior ao registrado na cidade de Astorga e inferior ao do estado, porém cresceu mais que essas localidades. Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil

43 43 Posição no Ranking Estadual* Dados de Desenvolvimento Cidade Ranking de Consumo** Ranking do IDH*** Ranking de População**** Bom Sucesso do Sul Carlópolis Imbaú Munhoz de Mello * Este ranking incluí todos os 399 municípios que integram o estado do Paraná. ** Fonte: TARGET – 2007 *** Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil – 2000 **** Fonte: IBGE - Cidades e BDE - IPARDES (IBGE - Censo)

44 Análise dos Aspectos Gerais do Município Localização, Acessos, Principais Características e Atividades Econômicas 3

45 45 Análise dos Aspectos Gerais do Município Localização do Município Munhoz de Mello está localizada no norte do Paraná, a cerca de 21 km de Astorga, principal cidade da região, a 46 Km de Maringá e a 440 km da capital Curitiba. O acesso se dá pela rodovia PR-550, que é um entroncamento da PR-218 que por sua vez liga o Norte Pioneiro ao estado de São Paulo. Teve sua emancipação de Astorga em 1956 e estima-se que atualmente a população esteja em torno de habitantes, sendo 22% moradores da área rural. Este capítulo traz as informações coletadas com as lideranças do município. Em alguns casos, as informações foram comparadas com dados do IBGE e da pesquisa realizada com empreendedores do município.

46 46 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município Existe uma grande diversidade de produtos agrícolas em desenvolvimento na cidade. Soja, cana-de-açúcar e milho são produzidos pelas grandes propriedades localizadas no entorno do município, já nas propriedades menores localizadas mais próximas ao centro da cidade, existem cultivos de café, hortaliças, produção de leite e frango para corte e outras agriculturas de menor representatividade no município. Segundo relatos, o solo de Munhoz de Mello é muito arenoso, prejudicando a produtividade da produção agrícola, obrigando os agricultores a buscar outras alternativas e a diversificação. Grandes propriedades de soja, cana-de-açúcar e milho.

47 47 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município O cultivo de soja, cana-de-açúcar e milho é feito em propriedades mais distantes da cidade, são grandes propriedades arrendadas para essa finalidade. Essas propriedades são estruturadas de forma que não geram muitos empregos na cidade, pois a colheita é realizada por empresas de fora. A plantação em Munhoz de Mello é realizada depois das outras cidades, assim, as máquinas que fazem a colheita em Maringá podem vir para Munhoz de Mello na época certa para colher os grãos e levá-los para outros municípios. Cultivo de Soja, Cana-de-Açúcar e Milho

48 48 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município Existem várias comunidades do município se dedicando à plantação do café, como por exemplo, Água dos Alves e Interventor II. Existe inclusive a Associação dos Cafeicultores de Munhoz de Mello – ACAMM – que atua desde 1999 no município. Cultivo de Café A ACAMM fica localizada no prédio da Secretaria de Agricultura juntamente com as outras associações existentes no município. Cultivo de Hortaliças As hortaliças são cultivadas em propriedades de terra menores, mais próximas ao centro da cidade, e dividem espaço com uma diversidade de outras culturas. De forma geral, as hortaliças são comercializadas através do Ceasa, ou seja, os produtos da cidade não são consumidos localmente. Por outro lado, o comércio local se abastece destes produtos através do Ceasa e de fornecedores de outras cidades e consequentemente o produto é vendido para fora sem uma das suas etapas de agregação de valor. Além disto, a própria escala de produção não é adequada para uma boa negociação com o Ceasa. Recentemente a prefeitura de Munhoz de Mello conseguiu maquinário próprio para beneficiamento do café junto ao Governo Federal, além de disponibilizar um barracão com a finalidade de criar uma cooperativa local para atender os pequenos produtores, no entanto, não há nenhum projeto específico até o presente momento.

49 49 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município A bovinocultura em Munhoz de Mello é composta por pequenos produtores espalhados por todo o município. A produção de leite ganha certo destaque sobre o corte de carnes, mas de uma maneira geral ambas apresentam pontos a serem corrigidos em sua cadeia. Bovinocultura Mini laticínio da APROVELEITE próximo ao centro da cidade Produção de leite: através de incentivos do governo municipal e do estado, foram criadas duas associações, a ARPROLEITE e a APROVELEITE, entre os anos de 2004 e 2005, objetivando o aumento desta cadeia com a implementação de tanques resfriadores, técnicas de inseminação artificial e um pequeno laticínio local. No entanto, a falta de organização vem comprometendo, sobretudo a parte de frente desta cadeia, pois o laticínio não vem sendo abastecido satisfatoriamente e boa parte da produção continua sendo escoada in natura, ou seja, sem agregar valor.

50 50 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município Produção de carne: a criação de gado para corte é outro exemplo de cadeia desintegrada. Foram criados incentivos, como um abatedouro municipal, para que o produto não mais saísse do município sem valor agregado. O intuito, segundo relatos, era que produtores, açougueiros e mercados se reunissem em torno de uma associação, afim de que fosse feito o abate, corte e comercialização da carne no próprio município. Porém a recorrente e já citada falta de articulação, fez com que o abatedouro fosse desativado. Dessa forma o município continua preso a primeira etapa da cadeia, que é a criação e a engorda, sem agregar valor ao produto. Animais são vendidos vivos para abatedouros de cidades vizinhas

51 51 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município Segundo os empreendedores do município, uma das principais atividades da cidade é a avicultura, mais especificamente a criação de frango. Segundo líderes entrevistados, Munhoz de Mello é a cidade que produz mais frangos vivos da região. Avicultura Uma das granjas localizadas em Munhoz de Mello Porém, para o município, essa atividade poderia ser melhor desenvolvida, pois segundo lideranças locais, apesar das granjas gerarem impostos, não geram uma boa quantidade de empregos, já que 1 pessoa possui condições de cuidar de até 2 granjas com 30 ou 40 mil frangos. Outro ponto negativo é o fato de haver apenas a engorda do frango no município, não existem abatedouros na cidade para agregar valor ao produto. Segundo as lideranças, Arapongas, Maringá, Rolândia e Jaguapitã são municípios próximos que possuem abatedouros muito fortes.

52 52 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município No conjunto das cadeias desintegradas, a cultura do palmito que ganhara força através de incentivos da prefeitura com a distribuição de mudas da qualidade palmeira real, hoje se encontra em uma situação inusitada. Foi instalada uma indústria local que beneficia e embala o palmito, vendendo para várias regiões do país. Para abastecer esta indústria, esperava-se que a produção dos agricultores que receberam estas mudas fosse satisfatória. Entretanto, alguns produtores abandonaram a atividade devido a alguns problemas iniciais e houve até uma eventual falta de adaptação da espécime inicialmente selecionada. Como consequencia, a indústria aparentemente busca palmito fora da cidade, e a assim uma das únicas cadeias que poderia agregar valor via transformação no município está potencialmente desarticulada em sua etapa de fornecimento Cultivo e Transformação de Palmito Sede e marca da empresa Bella Floresta Palmitos

53 53 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Agropecuária no Município Além dos produtos citados, existem outras culturas que, segundo relatos das lideranças locais, estão em expansão no município. São elas: a banana e a seringueira. Outras Culturas Banana: segundo líderes entrevistados, o cultivo da banana está iniciando no município e já existe uma preocupação em não vender apenas o produto in natura, mas também beneficiar o produto. Seringueira: essa foi uma alternativa trazida para o município, que cedeu mudas da planta para agricultores interessados.

