A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avanços Alcançados na Comercialização do Mercado Livre e Possíveis Aperfeiçoamentos Edson Luiz da Silva Seminário 5 Anos do Novo Modelo Realidade e Perspectivas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avanços Alcançados na Comercialização do Mercado Livre e Possíveis Aperfeiçoamentos Edson Luiz da Silva Seminário 5 Anos do Novo Modelo Realidade e Perspectivas."— Transcrição da apresentação:

1 Avanços Alcançados na Comercialização do Mercado Livre e Possíveis Aperfeiçoamentos Edson Luiz da Silva Seminário 5 Anos do Novo Modelo Realidade e Perspectivas para o Setor de Energia Elétrica

2 2 A Apine Perfil dos Sócios –geradores privados de energia elétrica –concessionárias de geração –Empresas de pequeno, médio e grande portes –outras empresas interessadas na produção independente »prestadoras de serviço de engenharia consultiva »mineradoras de carvão mineral »escritórios de advocacia »construtores e fabricantes Fontes de Geração dos associados –hidráulica: médio e grande porte e PCHs –térmica: biomassa, gás, carvão mineral e óleo –eólica

3 3 A Apine Número de Sócios: – 41 Capacidade Instalada no Mundo: –285 mil MW (cerca de 3 vezes a do Brasil) Capacidade Instalada no Brasil: –43 mil MW (45% da capacidade instalada do Brasil) Faturamento Anual: – R$ 18 bilhões

4 4 A Apine

5 5

6 6 Agenda 1.Avanços no Marco Regulatório 2.Leilões de Energia Elétrica 3.Próximos Desafios para o ACL 4.Constatações

7 7 Avanços no Marco Regulatório Regras de Transição –Viabilização da comercialização de usinas, particularmente as hidrelétricas, concedidas sob o marco regulatório anterior »Usinas nestas condições eram elegíveis a participar dos leilões como energia nova »Competição em bases isonômicas mediante compensação do encargo devido pelo Uso do Bem Público (UBP) Separação entre Fio e Energia –Desmembramento da tarifa de fornecimento nas componentes FIO e ENERGIA permite que o consumidor efetivamente saiba o quanto paga pelo PRODUTO energia elétrica

8 8 Avanços no Marco Regulatório Retomada do Planejamento –Geração »Desenvolvimento de estudos de inventário, aumentando a oferta de novos empreendimentos hidrelétricos aptos a participarem dos leilões de energia nova –Transmissão »Coordenação dos estudos de longo prazo (EPE) e médio prazo (ONS) possibilitou a eliminação das principais restrições elétricas intra e entre submercados e a gradativa interconexão dos sistemas isolados ao SIN Regulação Técnica da Transmissão –Instituição da Parcela Variável sinaliza, via regulação por incentivos, para a maximização da disponibilidade dos ativos de transmissão –Eficácia da calibragem utilizada ainda não foi testada

9 9 Avanços no Marco Regulatório Realinhamento Tarifário –Proporciona a isonomia tarifária entre as diversas classes de consumo, eliminando subsídios cruzados »A energia passa a ter o real valor (vale quanto pesa) Leilões do ACR –Permite a contratação eficiente das distribuidoras »Os Produtores Independentes passam a ter o efetivo acesso ao mercado –Permite coordenar 70% da expansão necessária Sistema de Garantias Financeiras da CCEE –Estímulo à contratação futura

10 10 Avanços no Marco Regulatório Instituição do Conceito de Lastro –Além da energia elétrica, há um segundo produto »CAPACIDADE de COMERCIALIZAÇÃO »A contratação antecipada do lastro possibilita a adequação do suprimento –O lastro possui valor próprio »Se há excesso de lastro, seu valor tende a zero independentemente do PLD »Se há falta de lastro, seu valor tende à penalidade independentemente do PLD –Mecanismos de capacidade estão em implantação em outros mercados de energia elétrica »New England, PJM e Colombia são exemplos de uma abordagem moderna do conceito de capacidade como mecanismo coordenador da expansão »Nesses mercados, existe um preço para a energia e um preço para capacidade de produção

