A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda A Revolução francesa A liberdade guiando o povo, Eugene Délacrois.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda A Revolução francesa A liberdade guiando o povo, Eugene Délacrois."— Transcrição da apresentação:

1 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda A Revolução francesa A liberdade guiando o povo, Eugene Délacrois

2 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Liberdade Igualdade Fraternidade

3 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

4 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda CAUSAS: Absolutismo exacerbado - ausência de democracia. Sociedade Estamental - privilégio de nascimento e desigualdades, era composta pelo 1º Estado, o clero. 2º Estado, a nobreza e o 3º Estado o restante da população- alta burguesia, baixa burguesia, sans- culotte, camponeses.

5 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Crise econômica: a França devia o dobro da moeda corrente no país. As secas, inundações fizeram aumentar os preços dos alimentos. E a indústria ia mal devido o Tratado de Eden-Rayneval firmado com a Inglaterra em a França exportava vinhos para a Inglaterra. E a Inglaterra exportava tecidos para a França. Matando assim a indústria francesa.

6 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda 97% 2% 1% 1º ESTADO: CLERO 2º ESTADO: NOBREZA 3º ESTADO: BURGUESIA + CAMPONESES + SANS CULOTES

7 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Gastos exagerados com a Corte – Palácio de Versalhes. Somente o 3º Estado pagava impostos. Participação francesa na Independência Norte- americana. Idéias Iluministas. Antigo Regime era incapaz de resolver os problemas do país, era chegada a hora do Capitalismo.

8 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda DESENVOLVIMENTO: Primeira fase da Revolução Revolução Burguesa: Luís XVI apavorado com déficit orçamentário do país exigiu uma reunião dos Estados Gerais que eram os representantes dos três Estados, para tentar conscientizar os dois primeiros a pagarem impostos, mas foi em vão. Os dois primeiros se recusaram, votaram separados de forma que seus objetivos eram alcançados.

9 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Sessão inaugural dos Estados Gerais, em Versalhes (1789).

10 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

11 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda – Juramento da Pela

12 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda O 3º Estado se separou e jurou só se dissolver depois de dar à França uma Constituição - era a Assembléia Nacional Constituinte. Nesta fase, a Bastilha foi tomada pela multidão enfurecida, os nobres e clérigos começaram a emigrar e foi criada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão: igualdade jurídica, propriedade privada resistência à opressão.

13 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão

14 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Aprovada a Constituição Civil do Clero, seus bens foram colocados à venda, tornando-se lastro da nova moeda francesa -Assignates.

15 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

16 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda A Revolução se radicalizou espalhando o Grande Medo: camponeses famintos invadiam propriedades, demoliam castelos, queimavam documentos e tomavam pedaços de terra; por isso os deputados burgueses aboliram os privilégios feudais. – Assalto às tulherias

17 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Em 1791 ficou pronta a Constituição. A França tornava-se uma Monarquia Constitucional e o rei continuava sendo Luís XVI: só que o voto era censitário, havia três poderes, as greves e os sindicatos eram proibidos, a propriedade privada e os privilégios agora era pela fortuna- dinheiro- Era o mundo Capitalista chegando na França. Fome e altas de preço.

18 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Luís XVI tenta fugir do país, para organizar lá fora a Contra- Revolução, mas é reconhecido, preso e suspenso de suas atividades. TerminavaEm 1792 a França tornou-se República e a antiga assembléia foi substituída pela Convenção Nacional, que por pressão das massas foi eleita por Sufrágio Universal. Convenção Nacional era espécie de Congresso eleito- República, durou apenas 10 meses Terminava aí a 1ª fase da Revolução.

19 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda SEGUNDA FASE : predomínio de três facções políticas: Girondinos - alta burguesia, sentava- se à direita, os Jacobinos, pequena burguesia sentava-se à esquerda e a Planície tentando neutralizar a Revolução. Com a ajuda dos Girondinos formou-se a 1ª Coligação Européia para invadir a França e impedir o avanço da Revolução: Inglaterra, Áustria, Prússia, Holanda, Espanha, Rússia, Sardenha.

20 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

21 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda As massas percebendo a traição dos Girondinos assumiram o controle da Revolução. Era a vez dos Jacobinos no Poder. Foi o Período do Terror : a escravidão foi abolida das colônias francesas, congelou preços de mercadorias básicas, era a Lei do Máximo, sufrágio universal, terras divididas aos camponeses, venda dos bens dos emigrados e da Igreja, aumentou os impostos dos ricos direito à educação para todos, criou novo calendário, os traidores eram guilhotinados, foram 17 mil em pouco mais de um ano, entre eles Luís XVI.

22 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

23 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

24 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda – Marat e Danton

25 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

26 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

27 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Os Jacobinos conseguiram esmagar a Invasão Externa com a criação do Comitê de Salvação Pública e a Contra- Revolução Interna com o Comitê de Salvação Nacional. Robespierre foi o principal líder, também acusado de tirano, foi guilhotinado pela alta burguesia que retomou a rédea da Revolução Francesa - era a Reação Termidoriana

28 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda – Reação Termidoriana

29 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda TERCEIRA FASE: voltou o voto censitário, a liberdade para a indústria, o comércio e os bancos, foi o período do Diretório - 5 diretores, era um governo fraco, ameaçado novamente pelos Jacobinos - Conspiração dos Iguais de Graco Babeuf, e a França invadida pela 2ª Coligação: Espanha, Holanda, Portugal e Itália, por isso, foi substituído por Napoleão Bonaparte.

30 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda – Graco Babeuf

31 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda Era o golpe de 18 de Brumário, consolidando o poder na mão da burguesia. Todos foram à luta mas a quem coube o gosto da vitória? É sempre assim os mais fortes são vencedores. Enfim, a França na Era Capitalista e aos pobres a mesma coisa, trabalhando duro para sobreviver.

32 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda

33 A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda


Carregar ppt "A REVOLUÇÃO FRANCESA Adriano Valenga Arruda A Revolução francesa A liberdade guiando o povo, Eugene Délacrois."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google