54 54 Análise dos Aspectos Gerais do Município A agropecuária do município conta com o auxílio de diversas associações presentes na cidade; Existem pequenas produções de derivados do leite atuando na cidade; Presença de industria local responsável pela produção de palmito em conserva. Fortalezas e Fraquezas da Agropecuária Fortalezas O rendimento médio das terras de Munhoz de Mello é baixo, ficando em muitos casos abaixo do rendimento da microrregião ou do Paraná; Produtos como gado, grãos, leite e frango, deixam a cidade in natura ou com um baixo grau de beneficiamento e agregação de valor; Existem muitas granjas na cidade, porém não geram muitos empregos; As pessoas que trabalham na agricultura estão envelhecendo e seus substitutos estão optando em deixar a área rural e migrar para a cidade em busca de outras oportunidades; Ausência de articulação entre produtores de palmito e industria responsável por sua transformação, fazendo com que parte da matéria prima seja trazida de fora da cidade. Fraquezas

55 55 Análise dos Aspectos Gerais do Município O Comércio da Cidade Segundo lideranças locais, o comércio de Munhoz de Mello é antigo e ainda atua de maneira precária, principalmente pela questão do vender fiado. O principal problema desta modalidade de venda é o fato dos comerciantes não terem uma data para receber pela mercadoria vendida, uma vez que a população paga quando quiser. O comércio local é carente de produtos e serviços. Segundo os empreendedores entrevistados, a população precisa se deslocar para outras cidades em busca de roupas e calçados, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, já que na cidade existem apenas pequenas lojas com pouca variedade ou marcas de qualidade. Aliado a estes fatores, há também a questão cultural dos moradores da cidade, que preferem fazer suas compras em Astorga em busca de melhores preços, o que segundo relatos, é uma ilusão da população. Avenida principal no centro de Munhoz de Mello, onde estão concentrados os estabelecimentos comerciais

56 56 Análise dos Aspectos Gerais do Município Fortalezas e Fraquezas do Comércio da Cidade Apesar de pouco estruturado, o comércio de Munhoz de Mello é numeroso e emprega parte da população do município. Fortalezas Ciclo vicioso que existe no comércio, que faz com que a população não gaste na cidade, pois o comércio é pouco estruturado e como a população não gasta localmente, o mesmo acaba não evoluindo; A população tem pouca variedade de produtos disponíveis na cidade; Baixa qualidade de atendimento; A venda fiado enfraquece o comerciante da cidade, pois nunca se sabe quando vai receber pela mercadoria vendida; Baixo poder de consumo em função da pequena renda dos trabalhadores, acompanhado da baixa concentração de integrantes da classe AB. Fraquezas

57 57 Análise dos Aspectos Gerais do Município A Indústria Atualmente a cidade de Munhoz de Mello conta com poucas indústrias instaladas. A principal atividade fica por conta das facções. Segundo dados obtidos através das lideranças locais, existem em torno de 12 facções na cidade, sendo que em 4 grandes delas estão empregados aproximadamente 150 pessoas e ao todo são mais ou menos 200 empregos gerados por estas indústrias. Grande parte das facções instaladas no município produzem calças jeans que são mandadas para outras cidades para comercialização. Uma das facções de Munhoz de Mello Outro ponto levantado pelos entrevistados foi que, apesar da atividade gerar empregos, pouco contribui para o desenvolvimento do município uma vez que nenhuma das empresas possui marca própria ou comercializa na cidade. A prefeitura pretende instalar um parque industrial na cidade, há relatos de que o terreno para as instalações já foi adquirido, porém o projeto ainda está em sua fase inicial.

58 58 Análise dos Aspectos Gerais do Município Fortalezas e Fraquezas da Indústria Existe uma mobilização por parte da prefeitura para trazer novas indústrias para a cidade, iniciando pela construção do Parque Industrial; A presença das facções contribui na geração de empregos e não deixa de ser uma base industrial. Fortalezas Falta de mão de obra qualificada para trabalhar na indústria, na manutenção dos equipamentos; A industrialização do município está apenas começando, o PIB do setor industrial é pouco significativo em Munhoz de Mello; A cadeia do setor vestuário é curta e seu menor elo em termos de agregação de valor, são justamente as facções. Fraquezas

59 59 Análise dos Aspectos Gerais do Município O Turismo em Munhoz de Mello A prefeitura tem realizado esforços para o desenvolvimento da atividade turística através da expansão de eventos como a Festa das Nações, o desenvolvimento de roteiros turísticos voltados à área rural do município e a recente criação do prato típico conhecido como Porco Sertanejo com Palmito. Este último, ao que parece, ainda não criou uma forte identidade no município, pois apenas 2 empreendedores o citaram com ícone da cidade. No geral, a demanda pelo turismo ainda é baixa, mas mesmo assim os entrevistados demonstram preocupação com os serviços de hospedagem e alimentação, que estão restritos a um único hotel e restaurante. Turismo Rural Informativo da Festa das Nações

60 60 Análise dos Aspectos Gerais do Município Basicamente composto por pacote que engloba visitas a propriedades rurais acompanhados ou não de café da manhã e almoço com produtos típicos da região, funciona hoje de maneira agendada. Turismo Rural Café da Roça – a prefeitura da cidade desenvolveu cursos para incentivar os moradores a aderir ao turismo rural. Logo após o término deste curso, 14 famílias se uniram e criaram o Café na Roça com o objetivo de oferecer ao público um café colonial. Atualmente, o cardápio conta com 25 itens, todos produtos caseiros desenvolvidos pelas famílias participantes como: queijo e requeijão, pão caseiro e bolos. Quando o projeto iniciou tinha capacidade para atender 50 pessoas, hoje chega atender até 200 pessoas. Aparentemente este é um produto com bastante potencial, mas sua comercialização hoje depende muito da prefeitura, de seus eventos. Para intensificar esta atividade é necessário que seus participantes atuem no sentido de atrair novos clientes, reduzindo a dependência do poder público. O Turismo em Munhoz de Mello Café na Roça

61 61 Análise dos Aspectos Gerais do Município Caminhos da Roça – o roteiro rural Caminhos da Roça foi desenvolvido pela administração da cidade com o objetivo de receber grupos da região no município para desfrutarem de momentos inesquecíveis nas propriedades rurais. O alvo central do itinerário destas visitações é uma propriedade considerada parte do patrimônio histórico do município – A Fazenda Felicíssima – que conta com grande beleza natural e construções antigas. Existe também uma gruta feita em pedra em homenagem a Nossa Senhora Aparecida. Além da visitação à fazenda, o roteiro conta com visita a produtores da agroindústria familiar, a degustação do Café da Roça e um almoço tipicamente rural. O Turismo em Munhoz de Mello Visão interna da gruta de Nossa Senhora Aparecida Visão externa da gruta de Nossa Senhora Aparecida

62 62 Análise dos Aspectos Gerais do Município Orquestra dos Violeiros O Turismo em Munhoz de Mello Orquestra de Violeiros Em junho de 2005, houve uma oficina com o Grupo Viola de Arame de Cascavel, com o objetivo de incentivar a formação de um grupo de violeiros com trabalhadores, donas de casa e estudantes da cidade. Com o apoio da administração municipal foram adquiridos os instrumentos e demais materiais necessários. O grupo passou a ensaiar semanalmente até que em novembro de 2005, estreou na 9ª Festa das Nações, depois deste evento seguiram com apresentações no Café da Roça e, esporadicamente, em municípios vizinhos.

63 63 Análise dos Aspectos Gerais do Município Festa das Nações O Turismo em Munhoz de Mello Estrutura preparada para a festa das nações Em novembro de 2009, o município realizou a 13ª edição da Festa das Nações, evento que faz parte do aniversario do município. A festa foi criada em 1997 pelo então padre da cidade Celso da Silva. Esta festa compõe o trabalho organizado pela administração pública municipal em fomentar a identidade do município como ponto de atividade turística e essa iniciativa vêm dando certo. A festa acontece em diversos locais do centro da cidade, ao lado da igreja e em outras barracas armadas ao longo da avenida. Com duração de 3 dias e a visitação de cerca de 30 mil pessoas, conta com diversas atrações artísticas, além da comercialização de produtos da região trazendo pessoas de várias cidades da região para Munhoz de Mello.