11 11 Leilões de Energia Elétrica Leilões viabilizaram a expansão, mas a matriz energética está mudando significativamente 8% Participação Termelétrica 13% Participação Termelétrica 26% Participação Termelétrica

12 12 Importância do ACL Segmento da carga que efetivamente responde a preço Parâmetro de eficiência da indústria de energia elétrica

13 13 Próximos Desafios para o ACL Expansão –Viabilizar, com eficiência, energia nova para o crescimento de carga do ACL Sustentabilidade –Recontratação da energia existente e caducidade das concessões devem ter uma solução coordenada »A solução não deve distorcer o mercado –Apesar do horizonte futuro, estes temas já paralisam o mercado livre e causam incertezas sobre o valor dos ativos »Competitividade do ACR é benchmark para o ACL O ACR é o supridor de última instância »Qual será o preço da energia associada às concessões que vencem a partir de 2015? Liquidez –Necessidade de mecanismos que permitam ao consumidor livre gerenciar o risco de crescimento da demanda –Permitir que consumidores livres vendam energia de novos contratos é uma alternativa »A solução necessita contemplar aspectos de curto e longo prazos »Com instrumentos adequados, a contratação futura (expansão da oferta) pode ser incentivada A solução não é simples pois existem contratos de quantidade e disponibilidade

14 14 Próximos Desafios para o ACL Assimetrias na alocação de Risco –Risco de submercado »Apesar da expansão da transmissão (construção de 26 mil km de linhas de transmissão na Rede Básica nos últimos 10 anos) o risco associado à diferença de preço, mesmo que com pequena probabilidade de ocorrência, é precificado como custo »Como não há espaço para repasse deste custo via preço, a decisão é de não contratar, reduzindo a competição no submercado deficitário de oferta –Encargo de serviço de sistema - ESS (elétrico e energético) »O custo do despacho fora do mérito por razões elétricas é razoavelmente bem comportado, enquanto o custo por razões energéticas não é –Ambos os riscos caracterizam-se pela intensidade –No ACR, o risco é alocado a um número elevado de agentes e amortizado por uma conta gráfica »Alocação do risco é pulverizada –No ACL »O risco da diferença de preços é alocado usualmente ao gerador e liquidado no mês de ocorrência »O ESS é alocado no mês em que ocorre o despacho fora da ordem de mérito »Em ambos os casos, a alocação de risco não é amortecida e nem pulverizada

15 15 Constatações Os avanços alcançados pelo marco regulatório atual representam uma consolidação das regras e amadurecimento no mercado de energia elétrica A matriz energética decorrente dos leilões de energia nova, a despeito dos esforços para disponibilizar empreendimentos hidrelétricos viáveis, está aquém do potencial do país –A participação termelétrica salta dos atuais 13% para 26% em 2013 O mercado livre apresenta sinais de estagnação, ou mesmo de retração. Dada a importância deste segmento para a indústria de energia elétrica e seu potencial para viabilizar a expansão da oferta, deve-se buscar soluções para esta finalidade O tratamento das concessões vincendas é um fator de risco importante para o mercado como um todo e requer uma solução imediata e integrada com a recontratação da energia existente

16 16 Obrigado! APINE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PRODUTORES INDEPENDENTES DE ENERGIA ELÉTRICA SHS Quadra 6, Ed. Business Center Tower - Brasil XXI, Bloco C - Sala 212 Brasília – DF CEP: Telefones: (61) / / / Fax: (61) Edson Luiz da Silva


Carregar ppt "Avanços Alcançados na Comercialização do Mercado Livre e Possíveis Aperfeiçoamentos Edson Luiz da Silva Seminário 5 Anos do Novo Modelo Realidade e Perspectivas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google