A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A natureza das ciências sociais e a filosofia da ciência na perspectiva histórica Amanda Larissa Moser Felipe Nóbrega Jardim Tais Martins Filosofia da.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A natureza das ciências sociais e a filosofia da ciência na perspectiva histórica Amanda Larissa Moser Felipe Nóbrega Jardim Tais Martins Filosofia da."— Transcrição da apresentação:

1 A natureza das ciências sociais e a filosofia da ciência na perspectiva histórica Amanda Larissa Moser Felipe Nóbrega Jardim Tais Martins Filosofia da Ciência Licenciatura - Química

2 Ciências Ciências Naturais (CN) Ciências Naturais (CN) Objetos que não são resultantes da ação humana Objetos que não são resultantes da ação humana O indivíduo pode intervir na resultante dos processos físicos O indivíduo pode intervir na resultante dos processos físicos Não descarta o aparecimento de fenômenos estranhos Não descarta o aparecimento de fenômenos estranhos Ciências Sociais (CS) Ciências Sociais (CS) Economia Sociologia Direito Antropologia Política História Outros

3 JOHN STUART MILL A economia estuda o comportamento humano na busca da riqueza e na aversão ao esforço do trabalho (J. S. Mill) A economia estuda o comportamento humano na busca da riqueza e na aversão ao esforço do trabalho (J. S. Mill)

4 LIONEL ROBBINS A economia estuda o comportamento humano na alocação eficiente de meios produtivos escassos passíveis de usos alternativos. (Lionel Robbins) A economia estuda o comportamento humano na alocação eficiente de meios produtivos escassos passíveis de usos alternativos. (Lionel Robbins)

5 Ciências Sociais Focalizam os elementos subjetivos que condicionam o comportamento humano e as conseqüências deste quando múltiplas ações de diferentes indivíduos combinam- se em sociedade. Focalizam os elementos subjetivos que condicionam o comportamento humano e as conseqüências deste quando múltiplas ações de diferentes indivíduos combinam- se em sociedade. Divisão do conhecimento social em áreas específicas Divisão do conhecimento social em áreas específicas

6 Filosofia e Ciência Os elementos que conferem qualidade à explicação científica, o que separa a boa da má explicação? Os elementos que conferem qualidade à explicação científica, o que separa a boa da má explicação? Por que algumas teorias tiveram boa aceitação em certos momentos históricos? Por que algumas teorias tiveram boa aceitação em certos momentos históricos? Por que elas prevaleceram em dada época e não as teorias que com elas concorreram? Por que elas prevaleceram em dada época e não as teorias que com elas concorreram?

7 Na Antiguidade, os sábios buscavam um status epistemológico privilegiado, rebaixando outros discursos tidos como não científicos Na Antiguidade, os sábios buscavam um status epistemológico privilegiado, rebaixando outros discursos tidos como não científicos

8 Aristóteles O filósofo grego foi o primeiro a propor um método de investigação pautado na experimentação; O filósofo grego foi o primeiro a propor um método de investigação pautado na experimentação; Problema da indução. Problema da indução. Seguindo uma crença de Platão, Aristóteles afirmava que a exposição dos fatos levaria à lembrança da verdade Seguindo uma crença de Platão, Aristóteles afirmava que a exposição dos fatos levaria à lembrança da verdade Ele ancora a reputação do bom discurso científico na noção da verdade Ele ancora a reputação do bom discurso científico na noção da verdade

9 Aristóteles Como é possível ter segurança da verdade? Como é possível ter segurança da verdade? Na Antiguidade afirmava-se que o critério da verdade é a confrontação do discurso com a experiência Na Antiguidade afirmava-se que o critério da verdade é a confrontação do discurso com a experiência Como a verdade emerge do contato com a experiência? Como a verdade emerge do contato com a experiência? A observação por si só, não assegura a verdade A observação por si só, não assegura a verdade Talvez a própria noção de verdade seja filosoficamente questionável. Talvez a própria noção de verdade seja filosoficamente questionável.

10 Geometria de Euclides OrigemExplicação Identificação do arqué (base) Fenômeno observado deriva do elemento Fenômeno observado deriva do elemento Encadeamento das sentenças Fato empírico

11 Silogismo É um tipo de lógica que consiste em demonstrar as proposições pela identificação do chamado termo médio É um tipo de lógica que consiste em demonstrar as proposições pela identificação do chamado termo médio Exemplo: Exemplo: - Partindo de dois archai - Partindo de dois archai Sócrates é animal Todo animal é mortal Logo: Sócrates é mortal O silogismo procura incluir uma coisa na outra O silogismo procura incluir uma coisa na outra