64 64 Análise dos Aspectos Gerais do Município O Turismo em Munhoz de Mello O município possui um trabalho para qualificar artesãos da cidade. Foi desenvolvida uma oficina para qualificar a população para trabalhar com a folha da palmeira, produto muito encontrado no município, e a idéia da prefeitura é desenvolver novas oficinas para continuar a qualificação da população. A idéia inicial é formar um grupo de artesãos que produzam 1 ou 2 produtos principais em grande escala para permitir a comercialização para fora da região. Além disso, existe um projeto para reestruturar a associação dos artesãos, que atuará em conjunto com as famílias do café na roça e a orquestra de violeiros sob a denominação de Associação de Turismo e Cultura. Grupo de Artesanato

65 65 Análise dos Aspectos Gerais do Município Fortalezas e Fraquezas do Turismo na Região O município vem investindo forte neste segmento, desenvolvendo diversas ações para fortalecer o turismo na região; Já existe uma linha de trabalho, o turismo rural é o carro chefe deste trabalho de desenvolvimento turístico; Oferta de oficinas de artesanato para ensinar a população a trabalhar com produtos locais, potencializando a geração de renda a partir do turismo; A possibilidade de integração entre os atrativos turísticos é um ponto forte, pois o Café da Roça, Caminhos da Roça, Festa das Nações, Orquestra dos Violeiros e artesanato dão força à atividade turística como um todo e estão todos alinhados. Fortalezas A divulgação e comercialização dos roteiros está vinculada a prefeitura; O prato típico criado como símbolo da cidade ainda não possui uma forte identificação; Falta uma melhor estrutura hoteleira para comportar os turistas que visitam a cidade. Fraquezas

66 66 Análise dos Aspectos Gerais do Município Emprego e Mão de Obra da Cidade De acordo com as lideranças locais não há desemprego, mas sim escassez de mão de obra qualificada na agropecuária e serviços de apoio, como assistência técnica, nas facções. Por outro lado a realidade percebida pelos empreendedores entrevistados é a de que além da falta de qualificação, também faltam empregos no município (opinião de 55% dos empreendedores entrevistados) Já no que diz respeito à colocação das mulheres, os lideres acreditam que a oferta de empregos para elas é maior, o que pode ser comprovado pelo seu domínio nas facções. Fato por sinal pivô de reclamações ligadas a baixa variedade de opções de emprego. Já os empreendedores entrevistados acreditam que faltam empregos para as mulheres. Nestes dois casos, a visão das lideranças não bate com a percepção dos empreendedores.

67 67 Análise dos Aspectos Gerais do Município Fortalezas e Fraquezas do Emprego e Mão de Obra da Cidade Embora não exista consenso sobre a falta ou não de empregos, é um ponto forte a presença das facções que geram emprego e podem vir a gerar ainda mais. Fortalezas Falta mão de obra qualificada para trabalhar na cidade ; As ocupações estão restritas a dois tipos emprego, que são a agricultura e as facções; Fraquezas

68 68 Análise dos Aspectos Gerais do Município Além do apoio da prefeitura no seu desenvolvimento, a cidade conta com o apoio de algumas entidades e grupos de trabalho estruturados, porém não possui uma associação comercial local. Ambiente Institucional – Entidades APPRUMM – Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Munhoz de Mello Fundada em 1997, a associação dos pequenos produtores possui cerca de120 associados, boa parte inativos que se reúnem esporadicamente para discutir os problemas da agricultura no município. Atualmente, a associação conta com 3 tratores para oferecer serviços a preços reduzidos à comunidade. ARPROLEITE – Associação Regional dos Produtores de Leite É uma entidade que congrega produtores de leite de nove municípios da região. Conta com 98 associados, boa parte do próprio município de Munhoz de Mello.

69 69 Análise dos Aspectos Gerais do Município ACAMM – Associação dos Cafeicultores de Munhoz de Mello São cerca de 40 produtores associados. Formada há 10 anos, atualmente está sem atividades. APROVELEITE – Associação dos Produtores e Vendedores de Leite Os mesmos produtores de Munhoz de Mello associados a ARPROLEITE fazem parte da APROVELEITE (cerca de 25). Formada há 4 anos, a associação compra o leite dos produtores para então depois beneficiá-lo em um pequeno laticínio próximo ao centro da cidade. Ambiente Institucional – Entidades

70 70 Análise dos Aspectos Gerais do Município Áreas Geográficas Importantes da Cidade Astorga Jaguapitã Santa Fé Iguaraçu Centro 1 1.Vila Rural José Sobrinho: assentamento próximo ao centro do distrito de Fernão Dias. Boa parte de seus moradores trabalham nos canaviais. 2.Fazenda Felicíssima: propriedade histórica na entrada da localidade de São Carlo, é o principal alvo do turismo rural. Nela está localizada a gruta de Nossa Senhora Aparecida. 3.Água dos Alves: comunidade próxima ao centro, onde a maior parte das famílias trabalham com produção de hortaliças. Também possuem gado leiteiro. 2 Agricultores Comércio Facções Avicultores (criação de frangos para corte) Bovinocultura de corte e leite 3 Turismo

71 71 Análise dos Aspectos Gerais do Município Principais Atividades Econômicas do Município Pouca variedade no comércio Inexistência de entidades ou associações Concorrência com centro da cidade vizinha Astorga Presença de um único restaurante e hotel Pouca variedade no comércio Inexistência de entidades ou associações Concorrência com centro da cidade vizinha Astorga Presença de um único restaurante e hotel Comércio e Serviço Empresas na maioria de pequeno porte e formalizadas, prestando serviços para marcas de outras regiões e estados Maior geradora de empregos na área urbana Empresas na maioria de pequeno porte e formalizadas, prestando serviços para marcas de outras regiões e estados Maior geradora de empregos na área urbana Facções Bovinocultura Predomina a bovinocultura de leite Poucas famílias associadas à ARPROLEITE e APROVELEITE O gado criado para corte, sai para ser abatido e fracionado em frigoríficos de cidades vizinhas Predomina a bovinocultura de leite Poucas famílias associadas à ARPROLEITE e APROVELEITE O gado criado para corte, sai para ser abatido e fracionado em frigoríficos de cidades vizinhas

72 72 Análise dos Aspectos Gerais do Município Principais Atividades Econômicas do Município Pequenos produtores espalhados por várias regiões do município Individualismo dos produtores impede o associativismo Beneficiamento do produto acontece fora da cidade As grandes propriedades de soja, milho e cana-de-açúcar são afastadas do centro da cidade e pouco a pouco a mão de obra do município vem sendo substituída por máquinas Pequenos produtores espalhados por várias regiões do município Individualismo dos produtores impede o associativismo Beneficiamento do produto acontece fora da cidade As grandes propriedades de soja, milho e cana-de-açúcar são afastadas do centro da cidade e pouco a pouco a mão de obra do município vem sendo substituída por máquinas Agricultura Atividade que apresenta o maior crescimento Em todas as localidades é possível encontrar granjas Beneficiamento do produto acontece fora da cidade Gera poucos empregos para a cidade Atividade que apresenta o maior crescimento Em todas as localidades é possível encontrar granjas Beneficiamento do produto acontece fora da cidade Gera poucos empregos para a cidade Avicultura

73 Como são os Estabelecimentos em Munhoz de Mello? Setor de Atuação dos Estabelecimentos, Gênero e Idade dos Empresários, Tempo de Atuação como Empresários, Ano de Fundação dos Estabelecimentos e Tamanho dos Estabelecimentos Rurais 4

74 74 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Setor de Atuação dos Estabelecimentos Entrevistados Base: 94 Agropecuária – 39% Comércio – 26% Serviços – 24% Indústria – 11%

75 75 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Principal Atividade Desenvolvida 10 Serviços Setor de Atuação Restaurante e lanchonete Salão de beleza 3 Pecuária 32% 27% Agropecuária Setor de Atuação Avicultura Gênero alimentícios 6 3 Comércio Setor de Atuação Roupas 5 Indústria Setor de Atuação Fabricação de bolos Facção 2 Base: 37 Base: 24* Base: 23* Base: 10* * Valores expressos em números absolutos devido a baixa representatividade da base.

