A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Alunos: Augusto Cesar Rocha Moratelli Fernando Rafael Dadam Jackson Felipe Karl Rodolfo Nejur Damo de Araújo ORGANIZAÇÕES MODERNAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Alunos: Augusto Cesar Rocha Moratelli Fernando Rafael Dadam Jackson Felipe Karl Rodolfo Nejur Damo de Araújo ORGANIZAÇÕES MODERNAS."— Transcrição da apresentação:

1 Alunos: Augusto Cesar Rocha Moratelli Fernando Rafael Dadam Jackson Felipe Karl Rodolfo Nejur Damo de Araújo ORGANIZAÇÕES MODERNAS

2 Organizações e a Vida Moderna Organização: grupamento de pessoas, estruturadas impessoalmente a fim de atingirem objetivos Importância das organizações Influência das organizações nem sempre é benéfica

3 TEORIAS DA ORGANIZAÇÃO

4 VISÃO DE WEBER SOBRE A BUROCRACIA Todas as organizações tendem a ser burocráticas Burocracia ineficiência Burocracia eficiência na administração Weber segue um caminho entre tais teorias

5 VISÃO DE WEBER SOBRE A BUROCRACIA A burocracia é um elemento de racionalização A burocracia direciona os esforços da população para objetivos das instituições A expansão da burocracia é inevitável Contudo a burocracia possui muita falhas devido à imperfeições inerentes ao sistema

6 VISÃO DE WEBER SOBRE A BUROCRACIA Tipo ideal de burocracia: Hierarquia definida de autoridade Regras escritas regem a conduta dos funcionários Os funcionários trabalham em tempo integral e são assalariados Separação entre as tarefas da organização da vida externa Nenhum membro da organização possui os recursos materiais utilizados no trabalho

7 BLAU: RELAÇÕES BUROCRÁTICAS FORMAIS E INFORMAIS Caminhos informais proporcionam maior flexibilidade na realização de tarefas Redes sociais se desenvolvem em todos os níveis de ma organização Estudo de caso: relações informais em uma agência de investigação do governo (1963)

8 BLAU: RELAÇÕES BUROCRÁTICAS FORMAIS E INFORMAIS Procedimentos informais flexibilizam o modelo ideal de burocracia de Weber Contudo, a flexibilização extremada gera perda de eficiência Favorecimento e proteção de colegas de trabalho atrapalham os interesses da organização

9 MERTON: AS DISFUNÇÕES DA BUROCRACIA Burocratas são treinados para seguir regras, mesmo quando há soluções melhores A adesão às regras pode tirar o foco do objetivo final Tensão entre a população e a organização burocrática

10 BURNS/STALKER: SISTEMA MECANICISTA E ORGÂNICO Organização Mecanicista: Existe uma cadeia hierárquica Informações fluem verticalmente Organização Orgânicas: Estrutura mais livre Dá-se prioridade às metas gerais e não à pequenas responsabilidades

11 INSTITUIÇÕES TOTAIS Estas são burocracias elaboradas que impõem um sistema de existência próprio e mantêm seus residentes isolados. Mosteiros, hospitais psiquiátricos são exemplos

12 INSTITUIÇÕES TOTAIS Os internos são privados de individualidade, sendo reconstruídos Tal reconstrução começa com a humilhação e o rebaixamento diante de todos até a destruição do conceito individual anterior (mortificação do eu)

13 INSTITUIÇÕES TOTAIS Internos resistem à pressão de mudança na sua individualidade O desenvolvimento de uma proteção psicológica e a redução das atividades ao mínimo auxiliam nesta proteção Os internos se ajustam ao sistema de modo à manter sua individualidade

14 AS PRISÕES ENQUANTO INSTITUIÇÕES MODERNAS! Michel Foucault = Organização carcerária Sociedade disciplinar Monitoramento

15 O DESENVOLVIMENTO DAS PRISÕES MODERNAS Até o século XIX: Prisão Resfriar os ânimos Punição tronco, açoite, ferrete, enforcamento. Durante o século XVIII: Manifestação dos Reformistas

16 A BUROCRATIZAÇÃO DAS PRISÕES Durante o século XIX: Sistematização da punição Prisão moderna Jeremy Bentham Projeto Panopticon (Controle do tempo, espaço e movimento dos prisioneiros)