12 Aristóteles Há um conjunto de pressupostos bastante questionáveis no modelo aristotélico de ciência Há um conjunto de pressupostos bastante questionáveis no modelo aristotélico de ciência O processo denominado por Aristóteles de nous é o fundamento da crença na identificação do arque verdadeiro da demonstração. É essencialmente místico. O processo denominado por Aristóteles de nous é o fundamento da crença na identificação do arque verdadeiro da demonstração. É essencialmente místico. O legado aristotélico permaneceu por séculos. Mesmo na século XVII, quando Francis Bacon ( ) um voz se ergue na Inglaterra contra o rígido sistema metafísico de Aristóteles. O legado aristotélico permaneceu por séculos. Mesmo na século XVII, quando Francis Bacon ( ) um voz se ergue na Inglaterra contra o rígido sistema metafísico de Aristóteles.

13 Francis Bacon Critica os filósofos de sua época Critica os filósofos de sua época O que Bacon oferece em troca da metafísica aristotélica valorizadora do empírico é a ênfase mais acentuada no conhecimento empírico. O que Bacon oferece em troca da metafísica aristotélica valorizadora do empírico é a ênfase mais acentuada no conhecimento empírico. Interpretação da natureza Interpretação da natureza Só a interpretação possibilita o pleno domínio e conquista da natureza. Submissão aos fatos naturais como meio de decifrá-los. Só a interpretação possibilita o pleno domínio e conquista da natureza. Submissão aos fatos naturais como meio de decifrá-los.

14 Os ídolos de Bacon Chama tais elementos de "fantasmas" ou "ídolos", os quais devem ser reprimidos. Chama tais elementos de "fantasmas" ou "ídolos", os quais devem ser reprimidos. 1. Ídolos da tribo: o excesso de confiança nos sentidos; 1. Ídolos da tribo: o excesso de confiança nos sentidos; 2. Ídolos da caverna: o processo em que as sensações subjetivas afetam o intelecto; 2. Ídolos da caverna: o processo em que as sensações subjetivas afetam o intelecto; 3. Ídolos do fórum: os hábitos semânticos arraigados que distorcem a interpretações; 3. Ídolos do fórum: os hábitos semânticos arraigados que distorcem a interpretações; 4. Ídolos do teatro: o peso da autoridade dominante a influenciar o pensamento. 4. Ídolos do teatro: o peso da autoridade dominante a influenciar o pensamento.

15 Francis Bacon A certeza do conhecimento não pode ser alcançada fazendo-se a natureza confessar, simplesmente porque ela não fala por si mesma A certeza do conhecimento não pode ser alcançada fazendo-se a natureza confessar, simplesmente porque ela não fala por si mesma

16 René Descartes Foi um gênio que deu muitas contribuições a Filosofia, a Matemática, a Física e outras ciências naturais. Foi um gênio que deu muitas contribuições a Filosofia, a Matemática, a Física e outras ciências naturais. Racionalismo: a crença de que a verdade esta enraizada no bom uso da razão. Racionalismo: a crença de que a verdade esta enraizada no bom uso da razão. O método por ele utilizado é bastante niilista e extremamente confiante no poder da mente individual em edificar conhecimento autentico O método por ele utilizado é bastante niilista e extremamente confiante no poder da mente individual em edificar conhecimento autentico

17 Técnicas de Descartes 1. Acolher apenas coisas verdadeiras e indubitáveis; 1. Acolher apenas coisas verdadeiras e indubitáveis; 2. Reduzir todos os problemas a dificuldades elementares, ou seja, decompô-los em elementos simples; 2. Reduzir todos os problemas a dificuldades elementares, ou seja, decompô-los em elementos simples; 3. Uma vez bem conhecidos os elementos simples, conhecer os objetos que se obtém pela composição deles; 3. Uma vez bem conhecidos os elementos simples, conhecer os objetos que se obtém pela composição deles; 4. Enumerar todos os casos possíveis de um problema. Rever todos eles ate chegar a uma conclusão. 4. Enumerar todos os casos possíveis de um problema. Rever todos eles ate chegar a uma conclusão.

18 René Descartes Como saber o que e indubitavelmente verdadeiro? Como saber o que e indubitavelmente verdadeiro? Certas coisas existem por uma faculdade da razão. Diz ele: "penso, logo existo". Certas coisas existem por uma faculdade da razão. Diz ele: "penso, logo existo". O fato de o próprio pensador existir. Duvidamos de que ele seja capaz de identificar as "verdades" básicas de todo o conhecimento. É o chamado reducionismo cartesiano. O fato de o próprio pensador existir. Duvidamos de que ele seja capaz de identificar as "verdades" básicas de todo o conhecimento. É o chamado reducionismo cartesiano.