76 76 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Localização do Estabelecimento Base: 94 O Estabelecimento está Localizado na Área Rural ou Urbana da Cidade?

77 77 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Gênero dos Empreendedores Base: 94

78 78 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Idade dos Empreendedores Base: 94 Média de 45 anos Mediana: 44 anos Média Interna*: 45 anos * Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. O entrevistado mais velho tem 80 anos O entrevistado mais novo tem 19 anos

79 79 Municípios Idade Média dos Empreendedores Bom Sucesso do Sul 46 anos Adrianópolis 46 anos Munhoz de Mello 45 anos Bocaiúva do Sul 43 anos Carlópolis 43 anos Rio Branco do Sul 42 anos Cerro Azul 41 anos Dr. Ulysses 41 anos Imbaú 40 anos Tunas do Paraná 40 anos Itaperuçu 39 anos Caracterização Geral dos Estabelecimentos Idade dos Empreendedores

80 80 Área Gênero Base: Caracterização Geral dos Estabelecimentos Idade Média dos Empreendedores – Por Segmentos

81 81 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Tempo de Experiência como Empreendedor Base: 93* Média 14 anos de experiência Mediana: 10 anos Média Interna**: 12 anos * Total de entrevistados que informaram o tempo de atuação como empresário. ** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. O empreendedor com menor tempo de atuação no mercado possui 1 mês de experiência O empreendedor com maior tempo de atuação no mercado possui 50 anos de experiência

82 82 Base: Caracterização Geral dos Estabelecimentos Tempo de Experiência como Empreendedor – por Segmentos Área Gênero

83 83 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Grau de Instrução dos Empreendedores Base: 93* * Total de entrevistados que informaram a escolaridade.

84 84 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Grau de Instrução dos Empreendedores Municípios% de Empreendedores com Nível Superior Adrianópolis 16% Carlópolis 14% Munhoz de Mello 13% Tunas do Paraná 11% Bocaiúva do Sul 10% Bom Sucesso do Sul 9% Rio Branco do Sul 9% Imbaú 9% Dr. Ulysses 8% Itaperuçu 6% Cerro Azul 3%

85 85 Base: Caracterização Geral dos Estabelecimentos Área Gênero Grau de Instrução – Percentual de Empreendedores com Ensino Superior Empreendedor

86 86 12 anos é a idade média dos Estabelecimentos Caracterização Geral dos Estabelecimentos Ano em que o Estabelecimento Começou a Atuar no Mercado Base: 89* Mediana: 9 anos Média Interna**: 11 anos * Total de entrevistados que informaram o ano de fundação do estabelecimento. ** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. O estabelecimento mais antigo tem 45 anos O estabelecimento mais novo tem 1 ano

87 87 Área Gênero Base: Caracterização Geral dos Estabelecimentos Idade Média dos Estabelecimentos – Por Segmentos

88 88 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Tamanho dos Estabelecimentos Rurais (em hectares paulista) Base: 26* Mediana: 7,26 ha Média Interna**: 12,35 ha O maior estabelecimento possui 200,8 ha *Total de entrevistados que possuem estabelecimentos em área rural e que informaram o tamanho do estabelecimento. Valores expressos em números absolutos devido a baixa representatividade da base. ** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. 1 hectare paulista = m² 20,20 ha é o tamanho médio dos Estabelecimentos Rurais O menor estabelecimento possui 0,6 ha

89 89 Caracterização Geral dos Estabelecimentos Tamanho dos Estabelecimentos Rurais (em hectares paulista) Municípios Tamanho Médios dos Estabelecimentos Rurais (ha) Itaperuçu77 Bom Sucesso do Sul68 Imbaú52 Dr. Ulysses33 Adrianópolis31 Carlópolis29 Rio Branco do Sul24 Munhoz de Mello20 Bocaiúva do Sul14 Cerro Azul12 * A média de Tunas do Paraná (301 ha) não foi apresentada, pois foi informada por apenas dois entrevistados.

90 Como os Estabelecimentos da Cidade de Munhoz de Mello Atuam? Situação Legal, Atividade Principal, Principais Produtos ou Serviços, Número de Pessoas que Trabalham 5

91 91 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Situação Legal dos Estabelecimentos Sua Empresa é Formalizada? Se Formalizada, Qual Registro Possui? Base: 86** * DAF – Declaração de Aptidão ao Pronaf ** Total de entrevistados que informaram se a empresa é formalizada. 66% das empresas possuem formalização oficial

92 92 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Conhecimento da Lei que Criou a Figura do Micro Empreendedor Individual 11 Não tem interesse em formalizar 25 empresas não possuem qualquer formalização 14 tem interesse em formalizar 14 Não conhecem o MEI* 11 conhecem o MEI* 10 teriam interesse em aproveitar a lei para se formalizar * Lei do Micro Empreendedor Individual

93 93 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Total de Pessoas que Trabalham no Estabelecimento Atualmente* Média de 4 pessoas Mediana: 2 pessoas Média Interna**: 2 pessoas Contando com o Senhor, Quantas Pessoas Trabalham no Estabelecimento, Considerando Proprietários, Familiares, Funcionários Fixos e Prestadores de Serviços? Base: 94 *Considerando o mês de novembro de 2009, quando foi iniciada a coleta. ** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. Área Urbana: 5 funcionários Área Rural: 2 funcionários

94 94 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Média de Pessoas que Trabalham no Estabelecimento Comparativo Novembro de 2009 e Dezembro de 2008 Base: 82*Base: 94 * Total de entrevistados que informaram o número de pessoas ocupadas na empresa em % Os empreendedores abordados apresentaram estagnação no tamanho de seus empreendimentos

95 95 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Base: 302 pessoas que trabalham em 55 empresas que possuem familiares em seus quadros. Participação de Familiares no Quadro de Pessoas Ocupadas do Estabelecimento Qual o Percentual de Familiares e Não Familiares do Total de Pessoas que Trabalham na Empresa? Resultado combinado indica 13,3% de funcionários pertencentes à família em todo o segmento Base: 94 * Total de estabelecimentos que possuem familiares como funcionários. Atualmente, Existem Familiares que Fazem Parte do Quadro de Pessoas que Trabalham no Estabelecimento?

96 96 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Participação de Familiares no Quadro de Pessoas Ocupadas do Estabelecimento Percentual de Funcionários Pertencentes à Família em Todo o Segmento Municípios Percentual de funcionários Imbaú 24,8% Bom Sucesso do Sul 21,4% Carlópolis 21,3% Munhoz de Mello 13,3%

97 97 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Situação de Alguns Documentos Exigidos aos Estabelecimentos * Total de entrevistados que responderam e onde se aplica a documentação exigida ao estabelecimento. ** Valor expresso em número absoluto devido a baixa representatividade da base. Documentos Exigidos Alvará da PrefeituraVistoria do bombeiro Munhoz de Mello CarlópolisImbaú Bom Sucesso do Sul Munhoz de Mello CarlópolisImbaú Bom Sucesso do Sul Está em dia com o documento 66%86%66%84%749%43%85% Está com o documento em andamento 7%3%12%2%--9%4% Não tem o documento 27%12%22%14%551%48%11% Base* **554447

98 98 Forma de Atuação dos Estabelecimentos Situação de Alguns Documentos Exigidos aos Estabelecimentos * Total de entrevistados que responderam e onde se aplica a documentação exigida ao estabelecimento. Documentos Exigidos Fiscalização da Saúde Munhoz de Mello CarlópolisImbaú Bom Sucesso do Sul Está em dia com o documento 85%88%68%89% Está com o documento em andamento 2%-7%4% Não tem o documento 13%12%25%7% Base*

99 Ambiente Econômico e Organizacional Controle do Estabelecimento, Faturamento, Percepção de Queda ou Aumento de Faturamento nos Últimos anos e Motivos, Principais Dificuldades na Condução e Administração do Estabelecimento 6

