A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE - Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar Joceley Casemiro Campos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE - Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar Joceley Casemiro Campos."— Transcrição da apresentação:

1 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE - Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar Joceley Casemiro Campos

2 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA ¶ OBJETIVOS: 4 Detecção oportuna de todos os casos paralíticos para alcançar efetivamente a erradicação da Poliomielite e instituição imediata de medidas de controle, 4 Avaliar as modificações nas características epidemiológicas da doença, 4 Avaliar a eficácia do programa de vacinação, e inclusive eficácia da vacina na rede de serviços, e também aferir o impacto da vacina sobre a doença, 4 Avaliar o desenvolvimento operacional do Programa de Vacinação da Poliomielite, com vistas aos níveis de Cobertura Vacinal alcançados

3 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: · NOTIFICAÇÃO DOS CASOS: Deverão ser notificados todos os casos de PARALISIAS OU PARESIAS FLÁCIDAS AGUDAS EM MENORES DE 15 ANOS INDEPEDENTE DA HIPÓTESE DIAGNÓSTICA, E EM PESSOAS DE QUALQUER IDADE QUE APRESENTEM A HIPÓTESE DIAGNÓSTICA DE POLIOMIELITE. OBS: A NOTIFICAÇÃO É IMEDIATA AOS SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA.

4 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: Deverá ser iniciada nas primeiras 48 hs do conhecimento do caso 4 Preencher a ficha epidemiológica 4 Orientar a coleta de pelo menos uma amostra de fezes do caso 4 Coletar uma amostra de 5 comunicantes menores de 5 anos, quando necessário 4 História vacinal do caso 4 Historia de viagens nos últimos 30 dias 4 Investigação de visitas no domicílio

5 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: 4 Em caso de óbito deve-se coletar fragmentos de cérebro (ponte, mesencéfalo, e área motora do giro pré-central), medula (corno anterior das regiões superior, média e inferior ) e intestino (Placa de Peyer) e transporte em solução salina tamponada. Conservação idêntica a das fezes. VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

6 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: De quem e quando coletar Caso - deve ser coletada pelo menos uma amostra de fezes. A amostra deve ser coletada imediatamente ao conhecimento do caso ou o mais precocemente possível de preferência nos primeiros 14 dias do início do déficit motor, nunca ultrapassando os 60 dias a partir do início da paralisia ou paresia. Obs: A possibilidade de isolamento de poliovírus cai com o passar do tempo. Para classificação final dos casos a diferenciação entre Descartado e Pólio Compatível só será possível quando as fezes forem coletadas dentro dos 14 dias que se seguem ao início do déficit motor VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

7 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: De quem e quando coletar Comunicantes - Deve ser coletado uma amostra de fezes de até 5 comunicantes menores de 5 anos, sempre antes da vacinação caso seja necessário, somente nos casos em que as fezes do caso notificado não tenha sido oportuna. VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

8 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: Técnica da Coleta Cada amostra coletada do caso e comunicantes deve corresponder ao tamanho de dois polegares de um adulto. Não é recomendada a coleta por swab retal, devendo-se esperar a evacuação espontânea.. Obs: Aceita-se o uso de supositório, apenas de glicerina, quando não ocorrer a evacuação espontânea. VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

9 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: Transporte e conservação 4 Enviar as fezes imediatamente após a coleta. Estas devem ser acondicionadas em frascos bem vedados e identificados, acondicionados em sacos plásticos fechados em caixa isotérmica com gelo comum ou gelo reciclável em quantidade suficiente para resistir ao percurso. O material deve ser identificado e enviado com impresso da Vigilância Epidemiológica solicitando Pesquisa de Poliovírus. VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

10 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: Transporte e conservação 4 Não sendo possível o envio imediato da amostra de fezes, o material deve ser colocado imediatamente após a coleta em geladeira (+2 a +8 ºC) onde podem ser mantidas pelo período máximo de 3 dias. VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

11 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: Transporte e conservação 4 Após este período de 3 dias a amostra deve ser colocada em freezer (- 20C a -70º C) onde pode permanecer por tempo indeterminado. Obs: Não é recomendado a conservação das fezes em congelador comum pois este processo de congelamento é lento e provoca o aparecimento de cristais de água, destruindo as células orgânicas e consequentemente os enterovirus presentes. VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

12 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¸ INVESTIGAÇÃO DOS CASOS: Fezes 4 Técnicas laboratoriais adotada Cultura Celular e Reação em cadeia da Poliomerase (P.C.R.) os laboratórios credenciados no Brasil são: ã Centro de Referência Nacional para Enterovírus/Fundação Instituto Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) - Escola Nacional de Saúde Pública - Rio Janeiro ã Laboratório Central de Saúde Pública Dr. Milton Bezerra Sobral / Fundação de Saúde Amauri Medeyros (FUSAM) - Governo Estatual - Recife ã Instituto Evandro Chagas / Fundação de Serviços de Saúde Pública - (FSESP)) - Ministério da Saúde - Belém VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE

13 è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¹ MEDIDAS DE CONTROLE : 4 Caso de Poliomielite: Tratamento Isolamento na fase aguda da doença Imunização: quando necessário vacinar após a coleta de exames e alta hospitalar.