17 Panopticon

18 Panopticon

19 A VIGILÂNCIA NAS ORGANIZAÇÕES Direta Indireta Limite da Vigilância Visão do Líder Visão do subordinado

20 A LEI DE FERRO DA OLIGARQUIA Oligarquia: domínio exercido por poucos Organizações democráticas Robert Michels A lei de ferro da Oligarquia

21 O GÊNERO E AS ORGANIZAÇÕES Teoria de Weber Década de 70 Cultura Feminista Estudo sobre o desequilíbrio e formas voltada para o gênero. Aspectos na estrutura modernas: 1) Segregação ocupacional; sem reconhecimento (plano de carreira); 2) Carreira masculina; mulher coadjuvante crucial (ex. secretaria) – progredindo o homem;

22 O GÊNERO E AS ORGANIZAÇÕES Resultado desses aspectos O.M.: Dominados pelos homens; Mulheres sem poder; Sem progresso de carreira; Vitimizadas – assedio sexual e discriminação;

23 O GÊNERO E AS ORGANIZAÇÕES Abordagem na luta pela igualdade das mulheres: Rosabeth Moss Kanter – Men and Women of the Corporation (1977); Posição das mulheres na O.M. e formas de sua exclusão do poder (Homossociabilidade masculina) – circulo fechado Problema está no poder; suficiente dentro O.M.; Maior n o mulheres – desequilíbrio eliminado;

24 O GÊNERO E AS ORGANIZAÇÕES Kathy Ferguson – The Feminist Case Against Bureaucracy (1984); O.M. contaminadas por valores e padrões masculinos; Construir própria organização, com princípios diferentes; Democrática, participativa e cooperativa do que homens;

25 AS MULHERES NA GERÊNCIA O.M. necessitam ser: Flexíveis; Eficientes; Competitivas; Estimulando a política: Compromisso do empregado; Entusiasmo coletivo (metas); Compartilhamento de responsabilidade; Foco sobre pessoas;

26 AS MULHERES NA GERÊNCIA As habilidades suaves de gerência: Comunicação; Consenso; Trabalho em Equipe; Mulheres: Delegar responsabilidade; Compartilhar informações; Fixar metas coletivas;

27 ULTRAPASSANDO OS LIMITES DA BUROCRACIA? Modelo Weber – Governo, Universidade e organizações empresariais – Burocracia; Grande Burocracia no Ocidente; Sufocando inovação e a criatividade; Modelos Horizontais – Colaborativos e flexíveis – Melhor resposta ao mercado;

28 MUDANÇA ORGANIZACIONAL Pioneira O.M. – ouve adaptações e modificações. Modelo Japonês: Tomada de decisões de baixo para cima; Menos Especialização; Segurança no emprego; Produção voltada para o grupo; Fusão da vida profissional com a vida privada;

29 A TRANSFORMAÇÃO DO GERENCIAMENTO Relações entre Gerência e os Trabalhadores Vs. Gerenciamento Hierárquico e Autoritário; Gerenciamento de Recursos Humanos; Mão de obra é vital para a competitividade; Cultura Empresarial; Rituais, eventos ou tradições que englobem todos os membros da firma (Pequeniques da empresa, Empresa Automobilística Saturn).

30 A TECNOLOGIA E AS ORGANIZAÇÕES MODERNAS O Espaço e o Tempo nas Organizações Modernas; Locais e bens físicos não podem ocupar o mesmo espaço, mas informações e locais uma série de sinais eletrônico, podem; Comércio Eletrônico e Finanças On-line;

31 AS ORGANIZAÇÕES EM FORMATO DE REDE Organizações Independentes Globalização e T.I. Manuel Castells e o Empreendimento em Rede (Benetton, IBM) Stanley Davis e a Descentralização

32 O DEBATE EM TORNO DA DESBUROCRATIZAÇÃO Henry Mintzberg e o avanço da Adocracia; A adocracia não desempenha tarefas padronizadas seguindo procedimentos estabelecidos; Stuart Clegg e a organizaçãos pós-moderna; Valores e estilo de vida inerentes a culturas específicas afetam o modo de funcionamento das organizações; George Ritzer e a McDonaldização da Sociedade...a McDonaldização está tornando a vida social mais homogênea, mais rígida e menos pessoal


Carregar ppt "Alunos: Augusto Cesar Rocha Moratelli Fernando Rafael Dadam Jackson Felipe Karl Rodolfo Nejur Damo de Araújo ORGANIZAÇÕES MODERNAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google