100 100 Estimativa** do Faturamento dos Estabelecimentos no Ano de 2009 Ambiente Econômico e Organizacional Base: 60* * Total de entrevistados que informaram o faturamento ** Vale ressaltar que a pesquisa foi realizada em dezembro de 2009, portanto os dados de faturamento para 2009 são estimativas dos empreendedores para o ano. *** Média interna considerando 80% dos casos. Refere-se ao cálculo da média obtida excluindo os valores extremos, sendo 10% dos valores mais altos e 10% dos valores mais baixos. Média* de R$ 95 mil Mediana: R$ 15 mil Média Interna***: R$ 39 mil O maior faturamento é de R$ 2 milhões O menor faturamento é de R$ 10 mil Faturamento Médio Área Urbana: R$ 152 mil Área Rural: R$ 30 mil

101 101 Evolução no Faturamento Médio Anual dos Estabelecimentos – 2008 e 2009 Ambiente Econômico e Organizacional Base: 51* * Total de entrevistados que informaram a estimativa de faturamento para ambos os anos. Apesar da crise registrada no país, o faturamento das empresas do município apresentaram um crescimento de 11%. 11%

102 102 Base: 75* Evolução do Faturamento Anual dos Estabelecimentos Em Relação ao Faturamento de 2007, o Senhor diria que em 2008 seu Estabelecimento Registrou: Ambiente Econômico e Organizacional * Total de entrevistados que informaram a evolução do faturamento de 2007 para 2008 Percentual Médio de Crescimento: 18% Percentual Médio de Queda: 39%

103 103 Evolução do Faturamento Anual dos Estabelecimentos 2007 – 2008 – Por Segmentos Ambiente Econômico e Organizacional Área 60% 25% Urbana Rural 40% 34% Empreendedor 53% 26% Menos experiente Mais experiente 50%Crescimento Queda Estagnação 15% 26% 21% 18% 33% Entre 2007 e 2008 o crescimento foi mais percebido na área urbana.

104 104 Motivos para o Aumento do Faturamento dos Estabelecimentos Base: 38* Ambiente Econômico e Organizacional * Total de entrevistados que informaram ter crescimento no faturamento de 2007 para 2008.

105 105 Motivos para a Queda do Faturamento dos Estabelecimentos Ambiente Econômico e Organizacional * Valores expressos em números absolutos. Total de entrevistados que informaram ter queda no faturamento de 2008 para Base: 15*

106 106 Base: 76** Ambiente Econômico e Organizacional Em Relação ao Faturamento de 2008, o Senhor diria que em 2009 seu Estabelecimento Registrará: * Vale ressaltar que a pesquisa foi realizada em dezembro de 2009, portanto os dados de faturamento para 2009 são estimativas dos empreendedores para o ano. ** Total de entrevistados que informaram a evolução do faturamento de 2008 para 2009 Percentual Médio de Crescimento: 36% Percentual Médio de Queda: 34% Expectativa do Faturamento Anual dos Estabelecimentos / 2009* Cidades % de Estabelecimentos que Registraram Crescimento Bom Sucesso do Sul48% Munhoz de Mello48% Rio Branco do Sul47% Adrianópolis45% Bocaiúva do Sul45% Cerro Azul43% Itaperuçu40% Carlópolis37% Imbaú31% Tunas do Paraná29% Dr. Ulysses23%

107 107 Expectativa do Faturamento Anual dos Estabelecimentos / 2009* Ambiente Econômico e Organizacional Área 61% 11% Urbana Rural 31% 34% Empreendedor 58% 18% Menos experiente Mais experiente 40% Crescimento Queda Estagnação 27% 34% 24% 35% 25% * Vale ressaltar que a pesquisa foi realizada em dezembro de 2009, portanto os dados de faturamento para 2009 são estimativas dos empreendedores para o ano.

108 108 Motivos para Expectativa do Aumento do Faturamento dos Estabelecimentos Base: 38* Ambiente Econômico e Organizacional * Total de entrevistados que prevêem crescimento no faturamento de 2008 para Assim como em 2008, o motivo do crescimento no faturamento, deve-se à melhoria na economia em geral do país.

109 109 Ambiente Econômico e Organizacional Motivos para Expectativa da Queda do Faturamento dos Estabelecimentos Base: 24* * Valores expressos em números absolutos. Total de entrevistados que preveem queda no faturamento de 2008 para 2009.

110 110 Ambiente Econômico e Organizacional Comparativo de Crescimento entre 2008 e 2009 Ano de 2008Ano de 2009 Percentual de Empreendimentos que Registraram Crescimento 51%48% Crescimento Médio 18%36%

111 111 Principais Dificuldades que Afetam o Negócio Atualmente Ambiente Econômico e Organizacional Alguma Dificuldade ou Desafio Afeta o seu Negócio Atualmente? Base: 94 Base: 82* * Total de entrevistados que passam por alguma dificuldade ou desafio que afetou o seu negócio Quais Dificuldades?

112 112 Principais Dificuldades que Afetam o Negócio Atualmente – Por Segmentos Ambiente Econômico e Organizacional Área Rural Área Urbana Existência ou surgimento de fortes concorrentes (27%) Alto índice de inadimplência dos clientes (23%) Juros altos (23%) Dificuldade de acesso a crédito (14%) Sazonalidade do mercado (23%) Baixo crescimento (18%) Existência ou surgimento de fortes concorrentes (15%) Dificuldade de acesso a crédito (15%)

113 113 Ambiente Econômico e Organizacional Possui Dificuldades na Condução e Administração do Estabelecimento? Principais Dificuldades Enfrentadas na Condução e Administração do Estabelecimento Base: 94 Base: 83* Quais Dificuldades? * Total de entrevistados que possuem alguma dificuldade na condução e administração do estabelecimento.

114 114 Principais Dificuldades Enfrentadas na Condução e Administração do Estabelecimento – por Segmentos Ambiente Econômico e Organizacional Problemas com capital de giro (41%) Problemas financeiros (25%) Má administração do negócio (18%) Problemas com o governo (14%) Falta de qualificação dos funcionários (14%) Área Rural Problemas financeiros (51%) Problemas com capital de giro (21%) Falta de qualificação dos funcionários (13%) Área Urbana

115 115 Incidência dos Principais Problemas de Gestão no Município e Outras Cidades de Referência Ambiente Econômico e Organizacional Municípios Problemas de Capital de Giro Problemas Financeiros Falta de Qualificação de Funcionários Munhoz de Mello28%33%12% Imbaú24%20%9% Itaperuçu20%39%7% Doutor Ulysses17%27%2% Rio Branco do Sul17%25%6% Cerro Azul15%33%6% Bocaiúva do Sul15%25%12% Carlópolis15%17%19% Adrianópolis15%13%6% Tunas do Paraná13%25%13% Bom Sucesso do Sul9%17%7% NOTA: Percentuais calculados pela base total de respondentes.