14 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¹ MEDIDAS DE CONTROLE : 4 Comunicantes de Poliomielite: Desinfeção concorrente das secreções faríngeas, das fezes e fômites. Nas comunidades com sistemas modernos e adequados de eliminação de águas residuais as fezes devem ser eliminadas diretamente nos vasos sanitários.

15 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¹ MEDIDAS DE CONTROLE : 4 Notificação Negativa Semanal: Os responsáveis pela V.E. das DIRs selecionaram uma relação de hospitais onde, potencialmente, devem ser atendidos casos de paralisias e paresias agudas e flácidas ( Obs.: devem ter preferencialmente pediatria, neuropediatria, clínica médica e neurologia ). A V. E. Junto com os hospitais informam semanalmente a não ocorrência de casos e este ao nível Central via fax; referente a SE anterior. Obs: 80% das fontes devem notificar semanalmente

16 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: º MEDIDAS DE CONTROLE AMBIENTAL: 4 Monitoramento de Águas Residuais CETESB - Em portos, aeroportos e alguns hospitais, rotineiro.

17 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: º MEDIDAS DE CONTROLE DE VIAJANTES: 4 Vacinação de todos os viajantes vindos de áreas onde haja circulação de poliovírus selvagem com OPV, independente da história vacinal anterior, com exceção dos imunodeprimidos que deverão receber a IPV. Os menores de 15 anos deverão completar o esquema básico. 4 Vacinação seletiva em indivíduos que saiam do país e que se diriigem a áreas de circulação do vírus selvagem que não apresentem esquema vacinal completo contra a poliomielite. Ressalva feito aos imunodeprimidos : DE de desembarques internacionais, foram das Ásia, África e Oriente Médio.

18 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: » CLASSIFICAÇÃO DOS CASOS 4 Confirmado: doença paralítica flácida aguda com isolamento de poliovírus selvagem, independente da evolução clínica 4 Descartado: doença paralítica flácida aguda com coleta adequada de fezes e resultado negativo 4 Compatível: doença paralítica flácida aguda com seqüela compatível após 60 dias ou óbito com evolução ignorada, sem coleta adequada de fezes. ENMG: compatível com lesão de corno anterior da medula.

19 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: » CLASSIFICAÇÃO DOS CASOS 4 Associado a vacina : casos de PFA com isolamento nas fezes de polivírus vacinais. RECEPTORES : doença paralítica flácida aguda que se inicia entre 4 e 40 dias após o recebimento da O P V, que apresenta seqüela neurológica compatível com Poliomielite 60 dias após do déficit motor. CONTATOS: doença paralítica de pessoa que manteve contato entre 4 e 40 dias antes,com pacientes que tenham recebido a OPV entre 4 e 85 dias antes da paralisia no contato.

20 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: » CLASSIFICAÇÃO DE SEQUELAS 4 MÍNIMA - aquela em que há comprometimento de grupamentos musculares de um único membro ou região corporal (por exemplo, paralisia facial, cervical, escapular, etc.) 4 MÉDIA:.aquela em que há comprometimento de mais de um membro ou região corporal, interferindo mas não impossibilitando a execução de atividades da vida diária (por exemplo, caminhar, alimentar-se vestir-se etc) 4 GRAVE: aquela em que há comprometimento que determine, pelo menos, uma das seguintes condições: a - Impossibilidade na utilização de pelo menos um segmento corporal, ou. b - Incapacitação para a execução de atividades da vida diária.

21 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: ¼ INDICADORES DE QUALIDADE DA VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS 4 Taxa de Notificação: META: 1 caso/ menores de 15 anos 4 Investigação em 48 hs: META: 80% dos casos investigados nas primeiras 48 hs 4 Coleta Adequada de fezes ( primeiros 14 dias): META : 80% dos casos com fezes coletados nos primeiros 14 dias 4 Notificação Negativa Semanal: Meta: 80% das fontes notificando semanalmente

22 VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE è MEDIDAS IMPORTANTES PARA MANTER A POLIOMIELITE ERRADICADA 4 Manter uma boa qualidade de vigilância das Paralisias Flácidas Agudas com notificação de no mínimo 1 caso/ menores de 15 anos; e 80% dos casos com coleta de fezes nos primeiros 14 dias do início da paralisia motora. 4 Imunização : Vacinação de Rotina e Campanhas Nacionais de Imunização ( 2 vezes ao ano) com coberturas mínimas de 95% (OPAS )


Carregar ppt "VIGILÂNCIA DAS PARALISIAS FLÁCIDAS AGUDAS - POLIOMIELITE - Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar Joceley Casemiro Campos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google