19 Descartes x Newton Descartes e Newton coexistiram por certo tempo como dais sistemas científicos paralelos e irreconciliáveis que diferiam em seus pressupostos filosóficos e metodológicos. Descartes e Newton coexistiram por certo tempo como dais sistemas científicos paralelos e irreconciliáveis que diferiam em seus pressupostos filosóficos e metodológicos.

20 Isaac Newton Foi um gênio inigualável. Foi um gênio inigualável. Newton tinha mente mistica e esoterica. Newton tinha mente mistica e esoterica. Ele fazia referencias diretas aos fatos observáveis, sem a necessidade de observação quase exaustiva dos fatos. Ele fazia referencias diretas aos fatos observáveis, sem a necessidade de observação quase exaustiva dos fatos. A ciência newtoniana é começar de uns poucos princípios e derivar deles a explicação de fenômenos aparentemente caóticos. A ciência newtoniana é começar de uns poucos princípios e derivar deles a explicação de fenômenos aparentemente caóticos. O que é mais notável em Newton e a aceitação filosófica de que as idéias cientificas são um tipo de convenção necessária para o conhecimento ordenado do mundo. O que é mais notável em Newton e a aceitação filosófica de que as idéias cientificas são um tipo de convenção necessária para o conhecimento ordenado do mundo.

21 Adam Smith Foi quem melhor interpretou e aplicou o método de Newton Foi quem melhor interpretou e aplicou o método de Newton O estimulo provocado pelo evento inesperado gera o sentimento de surpresa; em seguida, o novo ou singular desperta o espanto e, finalmente, o grande e belo produz a admirá-lo. O estimulo provocado pelo evento inesperado gera o sentimento de surpresa; em seguida, o novo ou singular desperta o espanto e, finalmente, o grande e belo produz a admirá-lo. O repouso e a tranqüilidade da imaginação são o fim ultimo da ciência. O repouso e a tranqüilidade da imaginação são o fim ultimo da ciência. A explicação cientifica serve para apaziguar os sentimentos. A explicação cientifica serve para apaziguar os sentimentos.

22 Descartes e Smith Ambos rompem com o empirismo: Ambos rompem com o empirismo: A razão em Descartes e a imaginação em Smith. A razão em Descartes e a imaginação em Smith. 1. Apoiá-la na crença do poder das faculdades humanas, como Descarte faz com a "razão"; 1. Apoiá-la na crença do poder das faculdades humanas, como Descarte faz com a "razão"; 2. Firmar a noção de verdade em um enfoque indutivista de ciência, no qual proposições universais são obtidas por meio da observação de ocorrências particulares. 2. Firmar a noção de verdade em um enfoque indutivista de ciência, no qual proposições universais são obtidas por meio da observação de ocorrências particulares.

23 Indutivismo Indutivismo Há um fato inegável nas ciências naturais: as boas teorias funcionam na prática, elas tem poder explicativo e preditivo. Há um fato inegável nas ciências naturais: as boas teorias funcionam na prática, elas tem poder explicativo e preditivo. Se o que faz a teoria funcionar não é seu conteúdo de verdade, então por que e como ela da conta dos problemas? Se o que faz a teoria funcionar não é seu conteúdo de verdade, então por que e como ela da conta dos problemas? Indutivismo: o contato com os fatos na tentativa de explicá-los e marca dela. Indutivismo: o contato com os fatos na tentativa de explicá-los e marca dela. Exemplo: Exemplo: Os corvos são pretos Todos os corvos são pretos É preciso construir uma ponte que interliga o singular ao universal.

24 Indutivismo Sem atividade mental o "livro da natureza" é ininteligível. Acredita-se que o mundo comporta- se de dada forma e não de outra. E somente isso é o que esta em jogo. Sem atividade mental o "livro da natureza" é ininteligível. Acredita-se que o mundo comporta- se de dada forma e não de outra. E somente isso é o que esta em jogo. A abordagem indutivista nunca foi totalmente abandonada A abordagem indutivista nunca foi totalmente abandonada Muito se avançou nesse sentido. Muito se avançou nesse sentido. O modelo da física clássica entrou em descrédito acentuado O modelo da física clássica entrou em descrédito acentuado

25 Filosofia século XX Positivismo lógico que, sem negar o papel da observação empírica, escapa de algumas das armadilhas do indutivismo puro. Positivismo lógico que, sem negar o papel da observação empírica, escapa de algumas das armadilhas do indutivismo puro. Fala-se agora em emprego de lógica rigorosa na decifração de conceitos e proposições empíricas. Fala-se agora em emprego de lógica rigorosa na decifração de conceitos e proposições empíricas. Filosofia do século XX Filosofia do século XX


Carregar ppt "A natureza das ciências sociais e a filosofia da ciência na perspectiva histórica Amanda Larissa Moser Felipe Nóbrega Jardim Tais Martins Filosofia da."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google