116 116 Ambiente Econômico e Organizacional Existe Alguma Solução ou Medida que Venha a Solucionar as Dificuldades do seu Estabelecimento? Fatores que Ajudariam a Enfrentar as Dificuldades na Condução do Estabelecimento Base: 94 Base: 84* Quais Soluções? * Total de entrevistados que afirmaram ter alguma dificuldade na condução do estabelecimento Sebrae (6 citações), Governo Municipal (2 citações) e o EMATER (1 citação)

117 117 Fatores que Ajudariam a Enfrentar as Dificuldades na Condução do Estabelecimento – por Segmentos Ambiente Econômico e Organizacional Área Rural Área Urbana Injeção de capital próprio ou financiado (36%) Captação e fidelização de clientes (31%) Orientação de instituições especializadas (19%) Diminuir os impostos, taxas (10%) Injeção de capital próprio ou financiado (50%) Orientação de instituições especializadas (33%)

118 Apoio Institucional aos Empreendedores Recebimento de Apoio Institucional, Tipos de Contato Realizado com o Sebrae, Motivos para Procurar o Sebrae, Associações e Parcerias 7

119 119 Principais Instituições das Quais Recebeu Apoio ou Orientações Apoio aos Empreendedores Em sua Trajetória como Empresário, o Senhor Recebeu Apoio ou Orientação de Alguma Instituição? Base: 94 Base: 94* De Quais Instituições Recebeu Apoio ou Orientação? Governo Municipal * Manteve-se a base total para detectar-se a penetração de cada instituição entre os empreendedores

120 120 Cidade Percentual de Empresários que Receberam Apoio Munhoz de Mello35% Itaperuçu30% Carlópolis27% Bom Sucesso do Sul25% Adrianópolis21% Imbaú17% Doutor Ulysses17% Cerro Azul15% Rio Branco do Sul14% Bocaiúva do Sul13% Tunas Paraná 10% Percentual de Empreendedores que Receberam Auxilio de Instituições em Várias Cidades e Segmentos Apoio aos Empreendedores

121 121 Principais Instituições das Quais Recebeu Apoio ou Orientações Apoio aos Empreendedores Área Empreendedor Base: Percentual de Entrevistados que Receberam Apoio ou Orientação – Por Segmentos Gênero

122 122 Já Teve Contato com o Sebrae, Mesmo que por Telefone ou Site? Base: 94 Contato com o Sebrae Apoio aos Empreendedores

123 123 Contato com o Sebrae Apoio aos Empreendedores Percentual de Entrevistados que já Tiveram Contato com o Sebrae, Mesmo que por Telefone ou Site Por Segmentos Área Empreendedor Sexo Base: 28-66

124 124 Apoio aos Empreendedores Principais Benefícios ou Serviços que o Fariam Procurar pelo Sebrae Base: 53* Quais Benefícios ou Serviços que o Fariam se Aproximasse Mais do Sebrae? * Total de entrevistados que já tiveram algum contato com o Sebrae. Técnicas de Plantio (2) Atendimento e Vendas (2) Liderança (2) Cabeleireiro (1) Medicina Veterinária (1) Quais Cursos? Administrativa (1) Em que Áreas?

125 125 Apoio aos Empreendedores Apoio ou Orientação que Mais Favoreceria o Estabelecimento – Estimulado Que Orientações e Apoios o Senhor Acredita que Irá Ajudá-lo Administrar Melhor sua Empresa e Obter Sucesso nos seus Negócios? Base: 94 Mais um dado que reforça a percepção de que a cidade precisa de recursos, injeção de dinheiro.

126 126 Apoio aos Empreendedores Principal Apoio ou Orientação que Mais Favoreceria o Estabelecimento – por Segmentos Área Urbana Captação de recursos (59%) Marketing (37%) Técnicas de vendas (35%) Desenvolvimento de produto ou serviço (20%) Apoio Jurídico (18%) Gestão de Recursos Humanos (18%) Contabilidade (18%) Vendas Área Rural Captação de recursos (49%) Custos e formação de preço (40%) Técnicas de manejo (30%) Desenvolvimento de produto ou serviço (28%) Processo de fabricação de produto (26%) Técnicas de vendas (21%)

127 127 Apoio aos Empreendedores Parcerias com Outros Estabelecimentos Possui Parceria com Outros Estabelecimentos? Que Tipo de Parceria Mantém com Outros Estabelecimentos? Compras em conjunto 7 citações Base: 94 Base: 13* Esforços de vendas em conjunto. 5 citações Treinamento de mão de obra 1 citação * Valores expressos em números absolutos devido ao tamanho da base.

128 128 Cidade Percentual de Empresários que Realizaram Parcerias Carlópolis18% Tunas Paraná17% Bom Sucesso do Sul 15% Munhoz de Mello14% Itaperuçu13% Rio Branco do Sul11% Doutor Ulysses10% Bocaiúva do Sul10% Imbaú 8% Adrianópolis 8% Cerro Azul 8% Percentual de Empreendedores que Realizaram Parcerias em Várias Cidades e Segmentos Apoio aos Empreendedores

129 129 Apoio aos Empreendedores Parcerias com Outros Estabelecimentos Área Empreendedor Sexo Base: Percentual de Entrevistados que Possuem Parceria com Outros Estabelecimentos – por Segmentos Baixo capital social na cidade

130 130 Apoio aos Empreendedores Seu Estabelecimento é Afiliado a Alguma Associação ou Sindicato? Participação em Associações A que Tipos de Instituições seu Estabelecimento é Afiliado? Base: 26* * Total de entrevistados que são associados a alguma associação ou sindicatos. Valores expressos em números absolutos devido ao tamanho da base. Base: 93 Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Astorga (1 citação) Associação Comercial Empresarial e de Serviços de Santa Fé (1 citação) Em qual Região?

131 131 Apoio aos Empreendedores Participação em Associações Área Empreendedor Sexo Base: Percentual de Entrevistados que são Afiliados a Alguma Associação ou Sindicato – Por Segmentos Baixo capital social na cidade

132 132 Apoio aos Empreendedores Participação em Associações Percentual de Entrevistados que são Afiliados a Alguma Associação ou Sindicato – Por Municípios Municípios % Itaperuçu39% Bom Sucesso do Sul37% Munhoz de Mello31% Cerro Azul30% Imbaú23% Bocaiúva do Sul21% Rio Branco do Sul17% Dr. Ulysses17% Carlópolis16% Adrianópolis15% Tunas do Paraná10%

133 133 Apoio aos Empreendedores Seus Colaboradores são Vinculados a Alguma Entidade ou Sindicado de Classe? Participação em Associações Qual Sindicato? Sindicato dos Oficiais Alfaiates, Costureiras e Trabalhadores nas Indústrias de Confecções de Roupas de Maringá 2 citações Sindicato dos Funcionários do Comércio Varejista de Combustíveis 1 citação Base: 94 * Valores expressos em números absolutos devido ao tamanho da base. Três pessoas não souberam informar. Base: 6*

134 134 Apoio aos Empreendedores Percentual de Colaboradores que Pertencem a Alguma Entidade ou Sindicato de Classe Participação em Associações Total Á rea UrbanaRural Bom Sucesso do Sul9%5% 13% Carlópolis7% 8% Munhoz de Mello6% 10% 2% Imbaú1% 4%

135 Avaliação do Ambiente Econômico e Social de Munhoz de Mello Vantagens e Dificuldades por Estarem Instalados no Município, Percepção de Setores Mais e Menos Aquecidos, Oportunidades de Desenvolvimento, Necessidade de mão de obra etc. 8

136 136 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Dificuldades Enfrentadas pelo Estabelecimento por Estar Localizado no Município Base: 94 Base: 67* Enfrenta Alguma Dificuldade Pelo fato de estar Localizado no Município? Quais Dificuldades? * Total de entrevistados que acreditam enfrentar alguma dificuldade.

137 137 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Dificuldades Enfrentadas pelo Estabelecimento por Estar Localizado no Município Área Empreendedor Sexo Base: Percentual de Entrevistados que Acreditam Enfrentar Dificuldades por Estarem Localizados no Município - Por Segmentos

138 138 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Dificuldades Enfrentadas pelo Estabelecimento por Estar Localizado no Município – Por Segmento Área Urbana Pouco dinheiro em circulação na cidade, poucos clientes, pouco movimento ( 45% ) Falta de boas estradas, melhores condições de logística (18%) Fornecedores muito distante da região (12%) Área Rural Falta de boas estradas,melhores condições de logística ( 47%) Pouco dinheiro em circulação na cidade, poucos clientes, pouco movimento (21%) Grande parte da população compra fora do município (12%)

139 139 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Vantagens Desfrutadas pelo Estabelecimento por Estar Localizado no Município Base: 94 Base: 77* Acredita que Desfruta de Alguma Vantagem por estar Neste Município? Quais Vantagens? * Total de entrevistados que acreditam desfrutar de alguma vantagem. Infraestrutura (2 citações) Locação de barracões (1) Mão de obra facilitada pelo Centro de Referência de Assistência Social (1) Terraplanagem (1) Facilidade nas documentações (1) Orientações no trâmites legais (1)

140 140 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Vantagens Desfrutadas pelo Estabelecimento por Estar Localizado no Município Percentual de Entrevistados que Acreditam Desfrutar de Alguma Vantagem por Estarem Localizados no Município - Por Segmentos Área Empreendedor Sexo Base: 28-66

141 141 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Vantagens Desfrutadas pelo Estabelecimento por Estar Localizado no Município – Por Segmentos Área Urbana Boas condições de segurança, não tem violência (40%) Facilidades burocráticas (25%) Custo de vida mais baixo (23%) Apoio da prefeitura em serviços (13%) Área Rural Boas condições de segurança, não tem violência (59%) Custo de vida mais baixo (38%) Facilidades burocráticas (14%) Apoio da prefeitura em serviços (14%)

142 142 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Setores da Cidade que Estão Mais Aquecidos na Percepção dos Empreendedores Base: 94

143 143 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Setores da Cidade que Estão com Maiores Dificuldades Base: 94 Base: 82* Acredita que Existem Setores da Cidade que Estejam Passando por Dificuldades? Quais Setores? * Total de entrevistados que acreditam que existem setores passando por dificuldades.

144 144 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Setores da Cidade que Estão com Maiores Dificuldades Percentual de Entrevistados que Acreditam que Existem Atividades na Cidade Passando por Dificuldades - Por Segmentos Área Empreendedor Sexo Base: 28-66

145 145 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Setores da Cidade que Estão com Maiores Dificuldades – Por Segmento Área Rural Agricultura (71%) Cafeicultura (10%) Área Urbana Agricultura (70%) Calçados e roupas (16%)

146 146 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Investimento em Setores Específicos Acredita que a Cidade Deveria Investir em Alguma Atividade Econômica Específica para Elevar as Condições de Crescimento e Desenvolvimento de toda a Economia Local? Que Atividades que Merecem uma Atenção Especial Para que Possam Crescer e Contribuir com o Desenvolvimento do Município? Base: 94 Base: 87* * Total de entrevistados que acreditam que a cidade deveria investir em algum setor específico.

147 147 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Investimento em Setores Específicos Percentual de Entrevistados que Acreditam que Algumas Atividades Merecem Atenção Especial para que Possam Contribuir com o Desenvolvimento do Município - Por Segmentos Área Empreendedor Sexo Base: 28-66

148 148 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Atividades que Merecem Atenção Especial para Favorecer o Desenvolvimento da Cidade – Por Segmentos Área Rural Área Urbana Calçados e roupas (28%) Fábrica de móveis (19%) Agricultura (17%) Agricultura (38%) Usina de beneficiamento de leite (18%) Educação (13%) Abatedouros (10%)

149 149 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Oportunidades de Desenvolvimento do Município Base: 94 Quais São as Principais Oportunidades de Desenvolvimento do Município?

150 150 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Oportunidades de Desenvolvimento do Município – Por Segmentos Área 27% 31% Urbana Rural 47% 33% Empreendedor 34% 38% Menos experiente Mais experiente 40% Apoiar e incentivar as indústrias da região Desenvolver a atividade agrícola 26%

151 151 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Desafios a Serem Superados para que a Cidade Amplie seu Desenvolvimento Econômico Base: 94

152 152 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Necessidade de Deslocamento para Adquirir Itens fora da Cidade Na sua Percepção, a População Precisa se Deslocar para Adquirir Itens fora da Cidade? Para Compra de quais Produtos? Base: 94 Base: 68* * Total de entrevistados que acreditam que é necessário se deslocar para adquirir determinados itens. Arroz (6 citações) Feijão (5)

153 153 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Necessidade de Deslocamento para Adquirir Itens fora da Cidade Percentual de Entrevistados que Acreditam que a População Precisa se Deslocar para Adquirir Itens fora da Cidade - Por Segmentos Área Empreendedor Sexo Base: 28-66

154 154 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Existem Produtos e Serviços que Abastecem o Varejo e que as Empresas da Cidade Poderiam Desenvolver no Próprio Município, mas que Hoje são Provenientes de Fora da Cidade? Base: 94 Quais Produtos? Base: 75* * Total de entrevistados que acreditam que existem produtos que as empresas poderiam desenvolver no próprio município. Desenvolvimento de Produtos e Serviços Dentro do Município Alface (4 citações) Berinjela (2) Batata (1) Tomate (6) Feijão (6 citações) Arroz (4) Café e milho (2) Trigo e soja (1)

155 155 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Percentual de Entrevistados que Acreditam que Existem Produtos e Serviços que Abastecem o Varejo e que as Empresas da Cidade Poderiam Desenvolver no Próprio Município - Por Segmentos Desenvolvimento de Produtos e Serviços Dentro do Município Área Empreendedor Sexo Base: 28-66

156 156 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Qualificação da Mão de Obra Falta Algum Tipo de Mão de Obra no Município que Limite o Desenvolvimento ou Atrapalhe o Crescimento dos Estabelecimentos? Base: 94 Que Tipo de Mão de Obra? * Total de entrevistados que acreditam existir falta de algum tipo de mão de obra. Base: 58*

157 157 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Qualificação da Mão de Obra Percentual de Entrevistados que Acreditam que Exista Carência de Algum Tipo de Mão de Obra no Município que Limite o Desenvolvimento ou Atrapalhe o Crescimento dos Estabelecimentos - Por Segmentos Área Empreendedor Sexo Base: 28-66

158 158 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Oferta de Empregos Acredita que Falta Emprego na Cidade? Base: 94 Especificamente para as Mulheres? Base: 94 Que Tipo de Emprego Poderia ser Gerado para a Ocupação das Mulheres no Município? Facção 9 citações Artesanato 6 citações Abatedouro 4 citações Fábrica de doces 3 citações Alimentação 3 citações Base: 29* *Total de entrevistados que acreditam que falta emprego para mulheres. Valores expressos em números absolutos devido ao tamanho da base.

159 159 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Percepção sobre o Crescimento da Cidade nos Últimos Anos Base: 90 Por que está Estagnada? Administração local não cuida do desenvolvimento da cidade Falta de infraestrutura Municípios % de Crescendo Bastante Bom Sucesso do Sul 83% Munhoz de Mello 49% Imbaú 43% Carlópolis 37% Cerro Azul 21% Tunas do Paraná 13% Bocaiúva do Sul 12% Rio Branco do Sul 8% Itaperuçu 8% Adrianópolis 4% Dr. Ulysses - Pela Sua Percepção, nos Últimos Anos a Cidade Está?

160 160 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Crescendo bastante Está regredindo Crescendo moderadamente Área 39% 57% Urbana Rural 60% 35% 4% 5% Empreendedor 46% Menos Experiente Mais Experiente 51% 8% - 49% Percepção das Cidades nos Últimos Anos Pela Sua Percepção, nos Últimos Anos a Cidade Está? Por Segmentos

161 161 Avaliação do Ambiente Econômico e Social O que Falta para que a Cidade Possa Crescer Mais Base: 44* * Total de entrevistados que acreditam que a cidade cresce moderadamente O que o Senhor Acredita que Falta para que a Cidade Pudesse Crescer de forma mais Intensa?

162 162 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Principais Produtos Levados Para Outros Municípios Sem Beneficiamento ou Transformação Grãos – 14% Pecuária e derivados – 65% Café – 11 Soja – 4 Milho – 1 Trigo – 1 Leite – 72% Gado – 39% Aves – 33% Suínos – 2% Mel – 2% Base: 61 Base: 13* Existem Produtos que são Extraídos no Município e Levados para Outros Municípios sem que Haja Nenhum Beneficiamento ou Transformação, ou seja, são Transformados em Produtos Acabados e Prontos para Vender em Outros Municípios? * Valores expressos em números absolutos devido ao tamanho da base.

163 163 Avaliação do Ambiente Econômico e Social Reconhecimento da Cidade Base: 94 Na sua Opinião, em que o Município é Lembrado, ou seja, Existe Algum Produto, Serviço, Festa ou Comida Típica da Região?

164 Conclusões Principais Desafios e Objetivos a Seguir 9

165 165 Conclusões Ao longo deste relatório foi possível detectar várias informações referentes às características do município. O foco das conclusões será nos principais desafios e objetivos que devem ser seguidos para incrementar o desenvolvimento de Munhoz de Mello. Antes de apontar os desafios da cidade, é necessário reconhecer que Munhoz de Mello vem buscando medidas para ingressar na rota do desenvolvimento. Porém, suas principais atividades econômicas encontram-se em estágio de baixo valor agregado. Isto porque na maioria dos casos os produtos são mandados, em seu estado bruto, para serem beneficiados em outras cidades e os poucos que sofrem algum tipo de transformação, apresentam pontos que carecem de melhorias ao longo de sua cadeia produtiva. A ausência destes elos complementares na cadeia, tanto a jusante, como a montante, interfere em questões como a geração de renda e circulação da riqueza, baixos salários e formação de mão de obra qualificada. De uma forma geral, é muito mais coerente para Munhoz de Mello trabalhar com os elementos existentes através da correção de suas cadeias produtivas, porque melhorias já serão sentidas a curto prazo. A atração de novas empresas, de outros segmentos, pode ocorrer posteriormente.

166 166 Conclusões Facções Palmito Carne, Leite e Frango Hortaliças Comércio Grandes Oportunidades e Desafios para Munhoz de Mello Industrialização de Grãos Turismo Temas para o Longo Prazo

167 167 Conclusões As facções são importantes como geradoras de emprego e renda, mas há a percepção por parte das lideranças que elas poderiam gerar mais valor ao município com a inclusão de mais etapas do processo; A questão que se coloca é: é possível pensar na criação de uma marca própria a partir das facções existentes ou então agregar mais valor? É possível que isto ocorra, mas talvez não seja necessário no curto ou médio prazo. Os programas de desenvolvimento do Sebrae para o primeiro estágio da indústria do vestuário focam na elevação do grau de profissionalização das empresas, com processos de gestão, controle da qualidade, controles financeiros, qualificação de mão de obra e outros aspectos básicos; Facções

168 168 Conclusões As confecções do Paraná e de todo o Brasil apresentam carência de boas facções, e o início da agregação de valor seria através da sua diferenciação. Além disto, o desenvolvimento de marca própria será favorecido se as facções estiverem mais organizadas em termos de empresas; E um dos aspectos mais relevantes para o sucesso de facções mais organizadas e de uma futura marca própria é o aspecto comercial, a colocação do produto no mercado. É necessário buscar novas alternativas de mercados e isto requer esforço especial por parte dos gestores dos projetos de desenvolvimento; Hoje, uma das demandas do setor é qualificar a mão de obra no município, o que por si só já incrementaria o valor da atividade; E, complementarmente, é possível pensar em agregar valor através da execução de serviços de manutenção por profissionais do próprio município, potencializando a atividade local. Facções

169 169 Conclusões O que ocorre hoje com o trabalho o Palmito é um pouco do que ocorre com as facções. Como houve desarticulação da produção com a transformação, parte do palmito transformado vem de fora da cidade, e perde-se uma oportunidade de agregar valor aos produtos locais, de integrar as cadeias produtivas; O que deveria ser um processo virtuoso, acaba perdendo seus ganhos de competitividade à medida que a matéria prima vem de fora, há custos com transporte, identificação de fornecedores, e além disto há exportação de empregos; O Palmito já é uma atividade importante à medida que gera produtos transformados, de maior valor agregado, e merece toda a atenção no sentido de integrar a cadeia produtiva, obter fornecimento local e consequentemente ser uma cadeia produtiva completa, geradora de emprego e renda ao município; Palmito

170 170 Conclusões Atividade que é importante como geradora de renda, mas não agrega tantos empregos. O caminho para obter maior valor desta atividade também é a agregação de valor, pois a cidade fica apenas com a engorda dos animais, uma das etapas do processo produtivo que inclusive requer mais cuidados e riscos ambientais e sanitários; A cadeia pode ser agregada para frente, com a incorporação de um abatedouro na cidade; A jusante, a cadeia pode ser fortalecida com a criação dos pintinhos para engorda; E ainda é possível buscar alternativas para melhor utilização dos subprodutos, como a produção de fertilizantes a partir da cama do frango. Frango

171 171 Conclusões Em determinado momento houve um esforço para que os açougues pudessem comprar a carne produzida no município e foi implantado o matadouro municipal; Entretanto, o matadouro não estava ativo à época da pesquisa e os açougues compravam carne de frigoríficos de fora. Uma das razões disto é a possibilidade de fracionamento da compra, de peças específicas. À medida que o gado é abatido na cidade, as peças menos procuradas terão dificuldade de serem comercializadas; Com isto, os produtores vendem o boi no pasto, para abatedouros de fora da cidade, enquanto que açougues da cidade se abastecem de frigoríficos; Apesar disto, é fundamental que esta cadeia seja integrada, que o boi não seja vendido no pasto, mas sim abatido, atinja maior valor e gere mais empregos no município. Até porque a carne teria um mercado cativo dentro da cidade, dependendo pouco da saída para outros mercados. Carne

172 172 Conclusões Hoje o leite atinge um preço médio inferior, provavelmente decorrente do baixo valor agregado que ele recebe antes de ser comercializado; A intensificação dos processos de transformação e a venda de derivados pode inclusive elevar a demanda e melhorar o preço médio do litro. Leite Situação bastante parecida com a da carne, mas em menor intensidade; Existe produção de hortaliças, até de boa qualidade, mas que são vendidas ao Ceasa, enquanto que o comércio local acaba por se abastecer do próprio Ceasa; Em comum com a carne, existiria a facilidade deste tipo de produto ser normalmente dedicado ao mercado local, não dependendo de processos de comercialização muito sofisticados. Hortifruti

173 173 Conclusões Em municípios de pequeno porte, a questão do comércio é sempre relevante, à medida que é um potencial gerador de empregos, a atividade cresce naturalmente com o desenvolvimento e seu aprimoramento faz com que mais da renda gerada no município seja apropriada localmente; O comércio de Munhoz de Mello tem um longo caminho a percorrer para cumprir seu importante papel dentro da economia do município; Primeiro, os empreendedores consideram que faltam produtos no município, que seus preços são por vezes mais elevados e que o atendimento não atinge níveis profissionais adequados; Por outro lado, pode estar acontecendo dos estabelecimentos estarem apresentando dificuldades de gestão financeiras, com o excessivo volume de compras fiado. Comércio

174 174 Conclusões É necessário romper o ciclo vicioso que afasta compradores do comércio local e ao mesmo tempo impede seu desenvolvimento. O Sebrae possui programas adequados para este fim e as etapas são as que seguem: Complementar o mix de produtos oferecidos a partir das necessidades levantadas pelos empreendedores; Capacitação do varejo: desenvolver um programa ao estilo Varejo Mais, atuando com ferramentas que façam as lojas melhorar a sua qualidade, uma verdadeira capacitação da loja (incluindo atendimento, promoções, merchandising, layout, comunicação etc.); Central de compras: promover parcerias entre os estabelecimentos comerciais da cidade focando nas compras em conjunto para ganhar escala e baixar os preços; Campanhas de incentivo às compras: as entidades e o comércio local devem continuar incentivando o consumidor a comprar na cidade. Se a barreira é cultural, mais tempo ela vai levar para ser quebrada, mas é necessário fazê-lo Comércio


Carregar ppt "1 Elaborado para: Sebrae Por: Diferencial Pesquisa de Mercado Março de 2010 Sebrae Estudo do Ambiente Econômico e Institucional dos Municípios do Programa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google